Home Feira de Aviação Paris Air Show: pequenas e médias empresas brasileiras ganham espaço

Paris Air Show: pequenas e médias empresas brasileiras ganham espaço

1679
3

Ao lado do Cluster Aeroespacial Brasileiro, a cadeia produtiva do setor garante novas parcerias, prospecta novos mercados, contratos e tecnologias

Os olhares do setor aeroespacial mundial se voltam durante a próxima semana para Paris, na França. Começa na segunda-feira (19) a 52ª edição do International Paris Air Show Le Bourget – maior feira aeroespacial do planeta – e mais uma vez o Cluster Aeroespacial Brasileiro, coordenado pelo Parque Tecnológico São José dos Campos, estará presente.

Em sua grande maioria, as empresas que formam a cadeia produtiva deste setor estão instaladas na região do Vale do Paraíba, especialmente em São José dos Campos, onde nasceu e reside a principal planta da Embraer. Hoje, o cluster coordenado pelo Parque Tecnológico conta com cerca de 100 associados.

Neste ano o pavilhão Brasil no Paris Air Show terá 130m². Participam 13 empresas e instituições que fazem parte do projeto Aerospace Brasil, também coordenado pelo Cluster Aeroespacial Brasileiro. São elas: Akaer, Altave, Aerospace Brasil Certification, Thyssen Krupp, Sobraer, Avionics, Alltec, Ags Holding, Troya, Ambra, Instituto de Desenvolvimento Integrado de Minas Gerais, Massucato e Latecoere.

“Este é um evento tradicional, especialmente na área comercial, e as empresas brasileiras, nossas associadas, com apoio da Apex e do Parque Tecnológico, têm a oportunidade de exporem-se de forma estruturada e conquistarem novas parcerias e negócios”, afirma Marcelo Safadi, diretor de Novos Negócios do Parque Tecnológico São José dos Campos.

Internacionalização

A participação das pequenas e médias empresas em feiras como a Paris Air Show resulta do convênio firmado entre o Parque Tecnológico e a Apex-Brasil (Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos).

A Apex fomenta a internacionalização das empresas brasileiras subsidiando parte das ações de promoção da cadeia e ainda promove, em parceria com o Parque Tecnológico São José dos Campos, a capacitação e certificação necessária para atender as exigências do mercado internacional.

“A parceria com a Apex é importante e permite que, com apoio do cluster, as pequenas e médias empresas da cadeia aeronáutica também colaborem para que o Brasil melhore seu posicionamento no volume de exportações deste setor”, explica Safadi.

Para Marcelo Nunes, coordenador do Cluster Aeroespacial Brasileiro, estar na maior feira aeronáutica do mundo é ainda uma oportunidade de aumentar a base de relacionamento com grandes empresas e ampliar as opções de mercado.

“Vejo ainda uma chance de nossas empresas trazerem novas tecnologias para o país, com parcerias importantes que serão firmadas em Le Bourget”, destaca Nunes.

A Paris Air Show acontece a cada dois anos desde 1909 no aeroporto de Le Bourget, próximo a Paris, em alternância com o Farnborough International Airshow e o Show Aéreo de Berlim. A feira, considerada a maior do mundo, é famosa por grandes anúncios de contratos, lançamentos e compras, tanto dos grandes players do setor aeroespacial quanto na área de defesa, com a presença das Forças Armadas de diversos países.

Importantes acordos também ocorrerão durante o evento para as empresas do Cluster Aeroespacial Brasileiro. É o caso da Altave, associada ao Cluster e residente no Parque Tecnológico São José dos Campos, que irá anunciar no dia 21 de junho, em Paris, sua parceria industrial com a francesa Airstar Aeroespace, com presença de autoridades brasileiras e francesas. Mais detalhes do acordo serão apresentados durante a coletiva de imprensa em Le Bourget.

A intensa agenda de reuniões e visitas do Cluster Aeroespacial Brasileiro em Le Bourget segue até o final do Paris Air Show, no dia 25 de junho, e as novidades e cobertura da participação no evento poderá ser acompanhada pelo site e página do Facebook do Parque Tecnológico.

DIVULGAÇÃO: Parque Tecnológico São José dos Campos

3 COMMENTS

  1. Rá, que legal! Conheço a rapaziada, dentre eles o Marcelo Nunes e as empresas do Parque. Fazem ótimo trabalho e o potencial é grande. Ótima iniciativa de apoio

  2. “Este é um evento tradicional, especialmente na área comercial, e as empresas brasileiras, nossas associadas, com apoio da Apex e do Parque Tecnológico, têm a oportunidade de exporem-se de forma estruturada e conquistarem novas parcerias e negócios”, afirma Marcelo Safadi, diretor de Novos Negócios do Parque Tecnológico São José dos Campos.”
    Pelo menos 2 dessas não são brasileiras : Thyssen Krupp ( Alemanha ) e Latecoere ( França ).

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here