segunda-feira, dezembro 6, 2021

Gripen para o Brasil

Declaração oficial da Boeing sobre anúncio do F-X2

Destaques

Alexandre Galante
Jornalista, designer, fotógrafo e piloto virtual - alexgalante@fordefesa.com.br

Super Hornet com tanques conformais

A Boeing está ciente sobre o anúncio do governo brasileiro de que o caça F/A-18E/F Super Hornet não foi selecionado para participar das negociações contratuais da concorrência F-X2. Embora decepcionante para a Boeing, a decisão, de forma alguma, diminui o comprometimento da empresa em expandir sua presença, ampliar suas parcerias e apoiar as necessidades do Brasil em termos de segurança. Nas próximas semanas, nós trabalharemos com a Força Aérea Brasileira (FAB) para entender melhor sua decisão. Nossa participação na concorrência F-X2 ofereceu a oportunidade de estabelecer parcerias importantes e colaboração com a indústria e o governo brasileiro, as quais continuaremos a expandir independentemente da decisão do F-X2.

DIVULGAÇÃO: Ligia Carvalho / Executiva de Contas – Account Executive

- Advertisement -

22 Comments

Subscribe
Notify of
guest
22 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Iväny Junior

Estão de olho em unidades para a Marinha. Se fizer um desconto, quem sabe não fecha e fica tudo em paz com os gigantes do mercado?

Existem muitas possibilidades. Em 2017 os f-5 estão dando baixa, e a Boeing tem diversas versões de f-15 pra oferecer, superiores ao super lobby.

A parceria comercial em produtos aeronáuticos de defesa pode gerir muitos ganhos pra todos os envolvidos. É esperar pra ver.

Vader

Muito nobre a declaração da Boeing. Parabéns. Não é á tôa que são o que são.

É uma pena que não venceu o F/A-18-E, tecnicamente o melhor dos três.

Infelizmente o lobby antiamericanalha detonou com a opção genuinamente americana.

Mas tá valendo, o Gripen NG será um caça fantástico. É só o Brasil não dar uma de safado e bizonho, e terá sem dúvida o mais moderno e capaz caça da América Latina.

tiagobap

Parabéns à Boeing pela elegância e diplomacia de sua nota. Aceitam a derrota, não tentam detonar o vencedor, reafirmam o desejo de continuar os compromissos já assumidos no Brasil e buscam entender onde erraram. Bons perdedores.

Observador

Para compensar a elegância da nota da Boeing, a outra partiu para o mimimi. Para eles, só posso dizer em alto e claro sueco:

“DU SUGER!” (CHUPA!)

Porém, podem esperar denúncias estapafúrdias por parte da imprensa francesa e claro, da brasileira. Se já inventaram na Suíça, imagine no Brasil.

E isto se não vier algum abaixo-assinado absurdo, bancado pelas doidivanas de sempre (Frei Beto incluído) pedindo o cancelamento da concorrência.

Observador

Como diria Winston Churchill:

“Isso não é o fim. Isso não é nem o começo do fim. Mas talvez este seja o fim do começo…”

ernaniborges

Parabéns à FAB e ao Brasil.

Agora é olhar pra frente, buscar um bom pacote de armamentos, que não fiquem nesses 36, e , QUE OS MORTOS SEPULTEM SEUS MORTOS.

juarezmartinez

Comportamento de gente grande ao contrário da Mason Paris, típico super bambi Francês…

Agora a Boing sabe que será contemplada com possivelemnte dois contratos lgo adiante e coisa grande.

Grande abraço

Vespão

Realmente o unico caça que poderemos chegar a 120 vetores .

Fora que é o mais barato ; e a Dilma não quer polemizar antes das eleiçoes .

Tadeu Mendes

Amigos, A Boeing e uma empresa de tradicao, uma empresa seria; Inovadora e competente. A Boeing esta no Brasil para ficar. Os Super Hornets foram a melhor opcao tecnica e belica que o Brasil deixou escapar por pura politicagem. Mas tudo bem. Melhor ver o Gripen na FAB (que e uma excelente aeronave) do que ver os Rafales com preco de vinho frances….caros, mas nem sermpre bons. A Boeing tem muito campo dentro do Brasil. A gama de aeronaves que eles podem oferecer ao pais nao tem rival no mundo. E possivel que a Boeing leve o contratao para a… Read more »

Colombelli

Isto é profissionalismo. Nunca deixam a porta fechar, agem com frieza, profissionalismo e elegância, sempre pensando adiante.

Edu Nicácio

Gostaria MUITO que a Boeing fosse selecionada para o fornecimento das aeronaves para a Marinha. Aliás, espero em breve um comunicado da força quanto à decisão do FX-2, tendo em vista que ela esperava operar em comunalidade o caça escolhido pela FAB.

Sonho meu seria ver pelo menos uns 48 Super Hornet na Marinha e uns 20/30 F-15SE no 1º GDA… Sim! F-15 para o GDA, em substituição aos Mirage 2000.

No mais, nota sucinta, sem desmerecer a escolha da FAB. Parabéns à Boeing.

Mayuan

Pois é Colombelli, como você disse nesse e eu disse num post anterior agora há pouco. São profissionais e profissionais são pragmáticos. Não tomam decisões com base em emoções e sim em informações, cálculos, projeções e análises. Sabem perfeitamente que ganham e podem ganhar muito mais dinheiro mantendo boas relações com o Brasil. Ninguém é o maior do mundo num mercado como o aeronáutico agindo como tolos.

Almeida

Posso confirmar a nota da Boeing e afirmar que, sim, eles vieram para ficar. Com ou sem Super Hornet.

Já são parceiros da Saab no futuro treinador para a USAF.

Em breve serão nossos parceiros em diversos outros projetos e áreas.

Dias ainda melhores virão! 😉

Carlos Alberto Soares

Boeing, elegante e educada.

Sabem perder, mas com olhar para frente ….

Mantem as portas abertas e certamente muita coisa boa vem pela frente, só o GF e a quadrilha não atrapalharem.

Iväny Junior

Parcerias Embraer-Boeing-Saab à vista. Já se pode imaginar uma fusão das três, inclusive, transformando-se no maior “monstro” da defesa mundial, bem como, na maior companhia de aviação em geral. Falando da Marinha, também sou favorável ao Sea Gripen. Em substituição aos f-5 e AMX, F-15 Strike Eagle. Sem super lobby, mas trazendo o que a Boeing e Saab podem oferecer de melhor. Esta decisão de agora com certeza vai impactar na escolha da índia, que pode vir a ser mais um grande aliado dos EUA na Ásia. Acrescentar a ElbitI nesta parceria também não é má idéia. Aí vem o… Read more »

Rafael M. F.

So espero que a canalhada que está no poder não detone com tudo.

Essa gente quando não #@$% na entrada, @#%$ na saída…

Rafael M. F.

Caros, Vou apresentar alguns argumentos, e me respondam por favor: procedem ou é delírio? O cavalo selado na verdade está passando, e dessa vez o governo demonstrou um raro bom-senso. Explico: a Suécia quer parceiros para o seu próprio projeto de 5a geração (FS2020), que substituirá os primeiros Gripen por volta de 2025. A escolha do Gripen NG deixa aberta uma janela de possibilidade única para o Brasil desenvolver uma parceria em um projeto de 5a Geração com uma nação que possui uma expertise de quase 70 anos no desenvolvimento de aeronaves de combate. A Boeing e a Saab possuem… Read more »

Almeida

Rafael M. F., acho que você só se equivocou ao dizer que o T-X será stealth e carregará armamento interno. Não faz parte dos requisitos da USAF para o programa T-X este possuir capacidade furtiva ou baia interna de armamentos por ser um avião dedicado para LIFT e só. Não consta nada disso no edital/RFP. Ele terá sim aviônica extremamente avançada focada no treinamento para NCW (guerra centrada em redes) e agilidade superior para preparar melhor os pilotos que voarão Raptors, Lightnings e os legacy. Porém seu custo de operação deve ser baixo e ele não participará de combates, muito… Read more »

Almeida

Lembrando que nem Raptors nem Lightnings possuem versões bipostas!

Optimus

Não é a Boeing que fechou uma parceria com a SAAB para produção do novo treinador substituto dos Talons?
Então, ainda há possibilidades de negócios futuros para nosso novo treinador e lift, não?! 😉

Optimus

Ops… desculpe, não tinha vista todos os comentários e vi que já tinham falado a respeito.

Sds. 😉

Mayuan

Rafael M. F.

Talvez não tenhamos uma aeronave de treinamento a reação mas não seria muito mais complicado do que encomendar que a Embraer poderia fazer, no caso, o AMX-T. Concordo que não serão nada próximo do que sairá do projeto da Boeing com a SAAB (tomara que também a Embraer) mas atenderia nossas necessidades.

Últimas Notícias

Finlândia deve escolher jatos F-35 na concorrência de US$ 11 bilhões

A Finlândia deve escolher os caças F-35 da Lockheed Martin Corp. em sua licitação de 10 bilhões de euros...
- Advertisement -
- Advertisement -