quinta-feira, setembro 23, 2021

Gripen para o Brasil

Apesar de produzir o JF-17, Paquistão negocia a compra de mais caças F-16

Destaques

Alexandre Galante
Jornalista, designer, fotógrafo e piloto virtual - alexgalante@fordefesa.com.br

F-16s to Pakistan

O comandante da Força Aérea do Paquistão Sohail Aman disse na segunda-feira que o país está em negociações com os EUA para adquirir a última versão do avião de combate F-16 e em 2020 irá eliminar gradualmente algumas de suas aeronaves de combate mais velhas, incluindo o Mirage.

“Estamos em conversações com autoridades americanas de defesa para obter alguns dos mais recentes caças F-16, mas o negócio pode levar algum tempo”, disse o comandante a repórteres após a cerimônia de “rollout” do 16º caça JF-17 no Pakistan Aeronautical Complex (PAC) em Kamra, perto de Islamabad.

Aman, no entanto, não especificou o número de aeronaves que o Paquistão está interessado em adquirir dos EUA.

Os novos caças F-16 acrescentariam uma força considerável ao Paquistão que já tem mais de 70 F-16s e dezenas de aviões de ataque franceses e chineses.

Os F-16 do Paquistão foram fornecidos ao longo dos anos desde que os dois países entraram em um acordo em 1980 para equipar o país com a aeronaves no estado-da-arte.

JF-17 Thunder - wikimedia

O JF-17 Thunder é a mais recente avião recebido pela Força Aérea do Paquistão (PAF) e está substituindo o velho Mirage.

Os últimos modelos de jatos JF-17, que são produzidos localmente em cooperação com a China, são aviões leves multi-função capazes de alcançar Mach 2.0 (duas vezes a velocidade do som) com um teto operacional de 55.000 pés.  (16.775 m)

O comandante também disse que até o ano de 2020, a PAF vai dizer “adeus a alguns dos seus aviões de combate mais velhos, incluindo o Mirage”.

Expressando a sua satisfação sobre a produção e nível de qualidade de nível do JF-17 Thunder, ele disse que está a par com o F-16 em termos de desempenho e operações. De acordo com uma reportagem do New York Times em outubro, o Congresso dos EUA foi notificado sobre a proposta de venda de oito ças F-16s ao Paquistão poucos dias antes da reunião no Salão Oval entre o presidente dos EUA, Barack Obama e o primeiro-ministro paquistanês Nawaz Sharif.

No entanto, não houve menção do acordo durante a visita. O jornal disse que muitos no Congresso temem que os jatos F-16 seriam mais úteis para o Paquistão em seu longo confronto com a Índia do que para o contraterrorismo.

FONTE: www.hindustantimes.com

- Advertisement -

49 Comments

Subscribe
Notify of
guest
49 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Delmo Almeida

Alguém sabe me dizer o tipo de Mirage que o paquistão possui?

Obrigado e feliz ano novo.

Mauro Oliveira

@Delmo Almeida: Mirages III modernizados.

Delmo Almeida

Valeu Mauro!!! Suspeitei que fosse esse ou o F1…

William

Conclusão: Meu avião é “tão bão” que vou comprar mais um lote de F-16 última versão somente para comparar o tão quão é bom! KKKKKKKK Pelo amor de Deus conta outra!
Prefiro um lote de “16” seja qualquer configuração em relação custo x beneficio / pratica x teoria. F-16 cumpriu todas as missões destinadas (dado a cada época e versão) e esse tal JF-17 é de solda ou rebite, é Fanta ou Coca?

Alfa BR

A PAF opera Mirage 5 e Mirage III Delmo Almeida.

Lyw

Interessante, o Paquistão alardeia tanto da “quase igualdade” do JF-17 em relação ao F-16, e ainda quer comprar F-16!

BrancoF-16

Esse F-16 entra guerra sai guerra e lá está ele acabando com as vendas da concorrência. Ainda acho que a LM deveria seguir com a evolução do F-16 junto com o F-35 a final não sera todo os país que ira conseguir ter caças de 5º nos próximos 40 anos, espero que eles não cometam o erro que os franceses fizeram ao acabar com o Mirage e prosseguir com somente com o Rafale. O F-16 com algumas alterações já poderia ficar no mercado por mais 20 anos fácil. Conforme sabemos, o F-16 foi utilizado em estudos de varias tecnologias novas,… Read more »

rogério rufini

acredito que seja mais para repor perdas do que aumentar o número de aeronaves, ate mesmo, por que eles logo terão versão do J-10B

Nonato

Branco. Você é suspeito para se pronunciar sobre o assunto… Seu nick… Mas concordo com você. Sou leigo. Não sei o que diferencia o f16 dos demais caças. Mas parece ser veloz, ter excelente desempenho aerodinâmico , baixo consumo e custo de manutenção. Um verdadeiro f5 moderno. Voa, faz tudo, não deixa a desejar. Atende a pobres e ricos. FÃs exigentes ou nem tanto. Serve os EUA e Israel. Turquia e Grécia. Irá, Venezuela e Paquistão. O Paquistão quer mais por um dos motivos. Ambos muito prováveis. Esse jf 17 é um bom quebra galho e serve para fazer volume… Read more »

Mad Max

Burrada o Brasil não ter selecionado os vipers.

Mad Max

Os Gripens tem vantagens inegáveis em relação aos Vipers um RCS bem inferior, melhor avionica (IRST, AESA), maior manobrabilidade. Embora tenha menor capacidade de carga e um preço inicial mais baixo.
Mas penso que investir tanto num avião que será em breve superado foi burrada. Melhor seriam vipers de prateleira e gastar no F35.

Mad Max

* preço inicial mais alto.

Tadeumar

Foi projetado e produzido pela extinta General Dynamics, la por volta do ano 1976.

Ainda bota muito jato inimigo para correr. Durante o ataque a usina nuclear de Osirak, no Iraque, em 1981, os F-16 cumpriram a missao de bombardeio com precisao cirurgica, enquanto os F-15 davam a cobertura.

Bosco

Mad,
Há versões do F-16 com AESA e IRST. A rigor não tem nada que um Gripen NG tem que um F-16 não tenha, salvo o alegado supercruise “pelado” ou no máximo com um “cuecão”

Duanny D.

Bosco, nos foi oferecida essa versão no FX-2?
Conseguiram diminuir o RCS dos vipers nessa versão?

BrancoF-16

Nonato
De fato, posso ser considerado suspeito kkkk
Mais seria um opção viavel de mercado, mais infelizmente não trabalho para LM kkkkkk

Duanny D.
Salvo engano da minha parte, ofereceram ao Brasil algo similar ao que foi proposto ao Emirados árabes com o F-16 block 60.

Zmun

Os chineses agradeceriam muito se pudessem por as mãos num radar AESA americano. Certamente isso contribuiria muito no desenvolvimento do seu J-20 que, segundo especulações, já possui sensores EO 360 graus ao estilo F-35. Sem comparação de capacidades, claro.
https://www.sinodefenceforum.com/j-20-5th-gen-fighter-thread-iv-closed-to-posting.t6233/page-437

Marcos

Foi a LM que não quis participar do processo do F-X.

Tamandaré

Mad Max, Esqueça essa tal de “5ª geração”. Isto não é pro nosso bico! Temos uma população que não está nem aí para a defesa nacional, que mal sabe a diferença entre um F-5 e um A-1, e uma classe política ainda pior. Nós brigamos é por meios dentro da chamada 4ª geração. E neste âmbito, o Gripen é a melhor escolha. Pode não ser muito melhor que o F-16, ou talvez até um pouco pior, mas será NOSSO!!! Poderemos construí-los à vontade (dependendo apenas de dinheiro, sem correr riscos de embargos políticos à venda) e teremos códigos-fonte para integrar… Read more »

Tamandaré

CORREÇÃO: ASM anti-radiação

Jagderband44

Tem gente que vive no mundo da mandioca.

Jagderband44

Ou esqueceu quem fabrica o motor e o radar do gripen….

Bosco

Duanny, Não sei se o F-16 oferecido no FX-2 tinha AESA. Quanto à redução do RCS do F-16, creio que não foi cogitada, mesmo porque ele naturalmente tem um RCS reduzido, sendo pouco maior que 1 m² numa configuração limpa. Os caças Gripen NG, Rafale e Super Hornet têm RCS menor que 1 numa configuração limpa mas o do F-16 é bem razoável para um caça da década de 70. Entre os métodos para reduzir o RCS o F-16 foi pioneiro no uso de uma cobertura de ouro no canopi para dispersar o feixe de radar de modo a não… Read more »

camargoer

Olá a todos. Sobre o F16 na FAB, a LM ofereceu o F16C-block52 no FX, lá na primeira concorrência aberta em 2000 na qual participavam o Gripen C, o MIrage 2000 e o Su-35, se não me engano. A concorrência tinha um teto de 700 milhões de dólares. Essa concorrência foi cancelada e no FX2 foram oferecidos o F18 da Boeing, o Typhonn, o Rafale e o Gripen NG já definindo que seriam 36 aeronaves. Não sei a razão, mas pode ter havido um arranjo do governo americano para tentar emplacar os F18 e manter a linha de produção aberta… Read more »

Mauricio R.

“…recomendo o artigo sobre o AMX e o impacto que ele teve na industria brasileira.”

Eu pessoalmente recomendaria após a leitura da excelente matéria, a leitura deste post do colega Aéreo:

Aéreo 28 de dezembro de 2015 at 13:03

“O AMX é um esforço industrial. A Itália queria produzir algo que ela pudesse liderar, já que sua indústria era coadjuvante nos esforços de cooperação europeus. O Brasil queria produzir um avião de combate com alguma engenharia local.”

E a partir daí, tirem suas conclusões.

_RR_

BrancoF-16 ( 29 de dezembro de 2015 at 22:37 ): – É inegável que o Viper é uma aeronave a frente do seu tempo, assim como é bem verdade que um caça como o F-16 pode ser considerado bom o bastante para os dias de hoje na esmagadora maioria dos casos, mas… – Ocorre que o F-16, assim como seus contemporâneos, já está muito próximo do seu limite evolutivo. Boa parte do que citou em sua proposta basicamente já foi feito; e com resultados impressionantes, diga-se de passagem ( aplicação de material RAM e sistemas eletrônicos da geração 4.5 ).… Read more »

_RR_

Bosco ( 30 de dezembro de 2015 at 11:00 ),

Até onde já li, a proposta da LM para o FX-2 contemplava uma variante do F-16 similar a block 60, com um radar AESA e tudo o mais.

Ivan Recife

O comandante da Força Aérea do Paquistão Sohail Aman disse na segunda-feira que o país está em negociações com os EUA para adquirir a última versão do avião de combate F-16… . Qual é a última versão do F-16? > F-16C/D Block 50/52 Plus Fighting Falcon; > F-16E/F Block 60 Desert Falcon; ou > F-16V Viper? . Talvez uma versão do F-16 IN Super Viper… 🙂 . Seja lá qual for, provavelmente terá radar AESA AN/APG-80 (ou similar), avionicos de última geração, assim como turbofans GE ou P&W com empuxo seco acima de 17.000 libras e com pós combustão acima… Read more »

Lyw

Duanny D, os F-16 oferecidos ao Brasil no FX-2 tinham radar AESA. Segundo a Lockheed era o melhor F-16 que tinham, nomeado de F-16BR, portanto algo muito parecido com o F-16 IN.

http://www.aereo.jor.br/2008/08/27/lockheed-oferece-f-16br-no-lugar-do-f-35/

Os oferecidos no FX que eram os F-16C (iguais os do Chile).

BrancoF-16

Acredito que as mudanças que citei não teriam grande impacto no projeto, por já estarem prontas e testadas a um bom tempo, não comprometendo dessa forma os custos de aquisição de um F-16 mais moderno, para compor a força aérea de diversos países, inclusive quem compra-se um F-35 poderia ter alguns F-16 pra carregar o piano quando não fosse necessário algo tão sofisticado, mais ainda assim com um bom custo beneficio. Nesse link por exemplo mostra o controle dos gases do escape do motor do F-16, similar ao do F-22 porém mais simples claro. https://www.youtube.com/watch?v=dj8OJs6E3JM Por fim, como mencionei não… Read more »

João Bosco

O Paquistão quer comprar mais F-16 sendo que fabricam uma versão similar chamada JF-17 com cooperação chinesa? Sei não, mas como dizia o velho ditado: ” tem caroço nessa angú….”

Fernando

Não podemos considerar que eles querem padronizar nesses dois vetores? pode ser que um seja melhor em determinado tipo de missão que o outro, o JF-17 é um passo necessário para aprimoramento da industria interna e preparação para projetos futuros, creio que eles estão aprendendo bastante com esse caça, o F-16 é um meio extensivamente provado em combate e que deve ser muito querido entre os pilotos paquistaneses. Mas vamos concordar que é melhor do que a Índia que fica naquela salada de aviões, a logística agradece!

Ivan

Branco F16 e _RR_, . Defendo há muitos anos dois conceitos que são, em parte, complementares: – High and Low Mix (HiLoMix); e – Light Combat Aircraft (LCA) ou simplesmente caça ‘leve’. . O HiLoMix tem se imposto pelo custo de manter uma única super-hiper-modernosa-completíssima plataforma para todas as missões. Simplesmente não funciona em uma força aérea de maior porte, que tenha de enfrentar missões de vários espectros. . Os franceses, talvez os maiores defensores do ‘multirole’, que eles chamam de ‘omnirole’ e eu chamo de ‘multitudo’, são obrigados a usar lado a lado os novíssimos (e caríssimos) Rafale com… Read more »

Ivan

Curiosamente o Paquistão busca um High and Low Mix.
.
High seria o F-16; e
Low seria o JF-17.
.
Sds.,
Ivan.

Tamandaré

Ivan,

Diga-se de passagem, esse High and Low Mix não está nada ruim não é?? Tá mais enxuto que os indianos, que possuem trocentos aviões diferentes, mas que vivem no chão. As taxas de disponibilidade por lá estão entre 50 e 65%.

Abraço

carlos alberto soares

O dia que os USA vender um F 16 Full para o Paquistão “de boa” mudo meu nome para Maria das Dores. Caso façam, mas eu duvido, vão manter uma super equipe no cangote dos pashtuns,
cada coisa …..

Tamandaré

Sr. carlos alberto,

Desculpe minha ignorância, mas pq o sr. diz isto? Os F-16 exportados não são Full de capacidade(desempenho)?

Bom dia

Thiago Barros Soares

Quinta geração para mim faz sentido pra países que precisam projetar poder e ter capacidade de invasão à qualquer outro país. Estados Unidos, Rússia e China são os únicos que querem algo assim. Os demais não precisam de ‘invisibilidade’… O futuro será dos UCAV’s e aviões de quarta geração, do F-16 ao Gripen.

_RR_

Ivan ( 30 de dezembro de 2015 at 18:44 ); – Ivan, – Concordo, em linhas gerais, com seu comentário. Mas acrescento: – Entendo que o conceito “hi-lo” visa uma divisão mais racional de recursos com aeronaves que são complementares, mas dentro de uma gama específica de missões ( ex: F-15 e F-16, Mig-29 e Su-27 ). E isso somente vai até o custo/benefício, somado aos fatores determinados pelo cenário em particular, que determina na especificidade de cada tarefa ( que pode requerer um vetor específico ). – Penso que uma força do ar que não prevê sair de seu… Read more »

_RR_

carlos alberto soares (31 de dezembro de 2015 at 4:29 );

Seguro foi-se de gagá… 🙂

Muita gente critica a maneira como os EUA operam suas limitações a exportação de equipamentos. Mas penso que limitar o que se vende é também uma forma de ser responsável. Afinal de contas, o amigo de hoje pode ser o adversário de amanhã. O exemplo iraniano está aí…

Duanny D.

Por quê os Amis demoraram tanto para integrar o IRST nas suas aeronaves.
Me parece que num cenário de baixo RCS que vai evoluir o combate aéreo o IRST será fundamental.

Duanny D.

Veja como é baixo o RCS do gripen em relação ao f16c Abaixo, algumas projeções de RCS de aviões de combate e mísseis: B-52: 100 m2 F-4, A-10: 25 m2 B-1B: 1 m2 Tornado: 8 m2 MiG-21: 3 m2 MiG-29: 5 m2 F-16C/18C: com RCS reduzida, 1,2 m2 F-18E, Rafale 0,75 m2 Gripen: 0,1m2 Eurofighter 0,25-0,75 m2 Exocet, Harpoon 0,1 m2 JSF (‘RCS do tamanho de uma bola de golfe’) 0,005 m2 F-117, B-2, F-22: 0,01 a 0,001 m2 F-22: os requisitos de RCS eram de 1/1000 do F-15, o que foi provavelmente atingido. Se a RCS do F-15 for… Read more »

Ceip

Caros Leitores, Sou leigo em assuntos aéreos civis e militares, mas tenho uma duvida e gostaria que os leitores deste site responderem a essa duvida. Já saiu o vencedor do FX-2 que é o caça Gripen para a superioridade aérea, mas os caças F-5 daqui a curto prazo vão ser retirados de serviços e sucessivamente os caças A-1 AMX. A minha duvida é que esse caça JF-17 sino-paquistanês seria uma boa escolha para substituir os caças F-5 e o A-1? Sendo que pesquisei é um caça barato(Muito barato que caças da sua geração do ocidente e oriente) para produzir e… Read more »

Duanny D.

Os AMX não são caças, são aeronaves dedicadas ao apóio aéreo aproximado e ainda estão passando por modernização para estender a vida útil e sua capacidade por 20 anos. Parece que serão 30 aeronaves.
O F5 inicialmente vai ser substituídos por outros F5 que estão passando por modernizações num total de 7. A ideia da força é substitui-los por gripens após essa primeira levabe trabalhar com um só vetor para reduzir custos de manutenção.
Não vejo porque trazer o JF-17.

BrancoF-16

Ceip
Olha, não vale a pena não o brasil através da EMBRAER fazer essa parceria do caça JF-17 sino-paquistanês para compor parte da ala aérea da FAB.
Seria mais barato e eficiente pedir o F-16 para o tio sam, custo numero de unidades no mercado mundial e assistência sem igual.
Até por que se não me engano o JF-17 também tem peças ou sistemas feitos por outros países o que torna uma bagunça logística.

BrancoF-16

Duanny D. O gráfico sobre o RCS é valido e ajuda em uma melhor compreensão na comparação do RCS do F-16 e do Gripen, porem tem que se tomar algum cuidado com as informações, Pois o RCS do F-16 block 60 e do F-16 Viper são um pouco menores do que do F-16C block 40 que salvo engano foi o que vi na internet alguns anos atras que combina com a descrição dessa tabela do link que você compartilhou aqui do Aéreo mesmo. Adiante me chamou atenção dos números do Gripen penso haver algum engano. Recortado do link acima do… Read more »

Duanny D.

Esse RCS deve ser o do NG peladão.

carvalho2008

O JF-17 nao tem um desempenho de combate ar-ar muito diferente dos Milke. Ele possui FBw, mas lembro que dentro dos pacotes de exportação constavam até os mesmos radares Grifo. Então, não tem como ele constar na mesma categoria dos f-16 de forma alguma. Tanto que se fosse para se aventurar assim para este mesmo nivel de eletronica e desempenho, prefiro o JL-9 o qual pela metade do preço, ficaria mais bem ajustado ao seu nicho de atuação. Os proximos Block III é que podem evoluir mais, mas por enquanto, é isto ai…comprar JF-17 pode fazer sentido, mas gosto desta… Read more »

carlos alberto soares

Tamandaré 31 de dezembro de 2015 at 10:18
Estou me referindo ao Paquistão que faz parte do tema.

Últimas Notícias

IMAGENS: T-27M Tucano da FAB com nova pintura

A Força Aérea Brasileira divulgou imagens do T-27M Tucano modernizado com sua nova pintura. A escolha da identidade visual contou...
- Advertisement -
- Advertisement -