Home Aviação de Transporte Participação de Portugal no novo avião da Embraer é de 4,5% e...

Participação de Portugal no novo avião da Embraer é de 4,5% e não de 45%

292
11

KC-390 em pista semipreparada - ilustração Embraer

Lisboa, 21 jun (Lusa) — A Empresa de Engenharia Aeronáutica (EEA) esclareceu que a participação de Portugal no novo avião da Embraer será de cerca de 4,5% e não de 45%, como “por lapso terá incorretamente sido transmitido à agência Lusa”.

Na quarta-feira, o presidente da EEA, Jacinto Bettencourt, afirmou à Lusa, no Salão Internacional da Aeronáutica Le Bourget, na região de Paris, que 40 a 45% do novo avião da Embraer “é desenhado e produzido em Portugal”.

“Esclarece-se que por lapso terá incorretamente sido transmitido à Agência Lusa que a participação de Portugal no Programa KC-390 poderia chegar aos 45% em atividades de desenho e produção, quando efetivamente se deveria ter transmitido que a participação do país no fornecimento para os aviões de série será de cerca de 4,5%”, lê-se no esclarecimento da EEA enviado depois à Lusa.

FONTE: Expresso

COLABOROU: A. Salvaire

VEJA TAMBÉM:

11 COMMENTS

  1. Porque a Embraer irá transferir parte de sua produção, pequena aliás, para Portugal, como já fez para a China (ERJ-145/Legacy) e EUA (Phenom/ST):

    1) A Embraer comprou uma unidade industrial lá, piortanto a produção continua sendo da empresa;
    2) O governo português também teve de por dinheiro na coisa toda;
    3) A Embraer já terceiriza parte da fabricação de suas aeronaves para outros países, porque simplesmente não lhe interessa mais fazer isso;
    4) A Embraer conserva para si o que é mais caro, conhecimento;

    Americanos devem estar fazendo a mesma pergunta à Lockheed Martin: por que a LM está transferindo produção de partes e componentes para outros países, bem como estudando a abertura de linhas de montagem do seu F-35, o mais caro projeto de caça da história????

  2. Eles quiseram dizer que a participação da “língua portuguesa” era de 45% na linha de produção do KC 390…

  3. Eles quiseram dizer que a participação da “língua portuguesa” era de 45% na linha de produção do KC 390…

    Muito boa essa saída Ozawa

    Ao estilo do nosso ex-chanceler Amorim

  4. A Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) anunciou a abertura de dois processos de audiência pública envolvendo o avião Embraer EMB-550. Os avisos sobre a realização desses debates foram publicados na edição desta sexta-feira do “Diário Oficial” da União (DOU). A audiência pública 7/2013 debaterá “proposta de estabelecimento de condição especial a ser incorporada à base de certificação do projeto de tipo do avião Embraer EMB-550, aplicável à recuperação de manobra por um sistema automático de voo com uma instalação de um sistema protetor de alta velocidade incorporado nas leis de controle de voo, o qual atinge velocidades de mergulho menores”. A audiência pública 8/2013 discutirá “proposta de estabelecimento de condição especial a ser incorporada à base de certificação do projeto de tipo do avião Embraer EMB-550, aplicável à película hidrofóbica a ser utilizada no lugar de limpadores de para-brisas”. Nos processos de discussão, contribuições serão recebidas o dia 20. Detalhes sobre os temas em debate serão publicados no site da Anac (www.anac.gov.br).

    Isso ai foi publicado em alguns jornais e, ao meu ver, não tem nada de mais. O primeiro implica na utilização do sistema fly-by-wire para recuperação de stol e um limitador de velocidade. O segundo, os Legacy 600/650 já utilizam em lugar do tradicional limpador de para-brisas.

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here