Home Indústria Aeroespacial Saab reúne indústria de Genebra para tratar do Gripen E suíço

Saab reúne indústria de Genebra para tratar do Gripen E suíço

197
2

Gripen F em Axalp - foto 3 Depto de Defesa da Suíça

Na última quarta-feira, 15 de maio, a companhia sueca de defesa e segurança Saab, fabricante do caça Gripen, reuniu-se com empresas ndustriais de Genebra, na Suíça. O objetivo da reunião, que faz parte de uma turnê da empresa sueca no país, foi apresentar e discutir oportunidades de negócio para o programa Gripen E, que é a nova geração do caça escolhida pelo Governo Suíço para reequipar parte de sua Força Aérea.

De acordo com a potencial aquisição de 22 caças Gripen E pelos suíços, a Saab é obrigada a prover negócios para a indústria suíça de igual valor ao contrato de compra das aeronaves, o que recebeu a denominação ” Swiss Industrial Participation” (SIP).

Jean-Luc Michoud, vice-presidente do Grupo Romand para Material de Defesa e Segurança (GRPM – Groupe Romand pour le Matériel de Défense et de Sécurité) e diretor da LPS Services SA, afirmou na ocasião: “Minha impressão é que a Saab está muito ativa em apresentar bons resultados já hoje. O “Suisse Romande” tem grande competência industrial. Porém, muitos trabalham como subcontratados e será importante que grandes companhias transmitam seus contratos para subcontratados na Suíça.”

Linha de montagem Gripen - foto 2 SAAB

Nas próximas semanas, a Saab continuará a visita a mais localidades suíças, incluindo as regiões de língua francesa e italiana. O objetivo é informar fabricantes regionais sobre as oportunidades para participação industrial e encontrar novos parceiros de negócio. Ao mesmo tempo, especialistas da Saab estão visitando diretamente companhias selecionadas para aprofundar a cooperação e desenvolver novas relações de negócio.

Segundo o vice-presidente para o Gripen na Suíça, Henry Johansson, estão sendo buscadas “parcerias de negócio de longo prazo e comercialmente viáveis, com impacto sustentável”. Ele complementou: “Trata-se de um critério especificado pela armasuisse (organização governamental para aquisição de material de defesa). O trabalho precisa ser realizado de forma sistemática e com grande detalhismo, o que também leva tempo. A partir da assinatura do contrato do Gripen, a Saab terá dez anos para entregar suas obrigações de compensações (offset)”.

Duas empresas suíças já realizam negócios SIP iniciados pela Saab: a Cleanfizz e a Volotek. Cleanfizz inventou um sistema autolimpante para painéis solares que tem grande potencial de mercado em países desérticos ou do Ártico. Já a Volotek, que pertence aos mesmos proprietários, fabrica componentes de alta tecnologia que estão entre os utilizados pela CERN em Genebra.

No final de 2012, a Saab já havia realizado negócios SIP no valor de 250 milhões de francos suíços e tem o compromisso de entregar pelo menos 300 milhões em SIP antes da assinatura do contrato do Gripen. A empresa recentemente anunciou que vai estender sua base de fornecedores na Suíça para desenvolver e produzir componentes importantes do Gripen E, como a fuselagem traseira, estações de armamentos, cone de cauda, freios aerodinâmicos e tanques externos ejetáveis. O valor de contrato para essas atividades chega a 200 milhões de francos suíços e a 500.000 horas-homem de trabalho.

Nicolas Aune, da União Industrial de Genebra (Union Industrielle Genevoise), afirmou: “Eu acredito fortemente na competência da indústria na região de língua francesa da Suíça. Apesar de contarmos com apenas 25% da população, respondemos por 30% do poder econômico. Possuímos diversas empresas orientadas para o setor de serviços, mas também temos indústrias no estado-da-arte.”

Gripen nas cores da Força Aérea Suíça - ilustração Saab

FONTE: Saab (tradução e edição do Poder Aéreo a partir de original em inglês)

IMAGENS: Departamento de Defesa da Suíça e Saab

NOTA DO EDITOR: o texto original trazia um pronunciamento não creditado, que por não ser possível dizer de quem era a fala, retiramos na edição. Para os interessados no conteúdo, segue o trecho que originariamente estava próximo à descrição das atividades das empresas Cleanfizz e Volotek: “Tivemos nosso primeiro contato com a Saab em 2007 e agora assinamos um contrato que nos dá acesso a novos mercados de exportação. A Saab nos apresentou a potenciais parceiros, e então tornou-se nossa tarefa convencê-los de que somos um parceiro adequado. As coisas não acontecem por si mesmas, e você precisa ser bastante ativo e persistente.”

VEJA TAMBÉM:

2
Deixe um comentário

avatar
2 Comment threads
0 Thread replies
0 Followers
 
Most reacted comment
Hottest comment thread
2 Comment authors
Fernando "Nunão" De MartiniDrCockroach Recent comment authors
  Subscribe  
newest oldest most voted
Notify of
DrCockroach
Visitante
DrCockroach

Eh o Nunao, sutilmente, mostrando as “armas”; colocou como “Nota do Editor” ao final, mas fora do texto, um trecho da materia original que nao havia sido conectada com o autor da fala: corrigindo, portanto, um equivoco da materia da assessoria de imprensa. Editor com “E” maiusculo… Alem da Saab, tem muito jornal de primeira linha no Brasil que precisa dos seus servicos. (P.S.: nao estou “puxando o saco” do chefe nao, porque ele jah disse uma vez que nao eh permitido… rsrs Mas voltando ao trecho citado: “Tivemos nosso primeiro contato com a Saab em 2007 e agora assinamos… Read more »