Home História da Aviação Neste dia na História da Aviação: Sukhoi Su-15TM abate Boeing 747 da...

Neste dia na História da Aviação: Sukhoi Su-15TM abate Boeing 747 da Korean Air Lines

6176
48

Sukhoi-Su-15-NATO-Code-Name-Flagon-with-R-98MR-air-to-air-missile

1 de setembro de 1983: Às 18h26 no horário local, o tenente-coronel Gennadiy Nikolayevich Osipovich da V-PVO, (Força de Defesa Aérea Soviética —Войска ПВО, Voyska Protivovozdushnoy Oborony) voando em um interceptor Sukhoi Su-15TM, disparou dois mísseis ar-ar Kaliningrad R-98MR contra um Boeing 747 da Korean Air Lines que estava no espaço aéreo internacional sobre o Mar do Japão, a uma altitude de 35.000 pés (10.668 metros). As ogivas de 40 kg de ambos os mísseis (88 libras) ogivas foram detonadas por espoletas de proximidade a 50 jardas (45 metros) atrás do avião e a explosão de fragmentação com estilhaços causou graves danos. Ao longo dos doze minutos seguintes, o 747 mergulhou numa espiral descendente até cair no Mar do Japão, perto de Moneron Island. Todas as 269 pessoas a bordo morreram.

O avião, KAL voo 007, partiu do Aeroporto Internacional de Anchorage a caminho de Seul, República da Coreia. No comando estava o capitão Chun Byung-in. O co-piloto era o primeiro oficial Dong Hui e o engenheiro de voo era Kim Eui Doing. Havia um total de 29 tripulantes e 240 passageiros a bordo.

Boeing 747 similar ao que foi abatido
Boeing 747 similar ao que foi abatido

Depois de deixar o espaço aéreo de Anchorage, o avião, um Boeing 747-230B de 12 anos de idade, matrícula HL7442, continuamente desviou de sua rota planejada para o norte. Ele entrou no espaço aéreo soviético, atravessou a Península Kamchatka, e em seguida voou sobre Sakhalin Island. Com base nestas duas incursões no espaço aéreo, a cadeia de comando militar soviética ordenou especificamente ao tenente-coronel Osipovich a abater o avião, mesmo que fosse sobre águas internacionais.

Acredita-se que a tripulação do voo KAL 007 tinha colocado o piloto automático no modo de rumo, quando deveria ter sido no colocado no modo de navegação inercial. A partir da revisão de fitas do gravador de voz da cabine, que foram mais tarde recuperadas, não se acredita que a tripulação esteve sempre ciente de que estavam voando ao norte de seu curso.

Flight 007
Flight 007

Quando entrevistado pelo jornal The New York Times na edição de 9 de dezembro de 1996, o coronel Osipovich, então aposentado, disse: “Eu vi duas fileiras de janelas e sabia que era um Boeing… Eu sabia que era um avião civil. Mas para mim isso não significava nada. É fácil transformar um avião civil em um para uso militar. “

48 COMMENTS

  1. Infelizmente ocorreu isto em plena Guerra Fria. Li algumas reportagens, inclusive na enciclopédia Aviões de Guerra, de que o avião da KAL estava encobrindo um Boeing RC-135 da USAF em missao de espionagem!

  2. Heyarth,
    Tanto MiG-25 quanto seu sucessor, o MiG-31 já estavam operacionais.

    O MiG-25 foi introduzido no finalzinho dos anos 60, enquanto o MiG-31 foi introduzido no mesmo ano que se passou tal abate do 747 da Korean.

  3. O socialismo estava desmoronando. O dedo estava mole e a mão tremia.
    ——-
    A segunda guerra deu um gás na economia da URSS. Muito capital ocidental entrou naquele país. Depois, o Pacto de Varsóvia garantiu, entre outras coisas, acesso praticamente exclusivo à maior demanda potencial que há, o mercado chinês. O grosso da curtina de ferro.
    Na década de 80 os investimentos do pós guerra já tinham esgotado seus efeitos. A China já estava rompida com o socialismo sem que a URSS se desse conta. Era o capitalismo de estado nascendo, fruto dos acordos da OTAN com a China via Richard Nixon em meados dos anos 70. Diplomacia iniciada pela CIA no final dos anos 60, que daria à China o progresso que vimos nas últimas duas décadas sem abrir mão do poder político do partido. Uma negociação que custou ao mundo muito desemprego mas que, em contrapartida, salvou a Eurásia do comunismo. Milhões de chineses deixaram de morrer de fome; a China, e o seu progresso, levou consigo outros países para fora do Pacto de Varsóvia; enfim, o muro de Berlim caiu.
    ——-
    O rancor por parte dos soviéticos era muito grande. Estavam no veneno.

    Save Ferris!

  4. ufric, obrigado!
    Dei uma pesquisada aqui e o foxbat era usado na interceptação de outras aeronaves, como o XB70. Quando vi a data do incidente, estranhei não ser um Mig25 fazendo esse papel…

  5. Heyarth,
    Sim, na realidade o MiG-25 era uma plataforma dividida em 3 partes,
    As variantes de interceptação, as variantes de ataque ao solo e reconhecimento aéreo, e treinamento.

    O Su-15 foi provavelmente usado nesse caso por também ser um interceptador.

    Tanto o MiG-25 quanto o MiG-31 não foram usados provavelmente usados pela localização do caso, até onde sei, MiG-25 e 31 ficavam somente na Sibéria e no noroeste da Rússia, sempre preparados para interceptar algo como o SR-71. Como não ficavam na região, mandaram um Su-15 mesmo.

    Sds!

  6. Nesse exato instante o Airbus A-319 VC-1A FAB2401 esta saindo do espaço aéreo russo (entrando no Casaquistão) e o Embraer ERJ-190 AR VC-2 FAB2590, seguindo alguns minutos atrás do 01, ainda permanece. “Xispa” logo! Presidente da Republica e Presidente do Senado.
    Como é a historia de economia! para que os 2!

  7. O MiG-31 substituiu o Su-15TM no 777 IAP (a unidade do Cel Osipovich) pouco depois do abate do 747 da KAL (que já tivera um 707 abatido pela mesma IA-PVO, a Aviação de Caça da Força de Defesa Aérea soviética, em 1978…). Ainda mais impressionantes foram os eventos seguintes ao abate de 1983: um dia após o incidente, um grupo de quatro MiG-31, tripulado por instrutores, foi deslocado para a Base Aérea de Sokol, nas ilhas Sakalinas, onde ficou, com alguns revezamentos, até março de 1984. Envolveram-se em engajamentos BVR contra os F-15 e SR-71 da USAF, naquele se tornou o primeiro emprego operacional do “Foxhound”, com resultados ainda “classificados”, mais de três décadas depois…

  8. Reinalldo Deprera, engano seu que a 2 GM deu um folego à URSS! Em 1945 o PIB deles era de menos da metade do de 1939! O país tava completamente destruído com os recursos consumidos além do talo. A ajuda houve, mas por um breve período. Em 1947 os navios deram a volta no meio do mar e ajuda ficou para o passado! Alguns méritos precisam ser dados para aquele povo. Devem ter regado a economia com Vodca e descobriram que funciona! O país crescia vigorosamente e na primeira década era o sucesso do socialismo que impressionava na Europa. O problema foi que eles não conseguiram sustentar isso e mesmo com um bom quadro social, a Europa ocidental já tava reconstruída e as liberdades também possuem seu apelo!
    .
    Se eles nunca tivessem alcançado nenhum resultado seria impossível durar tanto tempo!

  9. Delmo Almeida 1 de setembro de 2016 at 15:01
    A ajuda durou quase uma década, muito além do Lend-Lease e, o volume de recursos dispersados com a URSS foi abissal.
    Sem falar que a geopolítica e as estratégias no TO da Europa eram pautadas pela pressão de Stalin que manteve o mundo sob ameaça de se aliar à Alemanha durante todo o período que essa ainda era uma ameaça a todos os lados. Essa chantagem diminuía na exata medida em que ele conseguia extorquir o que queria.
    Durante o período da ajuda anglo americana à URSS houve investimento pesado naquele país. A infra estrutura industrial foi multiplicada na casa dos dois dígitos e, obvio, o retorno direto disso tudo foi feito durante os anos 50 e 60.
    O retorno indireto podemos ver até hoje. Sua indústria de defesa e espacial competem com as dos países de primeiro mundo.

    O açougueiro Josef Stalin, é sempre bom lembrar, conseguiu prestígio no partido comunista roubando bancos e trens para financiar a revolução bolchevique. Era tido por Lenin e outros intelectuais como “muito burro” para exercer qualquer atividade de comando. Porém, matou todos seus oponentes quando viu a oportunidade de tomar o poder. Deu no que deu, matou mais do que dez Hitler.

    Save Ferris!

  10. Eu lembro de uma reportagem desse caso na RFA. A USAF estava usando unidades do KC-135R naquela região, fazendo incursões rápidas para provocar as redes de defesa e gravar tudo que fosse emitido.
    .
    Então a intenção era pegar esse KC-135, mas sobrou para os tripulantes e passageiros do 747.
    .
    Vale lembrar que a interceptação se deu a noite e com mau tempo e o perfil do 747 visto por trás, com asas enflexadas e com 4 motores é quase igual a um 707.
    .
    O erro dos pilotos foi ter colocado coordenadas erradas no equipamento de navegação inercial, antes da decolagem (o marco zero para os cálculos). Este não usava dados externos para operar. Não havia GPS na época.

  11. Clésio – o piloto afirma que viu “duas fileiras de janelas e sabia que era um Boeing… Eu sabia que era um avião civil”. As duas fileira de janelas, salvo engano meu, era uma característica exclusiva dos 747 que tem dois “andares”. Ele não confundiu o 747 com o KC-135, que usa a mesma fuselagem do Boeing 707, ele derrubou o avião sabendo que ele era civil – embora tenha recebido ordem para isso.

  12. Estou lendo agora o artigo sobre o caso na Wikipedia, é bem extenso:
    .
    https://en.wikipedia.org/wiki/Korean_Air_Lines_Flight_007
    .
    Sobre a identificação da aeronave, ele diz que “não importava muito, já que era fácil fazer uma aeronave militar se passar por civil”. Fico me perguntando de onde viria essa linha de pensamento, já que é algo no mínimo perturbador. Talvez ele tenha ouvido estórias de aeronaves espiãs americanas com pintura civil.
    .
    Ele também comenta sobre o disparo de mais de 200 projeteis à frente da cabine de comando, que não mostraram reação por parte da tripulação do Boeing. Ele disse que eram projéteis perfurantes, sem o brilho dos incendiários que poderiam ser vistos de noite. Aliás, outra razão para caças modernos terem canhão a bordo. Pouco depois disso, o 747 perde velocidade e começa a subir, o que na visão dele representava uma manobra evasiva. Como ele não podia acompanhar sem estolar, acabou ultrapassando o alvo e partir dai o considerou hostil. Pouco depois recebeu a ordem de abate-lo a qualquer custo, o que ele fez.

  13. Caro Reinaldo Deprera 1 de setembro de 2016 at 15:26

    Sintetizando sua resposta, todo o avanço que houve o pós guerra na URSS foi por conta somente dos “investimentos” da lei Lend-Lease.
    Vivendo e aprendendo todo dia.

  14. O Ferris aprendeu História com o vovô Churchill, só pode.
    Falar de chantagem stalinista, baseada em uma aliança com a Alemanha?! É tão contrário aos fatos que beira a má fé.
    É daqueles que credita a vitória no leste às meia dezenas de Sherman estadunidenses.
    O que desespera é o tom professoral que se permite falar besteiras hoje em dia.

  15. Amigo Reinaldo!
    Poderia especificar a fonte onde cita-se essa “AJUDA” (em valores) destinada a USSR após de SGM? Ou pelo menos lembrar o montante e origem?
    Lembrando que Lend-lease não trouxe um tostão para eles. Ao contrario , “ajuda” via Lend-lease era uma forma de extorquir os valores (ouro , diamantes , cromo , manganês, pele dos animais para damas americanas) da União Soviética.
    E as reparações “calculadas” foram INCOMPATÍVEIS com valor , por exemplo , das reparações que EUA deviam para Vietnam (que nem foram pagos ao contrario do caso de Alemanha). Sem falar do tempo que USSR passou recuperando sua economia paralelamente tentando alcançar EUA no desenvolvimento das armas.
    OBS :Tenho minhas duvidas e se for possível gostaria de pedir essa informação valiosa.
    Um abraço!

  16. A ajuda do lend-lease foi decisiva sim e ajudou muito a URSS nao me espantaria se alemanhas chegassem as montes urais se stalin nao recebe-se o leand lease. O pib sovietico era de 360 ou 380 em 1939 ja em 1945 era de 840 ! . Sobre o abate foi uma lastima os pilotos erraram num local onde nao se aceitava erros

  17. Nllton Reis, entre 1933-1941, a URSS foiuma grander fornecedora de matérias primas para a Alemanha Nazista. Stalin deu uma grande ajuda a Hitler neste período, e o crescimento da economia alemã no período deve-se, em parte, ao tratado de crédito mútuo que os países assinaram em 1935.
    O melhor livro sobre o assunto, é “Feeding the German Eagle: Soviet Economic Aid to Nazi Germany, 1933-1941”, do Edward E. Ericson. Infelizmente, você terá de gastar R$ 397,00 por ele (ou US$ 122) na Amazon.
    E entre 1939 e 1941, os soviéticos e os nazistas tinham entre si o Pacto Molotov–Ribbentrop, que era bem amistoso, dividindo a Polônia entre eles…

  18. Como se deu o crescimento russo depois da guerra?
    Ora como cresce a esquerda?
    Roubando.
    Roubaram o que sobrou da Alemanha e dos países do leste europeu dominados e levaram pros camaradas do partido. Inclusive cientistas.
    Escravizaram soldados alemães que só voltaram anos depois numa fração ínfima dos capturados.
    Acabou o que roubar, fim dos esquerdismos.
    Vimos isso aqui no brasilis.
    A veia inglesa tava certo.
    O socialismo só dura enquanto dura o dinheiro dis outros.

  19. Amigo Madmax!
    Veja a fita um pouco para traz..
    Nazis roubavam as ícones e cruzes das igrejas .Arrancavam as pedras semi-preciosas (e nem tanto) das paredes e colunas.Tiravam tudo que valia algo.Desmontavam instalações de artes na forma INTEGRAL! Na fuga destruiram tudo que ainda sobrava da infraestrutura.
    Tenho que continuar?Acha um juiz de tudo? Sabe tudo?Viu de perto os milhões da gente ir para vala por causa de uma nação podre achar melhor que os outros?Viu???Perdeu algum avo na guerra?Aaah?!
    Escravizaram os soldados? Serio? E milhões das mulheres , meninos e meninas que foram mandados para Alemanha servir como escravos e nunca voltaram nem sobreviveram? Os soldados passaram tempo reconstruindo o que destruiram.E depois foram embora.Simplesmente.
    Bom , nao é bem regime semiaberto como nos presídios do Brasil pois não matavam e estupravam mais ninguém.Porem , estavam alimentados e viviam na maioria dos casos fora dos campos ou presídios..Sacanagem , ne..
    Quer ver o que reconstruíram? Digite “Kiev ou Minsk 1945 fotos” no Google e aprecie.
    Muitos desses ESCRAVOS voltavam uma vez por ano (ou menos ate) para chorar junto com os russos , ucranianos, bielorrussos que acolheram eles durante anos de “escravidão” colocando as flores nos monumentos incalculáveis encontrados por la ate hoje.
    Não culpo nem um pouco os soviéticos.Fizeram o que eu mesmo faria se fosse no lugar deles sem remorso.Os 10 bilhões propostos como reparações era um insulto para todos quem lutou!
    Ja em relação da grana de socialismo e nazismo é bom perguntar dos suíços.Esses “judeus” modernos sabem quem roubou de quem e quem guarda o que. Vão falar ?Duvido. Mas vivem bem e estão dando risada ate para nosso povo pois guardam dinheirinho ate do PT.. Vai falar sobre socialismo para eles : com ajuda da veia inglêsa ou sem – não me importo!
    Off – finalizei.
    Peço desculpas aos moderadores e colegas (é que esse dai foi muito “mad max” para mim).
    Um abraço!

  20. Senhores, minha opinião:
    .
    O Coronel tinha suas ordens. Poderia ser até o trenó do Papai Noel, vá lá, atire e volte para jantar. Ele tinha suas ordens, e não importa se o alvo era civil, militar, Klingon, o Satanás a 4. Ordem dada, missão cumprida. O resto é conversa para encher linguiça.

  21. Amigo Augusto!
    Lend-lease ajudou.Ajudou MUUUITO!Mas nao foi “gratis” nem 0800.Pagava-se ouro e diamantes e frequentemente em dobro de preço combinado (existem controvérsias mas ate Inglaterra pagou seu ultimo “boleto” em 2006).Vide a historia dos comboios PQ e QP (principalmente PQ-17 , se gosta os maiores detalhes) e veja a discrepância no valor final das contas.
    Explico Lend-lease nao era de fato uma “ajuda” financeira ou material na sua forma obvia como gente entende.Era simplesmente uma forma de ALUGUEL dos equipamentos de combate retornável(o que foi perdido na batalha – não contava, isso sim..).Ou seja como uma garrafa de Coca-Cola: consumido conta como valor X , a garrafa quebrada (na porrada – não conta) – valor Y. No final da guerra todos os equipamentos “em andamento” foram devolvidos com pás e estepes junto com kit de reparo na forma integral.O que não foi devolvido – cobrou-se valor com correção (falem que tem pouca coisa a ver com juros de Banco do Brasil ou Caixa 🙂 ).
    Ou seja : mesmo que a caravana PQ que saiu da Islândia rumo ao Murmansk não chegasse ao porto de destino a USSR devia pagar o valor integral com acréscimo das perdas dos navios e tripulações.Se tratava no TOTAL de 500 mil toneladas por mês.A maior parte disso era matéria prima e … comida!Nao podemos esquecer! Os soldados russos chamavam de “segundo frente prometido” uma lata de carne enlatada!Eles ate brincavam : vamos ABRIR segunda frente!(Que na reallidade so foi aberta em 44 quando tudo ja estava definido..)
    Bom.
    Amigo Augusto e colegas! Procurem informação sobre lend-lease!É uma coisa de doido! Americanos estavam ganhando com a guerra de qualquer jeito! Enquanto Las Vegas estava iluminado e pessoal de la estava curtindo novos modelos de eletro-domensticos os russos (servios, poloneses, franceses e outros) estavam aniquilando a maior forca militar da época!
    Vai alguém me falar sobre AJUDA americana!
    Ate “o galo frito picar na bunda” eles nem se tocaram!So estavam contanto din-din!
    Um observação: total de ajuda dos EUA para USSR – 10 bi (se não me engano), total de reparação (calculada) Alemã – 10 bi! Total de perdas e gastos da USSR na SGM – alguém sabe calcular???
    Um abraço!

  22. Estao de sacanagem ao menosprezar o lend lease para a URSS ?
    Não olhem para os Shermans, olhem para as dezenas de milhares de caminhões e jeeps que transportaram o exército vermelho até Berlim.
    Sem contar nos milhares de Airacobras…

  23. Este triste episodio foi uma somatória de fatores que infelizmente selaram o destino das 269 pessoas que perderam suas vidas naquela noite.

    O clima de desconfiança de ambas as partes, em especial dos soviéticos que vinham na politica de Regan do programa guerra nas estrela, a implantação dos Pershing II na Europa, os exercícios militares da OTAN em uma escala maior do que o habitual, tudo isto fez de 1983 um ano um bocado “nervoso” para as superpotências.

    Naquela noite os EUA por meio de fotos de satélite, descobriram um lançamento de teste de um míssil balístico de Plesetsk para o polígono de tiro de Kura e despacharam para a região de Kamchatka um RC-135 para fotografar a reentrada das ogivas e gravar a sua telemetria. Os soviéticos sabiam que existia um avião de grande porte nas imediações.

    O 747 adentrou uma região do espaço aéreo soviético onde havia falha de cobertura de radar (uma tempestade tinha derrubado algumas antenas tempos antes). Foram despachados 4 MIG-23 que não interpretaram o algo.

    Quando o Su-15 decolou da base aérea de Dolinsk Sokol, os soviéticos não tinham duvida de que estavam atrás de um RC-135. Como o alvo estava novamente voltando a águas internacionais os procedimentos para o abate foram apressados, deu no que deu.

  24. Menosprezar nao. Valorizar – sim , com certeza..Mas não pelo Aerocobra que foi descartada pelos pilotos americanos e ingleses que matava mais pilotos do que os inimigos. Não pelo Shermans que queimavam mais que umas velas de aniversario.E sim pelo cobre, combustível , remédios e comida. Ai não tem preço formal..
    E amigo Alfredo! Deixe Aerocobra em paz. Definitivamente , não é melhor avião de SGM. Mesmo com Pokryshkin fazendo milagres nela.Deixe…Fale de carne enlatada que valeu mais naquela época. Aquela lata compridinha. Parecida com uma lata de óleo de soja do supermercado popular..:)
    Um abraço!

  25. “Enquanto Las Vegas estava iluminado e pessoal de la estava curtindo novos modelos de eletro-domensticos os russos (servios, poloneses, franceses e outros) estavam aniquilando a maior forca militar da época!”
    .
    ScudB, a Guerra foi Mundial…
    Não se deve menosprezar aqueles que lutaram seja em qual front for mas, a indústria Norte Americana, protegida de ataques externos foi a maior das armas dos aliados. Que no final das contas eles ganharam muito dinheiro com isso não é discutível (até nós ganhamos), porém, eles não ficaram apenas fabricando, é preciso lembrar que eles travaram boa parte das batalhas mais sangrentas do conflito. Não se esqueça do Pacífico.

  26. amigo ScudB,
    Holodomor? Sabe o que é?
    Não?
    Te explico.
    Holocausto ucraniano que os esquerdistas fizeram antes da guerra.
    Sim eles não precisavam de nenhuma desculpa pra roubar.
    Roubavam o pão de camponeses famintos e deixaram o povo a míngua exportando seu pão para conseguir divisas para industrializar a Rússia.
    Ladrões, assassinos, covardes. Isso que os comunistas são.
    O nacional socialismo com todo o seu vandalismo contra as democracias liberais ocidentais não chegaou nem aos pés da barbárie ladro-comunista.

  27. Fale dos números sangrentos: um Stalingrado (por exemplo) ou Minsk contra alguma das batalhas MAIS SANGRENTAS do Pacifico.Vai..Tente..
    Um abraço!

  28. Scub o leand lease não se pagava era material militar emprestado ! E se sobra-se material depois da guerra e o estado recebedor quisesse continuar com o equipamento pagava-se um preço bem menor do que o de compra e a URSS não pagou deu calote Stalin disse que a ajuda America foi infama e que o sangue dos soldados soviéticos mortos pagavam !

  29. Sem contar que 90% dos trens utilizados pela URSS vinha dos EUA e toda frota de caminhões do exercito russo vinha tbm dos EUA

  30. Numa boa, pessoal, mas é evidente que as postagens nada tem a ver com o tópico… Não seria mais construtivo discutir dentro dele ???

  31. ScudB 2 de setembro de 2016 at 0:24
    .
    Não me consta que existissem milhões de Japoneses nos arquipélagos do Pacífico na época, mas se queres tanto os números, o que é de certa forma um argumento Chulo para medir a ferrosidade das batalhas, olhe para os números de baixas dos Chineses, que lutaram ao lado dos Norte Americanos até serem liberados dos Japoneses e, sofreram perdas comparáveis as dos Soviéticos.

  32. meus caros…..não duvidem que o piloto após receber a ordem de abate iria recusar a cumpri-la. Já pensaram nas implicações que ele teria se não cumprisse a ordem? e outra para um acidente desses ocorrer não é apenas um fato isolado mas um conjunto extenso.E em questão de espionagem não há limites. O piloto poderia pensar que era uma aeronave civil por fora com aparelhagem de espionagem por dentro. Triste fim para aquelas vidas dentro do 747. Não culpo o piloto do sukhoi….ordem geralmente são emitidas para serem cumpridas.

  33. Caro ScudB 2

    Em todos os comentários é possível ver que as pessoas de todas as formas querem menosprezar o front oriental em favor do ocidental. Até pode se entender devido a Hollywood somente fazer filmes sobre o Dia D ou o Desembarque na península itálica e por ai vai.
    No fim das contas, foram os americanos que ganharam a WWII sozinhos a URSS, a resistência francesa a garra inglesa, nada disso foi importante.
    Pouco se fala das batalhas do front oriental, porque não há interesse, simples assim.
    Alguém aqui comentou sobre Holodomor, mas será que esse mesmo se lembra das táticas americanas na Guerra do Vietnã ou indo mais no passado o genocídio dos povos indígenas nos EUA?

  34. Infelizmente em tempos de guerra todos são inimigos, não ha distinção entre crianças e velhos, civis e soldados. Mesmo com Leis criadas em Genebra, pq na realidade o que é aplicado é a lei da guerra; “Mate para não morrer”

  35. Esse caso aí, assim como o do outro abate do Airbus pelo “Vincennes” feito pelos EUA são apenas a face visível destes atritos. Isso sem falar na Embaixada chinesa na Servia… inocentes, só os civis

  36. ScudB 1 de setembro de 2016 at 22:05

    Nem pra mim, nem pra você. Vou usar os seus números. 10 bilhões.
    Ora, 10 bilhões de dólares na década de 40, não faço a mínima ideia de quanto isso representava percentualmente sobre o PIB daqueles anos na URSS. Mas pouca coisa não é.
    Os enlatados que alimentavam o exército vermelho era Made In USA. A logística mecanizada era em grande parte Made In USA. As dezenas de milhares de Aircobra e Shermans.
    Tudo isso e muito mais, custando uma parte significativa da marinha mercante e escoltas da Marinha Americana e Marinha Real. Rotas perigosas e protegidas pelos U-Boats, como na do Círculo Polar Ártico, e rotas longas e negadas pela Marinha e Aviação Imperial Japonesa. Milhares de americanos e ingleses morreram para o esforço de guerra da URSS. Dinheiro anglo americano, sangue anglo americano.
    Nós dois sabemos que Stalin sabia da invasão e “não resistiu” afim de chantagear o ocidente em busca de recursos. O vasto território soviético, os milhões de civis e os vetores ultrapassados serviram como bucha de canhão para ele ganhar tempo e barganhar mais, ao mesmo tempo que também servia para esperar o inverno e fazer um contra ataque usando os seus melhores vetores contra um inimigo cansado. Portanto, o custo do sangue soviético tem que ser colocado na sua política pré Barbarossa e na frieza de Stalin.

    Em respeito ao pedido do Galante, não deveria publicar o comentário. Mas faço um meia-culpa:
    Não pesquisei os números que me pediu. Nem pra mim, nem pra você. Vamos deixar que o pessoal veja esses fatos que expusemos aqui e que cada um faça sua pesquisa e no artigo certo iremos continuar o debate.
    Abraços.

    Sobre o P-39 Aircobra. Nunca gostei dele. A ideia de colocar o motor no centro da fuselagem é monolítica aerodinamicamente e portanto, não serve para caçar alto. No entanto, a Luftwaffe tinha dificuldades em acompanhar a Wermacht. E o P-39, como CAS, e, na quantidade que a URSS dispunha, poderia ter feito muito mais. Os pilotos soviéticos o adoravam.

    Save Ferris!

  37. Fica as duvidas!

    Os pilotos do voou KAL voo 007 tinham experiência na rota estabelecida? Pois pelo gráfico do voou, na terceira imagem, fica grotesco o erro de navegação cometido pela tripulação, ainda mais uma tripulação experiente!

    Sobre o Off Topic que perturba o tópico principal tenho algumas observações:

    A URSS fazia parte do pacto do eixo e isso é pouco difundido ou divulgado, por que, eu não sei! Stalin foi avisado da invasão alemão com antecedência, mas como membro do pacto do eixo preferiu não acreditar. Dou graças a Deus pelos alemães terem invadido a União Soviética, pois o exercito vermelho suportou todo o peso da Wehrmacht, que só foi aliviado com as invasões na Itália e na Normandia.

    A ajuda militar e financeira para a finada URSS não foi imediata, não veio logo após a invasão alemã. Shermans e Aircobra quando empregados pelo exercito vermelho já eram maquinas defasadas com limitações técnicas conhecidas, havia aeronaves e tanques de guerra melhores em uso pelo exercito vermelho.

    peço desculpas pelo off, não resisti!

    Saudações!

  38. Senhores, quem foi o passageiro ilustre que os serviços secretos americanos tiraram desse estranho vôo, mais ou menos 1 hora antes de decolar?

Comments are closed.