Phenom_300_Flight-04

São José dos Campos – SP, 23 de fevereiro de 2016 – O Phenom 300 da Embraer foi o jato executivo mais entregue no mundo em 2015 pelo terceiro ano consecutivo, com 70 aeronaves sendo recebidas por clientes ao redor do globo.

“Gostaríamos de agradecer nossos clientes pela confiança e fidelidade, que possibilitou ao Phenom 300 ter aceitação global desde o seu lançamento”, disse Marco Tulio Pellegrini, Presidente e CEO da Embraer Aviação Executiva. “O projeto da família Phenom teve como base os mais sofisticados requisitos da indústria, combinando atributos de uma aeronave imbatível. Ter a aeronave mais entregue do mundo pelo terceiro ano consecutivo é um verdadeiro reconhecimento de que fomos fiéis ao compromisso de desenvolver aeronaves inovadoras para atender às necessidades dos operadores.”

Phenom_300_Cabin

Reconhecido como um dos mais desejados jatos leves por empresas de propriedade compartilhada, serviços de fretamento, departamentos de voos corporativos e pilotos proprietários, o Phenom 300 já possui uma frota de 320 jatos em operação em 28 países e acumula cerca de 300.000 horas de voo. O Phenom 300 também foi o jato executivo mais entregue em 2013 e 2014.

A Associação dos Fabricantes de Aviação Geral (GAMA, na sigla em inglês) divulgou recentemente o seu relatório anual referente às entregas e faturamento do setor em 2015, mostrando que a participação de mercado da Embraer Aviação Executiva, em termos de entregas, subiu para 17%. No ano passado, a Empresa entregou 120 jatos executivos, incluindo aeronaves da família Phenom, Legacy e Lineage, o maior volume dos últimos cinco anos.

Phenom_300_FlightDeck_G3000b

Sobre o Phenom 300

O Phenom 300 tem desempenho entre os melhores jatos da categoria light, com velocidade máxima de cruzeiro de 453 nós (839 km/h) e um alcance de 3.650 quilômetros (1,971 milhas náuticas) com seis ocupantes nas condições NBAA IFR. Com a melhor razão de subida e desempenho de pista da sua classe, o Phenom 300 tem custos de operação e de manutenção menor do que seus concorrentes. A aeronave voa a uma altitude de 45 mil pés (13.716 metros), propulsionada por dois motores Pratt & Whitney Canada PW535E, com 3.360 libras de empuxo cada.

O Phenom 300 oferece uma cabine espaçosa, projetada em parceria com o BMW Group DesignworksUSA e o maior bagageiro de sua categoria. As maiores janelas de sua classe proporcionam luz natural abundante na cabine e no toalete. O conforto dos assentos, com capacidade de reclínio e amplo movimento é acentuado pela melhor pressurização de cabine entre os jatos leves (altitude máxima de 6.600 pés). O Phenom 300 oferece zonas de temperatura distintas para pilotos e passageiros, uma ampla galley, opções de comunicação de voz e de dados e um sistema de entretenimento.

A cabine de comando permite operação por um só piloto e oferece a opção avançada Prodigy Touch Flight Deck. Os recursos tipicamente encontrados em categorias superiores são ponto único de reabastecimento, manutenção externa do toalete e uma elegante escada.

Phenom_300_Ramp-01

DIVULGAÇÃO: Embraer

50
Deixe um comentário

avatar
50 Comment threads
0 Thread replies
0 Followers
 
Most reacted comment
Hottest comment thread
18 Comment authors
André BuenoMaria do Carmo LacosteJeffBardiniAlfredo Araujo Recent comment authors
  Subscribe  
newest oldest most voted
Notify of
Mauricio R.
Visitante

Tá e o restante do relatório da GAMA???? Publicar somente aquilo que enaltece a Embraer é fácil, kd o restante p/ comparar c/ a concorrência????

ederjoner
Visitante

Não é a toa que é o líder, essa aeronave é fantástica.

Jr
Visitante
Jr

Mauricio R. você agora vai querer ensinar ao editor o que ele tem e o que não tem que colocar na matéria dele?

Benjamim Mendes Junior
Visitante

Aff, para alguns o copo está sempre meio vazio. vamos la… “O Phenom 300 tem desempenho entre os melhores jatos da categoria light…”, “Com a melhor razão de subida e desempenho de pista da sua classe, o Phenom 300 tem custos de operação e de manutenção menor do que seus concorrentes.” Para mim esse dois trechos comparam o Phenom 300 com a concorrência e para você Mauricio R.?

Oganza
Visitante
Oganza

Jr,
No foi o editor que colocou nada… O post é uma matéria de divulgação da Embraer.

Maurício,
A Embraer não vai depor contra ela própria em seu próprio informe de divulgação não é verdade? 🙂

Mas para os interessados, segue o Report da GAMA em PDF:
http://www.gama.aero/files/GAMA_2015_Databook_LoRes_for_Web.pdf

Ps.: As tabelas começam na página 15 e aos preguiçosos a da Embraer está na página 17.

Grande Abraço.

DomSaf
Visitante
DomSaf

Que belo interior, fruto de uma ótima parceria.

Mauricio R.
Visitante

Oganza,
.
Valeu!!!

Mauricio R.
Visitante

“Para mim esse dois trechos comparam o Phenom 300 com a concorrência e para você Mauricio R.?”
.
Eu não me referi a concorrência somente no segmento “Light Jet” do mercado, mas aos demais segmentos inclusive.

Space Jockey
Visitante

Mas a matéria não é sobre esse nicho ?!

Benjamim Mendes Junior
Visitante

Vlw pela correção Oganza.

Oganza
Visitante
Oganza

Space Jockey, não é uma matéria, é um informe de divulgação da Embraer… ela está “apenas” e CORRETAMENTE se promovendo, como todo mundo faz… de Boeing a Airbus, de Novaer a SAAB, todo mundo faz isso… aki no Aero e em qualquer outro meio de disseminação de informação, seja na web, impresso ou por rádio difusão, todos estão cheio de informes como esse. – “Sou eu falando que o meu umbigo é mais bonito que o umbigo dos outros e que o mercado mundial concorda que ele é o mais bonito”… simples assim. – A matéria “não serve” para uma… Read more »

Nonato
Visitante
Nonato

Gosto muito da estratégia da Embraer. Não está preocupada em ser a maior ou a melhor mas em entrar em certos nichos e abocanhar uma fatia. Tipo ah área tal tem demanda de mil aviões. Se vender 100 tá bom. Uma estratégia parecida com a da hypermarcas até um tempo atrás. Tipo Bombril é a marca líder em palha de aço. A assolan estava lá embaixo. Compravam a marca, metiam propaganda, investiam em distribuição etc. De repente a marca subia de 5% para 20% do setor. Ótimo. Sem preocupação de ultrapassar a marca líder. Fizeram a mesma coisa com a… Read more »

Maria do Carmo Lacoste
Visitante
Maria do Carmo Lacoste

Eu acho que quem quiser saber informações sobre a concorrência deve procurar o site é da concorrência, acho que bateu na porta errada. Entra no site da concorrência e faça você mesmo a comparação.

ederjoner
Visitante

Senhores, eu acompanho o PA a anos, mas de um tempo para cá, percebi que algumas situações se tornaram corriqueiras, um certo tipo de ataque a opiniões dos participantes, isso tira o interesse em ler os comentários, sendo que no passado, os comentários eram uma parte muito importante do post.
Vamos aproveitar o conhecimento de muitos que escrevem aqui, e agregar, sem ficar escrevendo sobre paixões por x ou y.
Desculpem, mas é que tem horas…

Space Jockey
Visitante

Oganza, me referi ao Mauricio : “Eu não me referi a concorrência somente no segmento “Light Jet” do mercado, mas aos demais segmentos inclusive”

Alex
Visitante

Só um breve participação aqui, quanto custa um avião desse a configuração mas barata?Um voo entre SP e RJ o custo aproximado?

Mauricio R.
Visitante

“…acho que bateu na porta errada. Entra no site da concorrência e faça você mesmo a comparação.”
.
Quem bateu em porta errada foi vc, a GAMA ao menos é isenta.

Mauricio R.
Visitante

Space Jockey,
.
Ao disponibilizar este press release a Embraer pretendo tão somente sua auto promoção, ao reclamar que o relatório da entidade representativa deste setor fosse exibido na integra, ao contrário do que somente interessa a esta “airframer”, temos a totalidade do mercado exposto p/ análise e comparação.

Space Jockey
Visitante

Vale lembrar que a EMB entrou na aviaçao executiva ontem… cade o Learjet 85 ? e a Dassault ?

Mauricio R.
Visitante

Esse “ontem” já tem 10 anos ou mais, o Lear 85 rodou, rodou, rodou e acabou cancelado, o problema da Dassault decorre de atrasos no desenvolvimento da turbina “Silvercrest” pela Snecma. Esta nova turbina deverá equipar o Falcon 5X.

Mauricio R.
Visitante

OFF TOPIC…
.
…mas nem tanto!!!
.
Honda Jet finalista do Troféu Collier 2015:
.
“The light twinjet, which entered service late last year, is the only business aircraft in the nine-strong shortlist for the annual contest. It is awarded by the NAA “for the greatest achievement in aeronautics or astronautics in America”.”
.
“…business aircraft programmes have triumphed on only four occasions, starting in 1996 with the Cessna Citation X design team.”
.
“Gulfstream clinched the award in 2004 and 2015, for its G550 and G650 business jets, respectively, while Eclipse Aviation was recognised in 2005, for the EA500 very light jet.”
.
(https://www.flightglobal.com/news/articles/hondajet-shortlisted-for-2015-collier-trophy-421705/)

Carlos Alberto Soares
Visitante
Carlos Alberto Soares

Lindashttps://www.youtube.com/watch?v=e2yXmwDlcGE fotos.

Frederick
Visitante
Frederick

Estou para ver qualquer empresa, de qualquer lugar do mundo, emitir uma opinião ponderada sobre os produtos que vende.

“Vejam, o que oferecemos é muito bom, mas tem esse porém que todos precisam saber em nome da honestidade e coerência. Segue…”

Pffff

Carlos Alberto Soares
Visitante
Carlos Alberto Soares

Na aviação executiva há varias classes.
Nas duas rodas idem. Não se compara uma moto de 550 cc com uma de 1100 cc
Nas quatro rodas idem, não de compara um seda médio com uma SUV e por ai vai.
O Phenom 300 em sua categoria é simplesmente imbatível sobre todos os aspectos.
Gostem ou não.
Lindas Fotos.
https://www.youtube.com/watch?v=71AALwjyPL4

Carlos Alberto Soares
Visitante
Carlos Alberto Soares

Mais, como postado acima a “família” vai crescendo nas categorias, próximo domínio será nos Legacy
https://www.youtube.com/watch?v=sTH42Z_iimg&ebc=ANyPxKo1YxZg6jRrYc1xUEg9LJJ65WM5sRKUPiEh_cyIEYESgbqTlo5aQmuTx5BPmqXgHfGN6LGVxuUsAiXVQ3SX4QvBCy9qbw

Carlos Alberto Soares
Visitante
Carlos Alberto Soares
Carlos Alberto Soares
Visitante
Carlos Alberto Soares
Carlos Alberto Soares
Visitante
Carlos Alberto Soares
Nonato
Visitante
Nonato

A Bombardier e a gulfstream (cesnna) entregaram mais de 200 aviões. A Embraer entregou 120 dos quais 70 se não me engano phenom 300.
Tá bom. Vai comendo pelas beiradas. Tente melhorar os outros aviões.
Cabe a ela saber o que o consumidor quer. Preço, tamanho, autonomia etc.

Carlos Alberto Soares
Visitante
Carlos Alberto Soares
Carlos Alberto Soares
Visitante
Carlos Alberto Soares
Fabiano
Visitante
Fabiano

Carlos Alberto Soares 23 de fevereiro de 2016 at 20:04 , concordo 100%

Nonato
Visitante
Nonato

Fabiano. Talvez tenha sido editado. Não consegui ver nada…

Alfredo Araujo
Visitante
Alfredo Araujo

Off topic:
Operação dos J11 no porta aviões Liao Ning..

https://www.youtube.com/watch?v=c3WRirPzY7U

Bardini
Visitante

Gostem ou não da Embraer, ela faz a sua parte e não fica parada no tempo.
.
http://lva.ufsc.br/projeto/conforto-de-cabine/

Jeff
Visitante
Jeff

Vídeo do J11: Os chinas fazendo muito bem o dever de casa, podem falar o que quiser mas é verdade.
Embraer, pelo simples fato de ter essa quantidade de encomendas no mundo todo já nem precisa falar mais nada. Se o produto é bom vai vender bem, simples assim.

Carlos Alberto Soares
Visitante
Carlos Alberto Soares

Bardini, muito bom link.

Mauricio R.
Visitante

“Se o produto é bom vai vender bem, simples assim.”
.
Bombardier que o diga, Gulfstream que o diga, Dassault que o diga, Cessna que o diga, Eclipse que o diga e em breve será a Honda a dizer.

Maria do Carmo Lacoste
Visitante
Maria do Carmo Lacoste

Mauricio R. 24 de fevereiro de 2016 at 11:13

Chora, mano. hihihihihi.
_
NOTA DOS EDITORES: DISCUTAM O TEMA SEM ATAQUES PESSOAIS E BRIGAS INÚTEIS OU COMEÇAREMOS A APAGAR COMENTÁRIOS AQUI TAMBÉM.

André Bueno
Visitante
André Bueno

O produto ser bom não é suficiente para vendê-lo bem. Ao menos duas outras variáveis devem ser consideradas: financiamento e questões geopolíticas.
Imaginem se houvesse um concorrente americano ou europeu aos E-Jets. Alguém acredita que a Embraer venderia bem seus produtos?
O fato do produto ser bom é necessário mas não garante sua vida e/ou sobrevida.
Uma questão atual, ainda que pese o fato de não estar qualificado, é o do KC-390. Venderá como água? Provavelmente não. Será um bom produto, provavelmente sim. Qual o motivo: a concorrência do C-130J e questões geopolíticas, como os EUA amaciando países compradores.
Complicado assim.

Mauricio R.
Visitante

“Imaginem se houvesse um concorrente americano ou europeu aos E-Jets.”
.
Houveram concorrentes americanos e europeus e não foi a geopolítica, ou esse clima de nós contra eles, mas a economia, que os tirou do mercado.
Assim como a Embraer abdicou de continuar a fabricar turbo hélices, e disputar “market share” c/ ATR, Bombardier, os russos e os chineses.

André Bueno
Visitante
André Bueno

Maurício, você se refere aos Boeing 737-500 e Airbus A-318?

Space Jockey
Visitante

Mauricio, continuando a conversa e mantendo o nível de sempre, eu expando o nicho com a mesma pergunta: cadê o Boeing 717 ?? Cadê o Bombardier C-Series ??

Space Jockey
Visitante

Boas colocaçoes André, porém:
“Imaginem se houvesse um concorrente americano ou europeu aos E-Jets. Alguém acredita que a Embraer venderia bem seus produtos?”

e o B-717 e o A 318 “Baby Bus” ?? No que resultaram ?
.
A pergunta também serve ao Maurício.

Space Jockey
Visitante

maurício: “Houveram concorrentes americanos e europeus e não foi a geopolítica, ou esse clima de nós contra eles, mas a economia, que os tirou do mercado.”
Ops, na verdade acho que nós estamos em concordãncia quanto a aviação comercial, logo desconsiderar a pergunta anteriormente feita.

André Bueno
Visitante
André Bueno

O Boeing 717, nascido ainda na MD, famílias 80 e 90, deveria ser bem aquém no desempenho por conta da idade de seu projeto ainda década de 70. Já o Boeing 737-500 e Airbus A-318 eram jatos encurtados de uma família maior e, portanto, mais pesada. Então, entendo que não eram, digamos assim, concorrentes diretos dos Embraer. A Bombardier concorreu palmo a palmo com os CRJ mas perdeu o timing com a C-Series.

Mauricio R.
Visitante

André Bueno,
.
Não somente aos Boeing 737-500/600, Boeing B-717 um produto (MD-95) herdado da compra da McDonnell Douglas e o próprio Airbus A-318, mas principalmente os Faichild-Dornier 528/728/928.
.
Space Jockey,
.
O B-717 foi vítima do pós 11/09/2001 na aviação regional, após isto passou a perder mercado p/ o E-190 e o CRJ-200.
O A-318 é outro que sofre devido a demasiada proximidade da aviação regional.
O C Series ou CS-100 ainda e pesar de tdo o que deu errado, está no mercado.

André Bueno
Visitante
André Bueno

Mauricio R. 24 de fevereiro de 2016 at 15:39

Não me recordava dos Fairchild-Dornier. Obrigado.