Home Noticiário Internacional Um ‘quarentão’ chamado Poti

Um ‘quarentão’ chamado Poti

491
7

Base Aérea de Porto Velho realizará a solenidade

 

AH-2 Sabre - foto FAB

1-8 GAV PotiO Segundo Esquadrão do Oitavo Grupo de Aviação (2º/8º GAv), conhecido como Esquadrão Poti, tem suas origens no Centro de Formação de Pilotos Militares (CFPM) no Primeiro Esquadrão do Quinto Grupo de Aviação (1º/5º GAv), na Base Aérea de Natal. Essa Unidade operava os bimotores Douglas B-26 Invader e foi transferido no início de 1971 para a Base Aérea do Recife. Através da Portaria nº R-004/GM3, de 17 de abril de 1973, foi determinada a desativação do 1º/5º GAv e a ativação do Segundo Esquadrão Misto de Reconhecimento e Ataque (2º EMRA), subordinado ao Comando Aerotático, adotando como símbolo a figura do índio Poti.

Inicialmente o 2º EMRA foi equipado com aeronaves North American T-6D/G Texan, Neiva L-42 Regente e helicópteros Bell OH-4 Jet Ranger, estes depois substituídos ao final de 1974 pelos Bell UH-1H Iroquois. Contou também em sua dotação com aeronaves Neiva T-25 Universal e Embraer U-7 Seneca.

A denominação Segundo Esquadrão do Oitavo Grupo de Aviação (2º/8º GAv) foi implantada através da Portaria nº R-239/GM3, de 09 de setembro de 1980. A sua principal missão era formar e treinar pilotos e tripulantes de helicópteros em diversas missões, mantendo o preparo técnico-profissional de suas equipagens, permitindo o cumprimento de missões na Tarefa Operacional de Superioridade Aérea: Interceptação, Ataque, Escolta, PAC (Patrulha Aérea de Combate) e demais missões da Tarefa Operacional de Apoio ao Combate, além de executar as chamadas Operações Especiais: infiltração e exfiltração de tropas (utilizando as técnicas de Rapel, Pouso de Assalto e McGuire), Busca e Salvamento (SAR) e Busca e Salvamento em Combate (C-SAR) tanto na selva como no mar.

Em meados dos anos 80 o Esquadrão Poti foi equipado com helicópteros Helibrás H-50 Esquilo, montados no Brasil sob licença da Aerospatiale, atual Eurocopter. Essas aeronaves eram armadas com para lançadores de foguetes SBAT 70/7 de 70 mm e metralhadoras MAG calibre 7,62 mm ou FN Herstal calibre 12,7 mm.

No final de 2009, o Esquadrão Poti foi transferido da Base Aérea de Recife para a Base Aérea de Porto Velho, em Rondônia, passando a operar os helicópteros russos de ataque Mil Mi-35M Hind, denominados AH-2 Sabre na FAB. As três primeiras aeronaves chegaram em dezembro de 2009, chegando mais três em outubro do mesmo ano. Em agosto de 2012, foram recebidas mais três aeronaves, totalizando 09 das 12 previstas.

Atualmente, com os Sabres, o Esquadrão Poti cumpre missões de interceptação, combate aéreo, ataque, escolta e apoio aéreo aproximado, garantido a dever constitucional em todo o Brasil a partir da Amazônia Ocidental.

 

CERIMÔNIA MILITAR ALUSIVA AO 40º ANIVERSÁRIO DO ESQUADRÃO POTI

LOCAL: Pátio Operacional do 2°/8° GAV.

DATA: 09 AGO 2013.

INÍCIO: 08h 30min.

SEQUÊNCIA DO EVENTO

1. Incorporação da Bandeira Nacional;
2. Chegada da maior autoridade;
3. Apresentação da tropa;
4. Deslocamento do 2°/8° GAV para posição de destaque;
5. Sobrevoo de aeronave;
6. Entrega de prêmios (Piloto mais eficiente, Graduado Padrão, Praça Padrão e Segurança de Voo);
7. Canto da Canção do 2°/8° GAV;
8. Palavras do Cmt do 2°/8° GAV;
9. Palavras da maior autoridade;
10. Retorno do 2°/8° GAV para o dispositivo inicial;
11. Incorporação dos eternos Potis à tropa; e
12. Desfile da tropa.

FONTE: Rondônia Dinâmica

Subscribe
Notify of
guest
7 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Soldat
Soldat
7 anos atrás

Parabéns e vida longa ao.

“Segundo Esquadrão do Oitavo Grupo de Aviação (2º/8º GAv), conhecido como Esquadrão Poti”.

E que venham mais Mil Mi-35M Hind.

Marcos
Marcos
7 anos atrás

1) Esse dai foi compra de prateleira;

2) Não teve “transferenphia de tecnolophia”;

3) Teve só comissão para os que intermediaram o negócio;

4) Segundo o Sr. Fontes, o preço ficou 30% mais caro do que
se a FAB tivesse feito a compra direto;

5) E esse helicóptero está obsoleto, tanto que os russos utilizam
outro modelo para a mesma função;

6) Então, nem para isso, comprar equipamento no estado da arte,
são competentes.

Marcos
Marcos
7 anos atrás

Alguém deve ter assistido Rambo – A Missão, dai fez um monte de confusões: achou que Mi-35 era Super Puma, ou que Super Puma era Mi-35. Então compraram a Kombi achando que era o helicóptero do Rambo. Talvez, apenas talvez, depois disso descobriram que não era e dai compraram a aeronave correta.

Mauricio R.
Mauricio R.
7 anos atrás

Belo diorama!!!
E não, não precisamos de mais Hinds, precisamos isso sim de transparência, mta aliás, qnto a certas aquisições de materiais de defesa pelos governos do PT.

Marcos
Marcos
7 anos atrás

off topic

by Agência Força Aérea

OPERACIONAL – PELA PRIMEIRA VEZ, BLACKHAWK É PILOTADO SOMENTE POR MULHERES

Guizmo
Guizmo
7 anos atrás

Se está obsoleto eu não sei, apenas sei que esse helicóptero é animal, mete uma banca danada e gosto de tê-los na FAB.

Oganza
Oganza
7 anos atrás

Marcos disse:
6 de agosto de 2013 às 10:42

hahahaha fantátisco, é verdade, em RAMBO II e no III também, aparecem Super Pumas fantasiados (literalmente) de Mi-35. Hollywood não tinha a manha conseguir alguns de verdade na época (Guerra Fria no II e fim da mesma no III), os Intel Pentiuns não existiam e a Pixar ainda era em uma garagem, foram de SP mesmo.

É Marcos, acho que os caras assistiram muita Sessão da Tarde. rsrsrs