Home Força Aérea Brasileira Depois do ‘Corsário 02’ agora é a vez do ‘FAB 01’?

Depois do ‘Corsário 02’ agora é a vez do ‘FAB 01’?

1042
19

sucatao

ClippingNEWS-PA  O antigo boeing presidencial 707 (KC-137) da Força Aérea Brasileira (FAB), mais conhecido como “Sucatão”, está sendo leiloado. A aeronave de 1958 foi usada pelos presidentes Fernando Henrique Cardoso (PSDB) e Luiz Inácio Lula da Silva (PT) até ser substituída, em 2005, pelo Airbus A-319, o ”Aerolula”, de U$$ 56,7 milhões.

O lance inicial para arrematar o “Sucatão” é de R$ 312.200 mil, com o incremento mínimo de R$ 1 mil. Após um agendamento por e-mail, os interessados podem visitar a relíquia nos dias 24, 25 e 26 deste mês, das 9h às 11h e das 13h às 15h30 no Parque de Material Aeronáutico do Galeão, na Ilha do Governador, no Rio.

Mas há uma ressalva: o ‘Sucatão’ não voa mais. Quando foi trocado pelo “Aerolula“, o boeing passou a servir a equipe auxiliar da presidência. Foi aposentado, porém, em setembro de 2013 e, de acordo com a FAB, não tem condições de voar no momento. Pela ‘falta de utilidade’, a Força Aérea resolveu realizar o leilão. A FAB conta que o “Sucatão” deixou de ser usado devido aos altos custos de manutenção, inclusive o consumo excessivo de combustível e o barulho acima dos níveis permitidos por muitos aeroportos.Em 2006, o avião foi motivo de polêmica entre os presidenciáveis da época Geraldo Alckmin (PSDB) e Lula. Durante debate, Alckmin sugeriu que o petista vendesse o “Aerolula” para comprar hospitais. Em resposta, o ex-presidente disse que o ‘sucatão’ era uma vergonha:

— Só um maluco acha que pode viajar de avião de carreira. O avião que nós tínhamos tinha o apelido de sucatão. Era uma vergonha. Somente quem não tem uma dimensão da política internacional que pode falar isso. A gente era multado em todos os aeroportos do mundo que a gente chegava. O sucatão ficava sobrevoando esperando alguém dar autorização para a gente pousar – protestou na época.

A aeronave, no entanto, já teve seus dias de glória. Adaptada para o governo, possibilitou viagens ao exterior em compromissos oficiais da presidência e de ministros de Estado. Quando foi substituída, ajudou no reabastecimento em voo de caças por ter grande capacidade de carregar combustível (90.000 litros) à maior distância e maior altitude, com possibilidade de transferência de 1.700 litros por minuto.

FONTE: Olhar Direto

NOTA DO EDITOR: conforme comentário do leitor Raphael de Paula o FAB 2401 (cn 19840, ex.VARIG PP-VJY) já foi desmontado no páteo da Base Aérea do Galeão. A notícia em questão deve ter confundido com o leilão do FAB 2402.

19
Deixe um comentário

avatar
19 Comment threads
0 Thread replies
0 Followers
 
Most reacted comment
Hottest comment thread
18 Comment authors
Guilherme PoggioTamandaréSergio PradoFlankerMauricio R. Recent comment authors
  Subscribe  
newest oldest most voted
Notify of
GAmaral
Visitante
GAmaral

Vale lembrar que antes do “Aerolula” o FHC alugava aviões da TAM para suas viagens oficiais. E não costumava usar o FAB 01.

André Lourenço
Visitante
André Lourenço

Poderia converter o a 319 como avião de reabastecimento, economizando recursos.

André Lourenço
Visitante
André Lourenço

Interessante, investem em aviões de alerta aéreo, temos C295 em bom numero, mas nenhum avião para reabastecimento que é tão importante em uma missão.

SERGIO RICARDO
Visitante
SERGIO RICARDO

Apesar de sua defasagem tecnológica, o KC-137 é uma senhora aeronave, que até onde sei cumpria sua missão, apesar de não estar atualizada.

Acho que se tivéssemos uma política de Estado e não de partidos oportunistas no poder, já teriamos os “novos” KC por aí.

Marcelo Tadeu
Visitante
Marcelo Tadeu

Jamais gostei destes apelidos para ambas aeronaves. Coisa da imprensa leiga que mais desinforma do que esclarece. Uma pena nenhum destes KC-137 no MUSAL , tomara que guardem alguma peça ou motor. Eu servia na Base Aérea do Galeão em 1986 quando a FAB comprou as 4 aeronaves da Varig. Cheguei a visitar o 2401 que estava configurado para transporte de passageiros.

Aêdo Rocha
Visitante
Aêdo Rocha

Alguém tem ideia da quantidade de ciclos dessa célula? certamente na FAB não se voa tanto quanto em uma linha aéreas, daí minha curiosidade. E a adoção de novos motores CFM não daria a capacidade de operar por mais algum tempo? Haveria viabilidade econômica? e aí?

Wolfgangus Mozart
Visitante
Wolfgangus Mozart

Senhores,

Quando vejo uma Força do quilate da USAF mantendo seus 707 e suas derivações (B52, KC 135, KC137 e E3) voando, dá um desânimo pensar como o país trata a Defesa e sua história.
O velho KC137 era capaz de viabilizar operações internacionais de longo curso, inclusive em outros continentes e com absoluta segurança por ser quadrirreator.
É algo que o Hércules e muito menos o KC390 conseguirão.
Enquanto isso, o KC-X empaca e a FAB TUR a pleno vapor.
Ridículo.

Sds.

Fernando
Visitante
Fernando

Quando aposentam as aeronaves velhas o pessoal reclama e quando não aposenta o pessoal reclama tbm.

O correto seria o dinheiro do leilão ser aplicado aos escassos recursos da FAB. Sobre a proposta de ir para um museu acho pouco provável pois os poucos museus dedicados a aviação no Brasil estão com aeronaves na fila de restauração (coisa que não é barata).

E quanto a falta de reabastecedores creio que os KC-130 cumprem o papel até o substituto chegar.

Morelly
Visitante
Morelly

Concordo absolutamente Fernando, eh ate engraçado, nesse caso a FAB merece elogio ou pelo menos concordância.

Sukhoi33 Júnior
Visitante
Sukhoi33 Júnior

Prezados,

O caso do KC-137 – 2401 é de uma aeronave que chegou ao limite da sua vida útil, e no caos brasileiro a manutenção ou a modernização seria antieconômica, pois é só verificar o preço de um motor CFM ou mesmo um V2500 novo ou mesmo usado no mercado, para além disso o caso da USAF é diferente, pois ainda tem um bom número de aeronaves do modelo (ver infográficos no Poder Aéreo sobre esquadrões da USAF) e nesse sentido é possível ter escala na manutenção, produção ou canibalização de sobressalentes et.

Carlos Crispim
Visitante
Carlos Crispim

Concordo com o Fernando e Morelly, a FAB usa caças da guerra do Vietnam e o pessoal cai de pau, mas no sucatão querem mantê-lo gastando os parcos recursos, não tem sentido operar esse avião, ponto final, para um museu até que serve, eu prefereria até, mas não sei os motivos da FAB para a venda. Por mim podiam vender tudo e tentar adquirir só aviões novos.

Raphael de Paula
Visitante
Raphael de Paula

Esse leilão que está sendo publicado provavelmente deve ser do FAB 2402, o FAB 2401 já foi leiloado e foi desmanchado conforme pode ser visto no link http://www.aeroentusiasta.com.br/posts/424.

Ademar do L. L. Vila Nova
Visitante

Marcelo Tadeu e Fernando tem absoluta razão!
Concordo plenamente com ambos os comentários!

Mauricio R.
Visitante

“Quando vejo uma Força do quilate da USAF mantendo seus 707 e suas derivações (B52, KC 135, KC137 e E3) voando, dá…” Como é sabido, o atual substituto do KC-135 será o KC-46A. Os E-8 JSTARS deverão ser substituídos por uma derivado, baseado em algum jato executivo; como já ocorre na RAF. Antes, uma versão do B-767 designado E-10 MC-2A chegou a ser desenvolvido, como substituto dos E-3, E-8 e RC-135, mas acabou cancelado devido a falta de verbas. “…a FAB usa caças da guerra do Vietnam e o pessoal cai de pau, mas…” A FAB não voa aeronaves “da… Read more »

Flanker
Visitante
Flanker

O Raphael de Paula tem toda razão. O 2401 JÁ FOI DESMANCHADO, assim como o 2403. Como o 2404 ficou lá pelo Haiti mesmo, SÓ RESTA O 2402 sem ser desmanchado e, como já foi noticiado anteriormente, é ele, sem dúvida, que será leiloado. O título da matéria está equivocado.

Sergio Prado
Visitante
Sergio Prado

….este merecia um “cantinho” no Museu Aeroespacial do Campo dos Afonsos….

Tamandaré
Visitante
Tamandaré

E falando em avião presidencial, pousou um aqui em Fortaleza hoje… Um doce pra quem adivinhar quem está nele!! 😉 hehehehehehehehehe

Abraço a todos!