terça-feira, outubro 19, 2021

Gripen para o Brasil

Em reunião nos EUA, ministro tcheco reitera oferecimento de caças Gripen para reforçar Báltico

Destaques

Fernando "Nunão" De Martini
Pesquisador de História da Ciência, Técnica e Tecnologia, membro do corpo editorial da revista Forças de Defesa e sites Poder Aéreo, Poder Naval e Forças Terrestres

Gripen - foto 3 Min Def República Tcheca

Em 29 de abril, o secretário de Defesa dos EUA, Chuck Hagel, recebeu em Washington sua contraparte da República Tcheca, Martin Stropnický, em reunião que discutiu o desenvolvimento da crise na Ucrânia. Ambos concordaram que a prioridade é a resolução política, mas que a OTAN (Organização do Tratado do Atlântico Norte) deve estar preparada para proteger seus membros do Leste Europeu.

Assim, os Estados Unidos deslocaram forças para a Polônia e países do Báltico, e a República Tcheca reiterou seu oferecimento de quatro caças JAS-39 Gripen para reforçar o dispositivo de defesa aérea da região.

Gripen - foto 4 Min Def República Tcheca

Stropnický deixou claro que a República Tcheca está interessada em participar de exercícios conjuntos nos Estados Unidos e na Polônia, realizados duas vezes por ano. Caso seus caças tomem parte nos treinamentos, estes poderiam ser realizados na base tcheca de Čáslavi.

Por seu lado, Hagel afirmou que a República Tcheca precisa reverter o declínio de seu orçamento de defesa, que foi reduzido em 1/4 nos últimos cinco anos. Ele recebeu uma resposta polida, porém firme, de Stropnický, que destacou que essa queda começou a ser revertida gradualmente, já que a defesa não pode apenas viver de crédito.

ministros da Defesa americano Hagel e tcheco Stropnicky - foto MD República Tcheca

FONTE / FOTOS: Ministério da Defesa da República Tcheca (tradução e edição do Poder Aéreo a partir de original em tcheco)

VEJA TAMBÉM:

- Advertisement -

14 Comments

Subscribe
Notify of
guest
14 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Marcos

Vou postar o vídeo, pois há uma imagem bastante curiosa do Gripen entre 0:08 e 0:10 seg.:

https://www.youtube.com/watch?v=AnV7m1EZ-9w

Marcos

Aliás, a imagem é justamente essa que abre a capa do vídeo!!!!

Marcos

Me chamou a atenção toda a estrutura que compõe a caixa de ligação asa/fuselagem e compartimento de trem de pouso. O conjunto todo tem um volume imenso.

Roberto Bozzo

Nunão boa tarde. Lindas fotos…. mas me tire uma dúvida, o que seria aquela “protuberância” logo atrás do trem de pouso dianteiro, na primeira foto ?

Roberto Bozzo

É isso mesmo Nunão, eu que peço desculpas pois devia ter especificado a foto.
E agradeço a atenção.

Roberto Bozzo

Nunão pelo que vi no site da Saab é a saída do canhão Mauser 27 mm mesmo, parece que ele foi realocado mais para frente, mais próximo ao trem de pouso, do que esta no Gripen C.

comment image

Roberto Bozzo

Sim eu vi que era do demonstrador, inclusive há uma matéria aqui no Aéreo com as diferenças dos C para os E (que não achei, a matéria) então peguei a imagem em outro site e lá é mais visível esta peça num D.

http://www.tropasearmas.xpg.com.br/Armas-Gripen.html

Então acredito que seja mesmo a entrada de ar que você citou; até porque descobri esta foto na wiki dos Grpiens C/D húngaros onde se vê com certa clareza que só o biposto tem esta peça bem centralizada em relação a fuselagem.

comment image

Ivan

Países como Eslováquia, Hungria, República Checa e România não tem condições de sustentar grandes caças, muito menos caças de 5a geração. A Polônia, um país maior, talvez possa no futuro sustentar um ou dois esquadrões de F-35 A Lightning II, com ajuda do FMS yankee. Mesmo assim sua base será de monomotores F-16 C/D Vipers. Países mais ricos, como Suécia, Suíça e Finlândia dificilmente terão condições de sustentar forças aéreas totalmente furtivas, devendo combinar caças de gerações diferentes, talvez com um punhado de caças furtivos para dissuasão e outros tantos drones furtivos de ataque (VANT-C), mas mantendo uma base de… Read more »

Últimas Notícias

FAB realiza enlaces de dados entre aeronaves usando o LINK-BR2 pela primeira vez

Os voos foram realizados durante a execução da Operação Íris, como foi denominada a segunda fase de ensaios de...
- Advertisement -
- Advertisement -