Home Asas Rotativas Esquadrão Poti emprega armamentos com uso de NVG pela primeira vez no...

Esquadrão Poti emprega armamentos com uso de NVG pela primeira vez no Brasil

595
25

AH-2 Sabre Esquadrão Poti - foto FAB

O Esquadrão que opera o helicóptero de ataque da FAB está agora também habilitado para operar em todo tipo de cenário em casos de conflito

O helicóptero AH-2 Sabre do Esquadrão Poti (2°/8° GAV) empregou armamentos à noite utilizando óculos de visão noturna (do inglês, night vision goggles – NVG) pela primeira vez no Brasil. Antes, tal tipo de emprego tinha sido executado somente por pilotos do Esquadrão durante o curso de formação na Rússia. A manobra ocorreu no Campo de Provas Brigadeiro Veloso, localizado na Serra do Cachimbo (PA), durante o exercício Zarabatana V que iniciou no dia 14 de abril e vai até o dia 7 de maio.

De acordo com o Comandante do esquadrão, Tenente-Coronel Aviador Rodrigo Gibin Duarte, o emprego armado noturno do AH-2 Sabre é uma necessidade. “Hoje, na guerra moderna, a utilização dos helicópteros é basicamente noturna. E nós, como um esquadrão de defesa aérea, de ataque e de escolta, devemos estar capacitados para realizar as nossas missões em qualquer cenário”, afirmou.

Sediado em Porto Velho (RO), o Esquadrão Poti opera o helicóptero de ataque da Força Aérea Brasileira AH-2 Sabre, que tem como principais missões a defesa aérea, a escolta de aeronaves e o ataque ao solo. Os armamentos que podem ser utilizados são o canhão 23 mm, o foguete 80 mm e o míssil Ataka.

 Zarabatana 5

Esse ano, o exercício de adestramento do Esquadrão Poti tem como principais destaques o emprego armado noturno e a segunda campanha de emprego real do míssil.

Durante a operação, além do emprego tradicional no estande de tiro, são também realizados treinamentos mais próximos do real, onde os militares empregam o armamento em alvos táticos localizados em pontos diversos no estande de tiro do Campo de Provas Brigadeiro Veloso. Assim, quando o piloto realiza a navegação com o objetivo de procurar o alvo, ele precisa localizá-lo por meios próprios e com o uso dos equipamentos do helicóptero, além de fazer a correta identificação, adequação aos parâmetros de emprego e realizar o disparo do armamento.

Segundo o Tenente-Coronel Gibin, essa é a melhor forma de qualificar o piloto. “Quanto mais nós treinamos e quanto mais próximos do real tentamos chegar, mais qualificados ficamos para cumprir a missão determinada pela Força Aérea e pelo comando superior, contribuindo, assim, para a manutenção da soberania do Estado brasileiro”, afirma o Comandante.

FONTE / FOTO / VÍDEO:
FAB

25
Deixe um comentário

avatar
21 Comment threads
4 Thread replies
0 Followers
 
Most reacted comment
Hottest comment thread
13 Comment authors
Fighting FalconIväny JuniorRafael OliveiraEder AlbinoRoberto Bozzo Recent comment authors
  Subscribe  
newest oldest most voted
Notify of
Рустамом Bogaudinov
Visitante
Рустамом Bogaudinov

Good news, finally after 4 years of training crocodiles first night it pleases me
because MI-35M excellent all-weather fighter, just need more training on the use of guided missiles

_

Boa notícia, finalmente, depois de 4 anos de formação crocodilos primeira noite me agrada
porque MI-35M excelente lutador de todos os tempo, só precisa de mais treinamento sobre o uso de mísseis guiados

http://www.youtube.com/watch?v=LqC-s6CynE8

Rinaldo Nery
Visitante
Member
Rinaldo Nery

Gibin foi meu aluno na AFA. Pouco a pouco a FAB aumenta a sua capacidade de levar a guerra ao inimigo 24 horas por dia. Parabéns ao Poti!

Colombelli
Visitante
Member
Colombelli

Excelente. aos poucos entrando na modernidade.

joseboscojr
Visitante
Active Member
joseboscojr

Mas ele empregou pela primeira vez os NVGs à noite ou foi a primeira vez que ele foi empregado à noite?
O que eu entendo é que o uso dos NVGs apesar de recomendado não é obrigatório para operações noturnas, mesmo porque, o helicóptero é dotado de FLIR.

Rinaldo Nery
Visitante
Member
Rinaldo Nery

O texto não deixa claro, mas parece que foi a primeira campanha de emprego noturno, pois outras diurnas já haviam sido realizadas.
Quanto ao FLIR versus NVG, no FLIR voce tem a imagem projetada em uma pequena tela de TV (ou LCD), enquanto que no NVG voce tem um campo de visão bem maior.
No FLIR voce tem que direcionar a camera empregando um joystick, enquanto que no NVG basta girar o pescoço. O NVG propicia uma consciencia situacional muito maior.
A FAB ministra instrução de uso do NVG no IFISAL, no Campo dos Afonsos.

joseboscojr
Visitante
Active Member
joseboscojr

Então me permito entender que o AH-2 já pode ter sido empregado:
– À noite;
– Com o emprego de armamentos;
– Sem os NVG.

leejunior22
Visitante
leejunior22

Meu único comentário é em relação a possibilidade de “White-out” do NVG por causa da intensidade do clarão do canhão 23mm.

Foi só impressão minha ou de fato o clarão é intenso demais?

Percebam que a câmera interna não está no modo noturno….

juarezmartinez
Visitante
Member
juarezmartinez

ernando “Nunão” De Martini 6 de maio de 2014 at 20:40 # Rinaldo e Bosco, O texto não é nosso, é da FAB, mas acho que ele está suficientemente claro nessa frase logo no início: “O helicóptero AH-2 Sabre do Esquadrão Poti (2°/8° GAV) empregou armamentos à noite utilizando óculos de visão noturna (do inglês, night vision goggles – NVG) pela primeira vez no Brasil.” Ou seja: – Foi à noite; – Usou-se NVG; – Empregou-se armamento; – E essas três coisas aconteceram juntas, aqui no Brasil, pela primeira vez. Nunão! Esta informação está errada, pois não foi a primeira… Read more »

Justin Case
Visitante
Member

Amigos,

Off topic:
WASHINGTON, May 6, 2014 – The State Department has made a determination approving a possible Foreign Military Sale to Brazil for AGM-84L Harpoon Block II Missiles and associated equipment, parts, training and logistical support for an estimated cost of $169 million.

http://www.dsca.mil/major-arms-sales/brazil-%E2%80%93-agm-84l-harpoon-block-ii-missiles

Abraços,

Justin

juarezmartinez
Visitante
Member
juarezmartinez

Nunão! O 14 já fez isto, os terceiros fazem, o rupo de caça acho que já fez também e para falar de avião de rosca o melhor esquadrão de asas rotativas da FAB também já fez.

Grande abraço

Roberto Bozzo
Visitante
Member
Roberto Bozzo

Srs boa noite, um off-topic interessante:

COMISSÃO COORDENADORA DO PROGRAMA AERONAVE DE COMBATE

EXTRATO DE DISPENSA DE LICITAÇÃO Nº 1/2014

No Processo: 67701.012460/2008-10. Objeto: Aquisição de 03 (três) aeronaves de busca e resgate.

Autoridade Solicitante: Brig Ar José Augusto Crepaldi Affonso. Autoridade Ratificadora: Ten Brig Ar Juniti Saito.

Contratada: EADS CONSTRUCCIONES AERONÁUTICAS S.A. SOCIEDAD UNIPERSONAL.

Justificativa: Manter a padronização requerida pela estrutura de apoio logístico da aeronave.
Valor: C= 186.765.476,00 (cento e oitenta e seis milhões, setecentos e sessenta e cinco mil e quatrocentos e setenta e seis euros)

Amparo Legal: Inciso XIX do art. 24, da Lei nº 8.666/93.

Roberto Bozzo
Visitante
Member
Roberto Bozzo
juarezmartinez
Visitante
Member
juarezmartinez

Caro Roberto, muito pontual este teu post com o link de mais uma aquisição by entubation no oil lubriction”.

E o pior de tudo vão comprar mais três cargueiros, agora senhores, lembrem que eu avisei disto a uns três ou quatro meses,e ainda observem módico valor de cada aeronave:

Algo como 62 MILHÕES DE EUROS CADA, ou seja, dá para compra um C 130 full e sobra troco.
Ganha uma churrasco em Santa Cruz quem adivinhar porque.

Vou dar uma pista: Tem tudo a ver com um fato que acontecerá nos primeiros dias de outubro e pode se repetir em novembro.

Grande abraço

Eder Albino
Visitante
Member
Eder Albino

“O helicóptero AH-2 Sabre do Esquadrão Poti (2°/8° GAV) empregou armamentos à noite utilizando óculos de visão noturna (do inglês, night vision goggles – NVG) pela primeira vez no Brasil.”

Creio que o texto se refere ao uso pelo AH-2 e não pelo esquadrão.

Rafael Oliveira
Visitante
Member
Rafael Oliveira

Excelente notícia a do Harpoon. Tomara que comprem logo.

Quanto ao SC-105, o preço me assustou e a tese do amigo Juarez é bem plausível, Quais equipamentos a mais ele possui em relação ao ao C-105?

Rafael Oliveira
Visitante
Member
Rafael Oliveira

Acho que passou despercebido.

Pela notícia, usaram o míssil Ataka: “a segunda campanha de emprego real do míssil”.

Será mesmo?

Рустамом Bogaudinov
Visitante
Рустамом Bogaudinov

joseboscojr 6 de maio de 2014 at 20:03 # O que eu entendo é que o uso dos NVGs apesar de recomendado não é obrigatório para operações noturnas, mesmo porque, o helicóptero é dotado de FLIR. _____________ flir and imeeno GOES-342 is responsible for search purposes but not piloting • persistent detection and identification of ground and surface targets • laser rangefinder • aiming gun armament and unguided rockets • guidance guided air missiles and for night flights isplzuyutsya night vision goggles fastened on the helicopter helmet-GEO-ONV1 “… or other modifications _ _ flir e imeeno GOES-342 é responsável para… Read more »

Iväny Junior
Visitante
Member

É muito míssil. Ataka, exocet nacional e Harpoon, só para ataque ao ar-solo.

Na hora que precisar, espero que todos estejam bem. Só lembro daquele exocet argentino que atingiu um navio e não explodiu…

Fighting Falcon
Visitante
Fighting Falcon

Estamos evoluindo.

Iväny Junior
Visitante
Member

Sim, Nunão é isso, ar-superfície é a arena que me referia.

O negócio chave disso é trabalhar a integração para que diferentes plataformas possam operar diversos tipos. Na hora do aperto é bom que os P-3 possam disparar Peguin’s, Harpoon’s e exocet’s;

Bem como os Sabre’s possam operar Ataka’s e exocet’s.

O Bandeirulha, que vai ser equipado com radar Seasprey suporta praticamente todo esse arsenal, então, trabalhar na integração é bom porque na hora do aperto existem várias opções à mão.