F-35C acerta alvo em movimento com bomba GBU-12

F-35C acerta alvo em movimento com bomba GBU-12

3622
1
F-35C CF-8 lançando a bomba GBU-12 contra alvo móvel

A F-35 Integrated Test Force realizou recentemente outro teste de primeira classe quando a aeronave lançou uma bomba guiada a laser contra um alvo em movimento.

Um F-35C de testes lançou uma bomba guiada especialmente construída GBU-12 Paveway II sobre um alvo controlado na Naval Air Weapons Station China Lake no deserto da Califórnia, engajando com sucesso uma pequena caminhonete, em 29 de março.

De acordo com o engenheiro Collin O’Fallon do 775th Flight Test Squadron, este teste de precisão de lançamento de armas do F-35 foi o primeiro na configuração do Software 3F, que incorporou nova lógica de lançamento para aumentar a eficácia contra alvos móveis, com o objetivo de reduzir a carga de trabalho dos pilotos. O’Fallon é designado para o 461st Flight Test Squadron “Deadly Jesters” para os ensaios.

“Esta lógica é chamada Lead Point Compute, que em essência, atrasa o ponto de liberação da arma para garantir que ela tenha a cinemática disponível para se orientar e atingir o alvo em sua localização futura”, disse O’Fallon.

O sistema avalia a velocidade e a direção do alvo contra a altitude e a velocidade da aeronave para determinar a liberação exata.

“Quanto mais alto e mais rápido você vai, mais longe você pode lançar a arma”, disse ele.

A GBU-12 é uma arma comprovada com muitos anos de serviço em múltiplas plataformas. Assim, esses testes são projetados para enfatizar a plataforma de armas — a aeronave — em vez da própria arma. Para testes, a GBU-12 foi construída usando uma ogiva explosivamente inerte, e a espoleta foi substituída por uma unidade de medição inercial para registrar as acelerações durante o emprego, de acordo com O’Fallon.

“Este foi realmente um teste do sistema de designação de alvos da aeronave e da lógica associada ao armamento, e os resultados deste teste serão usados ​​para certificar essa capacidade com a GBU-12 no F-35.

A lógica de armamento é toda a informação compilada para dar ao piloto uma solução.

“(O piloto) não precisa pensar em quão rápido o alvo está indo, ou em qual direção”, disse O’Fallon. “Por ele estar usando esta capacidade 3F, o sistema está fazendo todo o trabalho. Isso é realmente uma grande coisa, é um caça de um único assento. O piloto tem que fazer tudo, então nós queremos fazer o máximo por ele que pudermos.

Embora a GBU-12 fosse inerte, ainda conseguiu acertar seu alvo pretendido, uma camionete pequena.

O’Fallon disse que a decisão foi que o veículo alvo seria puxado em um reboque de 60 pés por um veículo de controle remoto existente, no interesse de poupar tempo e dinheiro. O veículo de reboque não foi controlado em tempo real, mas antes o percurso foi registrado via GPS e o computador de controle conduziu este mantendo uma zona de exclusão.

“É muito legal. O cara entra, e aciona o botão de gravação. Ele segue o caminho que queremos. Então ele salva e o veículo se reinicia no ponto de partida”, disse O’Fallon.

A questão do veículo de reboque autônomo era a segurança, garantindo que ninguém estivesse na zona de perigo.

“Ninguém precisa estar lá fazendo ajustes de última hora”, disse O’Fallon.

De acordo com O’Fallon, os dados coletados deste teste certificarão esta capacidade da arma e aumentarão a letalidade do F-35.

“Este teste é também o primeiro lançamento de teste de desenvolvimento de uma GBU-12 guiada a partir do modelo F-35C”.

Os testes desenvolvidos aqui realizaram o lançamento da GBU-12 nas três variantes do F-35.

FONTE : 412th Test Wing Public Affairs

1 COMMENT

  1. Com a retirada da bomba GBU-15/AGM-130 não veremos mais aquelas cenas quem mostram a “visão” da bomba se aproximando do alvo, que ficou tão comum nas guerras do Golfo.
    Hoje, todas as bombas guiadas americanas são orientadas por GPS, laser semi-ativo ou por imagem, mas de forma automática (ATA), sem a transmissão das imagens da bomba para o lançador e portanto, sem intervenção humano.
    A única arma americana que opera desse modo (man in the loop) é o míssil cruise SLAM-ER, mas a versão “plus” é dotado do sistema ATA (aquisição automática de alvo) e pode adquirir o alvo por conta própria.

LEAVE A REPLY