Home Noticiário Internacional Gripen na República Tcheca: com saída do primeiro ministro Necas, contrato de...

Gripen na República Tcheca: com saída do primeiro ministro Necas, contrato de ‘leasing’ deverá ser renovado

235
10

Gripen Tcheco em reabastecimento - foto Min Def Rep Tcheca

O ministro da Defesa da República Tcheca, Vlastimil Picek, anunciou planos para estender o “leasing” de caças suecos Saab JAS 39 Gripen, em uso no país. A informação foi veiculada na última segunda-feira (15 de julho) pelo site Defense News, a partir de nota da agência tcheca CTK.

O ministro disse que o novo contrato será mais vantajoso para o país, e que a proposta de extensão do contrato será submetida após o gabinete do primeiro ministro Jiri Rusnok receber o voto de confiança do Parlamento Tcheco. O primeiro ministro Rusnok foi indicado pelo presidente Milos Zeman em 10 de julho, após a saída do anterior ocupante do cargo, Petr Necas. Agora, Rusnok tem 30 dias para requisitar o voto de confiança.

O atual contrato de “leasing”, assinado em junho de 2004 entre os governos da Suécia e da República Tcheca, tem validade até 2014 e custo de cerca de 19,6 bilhões de coroas tchecas (aproximadamente (984 milhões de dólares) para o aluguel de 14 caças a jato Gripen, fabricados pela sueca Saab. As possibilidades de extensão do contrato variam entre prazos de três a onze anos e entre 5 e 14,5 bilhões de coroas, segundo a imprensa tcheca.

Gripen no Báltico - foto Forças Armadas da República Tcheca

FONTE: Defense News (tradução e edição do Poder Aéreo a partir de original em inglês)

FOTOS: Ministério da Defesa da República Tcheca

NOTA DO EDITOR: por diversos momentos, o ex-primeiro ministro tcheco Petr Necas vinha se mantendo como um entrave à renovação do contrato, devido ao mesmo ter sido assinado pelo gabinete anterior, do qual era opositor. Necas chegou a afirmar que os caças eram incompatíveis com a OTAN e que não podiam ser reabastecidos em voo. Com o tempo e as evidências de satisfação dos militares tchecos com o equipamento, incluindo a realização de sucessivas operações no âmbito da OTAN e de operações de reabastecimento em voo, Necas passou a declarar que os tchecos estavam satisfeitos com os caças, porém prosseguia numa postura de difícil negociação (veja links abaixo). É significativo que, logo após sua saída do governo, o assunto volte à pauta. Outro operador de Gripen por meio de “leasing”, a Hungria, já havia estendido seu contrato no início do ano passado, para mais dez anos.

VEJA TAMBÉM:

Subscribe
Notify of
guest
10 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
nunes neto
nunes neto
6 anos atrás

Nesse caso, um Leasing muito longo , não é melhor comprar?

Edcarlos Prudente
Edcarlos Prudente
6 anos atrás

E o drama do 787 Dreamliner continua!

http://exame.abril.com.br/mundo/noticias/boeing-e-reguladores-orientam-companhias-a-checar-787

Quanto a noticia do tópico, como disse o companheiro nunes neto, seria interessante para a Republica Tcheca iniciar um programa para a escolher e comprar caças de forma definitiva.

Edcarlos Prudente
Edcarlos Prudente
6 anos atrás
Baschera
Baschera
6 anos atrás

Enquanto isto em Puthânfia…com ou sem ministro Necas… “necas” de caça….

Sds.

ricardo_recife
ricardo_recife
6 anos atrás

Foi somente tirar o Neca de pitibiribas tcheco que a coisa andou (o FHC/Lula/Dilma deles) Hungria e República Tcheca renovaram seus leasings. E agora como ficam os super entendidos, by Dassault, que falavam que la jaca já tinha acertado com os suíços? Que diziam que húngaros e tchecos iriam devolver os Gripens por isto, aquilo e muito etc… Queimaram a boca. De novo. Será que agora aprendem, duvido muito. Será que com esta extensão dos leasing existe a possibilidade de mais dois clientes europeus da versão E/F? Seria um resultado final excelente. Abs, Ricardo E mais um país decide, e… Read more »

Vader
6 anos atrás

Fim de novela.

Guilherme Poggio
Editor
6 anos atrás

Deu o óbvio na Rep. Tcheca.

Edcarlos Prudente
Edcarlos Prudente
6 anos atrás

Um contrato de leasing como este talvez seja a única forma de garantir o pleno funcionamento da aviação de caça da FAB em curto prazo. O fim do FX-2 com a possível escolha de um dos concorrentes não significará que os mirage 2000-C e nem os primeiros F-5M a dar baixa sejam substituídos de imediato.

A questão seria, o Ministério da Defesa do Brasil e a FAB teriam condições de bancar um leasing desse porte por um período mínimo por cinco anos?

Joner
Joner
6 anos atrás

U$$ 984 milhões de dólares em um leasing de 14 caças?
Quais as vantagens desse negocio? Quanto custaria um Gripen, menos de U$$ 80 milhões eu acredito, dava para comprar uns 12 Gripens.
Será que o custo de treinamento, manutenção e operação são tão caros assim?

Alguém sabe dizer o que esse leasing cobria, se a SAAB realizava toda a manutenção das aeronaves e ao cliente cabe só voar?
Quais os gastos que estão fora de um leasing desses???