sexta-feira, maio 27, 2022

Gripen para o Brasil

Defesa destaca urgência de o País ter seu satélite

Destaques

Guilherme Poggiohttp://www.aereo.jor.br
Membro do corpo editorial da revista Forças de Defesa e sites Poder Aéreo, Poder Naval e Forças Terrestres

satelite-comunicacao

 Tânia Monteiro e Lisandra Paraguassu

vinheta-clipping-aereoAs denúncias de violação de telefonemas e transmissão de dados de empresas e cidadãos brasileiros serviram para reforçar a tese das Forças Armadas da necessidade de o Brasil dispor de seu próprio satélite de comunicação militar, em vez de continuar alugando a Banda X do satélite para a Embratel, cujo controlador é a mexicana Telmex, ao custo anual de R$ 14 milhões, como ocorre hoje.

Nas reuniões de governo dos últimos dias, o Ministério da Defesa tratou da preocupação dos militares e a necessidade de acelerar o investimento. A expectativa é a de que o episódio seja decisivo para que não ocorram novos atrasos na licitação para a construção do satélite, que está em andamento. E sejam garantidos os recursos para que o satélite fique pronto e entre em operação, em uma nova estimativa otimista, em abril de 2016.

Em 2009, quando foi mais uma vez prometida a construção do satélite geoestacionário brasileiro, a previsão era que sua entrada em operação ocorreria em 2014, ao custo de R$ 700 milhões, na época. Agora, a expectativa de gastos já ultrapassa a casa do R$ 1 bilhão.

Desde que surgiram as informações sobre a violação do sigilo de e-mails e telefonemas de autoridades brasileiras, ficou no ar a pergunta a respeito da segurança das correspondências de funcionários de alto escalão. O Gabinete de Segurança Institucional (GSI) da Presidência da República informou ao Estado que costuma renovar os “tipos de criptografia usados para proteger as informações sensíveis do governo federal”.

Para garantir o sigilo das comunicações feitas pelo governo, o GSI informou que dispõe do Centro de Tratamento de Incidentes de Rede (CTirGov), que pertence ao Departamento de Segurança e Informação.

Mas o Brasil depende de empresas estrangeiras para estabelecer canais de comunicação via satélite dentro do próprio território. Dos oito satélites utilizados pelo País para esse fim, nenhum é estatal. Para dar conta dessa demanda, o Brasil aluga os equipamentos ao custo anual de mais de R$ 100 milhões. O sistema em licitação é para o projeto do Satélite Geoestacionário de Defesa e Comunicações Estratégicas (SGDC).

Para tal, foi criada a empresa Visiona Tecnologia Espacial SA, parceria entre a Telebrás e a Embraer. A conclusão da licitação deve ocorrer no fim do mês e espera-se que o contrato seja assinado no final de agosto. A estimativa de entrada em operação é de 32 meses após a assinatura do contrato, ou seja, abril de 20i6? se houver vontade política e não ocorrerem novos atrasos. O novo satélite triplicará a capacidade de utilização do sistema.

A preocupação de possuir um satélite próprio é antiga no País. O governo brasileiro também tenta, há anos, desenvolver um veículo lançador de satélites para ser usado na base de : Alcântara, mas até hoje não teve sucesso. Da mesma forma, os servidores-raiz da internet, por onde passa todo fluxo de informações via rede mundial, são controlados pelo Departamento de Comércio dos EUA. Até mesmo as redes de fibra ótica que conectam a maior parte dos países passam pelo território americano.

Em 2003, 0 Centro de Lançamento de Alcântara, no Maranhão, foi incendiado na explosão do foguete VLS. Passados dez anos, a infraestrutura da base ainda não está 100% recuperada.

FONTE: O Estado de São Paulo, via planejamento.gov

- Advertisement -

14 Comments

Subscribe
Notify of
guest
14 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Vader

Ahhhh, descobriram a pólvora…

Que bom, para alguma coisa pode ser que tenha servido o tal Snowden…

ROTAnaRUA

Próximo slogan do governo federal será: “Brasil, o país da urgência”

Quantas vezes, nesses últimos meses, ouvimos sobre os projetos que serão colocados em urgência?

Se tudo se torna urgente, nada será realizado com urgência.

Marcos

Urgência = incompetência

joao.filho

Incrivel a incompetencia sem fim no Brasil!!! Bilhões investidos, e até agora nem sequer um unico satélite no espaco??? Estamos em 2013, não em 1973. Não estamos falando de botar homem na lua, ou de orbitar o planeta. Até zé mané ja esta colocando satélites no espaco, enquanto o Brasil se mostra cada vez mais incapaz. Urgência no Brasil? Só se for para escola de samba e partida de futebol.

http://www.nbcnews.com/technology/space-all-small-cheap-satellites-may-one-day-do-your-6C10488674

Baschera

Eu havia lido que a despesa anual com aluguel de satélites por parte do país já ultrapassava a casa dos R$ 650 milhões (2012).

Sds.

Baschera

Quando eu e outros aqui “sentamos o páu” no GF (não me importa qual partido seja) alguns idiotas de plantão ficam nos maldizendo e inventando mil desculpas…. mas não é sem razão que criticamos a lerdeza, a falta de planejamento, de raciocínio mínimo, de mirabolantes planos que nunca se concretizam, do desperdício em coisas desnecessárias e inúteis e por aí a coisa vai …… Agora, pegos mais uma vez de calças curtas, embora até o papagaio da dona maroca sabia que nossa segurança eletrônica nunca existiu, vão correr atrás do prejuízo, mas muito cuidado, com a desculpa da “pressa”…ou vão… Read more »

juarezmartinez

Já enterraram e roubaram milhões junto com aqueles ucranianos vigaristas e não aprenderão a lição, mas é assim mesmo, quando o bolso não tem dono é isto aí, seguimos pagando a conta daqueles que nunca sabem de nada….

Grande abraço

Carcará 01

Baschera, o mais inusitado (ou seria esperado…) é que aqueles mesmos que sentam o sarrafo na gente quando expomos as mazelas dos GFs na área de defesa, dizendo que somos os “arautos da desgraça”, SUMIRAM!! Queria que pelo menos UM deles viesse aqui e tentasse defender o indefensável, mas nem pra isso aparecem… Pois é né…

Elezer Puglia

Os aspectos políticos dessa última “descoberta” do governo brasileiro certamente são importantes. Entretanto, apeans para manter os aspectos técnicos dentro do correto, convém lembrar os seguintes pontos. A maioria das pessoas confunde muito a “Internet” como infraestrutura de transmisso de dados (a rede mundial de redes) com suas partes consituintes. Sem querer produzir uma palestra técnica, é preciso esclarecer que o que foi chamado na reportagem acima de “servidores-raiz” trata-se apenas do conjunto de 13 servidores de nível mais elevado do sistema chamado de DNS, usado para fazer a tradução de nomes de domínio (como “www.aereo.jor.br”), convenientes para uso humano,… Read more »

asbueno

O início do programa espacial brasileiro data de meados da década de sessenta, instante em que os indianos também começaram seus esforços. Em que pese, de um modo ou de outro, as diferenças entre os dois países do ponto de vista geopolítico, principalmente, as diferenças entre os dois hoje é abissal. Penso que se nossos governantes tivessem dado a atenção especial ao esforço (e também a muitas outras necessidades!) hoje estaríamos em uma posição de algum relevo. O programa espacial (e outros tantos) é um caso de vai e vem financeiro, falta de visão e política adequada e ausência de… Read more »

Mauricio R.

Juntaram uma empresa que sabe somente de jatos executivos e regionais c/ uma estatal que deveria ser de telecomunicações, mas não passa de um cabidão de empregos p/ os apaniguados da petralhada, p/ produzir nossos satélites.
Sabem bem aonde isso vai dar…
Em uma mais uma empresa francesa, cravando um polpudo contrato.
Socorro Echelon!!!

ricardo_recife

O Brasil tem o mais antigo projeto de um Veiculo Lançador de Satélites do mundo. Tens por baixo uns 50 anos e ate agora nada! O Sonda 1 é dos anos 60. Somos o país dos projetos mais caros, mal planejados e executados do mundo. Os custos sempre sobem, os orçamentos sofrem sempre contigenciamento e a famosa interferência política. Hoje empresas particulares lançam satélites de comunicação em gastar metade do que o Brasil imagina que vai gastar. E ainda falam de Brasil potência, é uma canalhice, patifaria, etc… Vejam esta: “BRASIL USOU 8,9 POR CENTO DO ORÇAMENTO PARA DEFESA CIBERNÉTICA… Read more »

Baschera

O que vocês queriam….. um FoguetoBrás… que lance foguete ???

Aí já é pedir demais.

Um dia senhores… um dia teremos que passar este país verdadeiramente a limpo… lavar as entranhas de dentro para fora… com muito sabão e ácido muriático.

Por hora somos apenas uma paisinho mediocre e jeca !!

Sds.

cristiano.gr

O problema do Brasil é o brasileiro.

Não adianta ficar bravo, é a verdade.

Últimas Notícias

KC-390 e Rafale, exportações x redução na cadência – histórias parecidas?

Nos últimos dias, uma polêmica se instaurou em relação às encomendas da Força Aérea Brasileira (FAB) para o jato...
- Advertisement -
- Advertisement -