Home Aviação de Caça Paris Air Show 2017: exibição do F-35A Lightning II

Paris Air Show 2017: exibição do F-35A Lightning II

2641
52

O Lockheed Martin F-35A Lightning II da USAF tripulado pelo piloto de testes Billie Flynn se apresenta no Paris Air Show deste ano.

No ano passado o F-35B variante STOVL se apresentou no Farnborough Air Show.

A apresentação do F-35A apresenta um envelope expandido das capacidades do avião em relação à do ano passado.

52 COMMENTS

  1. Eu vou soltar uma que vai deixar os fanboys do F-35 muito felizes: O 360 dado pelo F-35 nessa demo em Paris é tão bom ou melhor que o demonstrado pelo Pak-Fa nas demos da MAKS na Rússia.

  2. O show ja pode terminar hoje.
    O aviao fez uma apresentacao espetacular.
    Mais que isso, surpreendeu, e paradoxalmente calou a boca tanto de criticos como de defensores, porque estes, o criticavam dizendo que nao seria capaz de manobrar, enquanto aqueles, diziam que ele nao precisaria jamais manobrar.
    De minha parte, eu, aqui, revogo toda critica e disposicao que por ventura eu tenha anteriormente feito ao F-35.

  3. Nonato, é aos 4:25. Mas o 360 que eu falo é uma curva alto G de 360 graus, não aquelas piruetas que os Flanker com empuxo vetorado costumam fazer nas apresentações.

  4. Galante,
    Pelo menos o F-117 utiliza placas metálicas cobrindo algumas estruturas de modo a incrementar o RCS quando em trânsito, etc.

  5. Impressionante essa relação peso/potência que os novos motores proporcionam. Fiz mta acrobacia a baixa altura com T-27. Na AFA tinha um chefe, ex fumaceiro, que dizia: “se o coração começar bater rápido demais você está fazendo m…”. O do piloto Billie Flynn com certeza não estava.

  6. Muito bom!
    Gostei demais!
    Fiquei especialmente impressionado pela excelente manobrabilidade em curva de baixa velocidade, seguida de ascensão a partir de situação de baixa energia.
    Ainda mais por ser um avião bem corpulento.
    E com cauda em T.
    Sim, estou falando do vídeo do KC-390 postado pelo Clésio às 16:55.

  7. Poggio, vai ser interessante observar a retórica dos defensores do F-35 daqui para frente. Ele mostrou que pode operar bem em curvas instantâneas e altos ângulos de ataque. Mas a taxa de curva sustentada ainda é bem inferior ao demonstrado pelo F-16, os eurocanards e os russos. Antes, quando se queria falar mal dos russos, se dizia que o importante era manter a energia alta. Agora que o F-35 se mostrou adepto de manobras bruscas, vamos ver se de firulas isso se transformou em qualidades.
    .
    Você quase me enganou Nunão, quase.

  8. Até que achei uma boa demonstração…. pelo que falavam do f-35, achava mesmo que as manobras dele seriam muito inferior aos casas de 4˚ geração.. mas não, tem sim boa manobrabilidade…

  9. Pedindo licença para colar aqui uma prosa (boa) com o Clésio Luiz, em outro tópico:

    “Galli 19 de junho de 2017 at 15:13
    Para os aviões russos, só se for com pouco combustível. O fato é que os caças americanos sempre levaram vantagem em termos de energia sustentada. Tanto Mig quanto Sukhoi tem bastante arrasto para uma situação de giro sustentado. Não possuem um desenho clean. O bam bam bam sempre foi o F-16 (baixas e médias altitudes), com o F-15 logo atrás. Agora, partiu para alto AOA, baixa velocidade, o Sukhhoi certamente teria vantagem, embora sejam parâmetros pouco usados num regime de manobras.
    Aí surgiram os Eurocanards. Typhoon não é tão bom, pois teve que fazer concessões típicas de um interceptador (assim como o F-15, para superar na época o Mig-25). Rafale, ao que parece, vai bem também. Mas o novo bam bam bam é o Gripen (pelo menos a versão C), tido como o caça mais manobrável do mundo (melhor taxa de giro sustentado).

    Clésio Luiz 19 de junho de 2017 at 15:26
    Galli, me desculpe, mas você está equivocado. As duas aeronaves russas partem do mesmo princípio aerodinâmico do F-16, com o diferencial do túnel central. Ambos foram feitos para ter boa performance em curva sustentada. As curvas de performance do envelope de voo deles são de domínio publico à décadas, e todos os dados que você ver nesses gráficos são com 50% de combustível interno, independente da aeronave ser russa, americana, francesa ou sueca.
    .
    Quanto ao combustível, todos os caças que você vê voando nessas apresentações estão tentando impressionar. Nenhum deles voa completamente carregado de combustível. E o piloto de testes que disser o contrário está contando uma lorota da boa.

    Galli 19 de junho de 2017 at 15:35
    Não precisa se desculpar rsrs. Mas eu mantenho o que disse, baseado no que ouvi certa vez. Há aviões muito bons para shows aéreos. Mas na hora do “pega”, com combustível e armamento, é que vem os parâmetros que realmente interessam. Quem não se lembra da tal manobra Cobra… inútil na maioria absoluta dos cenários de combate. Em 1996, quando foi apresentado ao mundo o SU-37 “Terminator”, um oficial da USAF foi rápido na resposta: “quero ver ele fazer isso contra um dos nossos caças em combate”.
    Hoje a propaganda toda é que o Gripen é o mais manobrável. Só que eu desconfio… que armado e em configuração de combate real, em razão da pouca potência do caça sueco, o título ainda seja do bom e velho F-16. F-22 ? Muitas concessões feitas para o stealth, e por isso não acredito que bata o F-16 em taxa de giro sustentado. Mas não precisam acreditar em mim rsrs.

    Clésio Luiz 19 de junho de 2017 at 16:47
    Existe um vídeo, de Farnborough 1994, onde tanto o (então) protótipo do Su-35 quanto o do Su-30 realizaram as demos com absolutamente todos os pilones (12) carregados. O su-35 realizou tanto a “cobra” quanto o “hook” (a mesma coisa só que na horizontal), justamente para calar a boca dos críticos ocidentais que diziam que a impressionantes demonstrações dos anos anteriores não podia ser repetida em condição de combate. A apresentação do Su-30 foi impressionante por ter feito o tailslide transportando enormes mísseis ar-terra e com ejetores MER com 6 bombas, e ainda ter feito um 360 em 25 segundos. Isso é 1 segundo pior que um F-14 voando “liso” e o mesmo tempo do Mirage 2000 voando com 2 mísseis IR.
    .
    Não deixa de ser irônico que os mesmos americanos que chamaram as manobras de inúteis em combate, fizeram questão de repeti-las assim que tiveram uma aeronave capas de realiza-las, na forma do F-22.
    .
    O vídeo a seguir é o único que achei com o Su-30 que tem uma imagem boa. Está truncado, mas mostra bem a impressionante carga que ele leva durante a apresentação”

  10. O louco… por tudo que falavam, achei que fosse mais travado, mais duro…
    Quero 16-18 desses na FAB, lá pelo final da década de 2020, formando uma força estratégica que possa operar também em um ou dois porta helicópteros. Acredito que até o início da década de 30, o orçamento de custeio da FAB já tenha melhorado bastante, permitindo a operação de uma pequena quantidade de caças de quinta geração, mesmo a US$ 55.000,00 a hora vôo.

  11. Não achei nada extraordinário. As características que o fazem ser superior, como sua aviônica e stealth, não aparecem em demonstração.
    Fico imaginando que um piloto que saia de LIFTs extremamente ágeis e assuma um F-35 possa achar monótono.
    E que, se um caça 4G+/++ bem pilotado chegar perto, o F-35 pode se ver em maus lençóis.

  12. Muito show!
    Interessante, q no cômputo geral, as aeronaves americanas venceram as russas… Os pilotos e a doutrina fizeram diferença? Sem dúvida!
    Mas…. quem vence mostra resultados e quem perde produz desculpas…

  13. Olá.
    O F-35 cumpriu o seu dever: voo bem.
    Espetacular, não foi. Mas deixou boa impressão. Fez o básico, mas bem feito.
    Quanto as demais características (as VERDADEIRAMENTE IMPORTANTES), bom essas não são assim (com o perdão do trocadilho) tão visíveis.
    SDS.

  14. Nunão, kkkkkkkk
    .
    Compartilho o que disseram o Poggio, Galante é o Corsário 137, não impressiona. Quem já viu F-16, F-15, A-50 Golden Eagle dando show, isto daí não é nada. É bonito, como toda apresentação de um caça, mas não impressiona.
    .
    O estranho, pelo menos para mim, é terem colocado um piloto de testes e não um piloto da própria USAF. Aliás, não é estranho não, quando a aeronave não está realmente pronta, quem apresenta são os pilotos de teste mesmo e não os operacionais.

  15. A aeronave fez um looping quadrado, sendo que o último lado da manobra (a parte mais difícil), o fez de maneira perfeita.
    Voo lento com angulo de ataque bem alto.
    Acelerou do pré-estol se mudar a atitude e subindo.
    Fez 360 graus na media dos melhores caças, portanto, boa razão de curva sustentada.
    Tem boa taxa de giro, portanto, boa razão de curva instantânea.
    Aos quatro minutos do vídeo faz uma aceleração muito grande em voo horizontal, poucos aviões fazem isso.
    É capaz de girar loopings pequenos e entra e sai de espirais com completa autoridade nos comandos.
    .
    Bom… eu ainda consigo me impressionar com isso.

  16. Eu sou completamente leigo e incapaz de avaliar o desempenho “manobrístico” de um caça fazendo manobra em show aéreo. O que sei é que esse caça foi desenvolvido de forma a romper com os paradigmas dos caças anteriores, inclusive que influenciaram o desenvolvimento do F-22, que tem alta manobrabilidade e utiliza mísseis SRAAM como norma.
    Na verdade o F-35 já deveria ser considerado de 6ªG tendo em vista ter rompido com esses paradigmas que levam em conta a manobrabilidade que amarraram o desenvolvimento até do F-22.
    A manobrabilidade não é fundamental num caça que pretende ser onisciente num raio de 500 km ao redor dele.
    Os determinantes da 5ªG original: supermanobrabilidade, supercruise, super STOL e furtividade, determinantes para o sucesso onde os mísseis BVR tinha alcance de 50 km com alta chances do combate aéreo fechar para o visual , o que obrigaria o caça a manobrar para colocar um alvo na linha de visão de um AIM-9M, cederam lugar para a furtividade combinado com alto nível de consciência situacional, de conectividade e de integração homem-máquina. Os requisitos cinéticos foram deixados em segundo plano, rompendo de vez com a “velha guarda” e para supri-los, para os mais exigentes, ainda há os mísseis com alcance extra-grande (AIM-120D, Meteor, K-77M) e hipermanobráveis (AIM-9X, Python V, ASRAAM, Iris-T, etc), que não existiam quando da formulação do F-22.
    Vale salientar que o F-35 é considerado capaz de manter supercruise Mach 1.3 por 200 milhas.

  17. Bosco, eu estou falando somente da apresentação. Porém, sua boa argumentação só evidencia o que falei, a aeronave supostamente não faria o que fez hoje. Não só fez, como o fez muito bem. É precisamente nesse sentido que a aeronave, no show de hoje, impressionou, ou seja, foi capaz de transmitir uma boa impressão, um entendimento positivo para aquele que vê.
    Negar isso, é negar justamente aquilo que não necessita de provas, aquilo que é EVIDENTE.

  18. Eu estou quase certo de que está havendo uma discussão paralela neste fórum.

    Está se criando o melindre do F-35. Bastou uma meia dúzia (me incluo ai) dizer que não se impressionou com a performance de MANOBRAS da dita aeronave, para que prontamente os queridos amigos Bosco e Roberto Santana, viessem a sua defesa.

    Caro Bosco, em sua excelente explanação você mesmo “justifica” que o F-35 não precisa de supermanobralidade para vencer, ele não foi projetado pra ganhar concurso de miss, o que eu tbm concordo plenamente.

    Assim, não é porque alguns aqui não se impressionaram com o apresentado, que a aeronave não presta. Se ficou parecendo isso, não foi minha intenção (acredito que dos outros foristas tbm).

    Explicado isso aos advogados de plantão, há inegavelmente uma expectativa, acredito que não somente minha, de que o primeiro voo de demonstração internacionanal da mais avançada e cara aeronave de caça do planeta seja algo superlativo, algo acima da média, tal como são os custos do programa.

    Se lá dentro da aeronave o piloto dispõe de um radar que pode ver uma minhoca presa num anzol a 35.000 pés eu não sei, só posso ler a repeito e acreditar. Como leigo e não pilotando una macchina dessas, o que me resta é ve-la voando, e portanto há, ainda que irracionalmente, uma enorme expectativa quanto a isto.

    Vide o F-22, ele pode estar voando oco, sem radar (afinal não vou mesmo saber), que qualquer analfabeto que nem eu vai falar: carái… que isso? Não a toa que existem tantos e tantos apaixonados, pra não dizer fanáticos pelos Sukhoi Su-27/30/33/35/37.
    A aeronave tem um RCS de um navio, emite mais calor que o sol, mas tá todo mundo lá, babando…

    Então caríssimos às vezes a gente não quer só comida, a gente quer comida, diversão e arte 😉

  19. Ih!… Ele não fez a cobra de Pugachev, gostei não. Sem ofensa, há uns vídeos legais com Super Tucanos na esquadrilha da fumaça, Blue Angels com Hornet, Patrouille de France com Alpha Jet, Russian Knights com Su27 etc… Enquanto isso: “Lockheed close to massive F-35 fighter jet deal with 11 nations” – “This more than doubles the total amount of airplanes under contract, and that we’ll be building,” http://money.cnn.com/2017/06/19/news/companies/lockheed-martin-f35-fighter-jet-deal/index.html

  20. São aeronaves de diferentes gerações e filosofias diferentes. Mas sempre me admiro com a beleza do Su-34.

  21. Eu sei leandro Costa. Verdade mas postei porque a manobrabildade me impressiona, para uma aeronave que leva 12t e mede 23 metros! E no primeiro vídeo que é um pouco longo tem uma curva de 360 graus bem feita. Lá pros 8:00min pra frente
    E Pütz é sim uma bela aeronave!

    Junto com as novas versões do F-15SA/E/K são os melhores atacantes na atualidade.

  22. Quando vier a 6 geração até menos manobravel que o F-35 a velha guarda vai morrer do coração rs. F-35 mostrou q tem manobrabilidade adequada, nem mais, nem menos. Ele é o que tem que ser. Quem dera nossa FAB com algo assim …

  23. Ai ai ai, esta aeronave vai estar com centenas de abates confirmados, milhares de vendas, eu vou morrer, e não vou ler toda a merda que escrevem a respeito dela…
    .
    E eu vejo gente morta, kkkkkkkkk… é incoerente, é bizarro, mas pode mudar de posição no meio do jogo, rsrsrs… 🙂
    .
    No mais, belo show, linda aeronave.
    .
    PS: Bosco, já cantei essa bola aqui há muito tempo e concordo contigo: o F-35 jamais foi um caça de 5a geração, mas sim de 6a.

  24. Prezado Vader,

    Quem é esse que você acusa e chama de bizarro e incoerente? Diz que é gente morta.
    Qual é o nome desse que mudou de posição no meio do jogo.

  25. Eu diria que sim, muito melhor, e o Rafale é indubitavelmente, absurdamente, inquestionavelmente, indiscutivelmente, muito, mas muito, muito mais bonito que o F-35.

  26. Falta de respeito deixar os comentários por último… AFF.

    Em fim esse F35 para mim eh apenas um F22 melhorado com capacidades melhoradas Tô com a Itália, esperava no minimo um transformes num projeto de 400 bi dólares e nave de 80 mi. Mas eh oque tem pra hoje na 5° geracao… OK. Quando comprar meu PS4 e jogar simulador terei a certeza dessa minha análise amadora. Amadora ?… OK. Salve POCCHh Os Su sao ainda os melhores que já pilotei no simulado PS.
    O Mais caro do Pentágono eh isso. Hahaha. Para man… Ótimos os US são ótimos vendedores… Kkk. Sou fã desse talento … Mas o caça não não eh tudo isso!. Inferior aos 4° geracao quando vi no YouTube a uns 12 anos.

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here