segunda-feira, junho 27, 2022

Gripen para o Brasil

Array

F-X2 pode ser colocado em ‘banho maria’ por mais 3 anos, segundo fonte em Brasília

Destaques

Alexandre Galante
Jornalista, designer, fotógrafo e piloto virtual - alexgalante@fordefesa.com.br

F-X2-logo-by-www.aereo.jor.br1 (1)

Alexandre Galante

De acordo com uma fonte em Brasília consultada pelo Poder Aéreo/Forças de Defesa, o Programa F-X2 de caças para a Força Aérea Brasileira poderá ser mesmo adiado por mais 3 anos. Enquanto isso, Boeing, Dassault e Saab, finalistas da concorrência, continuam atuando nos bastidores para conseguir vencer a disputa.

Com sua proposta abalada pelo escândalo da espionagem internacional promovida pela Agência de Segurança Nacional dos EUA (NSA), a Boeing parece ter perdido a dianteira na concorrência para a Dassault, que voltou à carga com a visita do presidente francês Hollande.

Ao mesmo tempo, a Saab trabalha em silêncio e pode se tornar o cavalo azarão no final do processo.  Mas todos os três concorrentes sabem que o F-X2 não é uma corrida de 100 metros rasos, e sim uma maratona. Só vai vencer quem persistir até o final.

Os russos, por sua vez, aguardam um possível cancelamento do F-X2 para entrar num eventual F-X3 após as Olimpíadas de 2016.

A FAB, maior interessada na conclusão do processo, provavelmente terá que acionar um plano B para não deixar o 1° Grupo de Defesa Aérea (1° GDA) sem aeronaves adequadas no médio prazo, já que, com uma eventual decisão só daqui a três anos, aos quais se somariam outros três para o recebimento da primeira aeronave, apenas por volta de 2020 o esquadrão seria reequipado. A frota de caças F-5M, mesmo com o reforço dos exemplares comprados na Jordânia e que passam por modernização, está se desgastando a cada dia e não será suficiente para suprir as necessidades da FAB, levando em conta que o F-5 possui limitações de velocidade e autonomia para cumprir a contento as missões de interceptação.

Com a desativação dos caças Mirage 2000 neste mês de dezembro, os pilotos do esquadrão deverão ser distribuídos por outras unidades de caça da FAB, como já foi divulgado pela Força Aérea. Há quem diga que o 1° Grupo de Defesa Aérea corre o risco de ser desativado, pois sua existência é considerada dispensável pelo poder político nacional.

Por outro lado, se o 1° GDA continuar a existir e uma decisão do F-X2 ficar só para 2016 ou além, o fantasma da aquisição dos estoques do AMARG nos EUA, de jatos F-16 “Desert Falcon” como “caças-tampão”, voltará a assustar muita gente.

- Advertisement -

18 Comments

Subscribe
Notify of
guest
18 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
joao.filho

Quem ainda acredita nessa palhaçada de FX-2??? Nunca decidirão nada, ja esta na hora de cancelar essa #%$#^@&* oficialmente de uma vez. Os patetas do Planalto so se preocupam com o GTE, esse sim e mais numeroso e o mais moderno da AL, e compete ate com os States. Quem quer ser piloto de caça de verdade, e nao chofer aereo de politico corrupto, que venha para os Estados Unidos. O Brasil ja era!!!

Iväny Junior

Caros

Qualquer avião que chegue (inclusive F-16 AMARG) não é pesadelo. A situação está tão ruim que até os F-4 são soluções.

Os F-16a AMARG com aviônica israelense (que tem uma ótima experiência na sua própria força) formam um vetor mais capaz que o próprio mirage 2000c.

Guizmo

Eu canto essa bola há 4 meses. Mas também não acho que demora mais 3 anos, é só passar a eleição e no 1º semestre de 2015 deveremos ter o resultado. A questão é: o que vai voar por aqui até o recebimento das primeiras unidades do novo caça, seja ele qual for? Estamos falando de um gap de anos…

Iväny Junior

Caro Guizmo

Então você é um otimista. Eu continuo apostando que não vem fx-2, fx-3, nem tampão. Vão querer padronizar a frota em tigres de bengala (f-5), pegando os restos da Europa e da Ásia. Quando estes perderem a vida útil, caso a Embraer não desenvolva a usinagem de fuselagem e peças, vamos perder a capacidade supersônica da FAB.

maxi47

Aqui jaz a Força aérea Brasileira…..

Antonio M

Temos Emb326 Xavante estocados?

Vai que dão uns “tapas” neles e os colocam no GDA, isso já aconteceu a pouco tempo atrás ……

Edgar

Na verdade, já perdemos a janela da 4ª geração há muito tempo. Qualquer “coisa” que o Executivo decida em 2017+ já chegará cheirando mofo, dado os mais de 20 anos para se decidir uma compra de meras 3 dúzias de aviões. Em termos de tomada de decisões, perdemos para líderes mais “sérios” e “comprometidos” com o “Projeto de Nação” (e não de promoção político-partidária) como Kim Jong-un, Raul Castro, Hassan Rohani, Nicolás Maduro, Evo Morales, etc. Claro, decidem para o dark side, mas decidem. Afinal, temos que (infelizmente) aplaudir (neste e somente neste contexto) sujeitos como o Evo Morales, que… Read more »

Bogaz

A FAB bem que podia pegar uns aerobueros e colocar em Anápolis….palhaçada por palhaçada..

Fazer o q…é o fim mesmo.

Joner

Precisamos de um risco real, deveriam pagar para um piloto venezuelano esbarrar com o avião da Dilma pelo norte uma hora dessas.

Control

Srs O Rafale não é a opção mais cara dos três concorrentes do FX2 e, pelos comentários, não é o que tem o pior perfil quanto a sua amortização exigindo desembolsos quase que imediatos após a assinatura do contrato? O seu custo de operação também não é o mais caro dos três, condição que não se coaduna com o orçamento da FAB, que sofre para manter em operação os F5 que são muito mais baratos de operar? O Brasil não aposentou os Mirage III com metade da vida útil pelo custo muito elevado de manutenção e dos upgrades de meia… Read more »

Iväny Junior

Caro Control Não estou lamentando a refugada em direção ao rafale. Ele sempre foi a segunda pior opção, bem como a segunda melhor. Acredito que pelo orçamento e pelo avião, só o Gripen deveria chegar, além de que, é mais capaz que o rafale em alguns aspectos. Se fosse pra trazer rafale f3, deveriam recolocar o Typhoon T3 com SELEX AESA e Meteor (o rafale vem com PESA e MICA), porque pelo preço, o Typhoon entrega mais performance. O problema é que os suecos da Saab não entenderam ainda que o “lobby propinado” é praticamente uma religião aqui. Tivessem eles… Read more »

Grifo

Senhores, ao que parece caiu o pano para o Rafale. Resta saber se os outros dois continuam no páreo, ou se isto quer dizer que o FX-2 morreu de vez. http://www1.folha.uol.com.br/colunas/painel/2013/12/1385578-dilma-diz-a-francois-hollande-que-o-brasil-nao-comprara-cacas-da-franca.shtml Dilma Rousseff disse nesta semana ao presidente François Hollande que o Brasil não comprará da França os 36 caças do programa FX-2, da Aeronáutica. O entrave para a aquisição do Rafale, fabricado por um consórico liderado pela francesa Dassault, é o preço: ele custaria o dobro dos concorrentes –o F/A-18 Super Hornet, da norte-americana Boeing, e o sueco Gripen-NG. Na expectativa de selar o negócio, Hollande trouxe o presidente… Read more »

Justin Case

Amigos, bom dia.

O Rafale é reconhecidamente o mais caro dos concorrentes, mas com certeza não custa o dobro do que o Super Hornet. O Gripen, ninguém sabe quanto vai custar.
No que mais será que o colunista errou?
Abraços,

Justin

Justin Case

Amigos,

Além do que já citei, avaliar custo sem considerar o benefício seria de um amadorismo absurdo.
O resultado advindo de cada solução seria completamente diferente.
É claro que qualquer decisão envolveria uma avaliação completa de custo e benefício, não apenas no aspecto operacional, mas também tecnológico, industrial, estratégico, de relações internacionais, etc.
Obviamente, uma análise de risco também deve estar sendo realizada.
Desse modo, não creio que devamos dar credibilidade plena a mais essa manifestação da nossa imprensa.
Abraços,

Justin

Fernando "Nunão" De Martini

Justin, bom dia. Muito provavelmente a jornalista está dizendo o que ouviu de suas fontes em Brasília, afinal, não foi ela quem fez a avaliação de custo-benefício, ou que estaria sendo amadora nesse caso. Não confundir amadorismo de setores do governo com amadorismo de um profissional da imprensa. Eu não coloco a mão no fogo por ninguém, mas devo dizer que conheci pessoalmente a autora do texto desde a época da universidade e, pelo que conheço da trajetória profissional dela até chegar à cobertura política em Brasília, sei que não é dada a inventar coisas. Desqualificar jornalistas ou a imprensa,… Read more »

Nick

Se a fonte do Galante estiver correta, chegaremos à 2020 com metade dos F-5E disponíveis hoje, considerando inclusive os F-5E ex-Jordania.

Situação no mínimo crítica, para não dizer desesperadora para a nossa aviação de caça.

E se vierem F-16 do deserto, com alguma revitalização na OGMA, seria muito melhor que ficar esperando alguma coisa para 2020, que talvez nem aconteça.

[]’s

Almeida

Edgar em 13 de dezembro de 2013 at 17:34:

“Evo Morales, que com um país com o PIB menor do que a metade do faturamento da Vale, consegue mandar e desmandar na 7ª maior economia do mundo.”

Disse tudo! Que vergonha…

Gilberto Rezende

É MUITO DIFERENTE uma informação jornalística como esta, onde se diz que o FX-2 foi adiado por 3 anos e que todos os contendores estão no páreo… Inclusive descartando o pretenso favoritismo da Boeing aventado pela FSP sobre o velhíssimo e mais que desmentido argumento que o Rafale custaria o dobro do caça americano ou do sueco.

Para aquela palhaçada de jornalismo marrom da Folha de São Paulo que coloca que um dos concorrentes já deu adeus a competição… e põe palavras na boca da presidenta do Brasil…

Últimas Notícias

Rússia lança barragem de mísseis na Ucrânia

As forças russas lançaram um ataque de mísseis de cruzeiro em larga escala em locais em toda a Ucrânia...
- Advertisement -
- Advertisement -