Home Asas Rotativas Solução interina para os EC225 que operam com restrições

Solução interina para os EC225 que operam com restrições

175
22

EC 225 da frota da CHC - foto CHC

Primeiramente, serão introduzidas ‘barreiras de segurança adicionais’ – no longo prazo, Eurocopter propõe uma solução definitiva com reprojeto do item defeituoso – segundo executivo, a modificação não será muito significativa

Segundo reportagem publicada pelo site Flightglobal na quinta-feira, 18 de abril, a Eurocopter acredita que chegou a uma solução interina ao problema que aflige seu helicóptero EC225, o que poderia fazer com que o modelo voltasse aos voos irrestritos até o terceiro trimestre deste ano. O EC225 foi proibido de voar na região do Mar do Norte desde que, em outubro, um Super Puma operado pela CHC Scotia fez um pouso de emergência no mar. Foi o segundo incidente em 2012 envolvendo esse helicóptero bimotor, com falha catastrófica da engrenagem do eixo vertical.

Lutz Bertling, diretor executivo que deixará o comando da Eurocopter em 1º de maio, disse que a empresa está próxima de resolver o problema: “É mais uma questão de trabalhar junto aos reguladores, operadores, companhias petrolíferas e os passageiros para retornar aos voos”, disse Bertling em evento nas instalações de Marignane, em que expressou desapontamento pelo prroblema não poder ser resolvido antes de deixar a empresa.

Ainda assim, ele está satisfeito com o progresso realizado: “É diferente se você sai quando há uma crise que não foi completamente entendida, mas temos uma clara compreensão da raiz do problema e das soluções”, disse Bertling. O fabricante está aguardando a validação externa de suas descobertas no problema de rachadura, que se acredita ter como causas uma combinação de corrosão, stress residual do processo de fabricação e fadiga.

Acredita-se que a solução interina, descrita por Bertling como introdução de “barreiras de segurança adicionais”, refere-se a modificação no sistema de monitoramento de vibração e instalação de luzes de alerta no painel para indicar a propagação de uma fissura no eixo vertical.

A EASA (European Aviation Safety Agency – agência europeia de segurança de aviação) terá que certificar as mudanças propostas pela Eurocopter, antes que qualquer acordo seja feito com os reguladores civis de aviação do Reino Unido e da Noruega para rescindir as restrições operativas do EC225. Ainda segundo Bertling, isso está sendo conversado com o regulador e, assumindo que há um bom progresso, o executivo disse que os voos serão retomados “não mais tarde do que o terceiro trimestre.”

Já para o longo prazo, a Eurocopter está propondo o reprojeto do componente defeituoso, embora Bertling diga que isso não seja uma “mudança muito significativa”. O executivo afirmou que, durante seus seis anos e meio à frente da Eurocopter, toda essa “saga” foi o mais desafiador problema que enfrentou: “Na história da companhia, nunca tivemos um problema técnico que impactou nossos clientes e os clientes deles e passageiros como o problema no EC225”, completou Bertling.

FONTE: Flightglobal (tradução e edição do Poder Aéreo a partir de original em inglês)

FOTO: CHC (operador de EC225)

COLABOROU: Maurício R.

VEJA TAMBÉM:

22
Deixe um comentário

avatar
22 Comment threads
0 Thread replies
0 Followers
 
Most reacted comment
Hottest comment thread
12 Comment authors
Mauricio R.juarezmartinezVaderAlmeidaCorsario137 Recent comment authors
  Subscribe  
newest oldest most voted
Notify of
Baschera
Visitante
Member
Baschera

Mais do mesmo ! Estão propondo uma gambiarra até que realmente tenham certeza do que causa o problema. Sabem que terão que reprojetar tudo, do eixo a MGB, incluso o sistema de lubrificação de emergência… por isto dizem que “a longo prazo…”…. teve máquina que apresentou o defeito com 130 horas e outras com mais de 3.000 horas….. coisa de louco, memtem portanto quando alegam ser “fadiga”. É falha de projeto, pura e simplesmente. Perderam muito da credibilidade, dos clientes e operadores civis… dos sindicatos, pilotos e passageiros principalmente…os operadores militares operam sob ordens superiores pois o lobby do fabricante… Read more »

Baschera
Visitante
Member
Baschera

Um ano sem voos sobre o mar…. isto se realmente resolverem no final do terceiro trimestre…. qual o operador civil que aguenta ??

Sds.

Nick
Visitante
Member
Nick

Fico imaginando se o problema se repetir com essa gambiarra e tivermos não um incidente, mas uma tragédia.

[]’s

ricardo_recife
Visitante
Member
ricardo_recife

“falha catastrófica da engrenagem do eixo vertical”. “reprojeto do componente defeituoso”. “a solução interina, descrita por Bertling como introdução de “barreiras de segurança adicionais”, refere-se a modificação no sistema de monitoramento de vibração e instalação de luzes de alerta no painel para indicar a propagação de uma fissura no eixo vertical”. Estas três frases que me chamaram a atenção e posso resumir minha impressão desta forma: O problema é muito sério, e é uma questão bem mais profunda que apenas fadiga de material por culpa do fornecedor e não há solução a curto prazo, pois a “solução” oferecida refere-se a… Read more »

Ribeiro
Visitante
Ribeiro

Isto é como se costuma dizer um “ajuste técnico não padronizado”, ou simplesmente gambiarra…

ricardo_recife
Visitante
Member
ricardo_recife

Reformulando a frase final: “mas o que deveria ser uma solução definitiva para o problema das fissuras ainda não existe”.

Galeão Cumbica
Visitante
Galeão Cumbica

Sai pra la esta gambiarra, nao quero viajar mais neste, o bom que a Peroba nao ta deixando eles voarem aqui no Pre sal, imagina sao 1uma hora mais 30 minutos de viagem so de ida, pra chegar em uma plataforma. Imagina entao a situacao da tripulacao da aeronave.

abracos
GC

Baschera
Visitante
Member
Baschera

Galeão Cumbica,

Aguarde…. a contra-ordem já foi assinada…. mas… vamos ver se os pilotos e os sindicatos vão acatar.

Da missa…. não sabemos a metade…. ou alguém acha que o CEO da Lixocopter veio apreciar as belas praias e de quebra fazer uma visitinha ao stand deles na LAAD no RJ ??

Claro que não….. veio cobrar o compromisso da fatura…. afinal as eleições já estão batendo na porta…. entre outras falcatruas mais.

Tem até jornalista que levou “pito” e teve a matéria engavetada….

Sds.

Mauricio R.
Visitante
Mauricio R.

Os sindicatos é até perfeitamente compreensivel, mas não entendo como os pilotos possam influir.

Baschera
Visitante
Member
Baschera

Mauricio,

Pode não ser o caso, mas eu conheci muito sindicalista vendido…. e irem contra os interesses dos afiliados.

Pilotos podem se negar a voar na aeronave…..

Sds.

Marcos
Visitante
Member
Marcos

O problema é que o conjunto de transmissão está subdimensionado para a potência dos motores e o peso da aeronave.

Marcos
Visitante
Member
Marcos

Augusto:

Ou seja: não responderam absolutamente nada!

Agora, gostei mesmo foi do “alegadas” falhas. De alegada, não tem nada. É um diretriz da autoridade aeronáutica europeia que impõe restriçoes de vôos sobre o mar.

Nick
Visitante
Member
Nick

Caro Augusto,

Li essa entrevista e to rindo até agora . HSUAHSAHAHU!!! 😀

A arte do sabão praticada de forma extremamente elegante pela Helibrás….. hehehehe.

Mas o que tinha quer ser dito, foi dito: Eles precisam REPROJETAR a MGB. Só isso. E depois claro trocar esse conjunto de TODOS os EC-225/EC-725/AS532/AS332 que usam o mesmo…. Nada demais… 🙂

[]’s

Corsario137
Visitante
Member
Corsario137

Resumindo: TamuFu!
Quem ainda não comprou S92 que trate de comprar. Até o maldito Aw ta melhor de operar agora. EC175 eu to fuera!
Coitada da FAB e companhia que não tem escolha e vão ter que ficar com essa bomba na mão.

Almeida
Visitante
Member
Almeida

Essa bomba não, estas CINQUENTA bombas de mais de DOIS BILHOES DE DOLARES…

Galeão Cumbica
Visitante
Galeão Cumbica

Master Yoda,

Duvido mto que a Peroba vai deixar estas bombas voarem assim tao facil afinal os precos das acoes estao atreladas ao numero de trabalhadores que eles “matam” ou se “acidentam” por ano.

Este ai e da BHS o beija flor na lata lateral.

GC

Vader
Visitante
Member

Maldita Kombosa…

Marcos
Visitante
Member
Marcos

Almeida: O contrato firmado entre o governo brasileiro e a Eurocopter para a aquisição dos EC-725 é em Euros, no valor total de E$ 1,847 bilhão. Vide informação aqui no site: http://www.aereo.jor.br/2011/03/01/desembolsos-programados-para-os-ec725/ Pelo câmbio atual, isso equivale a US$ 2,413 bilhões. Dada as oscilações das moedas, no passado isso já foi maior. Assim, cada unidade irá sair por US$ 48,260 milhões. Repito: isso pelo câmbio de hoje, porque no passado já saiu mais caro. O Sikorsky S-92, pelo preço de tabela, custa US$ 27 milhões. Aliás, o preço de tabela da versão civil do EC-725 é de US$ 28 milhões.… Read more »

Marcos
Visitante
Member
Marcos

Pagamos por um Kombi modelo 1967, o preço que daria para comprar uma Mercedes modelo/ano 2013.

juarezmartinez
Visitante
Member
juarezmartinez

Senhores, a Lixocopter está “convencendo”a Petrobras que pode voltar a contratar as companhas que utilizam o Ec 225, a Gerente já deu ordem para sua “luger tenent” liberar goela abaixo, agora vamos ver o que a pelagada sindical vai fazer, ou vamos aguardar alguns petroleiros voltarem no saco preto em algum Napa da MB.
O problema tem solução, sim tem, s´[o vai custar um balaio de dinheiro, pois será necessário trocar toda a transmissão da aeronave, e aí voc~es já sabem né….

Grande abraço

Mauricio R.
Visitante
Mauricio R.

Esse “convencimento” deve ser do mto bom, pois a “kombosa voadora” continua interditada na Europa.