Home Noticiário Internacional Rússia, EUA e China venderam 900 caças-bombardeiros entre 2009 e 2012

Rússia, EUA e China venderam 900 caças-bombardeiros entre 2009 e 2012

490
18

Uganda_People's_Defence_Force_Air_Wing_Sukhoi_Su-30MK2_MTI-1

Outros 529 serão entregues até 2016; russos lideram vendas

Zurique – Mais de 900 aviões caças-bombardeiros dos modelos mais desenvolvidos, ao custo total de US$ 52,4 bilhões, foram vendidos pelos EUA, Rússia e China entre 2009 e 2012, enquanto já existem contratos assinados de vendas de outros 529, que deverão ser entregues até 2016, de acordo com dados da Câmara do Comércio dos EUA. Já vendas de outros tipos de aviões militares franceses, britânicos e canadenses foram menores e não são mencionadas.

Pela primeira vez a Rússia lidera as vendas de caças-bombardeiros no período 2009–2012, com as vendas de 384 unidades de seu insuperável Sukhoi, no valor total de US$ 17,1 bilhões. No mesmo período, os EUA venderam 339 aeronaves, cujo valor superou o dos russos, totalizando US$ 31,4 bilhões. A China fez sua estréia no setor internacional de vendas de caças-bombardeiros com 187 aviões, no valor de US% 3,7 bilhões.

As vendas dos supermodernos caças-bombardeiros serão reduzidas no período de 2013–2015 a 549 unidades, no valor de US$ 41,4 bilhões, segundo contratos já assinados e confirmados. Isto ocorre devido ao fato primeiro, que a série dos novos caças-bombardeiros que está sendo planejada pelos três países não estará disponível no comércio internacional de armas antes de 2020.

Segundo, no corte de gastos para armamentos realizado por todos os países. E terceiro, no fato de que o mercado mundial de caças-bombardeiros usados está totalmente preenchido. Além disso, o desempenho das aeronaves está sendo desdenhado pelos Estados-Maiores das Forças Aéreas de vários países, os quais mostram-se inclinados a preferir os sistemas de lançamento de mísseis.

FONTE: www.monitormercantil.com.br

Subscribe
Notify of
guest
18 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Marcos
Marcos
7 anos atrás

Novecentos?

Estranho! Não vi nenhum por aqui!!!!!

Baschera
Baschera
7 anos atrás

Nem vamos ver tão cedo !!

Aqui, só funilaria…..

Sds.

Mauricio R.
Mauricio R.
7 anos atrás

O Flanker pode ser uma baita aeronave, mas vai ter rentabilidade ruim, lá longe!!!

gilmarjosilva
gilmarjosilva
7 anos atrás

…Pela primeira vez a Rússia lidera as vendas de caças-bombardeiros no período 2009–2012, com as vendas de 384 unidades de seu insuperável Sukhoi…
Parece que estão começando a entender que a serie Sukhoi é realmente formidável, e supera com folga o SH, o Rafale e o Gripen. Quem sabe com o cancelamento do FX-2 o governo Brasileiro possa olhar de maneira mais justa para esta máquina incrível.

Clésio Luiz
Clésio Luiz
7 anos atrás

Eu considero o F-16 e o Su-27 como os mais notáveis projetos da 4ª geração. O que me impressiona no Su-27 é ele ter pego a fórmula inventada pela USAF (USAAF, com o P-51), de um caça de superioridade aérea de longo alcance, que além de voar bem dentro do território inimigo, é capaz de superar seus adversários em cima de sua própria casa, como o Mustang o fez. Mesmo sendo o maior e mais pesado (junto com o F-14), ele consegue se debater em condições de igualdade mesmo contra aeronaves com um terço do seu peso vazio (Gripen). Isso… Read more »

Wagner
Wagner
7 anos atrás

Clésio, parabéns por sua coragem em dizer isso.

Aqui está virando crime elogiar os russos… e nossa, dizer que um Su 27 pode pegar um Gripen, Meu Deus, é um fato o que vc disse, mas, aqui no blog é sacrilégio !!!!

KKKKKKKKKKKKKK !!!!

🙂

RomauBR
RomauBR
7 anos atrás

Please, don’t feed the trolls!

Ivan
Ivan
7 anos atrás

Wagner, Estranho sua afirmação. Aqui no Aéreo há defensores de todas as linhagens e um compromisso com dados conhecidos nos debates. Quanto ao “Su 27…pegar um Gripen” podemos dizer que a proposta escandinava é justamente o contrário, o Gripen pegar o Su-27 quando esta tenta passar pelo Báltico. _________ Clésio, A separação dos motores dos Flankers e Tomcats permitem algumas soluções interessantes. O espaço entre os turbofans cria uma área importante para combustível interno e pilones sobe a fuselagem para armas. Além disso cria área de sustentação adicional e, salvo engano, um bom potencial de manobra pela separação dos bocais.… Read more »

Clésio Luiz
Clésio Luiz
7 anos atrás

Ivan Falando em Flanker eu não pude deixar de lembrar do Fulcrum. Apesar de achá-lo muito elegante, não posso deixar de notar que a MiG foi muito menos feliz no seu projeto. Apesar de ser um excelente dogfighter e com um desempenho cinético que poucos caças de 4ª geração tem, acho-o muito limitado. Para mim as falhas estão na ideia do bloqueio da entrada de ar e dos dutos dorsais, ao contrário da simples grade no meio da entrada de ar, como no Flanker. Roubou precioso espaço interno e só foi corrigido tarde demais com o MiG-29M, quando milhares já… Read more »

Ivan
Ivan
7 anos atrás

Clésio,

Considerando que a prioridade do MiG-29 era superioridade aérea (anti ten fighters) o mais grave foi a reduzida capacidade interna de combustível.

A solução coplicada de entrada de ar dorsal era para satisfazer uma exigência da aviação tática soviética, operar em pistas improvisadas próxima à frente de combate, na medida da progressão planejada para seus exércitos mecanizados.

A versão M, como vc lembrou, corrigiu o problema fazendo o óbvio, tirando o “troço’ e colocando tanques de combustível no dorso e nos LERXs.

Sds.,
Ivan.

Wagner
Wagner
7 anos atrás

RomauBR 12 de outubro de 2013 at 15:43

Cuida dos seus proprios comentarios benzinho…

Wagner
Wagner
7 anos atrás

Clésio Verdade. Xenofobia virou um problema. Veja que quando eu jogo a sardinha, eu é que sou o ” troll” … O Su 27, ou o Su 35, tem plena capacidade tecnológica de abater um Gripen. Nunca vi um analista militar sério duvidar desta possibilidade. Aliás jamais vi algun Bill Guston da vida dizer que um Su 27 ou 35 não conseguiria pegar um Gripen, essa história absurda de que os russos jamais pegariam caças ocidentais existe apenas na cabeça dos americanofilos da caserna de nosso exército. Da mesma forma este, o Gripen, tambem tem a capacidade de abater os… Read more »

Max
Max
7 anos atrás

Segundo a definição de xenofobia , não existe um único comentarista neste site que se encaixe nela.
A não ser que surja um nacionalista ferrenho que pense que tudo que vem de fora possa macular nossa identidade cultural ou prejudicar nossa soberania…
Qualquer um aqui que não seja avesso a produtos importados, arte,ciência ou mesmo representantes de raças de outros povos do mundo, não é xenófobo.

Justin Case
Justin Case
7 anos atrás

Amigos, boa noite.

Uma análise da Strategy Page sobre a 5ª geração de caças:

http://www.strategypage.com/dls/articles/The-5th-Generation-Is-Cursed-10-13-2013.asp

Abraços,

Justin

Guilherme Poggio
Reply to  Justin Case
7 anos atrás

Prezado Justin Case

Interessante as informações do artigo. Parte delas (principalmente em relação aos problemas do T-50) estã no artigo abaixo, traduzido pelo Poder Aéreo.

http://www.aereo.jor.br/2013/09/23/incertezas-do-programa-pak-fa/

Max
Max
7 anos atrás

Boa Noite Justin.
Muito interessante o artigo.
Me pergunto qual a credibilidade do autor e se alguém vai tentar desmenti-lo ,já que vai na contramão de um otimismo inicial meio que exagerado.
The “Dirty Little Secrets” já não são tão secretos ultimamente.
Agora acho que a Índia vai mesmo comprar os Rafales !

nunes neto
nunes neto
7 anos atrás

Wagner,troca o disco, esse seu discurso já está ficando chato, todas vez vc vem com esse papo de amaricanófilo, xenofóbia,bláblábláblá, isso já está se tornando chato, a maioria aqui faz as análises sem tocar nesses assuntos,análisa puramente o material e seus histórico, parece criança com síndrome de inferioridade!Abçs

nunes neto
nunes neto
7 anos atrás

#complexo de inferioridade