Home Aviação de Caça Formatura ‘missing man’ de F-16 em homenagem a ex-tripulante de F-105

Formatura ‘missing man’ de F-16 em homenagem a ex-tripulante de F-105

4086
37

quatro caças F-16 em formatura missing man - homenagem a falecido cel Donald Heiliger - Wisconsin State Journal

Homenagem foi ao coronel reformado Donald Heiliger, falecido na semana passada aos 79 anos, que tripulava um F-105 abatido em 1967 na Guerra do Vietnam, tendo passado seis anos prisioneiro

Em homenagem a um falecido veterano piloto de F-105 da Força Aérea dos EUA (USAF), quatro caças F-16 voaram hoje em baixa altitude sobre o cemitério em que se realizava o funeral, em Madison, capital do Wisconsin. O piloto homenageado, coronel reformado Donald Heiliger, faleceu aos 79 anos de idade na última quarta-feira, e foi enterrado nesta segunda, 28 de março. Natural de Madison, Heiliger participou de missões na guerra do Vietnam e foi abatido, permanecendo prisioneiro entre 1967 e 1973.

A homenagem foi feita por quatro caças F-16 da 115ª Ala de Caças da Guarda Aérea Nacional do Wisconsin, e na foto são vistos em passagem baixa feita à uma hora da tarde (hora local) sobre o funeral do coronel Heiliger, que foi enterrado com honras militares. Provavelmente a foto foi tirada logo antes de uma das aeronaves deixar a formatura e sumir no horizonte, como manda a tradição.

Reportagens do Wisconsin State Journal abordaram a captura do então capitão Heiliger em 1967, que estava em seu segundo período de missões no Vietnam. Ele era um de dois tripulantes de um jato F-105 em missão de bombardeio a baixa altura, 30 milhas (cerca de 55km) a nordeste de Hanoi. Em entrevista ao jornal concedida em 1973, quando foi libertado, Heiliger declarou: “Cinco segundos após largarmos as bombas, fomos atingidos… Não sei se foi um tiro ou um míssil. Tentamos acabar com o fogo, sem muito sucesso.”

cel Don Heiliger - falecido aos 79 anos - Wisconsin State Journal

Para ejetar, os dois tripulantes tiveram que ganhar alguma altitude, após a qual o capitão flutuou em seu paraquedas por “cerca de 10 minutos”, chegando ao solo com poucos ferimentos. Ele se escondeu por várias horas antes de ser capturado. O outro tripulante, major Ben Pollard, também foi capturado (e mais tarde devolvido).

A partir daí, o capitão norte-americano passou por quatro prisões no Vietnam do Norte, sendo acorrentado, interrogado e torturado, sofrendo também frequentes surras dos guardas. As condições só melhoraram em meados de 1969, após a morte de Ho Chi Minh, segundo Heiliger, quando foi permitida a comunicação com seus parentes dos EUA com cartas (duas por ano e limitadas a seis linhas), quando então seus familiares puderam saber que ele estava vivo: “Meu pai estava convencido de que eu morrera”, disse o piloto. Nesse meio tempo, sua esposa se divorciou e casou-se novamente, mudando-se com seus três filhos.

O capitão foi libertado junto com outros prisioneiros, como parte de uma série de “gestos de boa vontade” realizados após o cessar-fogo de janeiro de 1973. Heiliger só falou das torturas que sofreu, segundo o jornal, após as últimas libertações de prisioneiros. Quando chegou a Madison, em 9 de março de 1973, o então capitão foi recebido por cerca de 300 pessoas. tendo recebido a chave da cidade por parte do prefeito. Naquele mesmo dia, em coletiva de imprensa, o capitão expressou que, embora não guardasse mágoas do movimento anti-guerra, acreditava que as ações realizadas pelo movimento só serviram para prolongar o conflito.

cel Don Heiliger recebido em 1973 apos seis anos prisioneiro no Vietnam - Wisconsin State Journal

Heiliger casou-se novamente, voltou a servir à USAF (na qual havia entrado em 1958 e realizado seu voo solo em jatos em 1964) e, após sua reforma do serviço, trabalhou para o governo e também como corretor de imóveis e motorista de ônibus, tendo entrado também para a política da capital do Wisconsin, militando entre os conservadores.

FOTOS via Wisconsin State Journal

NOTA DO EDITOR: como comentários recentes de matéria publicada na última sexta-feira pelo Poder Aéreo, sobre formatura de caças F-86 com F-22, acabou desviando para assuntos relacionados à Guerra do Vietnam, achamos pertinente destacar esta matéria do jornal de Wisconsin sobre o funeral de um piloto veterano do conflito e ex-prisioneiro de guerra. Comentários a respeito da Guerra do Vietnam podem prosseguir aqui, se assim desejarem os leitores.

VEJA TAMBÉM:

37 COMMENTS

  1. Coitado do cara com uma mulher dessa nem precisa de “inimigos” rsrs , o homem estava lá servido o país numa guerra( que a na minha visão os EUA não deveriam ter se metido ) ela aproveita e larga dele , penso eu como de ter sido a volta dele para casa , achando que ia ter uma mulher e chega lá não tem mais … abraços !!!!

  2. Sr. Alexandre,

    eu ia comentar a mesma coisa!! kkkk que barra que deve ter sido pra ele hein?!? 🙁

    Boa noite a todos

  3. Pilotar um F-15 no Nam era como pilotar B-17 sobre a Alemanha, alto risco de abate. O F-105 era o cavalo de batalha no Vietnam, e ficava muito exposto por ser o “first in, last out” no cenário de combate. Dois pilotos de Thunderchief receberam MoH. Quanto ao respeitável coronel Heiliger, RIP.

  4. Pais preocupado com a segurança e que valoriza os seus combatentes é outra coisa. Bela e merecida homenagem. Independentes de todas as questões que envolvem a Guerra do Vietnã (e todas as outras guerras), políitcas e interesses de direita e de esquerda à parte, aqueles que arriscam (e muitas vezes perdem) a vida para garantir a segurança dos demais irmãos de nação merecem o mínimo de respeito.

  5. Daniel.

    Mas quem realmente abateu aeronaves americanas no Vietnã em quantidades significativas foi a artilharia antiaérea e armas de pequeno porte.

    Que eu me lembre, li uma vez em algum lugar que o Vietnã do Norte possuía mais armas antiaéreas (ou uma densidade maior de armas) do que a Alemanha da II Guerra.

  6. Também já li algo sobre isso, em uma faixa de apenas 80 Km, possuíam mais baterias anti aéreas que a Alemanha em toda a Europa.

    Houve um caso de um F-4 que se chocou e explodiu na traseira de um MIG do Vietnam, acho que ele se aproximou demais para executar o tiro e não deve ter se dado conta da velocidade,

    Outro caso curioso foi na Coreia, um F-86 Sabre também atingido, foi literalmente empurrado por um outro F-86, a boca da entrada de ar do avião socorrista na turbina do atingido, por algumas centenas de quilômetros até sair do território inimigo, o piloto ejetou no mar para ser resgatado mas deu azar, depois de todo o esforço, seu paraquedas caiu sobre ele e ele morreu afogado.

  7. Renato de Mello Machado 29 de março de 2016 at 8:05

    Só falam grosso com quem não tem a bomba.

    ________________
    Carlos Alberto Soares 29 de março de 2016 at 5:36

    Perderam, game over pra eles… e isso nunca mudará… nem o Rambo pode mudar isso.

  8. Maria do Carmo Lacoste,
    .
    Vc excreveu:
    “Outro caso curioso foi na Coreia, um F-86 Sabre também atingido, foi literalmente empurrado por um outro F-86, a boca da entrada de ar do avião socorrista na turbina do atingido,”
    .
    Esta do F-86 eu não conhecia.
    .
    Mas em 2008 um colega aqui do AEREO, o Leandro Furlan, nos contou (por escrito é claro) uma história incrível sobre um caso de Phantom empurrando Phantom.
    Não lembro se foi publicado depois por aqui.
    .
    Há dois anos atrás o Giordani recontou esta história:
    “…em 10 de março de 1967 o Capitão da USAF, Robert Pardo, usou seu F-4 Phantom para empurrar um outro F-4 danificado pela AAA do Vietnã do Norte até a zona amigável…”
    .
    Uma história incrível, com heroísmo, injustiças e recuperação da justiça e do mérito anos depois.
    .
    Vale a pena conhecer.
    Segue um link ‘curioso’:
    http://curiosidadesdaguerra.com.br/incrivel-piloto-salvou-seu-amigo-a-20-000-pes-puxado-por-seu-gancho-de-cauda-para-fora-do-vietna-do-norte/
    .
    Cordiais saudações,
    Ivan, o Antigo.

  9. Quantas guerras houveram no Vietnã
    no pós Segunda Grande Guerra?
    .
    Guerra da Indochina – basicamente entre o Việt Minh (Vietnã do Norte) e o corpo expedicionário francês no Extremo Oriente (França), com ápice e fechamento na Batalha de Dien Bien Phu.
    (1946 a 1954)
    .
    Guerra do Vietnã ou segundo os vietnamitas a Guerra Americana, mas também chamada de Segunda Guerra da Indochina – é a guerra nunca declarada, uma mistura de guerra civil (norte contra sul) com uma tentativa brutal de contenção das forças norte americanas.
    Seria a República Democrática do Vietnã (Vietnã do Norte) e a Frente Nacional para a Libertação do Vietnã (FNL) de um lado, contra a República do Vietnã (Vietnã do Sul) e os Estados Unidos, com uma ajudinha menor da Coreia do Sul, Austrália e Nova Zelândia.
    (1955 a 1975)
    .
    Guerra cambojana-vietnamita ou Invasão do Camboja pelo Vietnã ou ainda Terceira Guerra da Indochina – foi uma série de conflitos entre o Camboja e o Vietnã, culminando com a invasão e posterior ocupação vietnamita do Camboja e a eliminação do regime do Khmer Vermelho no poder desde 1975.
    (1975 a 1989)
    .
    Guerra sino-vietnamita de 1979 ou conflito sino-vietnamita ou simplesmente a invasão chinesa do Vietnã – foi um breve conflito (apenas um mês) onde a República Popular da China (sim o Dragão) apoiando seu aliado Kampuchea Democrático resolveu mostrar quem manda contra a recém-unificada República Socialista do Vietnã (apoiada pela União Soviética).
    (Fevereiro e março de 1979)
    .
    Mas na verdade havia outras guerras não declaradas, umas por dentro das outras.
    Havia sim uma guerra de contenção que os EUA (representando o capitalismo e a democracia liberal) lutavam contra o eixo URSS-China (representando o comunismo e a ditadura do proletariado/camponês).
    .
    A guerra nunca declarada do Vietnã (2ª Guerra da Indochina) foi vencida pelo Việt Minh, comandando militarmente pelo brilhante General (e historiador) Vo Nguyen Giap usando (entre outros) os ensinamentos de… (acreditem) …T. E. Lawrence (Lawrence da Arábia).
    🙂
    (Dizem que um dos livros de cabeceira de Giap era
    ‘Os Sete Pilares da Sabedoria.)
    Aquela guerra foi uma terrível combinação de guerra assimétrica (guerra de 4ª geração) com guerra convencional (mistura de 2ª e 3ª geração).
    .
    Efetivamente no território do Vietnã a vitória foi de Hanói,
    que no final incorporava a vontade da maioria vietnamita,
    mesmo com a desgraça das minorias.
    .
    Mas na guerra de contenção os americanos conseguiram segurar a expansão comunista na Indochina por 20 (anos), apesar de não ter tido o mesmo sucesso que na península coreana.
    .
    O nome do jogo era Go – em japonês – ou, se preferir, Weiqi – em chinês – que visa envolver, cercar e bloquear o adversário (ou inimigo).
    .
    Por mais terrível que seja (e incrivelmente sangrento), o Vietnã era uma parte de um todo muito mais amplo, a Guerra Fria, que insisto em defender que foi a Terceira Guerra Mundial.
    .
    Por fim é essencial registrar a incrível força e perseverança do vietnamita, pois lutou contra França, Estados Unidos e China, as maiores potências mundiais em vários momentos da história, e continuou inteiro como nação e como país.
    .
    Hoje, inacreditavelmente para alguns, tem boas relações com “usamericanusfeiusbobos” 🙂 e um comércio bilateral que movimentou quase US$ 35 bilhões em 2014.
    .
    Mais.
    Advinha quem é o maior inimigo do Vietnã
    neste século XXI.
    .
    Cordiais saudações,
    Ivan, o Antigo.

  10. Sequelas da guerra:
    Mais de 1 milhão dos chamados “boat people” (imigrantes que viajavam em barco) fugiram do Vietnã do Sul entre 1975 e 1989.
    A maioria se estabeleceu nos EUA.

  11. Ivan 29 de março de 2016 at 10:56

    Essa do F-86 também ocorreu, é mais fácil porque o F-86 tem essa entrada de ar frontal bem grande na frente, então é mais prático de encaixar na turbina, quando o piloto saltou no mar, seu paraquedas o cobriu e ele morreu afogado. Tem muitas histórias, as vezes entro em sites em inglês e fico lendo, sites amadores mesmo, contando casos como este.
    Leia o livro “Sete Combates no Vietnã”… da Bibliex… impressionante relato.
    O primeiro combate narrado é aquele assalto aéreo comandado pelo tenente-coronel Hal Moore, retratado no filme com Mel Gibson, “Fomos Heróis”, foi o primeiro grande combate no Vietnã, só depois de muito tempo é que eu percebi, pois li esse livro faz tempo, que este primeiro combate do livro é esse assalto comandado por Moore, outro dia sem querer achei um blog em inglês que é mantido pelo filho do Cel Hal Moore, onde ele preserva as ações de seu pai, incluindo este grande combate, detalhando todo o planejamento feito por ele.
    Nunca assisti esse filme, exceto cenas esparsas, mas algumas poucas cenas que vi, são um pouco retratadas no livro.
    O livro conta que neste combate um pelotão fica cercado durante a noite e um dia inteiro mais ou menos, isolado, ao final do cerco, apenas um terceiro sargento e um soldado sobrevivem.
    Tenho a impressão que um dos tenentes que morrem no “Fomos Heróis” é o comandante deste pelotão descrito no livro, no filme, antes de morrer, ele fala aquelas palavras de orgulho, heroísmo e tal, já sabemos como são em filmes, mas no livro ele chama o “Sargento Master”, seu segundo no comando, passa a ele o bornal com mapas e os códigos de comunicação, e diz que caso ele seja capturado, deve destruir esses documentos antes, em seguida o tenente morre, na sequência, quando o Sargento Master levanta a cabeça para dar sua primeira ordem, ele também é atingido e morre.
    Histórias impressionantes.

  12. “Por mais terrível que seja (e incrivelmente sangrento), o Vietnã era uma parte de um todo muito mais amplo, a Guerra Fria, que insisto em defender que foi a Terceira Guerra Mundial.”
    .
    Realmente. Faz sentido se analisar-se a conjuntura dos fatos.

  13. Off topic, mas nem tanto…
    Pergunta de civil:
    As tropas do Exército ainda fazem marchas de 40km como faziam pelo menos até a década de 70?
    E os mais velhos devem se lembrar que era normal as tropas irem dos quarteis em marcha até certas áreas de treinamento, por avenidas no meio das cidades, era muito bonito.
    Quando faziam o percurso correndo sempre tinha um canto com certas entonações.
    Essas cenas eram durante todo o ano. Algo normal de se ver.
    E tinha até uma tal de colônia de férias para as crianças nos quarteis, durante suas férias escolares de verão. Participei.
    Era a manhã toda durante uns 15 dias.
    Com várias atividades e passeios com os militares. As crianças eram divididas em grupos pela idade, e usavam então um boné de determinada cor.
    Na Marinha e na Aeronáutica tinha disso também?
    Lembranças de infância no RS.
    Nesses tempos ainda não existiam absurdos vídeo games brutais e isolacionistas. Pessoas catando lixo para sobreviverem. Muito menos, então, tiros e drogas em escolas.
    Quando falo de cenas de minha infância e adolescência para crianças e jovens atuais, me passa a impressão de que eles não acreditam e que falo sobre outro planeta literalmente.

    Sobre Vietnam:
    Vietnam War + Rádio Guaiba + Notícias quentes dos correspondentes da Associated Press = Trio medonho!

  14. Pior erro dos americanos foi a política do Johnson de televisionar a guerra para mostrar o mundo é a população americana a superioridade americana frente a moribundos maoistas

  15. Segundo erro, emprego do poder aéreo de força totalmente ineficaz, até mesmo a linebacker ii foi mal empregada, sorte dos vietnamitas que os americanos não tinhao uma mentalidade mais ampla do que o poder aéreo como na guerra do golfo em 91

  16. “Mais.
    Advinha quem é o maior inimigo do Vietnã
    neste século XXI.
    .
    Cordiais saudações,
    Ivan, o Antigo.”
    _____________

    “Hoje, inacreditavelmente para alguns, tem boas relações com “usamericanusfeiusbobos” 🙂 e um comércio bilateral que movimentou quase US$ 35 bilhões em 2014”.
    ____________

    Taiwan ? (rs).

  17. pois é Ivan sorte dos Chinas que os EUA são uma democracia e seu povo não deixa os seus governantes chumba a China de nukes o que é muito possível já que a china não tem ogivas nem meios o bastante para fazer um contra-ataque, não à famosa MAD entre China e EUA, mas sim uma supremacia nuclear norte-americana. Quero vê o que os Chineses vão arrumar quando o prompt global strike estiver pronto, vai ser muito mais fácil aniquilar um pais já que não á bombas nucleares portanto não tem radiação

  18. E o jogo vai indo os americanos tentando reduzir o deficit no seu orçamento, para manterem sempre uma supremacia militar\tecnológica para que os chinas não os alcance, enquanto os chineses extrapolam o orçamento militar e o investimentos em pesquisas\engenharia e espionagem para não caírem na inferioridade tecnológica

  19. quanto uma invasão chinesa no Vietnam enquanto o pla army for mal treinado e equipado, as forças militares chineses forem controladas politicamente e não haver um meios modernos reconhecimento e manejo de batalha integrados a vantagem é vietnamita

  20. A FA Norte Vietnamita iniciou a guerra com 69 caçadores, todos formados na URSS; e a USAF chegou lá com 347 caçadores. E tomaram um pau. Mas a história que conhecemos foi contada pelo lado ocidental. Me parece que a maioria desses ases norte vietnamitas ainda está viva.
    E o norte americano Randy Cuningham, depois elegeu-se senador, e foi preso por corrupção. A US Navy é p.. com ele!

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here