quinta-feira, setembro 23, 2021

Gripen para o Brasil

Maior helicóptero da FAB participa de exercício em Campo Grande

Destaques

Fernando "Nunão" De Martini
Pesquisador de História da Ciência, Técnica e Tecnologia, membro do corpo editorial da revista Forças de Defesa e sites Poder Aéreo, Poder Naval e Forças Terrestres

H-36 Caracal - EC 725 - foto FAB

Alcance e espaço interno tornam o H-36 Caracal a aeronave ideal para as missões de combate SAR

 

Um helicóptero capaz de transportar 28 combatentes armados a 260 km/h e a mais de mil quilômetros de distância. Esse é o H-36 Caracal, o maior helicóptero da Força Aérea Brasileira e estrela do exercício CSAR 2014 (do inglês Combat Search and Rescue), na sigla, que acontece esta semana na Base Aérea de Campo Grande, no Mato Grosso do Sul.

O alcance e o espaço interno tornam a aeronave ideal para as missões de busca e salvamento realizadas em ambiente hostil. Um único H-36 pode levar em seu interior até onze macas e uma equipe de quatro profissionais de saúde.

Para o exercício CSAR, iniciado nesta semana em Campo Grande, o Esquadrão Falcão, de Belém (PA), trouxe um dos seus três H-36. O espaço interno permitiu que os 14 militares da unidade aérea, suas bagagens e o material de apoio viessem a bordo do helicóptero. “Foi a única unidade que não precisou de apoio logístico devido à grande capacidade de transporte de pessoal e carga”, explica o Major Mário Oliveira, do Esquadrão Falcão.

Com duas turbinas Makila 2A1, cada uma com 2.145 shp de potência, a aeronave pode decolar com peso máximo de 11 toneladas, sendo quatro de carga. O guincho lateral, utilizado em resgates, é capaz de elevar até 272 kg. Na cabine, a tripulação de quatro militares encontra seis telas multifunção e sistemas como piloto automático e equipamentos de navegação que combinam GPS e sensores de inércia.

H-36 Caracal - EC 725 - foto 2 FAB

O H-36 possui ainda o chamado “modo hoover”, quando permanece pairado no ar e pode ser controlado por um manche lateral, próximo à janela. Dessa forma, é possível ajustar a posição do helicóptero para que o gancho chegue exatamente aonde está a vítima a ser resgatada.

O Major Mário ressalta que desde a chegada do primeiro H-36, em 2011, o Esquadrão passou a realizar suas missões com mais segurança e eficiência que quando voava o modelo H-1H. “É incomparável. São projetos totalmente distintos”, explica. Uma das vantagens seria permitir voos mais seguros sobre a Amazônia e poder, em um só voo, transportar o mesmo número de pessoas que anteriormente demandariam até três H-1H.

Ao todo, o Brasil receberá 50 unidades do H-36, sendo 18 para a Força Aérea, 16 para o Exército (onde são designados HM-4) e 16 para a Marinha do Brasil (onde são designados UH-15). Cada Força receberá oito unidades das chamadas versões “operacionais”, que incorporarão sistemas de autodefesa e até lançamento de mí­sseis anti-navio.

H-36 Caracal - EC 725 - foto 3 FAB

Treinamento reúne 200 militares na Base Aérea de Campo Grande

 –

Quinze unidades participam do treinamentoMais de 200 militares de 15 unidades da Força Aérea Brasileira (FAB) estão reunidos desde segunda-feira (1/9) na Base Aérea de Campo Grande (BACG) para o Exercício Operacional CSAR 2014. A sigla, do inglês Combat Search and Rescue, refere-se às missões de busca e salvamento realizadas em ambiente hostil.

Os treinamentos envolvem dez aeronaves, entre aviões A-29 Super Tucano, uma Aerononave Remotamente Pilotada RQ-900 e helicópteros AH-2 Sabre, H-60 Black Hawk, H-36 Caracal, H-34 Super Puma e H-1H. Também participam o Segundo Grupo de Defesa Antiaérea (2° GDAAE), o Primeiro Grupo de Comunicações e Controle (1° GCC) e o Esquadrão Aeroterrestre de Salvamento. A coordenação é realizada pela Segunda Força Aérea (FAE II).Exercício reúne mais de 200 militares.

Palestra exercício C-SAR - foto 2 FAB

Voos, aulas e palestras

O Comandante da BACG, Coronel Potiguara Vieira Campos, abriu oficialmente o Exercício Operacional CSAR 2014. Piloto de helicóptero, ele lembrou da evolução do conceito CSAR na FAB desde os anos 90 e a importância de reunir em um só lugar militares de várias unidades. “Há uma necessidade de auto conhecimento e conhecimento dos outros”, afirmou. Para o Coronel Potiguara, mais que horas de voo, um treinamento como este pode ter a sua qualidade mensurada pelo número de lições aprendidas.Coronel Potiguara abre exercício CSAR.

Além das missões aéreas, o exercício inclui aulas e palestras. A primeira, do próprio Coronel Potiguara, mostrou a história das missões CSAR e revelou a complexidade da atividade. “Tudo pode acontecer. É uma missão cerebral”, explicou. Lembrou ainda que, durante missões CSAR, helicópteros e aviões utilizados nos salvamentos podem ser abatidos pelos inimigos.

Entre as curiosidades, a palestra revelou as primeiras tentativas de realizar missões CSAR desde a Primeira Guerra Mundial, as ações durante a Segunda Guerra Mundial, o surgimento de equipes especializadas durante a Guerra da Coreia, a experiência dos Estados Unidos na Guerra do Vietnã e os desafios das tropas no Iraque e no Afeganistão. Abordou, ainda, as diferenças, as semelhanças e a integração entre as atividades das forças especiais e as missões CSAR.

FONTE / FOTOS: FAB

VEJA TAMBÉM:

- Advertisement -

34 Comments

Subscribe
Notify of
guest
34 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Iväny Junior

Transporte, ok. AsuW, ASW e ataque…

Mauricio Silva

Olá.

Nunão, os modelos da MB não vão poder transportar o Exocet? Não seriam essas missões ASW?
SDS.

Augusto

Hoje, 03/09/14, por volta de 8h da manhã, vi dois EC-725 do Exército voando lindamente pela região da Pampulha em BH. Gostei do que vi.

Augusto

Fernando “Nunão” De Martini
3 de setembro de 2014 at 13:31

Nunão, foi bom você ter notado isso porque também foi exatamente o que eu observei quando os dois EC-725 começaram a voar baixo, em círculos (me pareceu que estavam sobre a Base Aérea da Pampulha), fazendo pouco barulho, sobretudo por se tratar de 2 helicópteros.

Augusto

A propósito, parece que a Argentina vai comprar dois EC-225, com opção de mais um. Só espero que venham de Itajubá, e não da França: http://tecnodefesa.com.br/materia.php?materia=1919

juarezmartinez

Que coisa né, o dinheiro é uma coisa fantástica, capaz de transformar Roberta Close na Michele Pfeifer.

Ataca, defende, combate ASW, ASUP, oral, an….l, o leígitimo do travec…..

Bom, vou agredecer, muito obrigado recém tomei cafe da tarde, muito obrigado…

Grande abraço

PS Augusto, eles virão da França, é mais barato, lá custam US$ 16.000.000,00 aqui US$ 45.000.000,00, os Argentinos não sou trouchas….

joseboscojr

1000 km tá meio exagerado!

Vader

A Kombi também era espetacular, cabia uma porrada de gente e transportava até um elefante…

Só não custava o preço de um F-16…

L I X O !!!

Carlos

Vai ter a versão HeliFood ?

Na era do TruckFood, tudo é possível né ….. rs

Carlos

Nunão

mora em Santana ?

Minhas raízes são todas ai.

Alfredo Pujol, Voluntários da Pátria, a Braz Leme era um varjão, lagoas, arvores frutíferas, cobras e lagartos etc ….

Vivi uma boa parte em frente ao CPOR, creio que você nunca pegou o bonde ali foi até a Av. Ipiranda de bonde né ? (rs).

Carlos

“Vader
3 de setembro de 2014 at 18:53 #

Só não custava o preço de um F-16…”

É caro Vader,
muita gente rindo a toa de felicidade, mas nós é que pagamos a conta ….

Carlos

Barulho x Silêncio “(…ambos fazem muito menos barulho do que diversos helicópteros civis menores que passam aqui perto da minha janela.)”

Prefiro o barulho do UH-1, (Huey, sapão…..), irretocável.

Colombelli

Carlos, o sapão fazia mais barulho pra quem estava fora do que dentro. E quando sobe parece que cada giro das pás ele dá um solavanco como se fosse sendo erguido a pequenos golpes de uma bomba hidráulica. Eleito o melhor de todos os tempos.

E na hora do desembarque a corrida ( lembrando de não correr para a traseira) com as mochilas sendo lançadas ao solo como apoio pro fuzil: puro Vietnã. Pra quem fez, inesquecível.

Mauricio R.

De que adianta pesquisar e gastar os tufos em aerofólio, materiais, processos construtivos, ensaios e mais ensaios a perder de vista, se de repente, não mais que de repente algum eixo melado de óleo lá na MGB, trinca e pôe tdo isso a perder…

juarezmartinez

Bem lembrado Mauricio e até agora necas de pitibiribas de solução…..
Mas como muita gente ficou rica com este contrato segue o baile, muito “reclame na mídia”, operações restritas, aeronave incompleta e um festival de marketing da Lixocopter….
Mas um dia eles vão pagar, nem que seja lá em cima na hora de acertar as contas com o todo poderoso….

Grande abraço

Rinaldo Nery

Juarez, mas já não saiu uma matéria aqui com a solução? Não serão todos retrofitados?
Li o mesmo assunto numa matéria só sobre esse tema na Revista Força Aérea.
Parece que o JAA aprovou a solução. Os helicópteros estão voando nas plataformas do Mar do Norte.

Iväny Junior

Nunão, eu vi por aí, se não me engano no próprio naval e forte, que sairão versões capazes de transportar e disparar torpedos orientados por sonar em outros heli’s (via datalink) e que teria também uma versão capaz de lançar mísseis ar-solo.
Isso foi no início do projeto de nacionalização do super cougar…

juarezmartinez

Rinaldo Nery 4 de setembro de 2014 at 12:39 # Juarez, mas já não saiu uma matéria aqui com a solução? Não serão todos retrofitados? Li o mesmo assunto numa matéria só sobre esse tema na Revista Força Aérea. Parece que o JAA aprovou a solução. Os helicópteros estão voando nas plataformas do Mar do Norte. Cel, saiu a informação, inclusive aqui na trilogia também que trocariam a engrenagem de apoio da MGB, muito bem, até o presente momento não houve nenhuma movimentação neste sentido e eu, como gato escaldado quero primeiro ver o pessoal da “Disneycopter” agir e fazer,… Read more »

Carlos

Caro Colombelli

tu sabes que sou fã do Sapão, UH-1, uma sinfonia de quem está apreciando, fico imaginando tua narrativa:

“Eleito o melhor de todos os tempos.

E na hora do desembarque a corrida ( lembrando de não correr para a traseira) com as mochilas sendo lançadas ao solo como apoio pro fuzil: puro Vietnã. Pra quem fez, inesquecível.”

“Pra quem fez, inesquecível.”

P#t@ inveja, se matasse. (rs)

http://www.youtube.com/watch?v=xQce5RiqL8g#t=29

Carlos

Colombelli, isso é um Heli, não essa Kombi du carvalho !

http://www.youtube.com/watch?v=m5XrsFth1Ts

Carlos

Para quem gosta, outra bela máquina:

http://www.youtube.com/watch?v=XUjLBtfpSDQ

Carlos

Alias já perguntei, a Kombi terá versão helifood ?

juarezmartinez

Uma mensagem aos aeronavegantes:

Este negócio não vai terminar bem……..ganhe quem ganhar as eleições…..

Grande abraço.

juarezmartinez

Senhores, como Jesuiixxxxxxxxxxx, aquele homem bom, e o tempo senhor de todas as verdades, masistrês pregos no caixão da Kombi:

http://www.defensenews.com/article/20140909/DEFREG05/309090036/US-Clears-Black-Hawk-Sale-Brazil

Enquanto isto no brógui di difesa:

Capitão Marola, capitão Marola, chame o Cel CM, o major Brisa rápido, fomos traídos pelos” azurzinhos”, eles lumbero as bota duzamericanu dinovo”

Grande abraço

lynx

A primeira linha da matéria é uma pérola do “super-trunfismo”. Se a fonte é a FAB, só tenho a lamentar… Aqui, no mundo real, um EC-225 (mesma motorização, mesmos sistemas de rotores e menor peso) não consegue colocar sua lotação máxima, de 18 pax e 3 tripulantes, para fazer um voo de ida e volta a uma plataforma a 140 MN. 28 soldados e capacidade de fazer translado de 1000 Km? Só enfiado dentro de um C-17!! Quanto à modificação da MGB, ainda não há nenhuma aeronave no Brasil que a tenha recebido. Nem as novas de fábrica, entregues às… Read more »

lynx

Pois é… Infelizmente alguém, que não deve ser aviador, fez um corte e cola das propagandas da Helibras. Deveriam tomar mais cuidado. Se algum oficial do EB ou do CFN tomar isso aí como dado concreto e cobrar em alguma operação, vai ter oficial de ligação da FAB “mastigando mingau”! Kkkkkk

juarezmartinez

Lynx, eles sabem disto, acontece que é ordem que vem de cima, tu sabes de que falamos……o 295 vai pelo mesmo caminho até matar um dúzia de pessoas, aí para.

Grande abraço

Últimas Notícias

IMAGENS: T-27M Tucano da FAB com nova pintura

A Força Aérea Brasileira divulgou imagens do T-27M Tucano modernizado com sua nova pintura. A escolha da identidade visual contou...
- Advertisement -
- Advertisement -