Home Tecnologia Fotos do Advanced Super Hornet

Fotos do Advanced Super Hornet

444
47

MSF13-0081

A Boeing finalmente apresentou fotos oficiais (clique para ampliar) das mudanças que estão sendo introduzidas e ensaiadas no Super Hornet, conhecidas anteriormente como “international road map” e agora denominado “Advanced Super Hornet”. Estas fotos foram fornecidas pela Boeing ao site da Aviation Week e reproduzidas aqui.

Um F/A-18F foi equipado com tanques de combustível conformais (CFT em inglês) e outras modificações e fez seu primeiro voo a partir do aeroporto internacional de St Louis no dia 5 deste mês (a foto acima é do segundo voo).  O blog do Poder Aéreo apresentou as imagens publicadas pelo blog AeroExperience no dia 7 de agosto (veja no link abaixo).

Na foto acima é possível observar que a configuração dos dois CFT foi modificada en comparação aos CFT originalmente propostos. A capacidade deles também é maior. Na imagem abaixo, vê-se claramente o casulo de armas, de desenho furtivo, preso ao pilone central.

MSF13-0084

COLABOROU: ‘Penguin’

VEJA TAMBÉM:

Subscribe
Notify of
guest
47 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Alexandre Galante
7 anos atrás

Gostei do design do tanque conformal.

Ozawa
Ozawa
7 anos atrás

Realmente, o CFT ficou muito mais aerodinâmico que o da 1ª versão.

Vida longa ao vespão !

Ahhh…, Brasil, se você fosse um país sério…

Ozawa
Ozawa
7 anos atrás

Outras belas tomadas:

comment image

comment image

comment image

comment image

joseboscojr
joseboscojr
7 anos atrás

Mas quanto ao IRST ventral até agora, nada!

Edgar
Admin
7 anos atrás

Rapaz, ou esse piloto é ‘baixinho’ ou o SH é uma aeronave ENORME.

Gostei da proposta. Sempre fui a favor dos SHs para nosso inFindável X.

Imagino um destacamento brasileiro com meia dúzia desses mais um par de Growlers sobrevoando La Paz e negando o uso do espaço aéreo inimigo aos cocaleiros.

Sonho meu.

Fernando "Nunão" De Martini
Editor
7 anos atrás

Roberto, De fato, curioso esse detalhe. A abertura do canhão parece estar coberta e o encaixe do radome também me parece um tanto diferente. Mas, como se trata de uma aeronave de testes, pode ser que o mesmo tenha sido retirado para instalação dos equipamentos de testes de voo, vai saber. Ainda está faltando também, como percebeu o Bosco, a carenagem do IRST sob o nariz da aeronave. Mas, no pdf de apresentação, é mostrada uma imagem de nariz de Super Hornet (provavelmente é imagem mais antiga) tanto com a abertura do canhão sobre o nariz quanto com a carenagem… Read more »

Observador
Observador
7 anos atrás

Srs. Alexandre, Roberto e Ozawa,

Tiraram as palavras da minha boca.

Estes CFTs ficaram realmente bonitos. Lembram um pouco as linhas dos CFTs do F-16 Block 50 em diante.

eraldocalheiros
eraldocalheiros
7 anos atrás

É senhores muito bonito, elegante e mortal, mas a pergunta que não quer calar é: A dama de bronze fechando com o tio San viria os modernizados ou os vespões a moda antinga? Saudações à todos.

Blind Man's Bluff
Blind Man's Bluff
7 anos atrás

Alguem sabe por quê o SH não foi escolhido/oferecido como semi finalista para o FX sul coreano?

Oganza
Oganza
7 anos atrás

É verdade… ou os pilotos de teste são hobbits ou ASH ficou maior rsrsrs No IRST, na segunda página do pdf, eles falam em “Internal IRST”, mas acho que não foi instalado nesse novo airframe, mas tb aposto que será em uma configuração mais “discreta” do que na versão ROADMAP, algo mais próximo do que foi feito com o F-35. Já os CFTs ficaram mais delgados e fluidos que no F-16, dando um ar menos “anabolizado” que os Blocks 55 por exemplo, enfim ficaram melhor resolvidos. E quanto ao canhão, deu para perceber um minúsculo ressalto nas páginas 13 e… Read more »

Augusto
Augusto
7 anos atrás

Finalmente o Super Hornet ficou bonito.

Oganza
Oganza
7 anos atrás

Blind Man’s Bluff disse:
27 de agosto de 2013 às 22:57

É puro achismo meu. Mas como os 2, F-15 e SH são da Boeing, ficaria no mínimo estranho e tem 2 fatos que reforçam a companhia de Seattle ter oferecido o F-15:

1- A CS já opera o F-15 na versão “K” Slam Eagle

2- A Boeing quer encontrar um parceiro para desenvolver (financiar, ao menos em parte) o F-15SE, e o programa coreano é uma excelente oportunidade, tanto que é o SE que eles estão oferendo para a CS.

Mas como disse, é achismo.

Grande abraço.

Oganza
Oganza
7 anos atrás

Será que o RSC diminuiu em relação ao F-18E/F?

Oganza
Oganza
7 anos atrás

*RCS

Fighting Falcon
Fighting Falcon
7 anos atrás

Será que a proposta atualizada do FX-2 já contempla essa versão?

Joner
Joner
7 anos atrás

Não tem pilones nas asas, mas se não estou enganado, da para ver os furos para fixação desses na parte inferior das asas.
E quanto a capacidade de caregar misseis no novo casulo, quando comparado as asas?
Esse caça esta cada vez melhor!

Nick
Nick
7 anos atrás

Excelente opção para quem não tem condições de bancar o F-35 ou PAKFA. Mas é uma solução datada, portanto seria necessário um caça de 5ª geração para garantir a Superioridade Aérea a partir dos anos 20/30.

[]’s

Joner
Joner
7 anos atrás

Senhores, seria posivel em um teatro sem ameaças aéreas, mas com grandes concentrações de sitios de SAN’s, colocar mais um PUD de armas em cada asa, talves de menor tamanho, para aumantar a capacidade de bombardeio, ficando fora dos radares?
Pois PUD’s nas asas certamente dificultariam certas manobras, e aumentaria o consumo.

Joner
Joner
7 anos atrás

Ops, já vi a capacidade dos PUS’s…..

Mas a pergunta é seria viavel a instalação de mais um?

Fernando "Nunão" De Martini
Reply to  Joner
7 anos atrás

Joner, A resposta às suas perguntas está na apresentação em pdf da matéria acima. Pode-se instalar um sob cada asa, como diz o texto (embora não seja mostrado em ilustrações). Mas isso seria, talvez, para missões num raio consideravelmente menor do que as 650nm possíveis com os dois CFT e um pod furtivo central, pois dois pods gerarão bem mais atrito e deixarão a aeronave mais pesada do que um só. E combiná-los com um tanque central não furtivo eu acho que seria algo incoerente. Poderiam desenvolver um tanque para colocar no interior do pod furtivo central, mas será que… Read more »

Fernando "Nunão" De Martini
Editor
7 anos atrás

Acho difícil, Roberto. A Boeing quer mais exportações de F-18, e todos os seus concorrentes principais em concorrências já existentes ou ainda por vir têm canhão (Typhoon, Rafale e F-35A, sem falar de F-16 E, Gripen E e até Su-35 no caso de países que misturam vários tipos nas concorrências). Além disso, já haveria uma “falta” de canhão embarcado no F-35B do USMC (essa versão só tem em pod). Uma ausência dessas em Super Hornets ainda a serem entregues à USN seria algo estranho. Lembrando que os “kits” do Advanced Super Hornet” também poderiam ser instalados em aeronaves existentes. Duvido… Read more »

Oganza
Oganza
7 anos atrás

Fernando “Nunão” De Martini disse: Eu acho que a uma solução Advanced Super Hornet (ASH) foi pensada para maximizar suas capacidades com o uso de pacotes MISTOS, agregando a ele (os pacotes) todas as características de um 5ª Geração em um 4,5 Geração que foram possíveis. Por exemplo, em missão de primeiro dia poderia ter 1 PACOTE MISTO de: 6 esquadrilhas de 4 aeronaves cada que poderiam ser: 3 de ataque com: 3 ASH/F apoiados por 1 ASH/G por esquadrilha. 2 de superioridade aérea com: 4 ASH/E por esquadrilha 1 de SEAD com: 4 ASH/G Dessa forma se obteria (ou… Read more »

Fernando "Nunão" De Martini
Editor
7 anos atrás

Sem dúvida, Oganza. Da mesma forma, os F-35 deverão operar em pacotes, com seções das esquadrilhas dedicadas a uma ou outra missão do pacote, conforme a configuração de suas baias de armamento. As baias internas dos F-35, assim como os pods furtivos externos do Advanced Super Hornet, têm considerável flexibilidade quanto aos tipos de armas que levam, mas têm capacidade limitada em quantidade. Assim, maximiza-se o efeito variando as armas levadas por cada seção do pacote. O que achei interessante na apresentação acima é que os AIM-9X ficam sempre nas pontas das asas dos Super Hornets, na tela com as… Read more »

Oganza
Oganza
7 anos atrás

Alguém sabe dizer se os Growlers tem mais poder de SUPRESSÃO ELETRÔNICA que o F-35?

Pergunto isso, pois um pacote misto de ASH com a COBERTURA ELETRÔNICA dos Growlers me parece um PODEROSO MITIGADOR frente a uma possível defesa aérea formado por caças de 5ªG.

Grande Abraço.

Oganza
Oganza
7 anos atrás

Fernando “Nunão” De Martini disse:
28 de agosto de 2013 às 10:28

Com certeza Nunão, estava vendo essa página a pouco. Me parece que o grande diferencial ou carta na manga do SISTEMA ASH é justamente a presença dos Growlers, todos os exemplos de incursão são exemplificado tendo a cobertura eletrônica dos Growlers.

Grande Abraço.

Wagner
Wagner
7 anos atrás

Eu disse que esses caças de 4ª geração mereciam um novo futuro, do que apenas serem sucateados e destroçados em prol da pirâmide voadora…

Vader
7 anos atrás

Wagner disse:
28 de agosto de 2013 às 11:11

Parceiro, uma coisa é uma coisa, outra coisa é outra coisa.

Por mais que uma aeronave 4,5g seja modificada para favorecer a redução de RCS, e o Super Hornet é disparado o mais avançado do mundo em tal quesito, ela jamais atingirá o baixíssimo RCS de uma que foi pensada desde o princípio para tal.

Gilberto Rezende
Gilberto Rezende
7 anos atrás

O IRST no ASH é interno ou seja é escamoteável como o farol de um carro esportivo. TALVEZ para que isso tenha sido feito tiveram que dançar um canhão (parecido com o foi feito por aqui na FAB, mas é chute meu). Grande cara de pau de Marketing da Boeing anunciar um programa que começou a menos de 3 meses como uma configuração PRONTA. CLARO que o FX-2 não comporta NADA DISTO, os CFTs são protótipos recém completados e o POD de armamentos é um bellíssimo Mockup aerodinâmico e realismo Hollywoodiano que está pelo menos a 2 anos do primeiro… Read more »

Fernando "Nunão" De Martini
Reply to  Guilherme Poggio
7 anos atrás

Falando em abrir o pdf e ver as fotos por lá (alguns se deram ao trabalho e até falaram nas páginas, outros não), a imagem abaixo, que coloquei agora também para complementar as fotos da matéria mais recente, mostra que parece haver sim uma cobertura sobre a abertura do canhão, incluindo um ligeiro “calombo”. Não faria sentido (ao menos no meu chute) haver esse calombo caso se retirasse o canhão – simplesmente seria o caso da cobertura ser lisa.

comment image

Edgar
Admin
7 anos atrás

Gilberto, mas com a “Transferência de Tecnologia” tanto apregoada ao longo de todos esses anos por esse governo, deveria ser, no mínimo, útil para que nós mesmos projetássemos CFTs para integramos à aeronave FX-2, independente de qual seja a mesma. E, francamente, pra que o Congresso Americano iria barrar uma venda de tanques de combustível uma vez que já nos venderam as Aeronaves??? Os problemas econômicos internos deles são tão graves que um contrato desse tipo de assunto será criado por um assistente ou estagiário e irá pra mesa do presidente da determinada comissão apenas para assinar. Como você mesmo… Read more »

Fernando "Nunão" De Martini
Reply to  Edgar
7 anos atrás

Edgar, A Northrop Grumman já projetou o CFT e fabricou um protótipo, então creio que alguma participação brasileira no mesmo (em caso de vitória do Super Hornet no F-X2) só possa ser na industrialização. Resta talvez o pod furtivo, vai saber. Além, é claro, de outras coisas não menos importantes: Até onde sei, um dos principais pontos que a Boeing volta e meia relaciona a um desenvolvimento conjunto ligado ao F-X2 é no novo painel da aeronave, aviônicos, simulação, esse tipo de coisa. Isso já foi trazido para discussão aqui mais de uma vez. http://www.aereo.jor.br/2012/03/05/boeing-e-elbit-systems-assinam-mou-para-investimento-em-tecnologia-no-brasil/ http://www.aereo.jor.br/2012/03/06/boeing-tem-novo-parceiro-para-o-fx-2/ http://www.aereo.jor.br/2012/03/28/boeing-e-elbit-estao-colaborando-em-projeto-de-simulador-do-super-hornet/ http://www.aereo.jor.br/2012/06/14/boeing-seleciona-a-elbit-para-fornecer-o-head-up-display-de-baixo-perfil-para-avioes-de-caca/ http://www.aereo.jor.br/2012/09/19/boeing-e-ael-conectam-simuladores-nos-estados-unidos-e-brasil/ http://www.aereo.jor.br/2012/04/23/simuladores-poder-aereo-voa-super-hornet-na-ponta-dos-dedos-parte-1/… Read more »

Fernando "Nunão" De Martini
Reply to  Fernando "Nunão" De Martini
7 anos atrás

“Gilberto Rezende em 28/08/2013 as 11:59 O IRST no ASH é interno ou seja é escamoteável como o farol de um carro esportivo. TALVEZ para que isso tenha sido feito tiveram que dançar um canhão (parecido com o foi feito por aqui na FAB, mas é chute meu).” Não seria o caso de UM canhão e sim de dançar O canhão, pois é um só, central. Mas não acredito que todo o sistema precise ocupar o espaço de todo um conjunto do canhão, que é enorme. http://www.aereo.jor.br/2013/03/22/super-hornets-da-usn-hora-de-cuidar-do-canhao-do-aviao/ Se é pra chutar uma necessidade real de mais espaço naquela área (lembrando… Read more »

joseboscojr
joseboscojr
7 anos atrás

Gilberto,
O IRST do ASH não é escamoteável e sim fixo. Ele é facetado de modo a reduzir o RCS.

Oganza,
A capacidade de guerra eletrônica do F-35 é limitada ao radar AESA. Tirando a capacidade de interferência do AESA o único jeito do F-35 suprimir radares é na base da “bala”. rrsssss
O F-35 será excelente na função DEAD e pouco útil para SEAD sendoé pouco provável até que venha a ter integrado um míssil anti-radiação na sua primeira década de operação, pelo menos não nas mãos dos americanos.

joseboscojr
joseboscojr
7 anos atrás

Na verdade, apesar do USMC cogitar o emprego do F-35 para ataque eletrônico, não é muito sensato usar uma aeronave stealth para essa função já que a furtividade vai para as cucuias com a aeronave emitindo em todo o espectro.

Vader
7 anos atrás

Gilberto Rezende disse: 28 de agosto de 2013 às 11:59 Só besteira e hoax hein Gilberto? Vamos lá: “O IRST no ASH é interno ou seja é escamoteável como o farol de um carro esportivo. TALVEZ para que isso tenha sido feito tiveram que dançar um canhão (parecido com o foi feito por aqui na FAB, mas é chute meu)” Giltiger, o Super Hornet só tem um canhão. E ele está lá do mesmíssimo jeito, como demonstrado nas fotos do Nunão acima e no pdf que o senhor, como de hábito, NÃO SE DEU AO TRABALHO DE LER! Por outro… Read more »

Vader
7 anos atrás

joseboscojr disse:
28 de agosto de 2013 às 13:14

Bosco, pelo que se vê das fotos o IRST parece ser sim escamoteável (posso estar enganado, mas é o que parece).

Sds.

Oganza
Oganza
7 anos atrás

joseboscojr disse: 28 de agosto de 2013 às 13:14 Vlw Bosco, então podemos sim imaginar que elementos de ASH-E/F com a cobertura ELETRÔNICA de ASH-G podem sim ser um fator mitigador bastante razoável em comparação a falta/contra caças de 5ªG? Quanto ao IRST que os colegas estão falando, acho que ele não foi instalado ainda, não nessa versão ai das imagens contidas no documento. Aposto até será uma solução parecida com a do primeiro ROADMAP, mas com em uma proposta de design mais discreta, tipo F-35. Lembrando que ainda está faltando o sistema ao estilo DAS – Distributed Aperuture System,… Read more »

claudiocalabria
claudiocalabria
7 anos atrás

Oganza

Segundo informações divulgadas pela Boeing, o RCS é cerca de 50% menor do que o Vespão Block II, resultante das alterações aerodinamicas e eletrônicas.

claudiocalabria
claudiocalabria
7 anos atrás

O Growler é um projeto sensacional, único e sem concorrentes no Mundo atualmente. ele é perfeito no que faz.

Lembrem-se, este é o único avião do Mundo a ter uma pintura do de abate do F-22 em sua lateral, e poderá ser o único durante décadas.

eduardo pereira
eduardo pereira
7 anos atrás

Super Vespao !!

joseboscojr
joseboscojr
7 anos atrás

Não creio que o IRST tenha sido montado e seja escamoteável.
Salvo engano só a torreta TRAM do A-6 era retrátil e assim mesmo não era um IRST e sim um sistema de aquisição de alvos.
Um IRST tem uso praticamente em tempo integral já que tem diversa finalidades além da detecção de aeronaves hostis, e não deveria, em princípio, ser retrátil.
Se já achavam difícil integrar um à fuselagem, haja vista o sensor/tanque que estava (?) sendo projetado, dirá fazê-lo retrátil.
Mas… Tudo é possível!

Fernando "Nunão" De Martini
Reply to  joseboscojr
7 anos atrás

“joseboscojr em 28/08/2013 as 19:07 Não creio que o IRST tenha sido montado e seja escamoteável.” Também não creio e nem teria motivo para fazer isso agora, já que o programa visa demonstrar e testar uma coisa de cada vez. A apresentação em pdf deixa claro que a fase atual é focada nos CFTs, em seu projeto já praticamente pronto para industrialização, em seus testes de voo etc. Testar IRST é a próxima fase, que buscará comprovar capacidade de fusão de dados do radar e do IRST, apresentando tudo isso fundido na grande tela do painel da aeronave. Ao menos… Read more »

Oganza
Oganza
7 anos atrás

Vlw Cláudio, eu vi essa informação no pdf. Mas eu me pergunto se esses 50% não é em comparação ao SH com cargas externas Vs um ASH com a mesma carga equivalente no EWP + CFT?

Saudações.

claudiocalabria
claudiocalabria
7 anos atrás

Oganza,

Essa é uma dúvida interessante, que também compartilho. Eu teria que pesquisar, mas me falta tempo.
Algum companheiro pode nos elucidar?

Saudações,

Gilberto Rezende
Gilberto Rezende
7 anos atrás

IRST INTERNO aparece como uma DAS diferença do ASH em relação ao Block II. Pesquisas isoladas em componentes começaram antes mas a decisão de aprova-las em uma nova configuração chamada ASH (Advanced Super Hornet) datada de menos de 3 meses que foi aprovada. NADA disso está e NEM PODE estar na proposta do FX-2, quem argumenta ao contrário só expõe-se ao ridículo pelo seu fanatismo fan boy. Da mesma forma os que argumentam que não há RAZÃO do congresso americano vetar futuramente a atualização ASH para o Brasil mostram NÃO COMPREENDER o que significa ter laços tecnológicos militares com o… Read more »