Home Indústria Aeronáutica Papel da Embraer cresce no programa brasileiro do Gripen

Papel da Embraer cresce no programa brasileiro do Gripen

433
18

Gripen E em detalhes - legendas em inglês - ilustração Saab

CEO da Embraer, Frederico Curado, afirmou que papel será maior do que se imaginava há alguns meses

Segundo reportagem publicada pelo site Flightglobal na quinta-feira, 31 de julho, a Embraer confirmou que seu papel no programa de caças do Brasil cresceu desde que a Força Aérea Brasileira (FAB) selecionou a sueca Saab para o contrato avaliado em 4,5 bilhões de dólares, compreendendo 36 caças Gripen NG. O diretor executivo da empresa, Frederico Curado, afirmou que “é justo dizer que estamos vendo um papel maior do que imaginávamos antes do contrato ser selecionado.” A declaração foi dada na quinta-feira, durante apresentação dos ganhos da Embraer no segundo trimestre deste ano.

Gripen_JAS39E

Na longa saga que foi o processo brasileiro F-X2 de seleção de caças, tópicos de especulação frequentes foram as preferências da Embraer e o futuro papel da empresa no programa de compensações industriais. Em 2009, um executivo do alto escalão da Embraer destacou que a indústria brasileira tinha preferência em se alinhar com a sueca Saab, em detrimento das propostas rivais da americana Boeing (F/A-18E/F Super Hornet) e da francesa Dassault (Rafale).

Gripen na linha de produção - foto 3 SaabOficialmente, a Embraer manteve-se neutra ao longo do processo de seleção, embora no âmbito corporativo tenha estabelecido uma parceria estratégica com a Boeing. A ausência da Embraer no processo foi notada em dezembro, no anúncio formal da seleção do Gripen no F-X2 feito pela FAB. Passaram-se alguns meses, e o papel da empresa e de outros fornecedores foi esclarecido.

Segundo Curado, os caças Gripen brasileiros deverão ser montados na fábrica militar da Embraer, que também é um centro de testes de voo, localizada em Gavião Peixoto. O executivo também afirmou que a empresa terá um papel no desenvolvimento da versão de dois lugares do Gripen NG, o que marcaria o primeiro esforço significativo da Embraer no projeto e produção de um novo avião supersônico. “Nós provavelmente teremos uma maior participação nesse desenvolvimento do que pensávamos meses atrás”, disse Curado.

FONTE: Flightglobal (reportagem de Stephen Trimble)

Tradução e edição do Poder Aéreo a partir de original em inglês

FOTOS: Saab

COLABORARAM: Edgar e Penguin

VEJA TAMBÉM:

18
Deixe um comentário

avatar
15 Comment threads
3 Thread replies
0 Followers
 
Most reacted comment
Hottest comment thread
7 Comment authors
tiagobapRinaldo NeryPenguinNickCarlos Alberto Soares Recent comment authors
  Subscribe  
newest oldest most voted
Notify of
Carlos Alberto Soares
Visitante
Carlos Alberto Soares

G NG/BR a partir de 2022 ….

Carlos Alberto Soares
Visitante
Carlos Alberto Soares
Visitante
Carlos Alberto Soares

G NG/BR a partir de 2022 ….

Nick
Visitante
Member
Nick

A Embraer está se fazendo de inocente, é óbvio que como a principal e praticamente única indústria aeronáutica brasileira e no Brasil, e dentro de um programa de industrialização além de ToTs teria um papel importante. Aliás em 2008 ou em 2009 um diretor da Embraer afirmou a importancia desse negócio com a SAAB. Somente nos últimos anos é que ela mudou para a Boeing.

[]’s

Carlos Alberto Soares
Visitante
Carlos Alberto Soares
Penguin
Visitante
Penguin

Muito interessante a apresentação abaixo, com Saito e Crepaldi, meses antes da decisão do FX2 (agosto/2013):

FAB CRE-Comissão de Relações Exteriores e Defesa Nacional 13/08/2013

https://www.youtube.com/watch?v=LsrzuDfdsD4

Rinaldo Nery
Visitante
Member
Rinaldo Nery

Uai! O FX-2 já não tinha sido anunciado nessa data?

Penguin
Visitante
Penguin
Rinaldo Nery
Visitante
Member
Rinaldo Nery

Obrigado!

Rinaldo Nery
Visitante
Member
Rinaldo Nery

Já havia assistido esse vídeo. Interessante é que ele explica didaticamente o processo seletivo do FX-2, sobre a ToT, e ainda tem gente que tenta adivinhar porque a FAB escolheu o GRIPEN.

tiagobap
Visitante