Neste dia na História da Aviação: YF-23 voa pela primeira vez

Neste dia na História da Aviação: YF-23 voa pela primeira vez

5734
18

YF-23 - 1

No dia 27 de agosto de 1990 voava na Edwards AFB o Northrop YF-23 “Gray Ghost”, comandado pelo piloto Alfred “Paul” Metz. A aeronave de duas caudas acentuadamente inclinadas, conhecidas como “ruddervators”, era propulsada por dois motores YF-119-PW-100.

O YF-23 concorreu com o YF-22 no Programa ATF da USAF e acabou perdendo.

YF-22 e YF-23

  Comentários no Facebook

  Comentários de assinantes

18 COMMENTS

  1. Uma aeronave muito à frente do seu tempo. Esse foi o principal motivo da sua derrota no ATF. Contudo, com a tecnologia de hoje seria uma aeronave viável. Com a necessidade próxima de se substituir os F/A-18E/F Super Hornets, seria a opção ideal.

  2. YF-23 perdeu em 2 pontos, faltou um TVC e a baia de armas era menor que no F-22, dois erros básicos em um projeto desse nível.

  3. O YF-23 ao contrário do YF-22 enfatizava mais a furtividade do que a manobrabilidade. Mas a verdade é que ele excedeu, assim como o YF-22, os requisitos do ATF. Contudo o projeto do Raptor representava menos riscos e por isso foi escolhido.

  4. Ricardo, o TVC não era um requerimento no ATF e o YF-22 levava a mesma quantidade de armamento que o YF-23. Só o completamente redesenhado F-22A é que tinha uma baia ventral maior.
    .
    Pelo que eu li por aí, a USAF ficou bem impressionada com o YF-22 ter efetuado disparos durante a fase de testes (embora o YF-23 também tivesse uma baia, ela não foi testada) e isso pesou na decisão. Como a dupla soviética havia estreado poucos anos antes no ocidente e se mostrou melhor do que o imaginado em manobrabilidade, eles provavelmente acabaram favorecendo o candidato que tinha maior potencial de manobra, embora o YF-23 também tivesse atendido os requisitos do programa.

  5. Aqui vai uma palestra com os dois pilotos da Northrop responsáveis pelo programa YF-23. Para quem entende um pouco da língua de Shakespeare vale a pena ver, fala bem profundamente do programa e da aeronave. Existem outros vídeos nesse canal, com pessoas chave de outros programas, como um engenheiro do F-14, que tocam em assunto que geralmente não aparecem na mídia. Muito interessante para ver com calma:
    .

  6. No começo do vídeo ele falou tudo: mesmo sendo um projeto de 44 anos atrás, quando o olha ele ainda é futurista. É impressionante o financiamento de novos projetos nos EUA, o quão efetivo eles são,tudo é na base da competição, quem vencer o governo garante os recursos.

  7. ja pensou se resolvem reativar o projeto do YF-23 com as atualizações de hoje pra fazer trio com F-22 e F- 35? não teria pra ninguem!!!! dominio do espaço aéreo por muitos anos…..

  8. Era o meu preferido na época da competição. O YF-22 era muito feio! Lembro que fiquei bastante decepcionado quando esta belezura de nave perdeu. Uma pena.

  9. Uma aeronave bastante equilibrada, porém, aparentemente mais voltada para a função de bombardeiro que de caça. Estas derivas são mais discretas, porém, com certeza não conferem tanta agilidade quanto as derivas do Raptor.

  10. Eu também fiquei surpreso que ele perdeu para o F-22, principalmente porque as revistas da época chamavam ele de “revolucionário”. Ainda hoje seu design é bem futurista.

  11. Iväny, naquele vídeo o Paul Metz diz que o YF-23 manobrava muito bem, melhor que os outros caças que ele tinha pilotado .Embora provavelmente isso se refira mais à velocidades transônicas e altitudes elevadas, assim como acontece com o F-22. Em outro vídeo (um walkaround) ele comenta como o grande tamanho da cauda proporcionava enorme autoridade de comando, mesmo sem empuxo vetorado.

  12. Que vídeo sensacional, que nação maravilhosa é essa que nos proporciona tanta informação grátis, assisti embasbacado, isso tudo naquela época lá atrás, incrível, e nós aqui ouvindo a mandioca sapiens falar bobagens o todo todo, que inveja!

  13. O YF-23 era uma aeronave incrível, quando a Northrop a colocou na frente da radares de alta-frequência foi relatado que as ondas refletiam em um formato de “aranha”.

    Não só a furtividade era superior, mas também seu conceito quando comparado ao YF-22.
    A USAF queria um caça furtivo com alta conexão de dados para substituir o F-15C, entretanto, o YF-23 ia muito alem do que a USAF quis, enquanto o YF-22 era mais pé no chão.

    O YF-22 ia servir como base para caças furtivos, tais hoje como o F-35, onde é possível se notar que os conceitos como o sistema DAS, consciência situacional e o HMD(que nunca aconteceu para o F-22A) foram muito aprimorados para o F-35 em todas suas respectivas variantes.
    Se o desenvolvimento do F-22 demorou 15 anos, pelo ao menos para alcançar o IOC, imaginem como seria com o YF-23.

    O desenho do YF-23 certamente vai voltar no programa F/A-XX da USN e USAF, acredito que a USAF vá querer que tudo saia certo neste futuro programa.

    Um artigo interessante:
    USAF wants on-time F-X, not more F-22s
    https://www.flightglobal.com/news/articles/usaf-wants-on-time-f-x-not-more-f-22s-422950/

    Saudações.

  14. ufric, eu tenho a impressão que o atraso no F-22 foi mais relacionado com o fim da Guerra Fria do que outras coisas. Naquela época todo o mundo estava cancelando e adiando programas militares.

  15. Sou leitor assíduo da trilogia e nunca postei, sendo esse o meu primeiro post. Lendo essa matéria, por curiosidade fui buscar mais informações sobre o YF-23 e me deparei com um avião experimental muito interessante: O X-36. Me pareceu ser muito avançado para a época, mesmo sendo somente experimental. Não seria possível fazer uma matéria sobre o mesmo?

LEAVE A REPLY