Home Aviação de Caça MD Tcheco revela mais detalhes do leasing do Gripen, recém-renovado

MD Tcheco revela mais detalhes do leasing do Gripen, recém-renovado

297
12

Gripen - foto 2 MD República Tcheca

Na última sexta-feira, 16 de maio, foi renovado oficialmente o “leasing” de caças Saab JAS-39C/D Gripen da República Tcheca, com a assinatura de emenda de contrato realizada na Base Aérea de Caslav, de onde operam os 14 jatos (12 do modelo C, monoposto, e 2 do modelo biposto D), com a presença de autoridades de defesa da Suécia (fabricante do caça) e da República Tcheca

Segundo nota publicada pelo Ministério da Defesa (MD) Tcheco, as negociações sobre a extensão do leasing duraram exatamente dois anos, começando em março de 2012 e terminando em 12 de março deste ano, quando a emenda foi aprovada pelo Governo Tcheco.

Gripen - assinatura extensão contrato de leasing - foto MD República Tcheca

Gripen - assinatura extensão contrato de leasing - foto 3 MD República Tcheca

A nota do MD Tcheco informa que o fator-chave para a extensão do contrato foi a inclusão de três parâmetros positivos. Um foi o maior tempo de aluguel (2015-2027), um preço mais baixo, de 16,4 bilhões de coroas tchecas (cerca de 815 milhões de dólares ou 1,8 bilhão de reais) em parcelas anuais de cerca de 1,3 bilhão de coroas (64 milhões de dólares ou 142 milhões de reais) e, por fim, a contínua modernização dos caças ao longo do contrato (com itens como óculos de visão noturna, datalink no formato Link-16, conexão de voz criptografada e emprego ar-solo com munição guiada e não guiada). Além disso, há treinamento para 25 pilotos e 90 mecânicos por parte da Suécia e outros. Também há a opção para mais dois anos de leasing, chegando a 2029.

Ainda segundo a nota, esta assinatura entra para o rol dos marcos da história do Gripen pela República Tcheca. O primeiro foi a seleção em 2001, após concorrência, da oferta do consórcio BAE Systems / Saab, com 24 caças Gripen por 60,2 bilhões de coroas tchecas, enquanto outros concorrentes se retiraram da disputa. Apesar de aprovado pelo governo, a parte financeira não foi aprovada pelo parlamento, o que levou à uma nova disputa em 2003 envolvendo diversos países (incluindo caças usados da Bélgica, Canadá, Holanda etc). Novamente, a decisão foi pelo Gripen, com a escolha da proposta sueca de leasing de 14 jatos da nova versão C/D.

Gripen - contrato de leasing - foto MD República Tcheca

Gripen - assinatura extensão contrato de leasing - foto 2 MD República Tcheca

Após negociações, em junho de 2004 foi assinado o memorando de entendimentos, incluindo a permissão do uso da aeronave na defesa tcheca em paz e em guerra, de forma que o país cumprisse suas obrigações na OTAN e cobrindo até mesmo o uso da aeronave em exibições aéreas, e o contrato incluiu o leasing, os sistemas de apoio e serviços relacionados, assim como programas de compensações no valor de 130% do contrato. O valor desse contrato foi de 19,65 bilhões de coroas tchecas, incluindo o custo de treinamento adicional de pilotos e mecânicos, de 150 milhões e sua efetividade iniciou com a chegada do primeiro dos 14 caças, em 18 de abril de 2005, e término em setembro de 2015. Os últimos caças MiG-21MF tchecos, substituídos pelos novos Gripen, deram baixa em julho de 2005.

Quatro dias depois, primeiro-ministro tcheco visita base de Caslav e diz que Forças Armadas são prioridade do governo

Gripen - foto 5 MD República Tcheca

Na terça-feira, 20 de maio (quatro dias após ser assinada a extensão do contrato de leasing do Gripen), o primeiro-ministro tcheco Bohuslav Sobotka iniciou pela Base Aérea de Caslav uma visita a diversas unidades militares da República Tcheca. O objetivo foi conhecer pessoalmente o estado real das forças armadas do país e deixar claro que elas são prioridade.

A comitiva, que incluía representantes da Câmara dos Deputados e autoridades da defesa, assistiu a demonstrações de caças Gripen, conhecendo depois os painéis dos caças e também dos jatos L-39ZA e L-159 ALCA e os armamentos empregados pelas aeronaves.

Gripen - foto 4 MD República Tcheca

Gripen - foto 3 MD República Tcheca

Gripen - foto MD República Tcheca

FONTE / FOTOS: Ministério da Defesa da República Tcheca (tradução e edição do Poder Aéreo a partir de originais em tcheco)

VEJA TAMBÉM:

Subscribe
Notify of
guest
12 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Marcelo Pamplona
Marcelo Pamplona
6 anos atrás

Eeerrr…

64 milhões dólares anuais só de aluguel por 14 jatos ou inclusa toda a logística operacional e a “MLU”?

Clésio Luiz
Clésio Luiz
6 anos atrás

OFF TOPIC:

Saiu a atualização de 2013 do Stockholm International Peace Research Institute, é uma organização que monitora o comércio de armas internacional. Eu já tinha postado o link deles aqui antes, mas a novidade agora são as compras em Israel. Foram comprados 2 sistemas para reabastecimento em voo para os 767. Recebemos 140 mísseis Python 4 de um lote de 200. O lote de 200 Derby foi entregue. 15 dos 20 pods Lightning 3 foram entregues. Então o que o Gripen vai usar no começo da sua carreira aqui no brasil está bem claro.

http://armstrade.sipri.org/armstrade/page/trade_register.php

Clésio Luiz
Clésio Luiz
6 anos atrás

E os MAR-1 vão começar a serem entregues ao Paquistão esse ano.

Vader
6 anos atrás

Taí mais um cliente da SAAB satisfeito, apesar de alguns sujeitos por aí insistirem que a empresa não presta, que é safada, etc.

Quem vê o Gripen sendo negociado pode antecipar o sucesso que será o Gripen NG.

Vader
6 anos atrás

Vamo de Derby e Python IV entonces…

Mas o que surpreende positivamente é a quantidade comprada. 200 Derby e 200 Python IV é míssil pra caramba em tempos de paz, no nosso contexto sulamericano.

Pelo menos dá pra reaparelhar condignamente a DO da FAB para alguma emergência.

Lyw
Lyw
6 anos atrás

Clésio,

Importantíssimas informações!

E quanto aos dois sistemas de reabastecimento em vôo, têm haver com o KC-X? Será que o negócio está andando mesmo?

Marcelo Pamplona
Marcelo Pamplona
6 anos atrás

Nunão;

Não sei falar, nem escrever em tcheco. Por isso, não tenho expertise suficiente para emanar juízo de causa a respeito.

Achei estranho e perguntei porque achei o valor baixo, apenas e tão somente isso.

Em nenhum momento me passou pela cabeça que pudesse ter havido algum erro de tradução e/ou desinformação deliberada de vossa parte.

Mera curiosidade de minha parte, já devidamente esclarecida.

Grato pela explanação.

jcsleao
jcsleao
6 anos atrás

Ainda dentro do off-topic trazido pelo Clésio, uma novidade, ao menos para mim, está na menção ao C-1 Trader. É que dos 6 adquiridos dos estoques do deserto, 1 será convertido em COD/Tanker, 3 em AEW e os 2 restantes serirão como supridores de peças. Quer dizer que quando o “C-1M” estiver em manutenção, nada de COD?

Clésio Luiz
Clésio Luiz
6 anos atrás

A última notícia do Trader está aqui:

http://www.naval.com.br/blog/2014/01/08/marinha-assina-acordo-de-cooperacao-para-modernizacao-e-remotorizacao-de-avioes-c-1a-codaar/

Mas o programa está atrasado, era para ter começado anos atrás.

jcsleao
jcsleao
6 anos atrás

Olá Clésio,
Sem querer me extender demais no off topic, realmente o projeto está bem atrasado. A Marsh teve aqueles problemas com o governo americano que a impediram de exportar serviços em função de um envolvimento em negócios com a Venezuela.
Mas, repito, minha surpresa foi saber que dos 4 Traders que serão modernizados 1 será para o padrão COD/IRF e os 3 demais para AEW. Até então eu só tinha ouvido que os AEW seriam convertidos de S-2 Trackers do deserto.