Home Noticiário Internacional Gripen na Suíça: referendo termina com vitória do ‘não’ por 53,4% dos...

Gripen na Suíça: referendo termina com vitória do ‘não’ por 53,4% dos votos

274
39

Gripen F em Axalp - foto 3 Depto de Defesa da Suíça

A população suíça rejeitou, nesse domingo, o sistema de financiamento da compra de novos caças Gripen NG, no qual cerca de 300 milhões de francos suíços seriam separados, do orçamento de defesa, para a aquisição de 22 unidades do caça fabricado pela sueca Saab, que o governo havia selecionado no final de 2011 como a melhor proposta em comparação com as da Dassault francesa (Rafale) e EADS / Airbus (Eufofighter Typhoon).

Mapa da votação suíça final

A vitória do não foi um pouco menos apertada do que algumas projeções mostravam, mas ainda assim, mostra uma clara divisão da população suíça sobre o tema: 53,43% votaram pelo não, e 46,57% pelo sim. Em número de cantões (estados) suíços, a aquisição dos caças venceu por 12 a 11, mas os dois mais populosos (nos quais a apuração levou mais tempo), Zurich e Berne, acabaram confirmando o não – embora neles a margem tenha sido relativamente pequena: 51,38% contra 48,62% no primeiro e 50,9% contra 49,1% no segundo. Clique nas imagens acima e abaixo para acessar os resultados por cantão.

Suíça - Referendo Gripen - resultado final

Agora, a polêmica na suíça deverá se voltar ao orçamento de defesa. Recentemente, o parlamento aprovou um aumento de 4,7 para 5 bilhões de francos suíços anuais para a defesa, sendo que os 300 milhões de diferença seriam utilizados, ao longo de aproximadamente 10 anos, justamente para viabilizar a compra de novos caças. Os partidos opositores à compra de caças provavelmente vão lutar, no parlamento, para que o “não” do referendo seja interpretado como uma negativa a esse aumento para a defesa, disponibilizando os 300 milhões para outras pastas.

VEJA TAMBÉM:

39
Deixe um comentário

avatar
37 Comment threads
2 Thread replies
0 Followers
 
Most reacted comment
Hottest comment thread
21 Comment authors
Nautilusthomas_dwIväny JuniorNickMarcelo Pamplona Recent comment authors
  Subscribe  
newest oldest most voted
Notify of
Vader
Visitante
Member

Boa notícia para o Brasil, a FAB, a Embraer e as empresas brasileiras. Nosso poder de barganha com a Suécia e a SAAB agora aumentou consideravelmente.

Será muito melhor para negociar o contrato e as participações das empresas brasileiras sem a pressão das empresas suíças, em especial a RUAG.

Como eu disse desde que o tal plebiscito foi lançado: azar dos suíços. Mas talvez a Suíça realmente não precise de caças. Ou de forças armadas, pra ser honesto.

Melhor investirem em flores… 🙂

Marcos
Visitante
Member
Marcos

O não foi para que não se adicionasse mais dinheiro, não significando que os caças não sejam comprados.

Portanto, as negociações entre suecos e suíços irão continuar.

Corsario137
Visitante
Member
Corsario137

A SUIÇA É UMA ANTA!!!

Mas vá lá, depois vão acabar gastando mais, vide a Áustria.

Que venha então a Saab e o Gripen NG BR.

Corsario137
Visitante
Member
Corsario137

Marcos,

Mas vão continuar como sem financiamento? Sin plata no hay amor.

Guilherme Poggio
Editor
Famed Member

Depois do incidente com o avião da Ethiopian Airlines eu acreditava que o “sim” pudesse sensibilizar a população suíça, mas vejo que isso não aconteceu. Por outro lado este incidente da Ethiopian Airlines trouxe um problema maior ainda que a própria substituição dos F-5. A aviação de caça suíça só atua em horário de expediente e nos dias úteis. Vejo esta questão como mais importante do que a compra de novos caças em si. Não adianta comprar se não puder usar quando precisar. Talvez os suíços tenham economizado alguns milhões de francos optando por não comprar novos caças, mas continuam… Read more »

Justin Case
Visitante
Member

Amigos,

Para mim, a notícia é boa porque a nossa participação no programa vai crescer muito.
No entanto, teremos também que assumir maior parte dos custos. O fator de escala também é prejudicado, mas podem vir outras encomendas, principalmente nossas, eu espero.

Justin

Guilherme Poggio
Editor
Famed Member

O Justin Case fez um ótimo resumo do que podemos esperar, como brasileiros, após essa decisão na Suíça (sugiro que leiam novamente o comentário dele às 12:20h).

Para mim as negociações entre o Brasil e a Saab/Suécia vão começar efetivamente agora, após a definição da situação suíça no programa.

Marcos
Visitante
Member
Marcos

Vão apertar em algum lugar para viabilizar a compra, nem que seja de prateleira.

Mauricio Silva
Visitante
Mauricio Silva

Vox populi, vox dei.
SDS.

Baschera
Visitante
Member
Baschera

Ao contrário do que alguns acham, isto não é bom.

Menor escala, significa maiores custos de produção e possivelmente de desenvolvimento também.

Certamente a FAB também vai levar em conta este revés da SAAB.

Acho que acendeu uma luz amarela lá na SAAB.

Sds.

Observador
Visitante
Observador

Como diria o Ivan, o “Mapento”: olhem o mapa, olhem o mapa! As regiões responsáveis pelo “não”, são aquelas vizinhas da França e em que a língua francesa é a predominante(a Suíça tem quatro línguas oficiais: francês, alemão, italiano e romanche). Antes que digam que se trata de uma conspiração pró-rafale, é importante dizer que a parte “italiana” da Suíça também disse não à compra. Já o “sim” foi predominante na parte “alemã”. A explicação para isto, penso eu, é que os suíços que falam alemão tiveram ao longo da vida acesso a amplo material sobre a ocupação soviética na… Read more »

Vader
Visitante
Member

De qualquer maneira, essa soberana decisão suíça é uma ótima oportunidade para refletirmos sobre até onde é vantajoso para uma nação se deixar conduzir pela vontade popular diretamente exercida. Com o resultado da votação a Suíça não apenas perde em capacidade dissuasiva, mas também perde uma ótima oportunidade de negócios. Suas empresas perdem em competitividade, empregos deixam de ser gerados, deixa-se de aprofundar laços com uma nação amiga e não competidora, etc. O azar é todo da Suíça. Mas me pergunto até que ponto esse tipo de decisão não deveria ser tomada pelos técnicos, em conjunto, tanto militares quanto administradores… Read more »

Vader
Visitante
Member

Em relação ao Gripen-BR quero lembrar a todos que os custos na proposta vencedora da SAAB são FIXOS, ou seja, não são variáveis devido a eventos externos; e que estes custos estão fixados na RFP desde 2010.

Sds.

Carlos Alberto Soares
Visitante
Carlos Alberto Soares

OFF:

Menos unidades do Gripen,

Menos Rajada, vento, seja lá o que for:

http://www.valor.com.br/internacional/3551466/india-oposicao-conquista-maioria-do-parlamento

cvn76
Visitante
Member
cvn76

Nunão:

Por agora, estão todos meio desorientados, perdidos e sem saber direito o que dizer ou fazer….pois eles acreditavam que depois do episódio do avião da Etiopian Airlines e da crise na Ucrânia a vitória seria certa, mesmo apertada……:-(

Por enquanto não existe nenhum “plano B”…..vão deixar a poeira assentar primeiro……

Pelo visto os de esquerda souberam melhor convencer a opinião pública:

– 32 F/A 18 são suficientes
– Estamos cercados de países amigos
– Não adianta comprar aviões novos se temos poucos pilotos.

Mas infelizmente é essa a tendência européia…..cada vêz mais fraca……

Estão confiantes que os americanos como sempre aparecerão para resolver os problemas deles…

cvn76
Visitante
Member
cvn76

Vendo as coisas por outra ótica, creio que existem vantagens e desvantagens para o Brasil:

Vantagens:

– Maior poder de barganha
– Transferência de tecnologia
– Vendas de off-set
– Criação de empregos no Brasil

Desvantagens:

– Risco de ficar com um avião que até agora só foi encomendado por 2 países.
– Aumento de custo por unidade, se não aparecer novas encomendas.

Mauricio R.
Visitante
Mauricio R.

Não será pq na Suiça disseram “NÃO” ao Gripen, que o produto JAS-39E, deixará de ser sueco.
Não serão somente a encomenda de 36 células que irão alavancar os sonhos de uma noite de verão do MD.

cvn76
Visitante
Member
cvn76

@Observador:

Desculpe, mas isso não tem nada a ver.

Muitas vêzes é assim em votações ou plebiscitos na Suíça.

A parte leste e central são mais conservadores que a parte oeste.

Algo semelhante acontece nos EUA, onde o sul e o centro-oeste é mais conservador e os estados da costa oeste e os estados do nordeste são mais de esquerda.

Elezer Puglia
Visitante
Elezer Puglia

Pessoal, eu vou procurar informações mais concretas se eu tiver tempo, mas é o seguinte: o resultado deste referendo (que, aliás, envolveu outras questões prementes para sociedade suíça), não signfica em absoluto o fim da compra dos Gripen. O que o povo rejeitou foi a fórmula de financiamento. O Nunão sugeriou que seria inconstitucional ir contra o resultado do plebiscito, e tem razão no que diz respeito ao modelo financeiro para pagamento da compra. Nenhum jornal suíço anunciou o resultado do referendo como uma “não” definitivo. Inconstitucional, aliás, também seria ir contra a decisão de compra, sancionada pelo parlamento. Eu… Read more »

Ozawa
Visitante
Member
Ozawa

No mesmo referendo as pesquisas indicam também uma rejeição de um salário mínimo fixo de R$ 10.000,00 (dez mil reais)… Hoje o maior salário mínimo fixo do mundo é de Luxemburgo, R$ 4.000,00 (quatro mil reais)… A alegação das pesquisas é de que a população acha que vai aumentar o desemprego, hoje em 3,2%…

Os Suíços não querem caças de 4,5 geração e não querem salário mínimo fixo de R$ 10.000,00.

Devem estar muito bem como estão hoje, e espero que estejam certos para o amanhã…

juarezmartinez
Visitante
Member
juarezmartinez

É tái, por estas e outras bambizagens é que o Putin deita e rola contra os Europeus.
Deixa estar, na hora que o diabo bater na porta deles eu quero ver o Tio Sam dizer: Se virem….
Não estou aqui defendendo o Gripen, apenas vendo como uma sociedade culta, experiente e que passou por duas guerras sangrentas abre mão da defesa de seu espaço aéreo por conta de uns veados tresloucados que se alguém cortar um pé de guanxuma, eles tem faniquitos…

Grande abraço

cvn76
Visitante
Member
cvn76

@Elezer

Exatamente; mas isso ainda vai levar muito tempo….vão ter que recomeçar praticamente do zero.

Pelo menos o seu cantão disse “sim”…..já o meu……:-(

Observador
Visitante
Observador

cvn76 18 de maio de 2014 at 13:31 # Sim, são mais conservadores na Parte Leste. E exatamente por isto levam o assunto de defesa à sério. Para suíços do Oeste e do Sul, este parece um assunto irrelevante; afinal de contas, o perigo não virá pela fronteira com a Itália ou a França. O perigo vem do Leste. Sempre do Leste. juarezmartinez 18 de maio de 2014 at 13:48 # Isto só demonstra que a democracia direta simplesmente não funciona para tratar de assuntos complexos, fora do dia-a-dia do povo. E a cultura de um povo não o livra… Read more »

Observador
Visitante
Observador

Xiii…

Deu “tilt”.

Aos moderadores: favor apagar meu comentário das 14:36 hs, achei que não funcionou e postei outro.

NOTA DOS EDITORES: APAGADO, CONFORME SOLICITAÇÃO, O COMENTÁRIO DAS 14:36

cvn76
Visitante
Member
cvn76

@Observador: “O perigo vem do Leste. Sempre do Leste.” Nem sempre……Napoleão invadiu a Suíça a partir do oeste, a Italia de Mussolini tinha planos de invadir pelo sul e a Alemanha nazista tinha planos de invadir pelo norte e pelo oeste…..:-) A democracia direta tem, como todo sistema político, as suas vantagens e desvantagens……até hoje a Suíça tem se saído bem com essa sistema…é até uma das razões dé ser um país rico e desenvolvido. Muitas vêzes as decisões tomadas pelo povo se revelaram no fim das contas serem mais sábias do que as tomadas pelos políticos e especialistas de… Read more »

Jean-Marc Jardino
Visitante
Jean-Marc Jardino

Quando o pais é serio, a populaçao tambem é, e sendo assim, mais da metade da populaçao querem que os 300 milhoes sejam destinados a outras prioridades na Suiça, e olha que a Suiça é um pais extremamente rico, devido as pequenas dimensoes e ao grande acumulo de riqueza. E no Brasil, torçam muito para a___________

EDITADO: CONTEÚDO POLÍTICO-PARTIDÁRIO

Observador
Visitante
Observador

cvn76 18 de maio de 2014 at 15:30 # Não me entenda mal. Não sou contra a democracia. Apenas acho que a democracia direta só funcionava bem na Grécia antiga. Naquela época os grupos eram menores e as decisões mais imediatas e simples. Hoje em dia, pelo nível de complexidade de nossa civilização, somente a democracia representativa funciona. Um povo deve eleger bem seus líderes, e estes vão colocar gente preparada em cargos-chave, que tomarão decisões apenas com base em critérios técnicos. Como aqui no Brasil só elegemos LIXO, o resultado está em nossa volta. Quanto a Suíça, o “sempre”… Read more »

Marcelo Pamplona
Visitante
Member
Marcelo Pamplona

Boa noite aos colegas de fórum! Bem, diante da negativa dos suíços à compra – pelo menos por ora, já que a negativa refere-se a forma e prazo de financiamento – do Gripen NG, deve-se analisar os consequências boas e ruins disso no decorrer das negociações da SAAB com a FAB. Sim, haverá um cliente “lançador” a menos, mas na verdade apenas 12 células a menos, uma vez que a Suécia está em vias de aumentar sua encomenda de 60 para 70 unidades da versão E. É apenas um ponto de vista… Como bem disse o colega Vader, e pelo… Read more »

Nick
Visitante
Member
Nick

Os suiços cagaram nessa. Melhor para o Brasil. 🙂

Para a Suécia, graças ao FX-2, essa decisão não tem o mesmo impacto.

E nós como parceiros no Gripen E, podemos barganhar algo mais nesse contrato.

[]’s

Iväny Junior
Visitante
Member

Eu imagino que seria muito bom o Gripen ter ganhado esta escala. Mas nada de danoso pra Saab. Ficou a resposta de ter ganho enfrentando os grandes Typhoon e Rafale. Outras concorrências vão sempre existir.

A Finlandia já soltou RFP por aí…

thomas_dw
Visitante
thomas_dw

a SAAB da como encerrada a compra, para eles, acabou.

Nautilus
Visitante
Nautilus

Guilherme Poggio
18 de maio de 2014 at 12:13 #
Depois do incidente com o avião da Ethiopian Airlines eu acreditava que o “sim” pudesse sensibilizar a população suíça, mas vejo que isso não aconteceu.

Poggio,

Eu acredito que, se fosse daqui a um mês ou dois, o resultado do referendo seria invertido, dando sim para a aquisição dos caças, exatamente por conta do incidente do avião da Ethiopian… Veja que a proporção do sim cresceu bastante de um tempo para cá. Só Não deu tempo de reverter em favor do sim.