Conheça a MOP, mais pesada que a MOAB (Mãe de Todas as...

Conheça a MOP, mais pesada que a MOAB (Mãe de Todas as Bombas)

10646
8

O bombardeiro Stealth B-2 Spirit é a única aeronave no inventário da Força Aérea dos Estados Unidos capaz de transportar e liberar a bomba mais pesada dos EUA, a GBU-57 Massive Ordnance Penetrator (MOP) de 30.000 libras (13.620 kg). Ela também chegou a ser testada no B-52.

A pesada GBU-57 é uma bomba guiada por GPS de 6,1 metros de comprimento que dizem ser capaz de penetrar 61 metros de concreto antes de explodir, podendo assim atingir e destruir alvos profundamente enterrados, como bunkers no Irã, Síria ou Coréia do Norte etc.

Não há muitas imagens mostrando a GBU-57 e ainda menos mostrando um modelo da MOP ao lado de sua plataforma pretendida. É por isso que a imagem do post, feita por Jim Mumaw em 2013, é extremamente interessante e rara.

FONTE: theaviationist.com

8 COMMENTS

  1. Jose Souza,
    O aparente “alvoroço” é porque a bomba foi utilizada pela primeira vez em combate e não porque a MOAB seria a mais potente do mundo. Todo mundo sabe que os russos alegam ter uma mais potente. E nem poderia ser diferente já que há um monte de entusiastas sempre prontos a nos lembrar o quão os russos são maiores e melhores.
    Vale salientar que a bomba americana MOAB tem 8,5 t de explosivos cujo rendimento equivale a 11,5 t de TNT. Faça sol ou faça chuva o rendimento da MOAB é equivalente a explosão de 11,5 t de TNT.
    Já a bomba FOAB russa é do tipo termobárica, provavelmente do tipo FAE (explosão combustível-ar) e seu rendimento depende de diversos fatores atmosféricos e geográficos sendo difícil estimar a potência da bomba já que é variável. A FOAB russa tem 7,2 t de um “combustível” (???) que precisa se misturar ao ar ambiente para produzir um certo efeito. Essa “mistura”, ou melhor, os fatores de dispersão do agente na atmosfera não são constantes e torna o método impreciso sendo dependente, principalmente de fatores atmosféricos. Não duvido que o poder de uma FOAB chegue a ser equivalente a 44 t de TNT, só acho que essa estimativa não pode ser aplicada em todos os casos.
    Os americanos alegam que não compensa fazer armas termobáricas com massas muito grande de explosivos/combustíveis e que tem um efeito desejado com uma grande quantidade de explosivo integral. As armas termobáricas americanas do tipo FAE têm no máximo 500 kg de “combustível”,acima disso os americanos alegam que há uma perda da eficiência do método. Claro, os russos pensam diferente.
    Vale salientar que um fator a favor da bomba MOAB americana é que ela é guiada enquanto a bomba russa não o é. Já a bomba russa pelo jeito pode ser lançada de um bombardeiro (os especialistas têm certa dúvida se essa alegação é verdadeira) o q

  2. Opa!! Mandei sem querer. Teclado novo é uma droga.
    Continuando: o que em sendo verdade a habilitaria a ser utilizada em conflitos de alta intensidade. Já a bomba americana é lançada por um C-130 o que indica só ser passível de utilização em conflitos de média e baixa intensidade.

  3. Bosco, pois é, pensei nisso tbm. Ao usar o C-130 como vetor, só mesmo num conflito de baixa intensidade. Ou seja, às vezes o uso é mais psicológico do que militar.

    Creio que o poder destrutivo da Moab possa ser igualado com 01 único B-1B, equipado com seus ASM, num ataque estrategico.

  4. Guismo,
    Mas na verdade mesmo utilizando um bombardeiro fica difícil utilizar esse tipo de arma em um conflito de alta intensidade. Bombardeiros convencionais (não stealth) hoje são muito bons em conflitos de baixa intensidade utilizando bombardeamento maciço mas em conflitos de alta intensidade eles têm que se valer de mísseis cruise.

  5. José,
    Eu acho muito exagerada essa empolgação da mídia com o Zircon. Eles relatam testes mas não fornecem nenhuma evidência. Podem dizer que é por segurança. Ora! Se é pra guardar segredo pra que divulgaram que ele existe?Se divulgaram deviam mostrar os testes. Os americanos fazem isso quando testam seus hipersônicos movidos a scramjet.
    Até onde se sabe os americanos estão na frente na tecnologia scramjet e não é nenhum puxa-saquismo e sim baseado nos testes públicos e notórios que eles realizam. Será algo notável e inusitado por parte dos russos se eles tomaram a dianteira na corrida em direção à tecnologia scramjet e lançarem nesta década um míssil totalmente operacional. Mas nada é impossível, só improvável.
    Quanto a mísseis tão velozes eles não são assim tão formidáveis tendo em vista que são obrigados a voar algo (+ de 40 km de altitude) o q

  6. entao a ideia de atacar o Ira vai por agua abaixo ne ?!?!
    vide a AA dos Xiitas…. muito reforçadas em suas instalações nucleares e militares… vai desde S300 a CIWS…

  7. Wolf,
    Atacar o Irã utilizando a MOAB que só pode ser lançada por um MC-130 é inviável, mas a bomba que é cogitada contra o Irã é a MOP lançada por bombardeiros B-2.

LEAVE A REPLY