Home Aviação de Caça Israel conclui aquisição de caças F-35

Israel conclui aquisição de caças F-35

3894
15
F-16I Sufa e F-35I Adir

O Ministério da Defesa de Israel enviou recentemente uma carta ao Departamento de Defesa dos EUA para concluir a compra de 17 aviões F-35, informou o Walla News de Israel. Cada avião custa aproximadamente US$ 100 milhões.

A aquisição foi anunciada pela primeira vez em novembro de 2016 e traz o número total de F-35 comprados por Israel para 50 unidades.

Israel é o único país no Oriente Médio a ter o jato, que não foi incluído no recente acordo de armas assinado entre os EUA e a Arábia Saudita. O avião tem um alcance de 1.300 milhas e pode transportar até 8.200 kg de armas.

A versão israelense do F-35, o “Adir”, teve seu primeiro voo de teste nas instalações da Lockheed Martin em Fort Worth, Texas, em julho de 2016. Cinco dos aviões estão atualmente em operação na base aérea Nevatim no sul de Israel, com mais dois chegando em agosto, mais dois em setembro e nove aviões adicionais em 2018.

Israel também deverá receber um avião de testes para experimentar novas tecnologias.

O F-35, fabricado pela Lockheed Martin, é o mais caro da história. Os proponentes mencionam a tecnologia de discrição de radar, velocidades supersônicas, capacidades de apoio aéreo, agilidade no ar e uma enorme variedade de sensores que dão aos pilotos acesso sem paralelo às informações.

FONTE: i24NEWS

15 COMMENTS

  1. Vale lembrar que Israel recebe ajuda financeira dos EUA para suas forças armadas. Então se de um lado eles ficam amarrados ao Tio Sam por causa da ajuda, por outro podem comprar equipamento militar de ponta à preço de banana.
    .
    O Brasil é um dos países que goza do privilégio de comprar equipamento militar dos EUA pelo FMS, que embora não reduza o preço do equipamento em si, financia com um custo imbatível em relação aos outros países.

  2. Que bom seria ver uns 24 F-35 voando na FAB.
    24 F-35 + 96 NG. Teríamos uma força sem igual.
    Sei que o custo de voo é muito alto mas nos colocaria numa posição ímpar na América Latina.
    Abraços.

  3. Emmanuel 12 de junho de 2017 at 14:12
    Entendo a empolgação do amigo com essa fantástica aeronave, mas quando se trata de pensar o que seria bom ter voando na FAB, temos que ter o pé no chão (sem trocadilho! ;P ). Nossa realidade orçamentária, e nossa conjuntura geopolítica na América do Sul não justificam tamanho investimento em vetores como o F-35, ou Rafale, etc, quando as próprias FFAAs brasileiras têm carência de recursos pra tudo! (nem vou comentar a situação de penúria do país em outras tantas rubricas orçamentárias de primeira importância…) Além do quê, acho que o Brasil tem muito mais chances de obter maior desenvolvimento de sua capacidade industrial/tecnológica partindo para projetos de parceria binacional (como pode vir a ser o Gripen E) do que sendo “apenas mais um cliente” para o Programa do F-35.
    Enfim, estou tentando ser realista, e pragmático.
    Abraços!

  4. hahahaha tio Jacob e um um sacana foi enviado um caca beta de testes o tio Jacob tem o codigo fonte??vai dar para os engenheiros de Israel testarem novos sistemas no bichao lembrem se os ADIRS de Israel foram os primeiros da linha a entrar no combate ja atacarao a siria do bashar al assad aquele homem e o cao na terra deleum caca f35 beta test hehe eu acho que so Israel tem essa alguem ae sabe quais os sistemas o tio Jacob vai testar no bixo??SUPER SECRET hehehe kkkkkkkkkk

  5. Por este preço parece que o Gripen acabou saindo caro, uma pergunta estes 100 Milhões, incluem a turbina?
    Era para pensarem em comprar um lote de 25 …

  6. Concordo com você André Luiz mas sonhar não custa nada.
    Acredito que o NG já está de bom tamanho para a realidade regional, entretanto, o governo federal deveria pensar de uma forma diferente sobre essa questão de ameaça externa.
    Sei de toda essa argumentação que somos pacíficos, que nossos vizinhos nos respeitam e blablabla. Mas não existe aliado que seja eterno.
    Ainda penso, como leigo, que a aquisição de umas unidades do F-35, a longo prazo, ainda fariam mais bem do que mal para a FAB.
    Ele está fora da nossa realidade agora, amanhã provavelmente não. Vejo mais como uma questão política do que realmente orçamentária.

  7. O F-35A custa $94.6 milhões (com motor incluído) e pretendem diminuir para $85 milhões.
    O Gripen saiu caro… e muito.

  8. O pessoal sempre confunde o preço que os americanos pagam pela aeronave, com o preço que nós aqui iríamos pagar por ela.

  9. Este caça é um perfeito embuste americano, destinado a levar a China e a Rússia a desenvolver a sua aeronáutica militar num determinado sentido afastado do real sentido actual do desenvolvimento tecnológico americano, os EUA levam actualmente dezenas de anos de avanço tecnológico mas ao contrário de décadas atrás em que vazavam para o exterior tecnologia apenas quando tinham outra em desenvolvimento com décadas de avanço, agora chegaram à arte do refinamento de um país que é a verdadeira super potência militar no mundo, a arte do embuste mantendo o seu avanço tecnológico e tendo a certeza que os rivais irão noutro sentido que não lhes fará dano num eventual conflicto, vantagens todas e mais algumas, já para não falar que os seus adversários gastarão somas astronómicas a tentar copiar a tecnologia de embuste e outros como a Rússia ou mesmo países europeus como o caso da França ou Alemanha tentando criar sob essa orientação de embuste vazada, diria que os EUA estão a atingir o topo ou o supra sumo de uma potência mundial ou regional, quando de facto controlam aquilo que querem controlar, e isso curiosamente me faz lembrar o Portugal dos séc. XV e XIV, em que também criou um dos maiores embustes da história mas oficialmente nunca declarado em qualquer livro de história, a descoberta da América, foi o embuste criado pelo enviado Cristóvão Colombo ao rei de Castela, rival do reino de Portugal, para desviar a sua atenção da verdadeira rota para índia já conhecida pelos portugueses mas ainda não divulgada e oficialmente descoberta, esse refinamento na arte do embuste conferia a Portugal nessa altura ser a maior potência marítima do mundo, o declínio vem invariavelmente quando chega ao poder um líder que confia em demasia nessa vantagem, como foi o caso de D. Sebastião que deitou tudo a perder numa batalha no norte de África e a partir daí veio o declínio, fechando-se o ciclo precisamente em 2016, mas isso seriam outras histórias.
    O declínio americano começará quando chegar um líder demasiado confiante na vantagem tecnológica americana e que leve esse país para uma guerra com consequências nefastas que levem ao seu declínio, esse líder provavelmente já chegou e enquadra-se perfeitamente nesse perfil, Donald Trump.
    Saudações.

  10. Ratificando o que o Clesio disse acima, deve ainda ser lembrado que todos os custos de desenvolvimento do F35 estao, contabilmente falando, exclusos deste valor, atual, de MU$100/unidade. No caso do Gripen, lembrar que adicionalmente às aeronaves em si, devem se inclusos os custos(preços) de instalações fabris, escritorios de projetos, equipamentos de apoio no solo, simuladores, treinamentos, etc, etc. , sendo que todos estes valores tem que ser amortizados em apenas 36 unidades. Sem falar uns 50 purça pro molusco.

  11. Aliás, so de leve pra nao assustar muito: quem que disse que o preço dos Gripens se resume aos valores pagos para a Saab?

  12. Rommelqe 12 de junho de 2017 at 23:40
    “Aliás, so de leve pra nao assustar muito: quem que disse que o preço dos Gripens se resume aos valores pagos para a Saab?”
    Exatamente! O valor que o Brasil está gastando na aquisição do Gripen não se resume aos 5,4 bilhões de dólares do financiamemto feito por bancos suecos (que começará a ser pago depois do recebimento da 36ª aeronave). Os gastos extras são de toda origem, desde pagamentos à Embraer à diárias de viagens dos envolvidos no projeto. Só para 2017, a previsão de gastos com o Gripen passa de 1 bilhão de reais!!! É verdade que, fosse qualquer um o escolhido, esses gastos seriam necessários também. Mas, no final das contas, se somarmos tudo, até que o último seja entregue, os gastos passarão muito dos 5,4 bi de dólares!!

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here