Home Indústria Aeroespacial Novo E-175 deverá voar no ano que vem

Novo E-175 deverá voar no ano que vem

241
18

Próxima geração de E-Jets entrará em operação em 2018

 

E-190 comparativo novo e velho

vinheta-destaque-aereoOs E-Jets da Embraer estão passado por mudanças significativas. Algumas serão implementadas já no ano que vem e as mais profundas nos próximos anos.

Segundo o informativo “Bandeirante” da Embraer, de março de 2013, o consumo de combustível será reduzido em 5% nos modelos E-170 e E-175 e em 4% nos modelos E-190 e E-195.  O wingtip, mostrado na imagem acima, será responsável por mais da metade da redução do consumo de combustível e estará disponível nos E-175 a partir de 2014.

Outras mudanças como intervalos de manutenção mais longos e melhorias de componentes aumentarão a produtividade da aeronave e diminuirão os custos de manutenção. Por exemplo, o intervalo de checks básicos passará de 6 mil para 7,5 mil horas de voo. Em dez anos isto representará a economia de um check básico por aeronave. A vantagem neste quesito será de 6%, “representando um valor significativamente mais baixo que o da concorrente”, informa Cláudio Camelier, Diretor de Inteligência de Mercado de Aviação Comercial.

O primeiro cliente da nova geração será a Republic Airways, que operará as aeronaves nas cores da companhia American Eagle em rotas regionais da Amercian Airlines nos EUA.

Mas isto não é tudo. Com a seleção de novos motores e aviônica avançada no início deste ano, a Embraer segue firme no programa da nova geração de E-Jets, cuja  operação comercial deve ocorrer em 2018. Os motores serão os PurePower da Pratt&Whitney e o sistema integrado de aviônica será o Primus Epic 2 da Honeywell.

Subscribe
Notify of
guest
18 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Marcos
Marcos
7 anos atrás

Ficou estranho!

Marcos
Marcos
7 anos atrás

Entrou uma nova aviônica, novos motores, provavelmente full fly-by-wire, mas pelo jeito não vão trocar o manche pelo side stick, pelo menos as imagens divulgadas conservam os manches. Mas as primeiras imagens do Legacy 500 também tinham manche.

Em relação ao sistema fly-by-wire, o Cel. Franco Ferreira fez um artigo muito bom para revista Forças de Defesa… e desceu a pua em certo fabricante de aviões.

asbueno
asbueno
7 anos atrás

Os novos motores deverão ser incluídos alguns anos a frente.
Não sei sobre os novos aviônicos e FBW.

Todavia, se os wingtips propiciarem a redução que divulgaram já será um upgrade no desempenho da família.

Pergunta: a diferença entre winglet e wingtip é a inclinação?

tiagobap
tiagobap
7 anos atrás

Amigo Asbueno

Encontrei estes dois artigos na wikipedia, talvez esclareça alguma coisa:

.ttp://en.wikipedia.org/wiki/Wingtip_device
.ttp://en.wikipedia.org/wiki/Wing_tip

Abraçõ

asbueno
asbueno
7 anos atrás

Valeu Tiago! Eu mesmo poderia ter feito a pesquisa.

Nick
Nick
7 anos atrás

Boa notícia. 🙂

Mas será que esse E-175 já tem um % de uso de materiais compósitos maior???

[]’s

Marcos
Marcos
7 anos atrás

Nick:

Alterações significativas somente poderão ser feitas na asa, já que será projetada uma nova.

Luiz Fernando
Luiz Fernando
7 anos atrás

E o amigo não perde a oportunidade de postar qualquer coisa que julgue negativa para a Embraer… que coisa sem graça. É ódio puro… por que será né? Porque não fala do vexame que a Boeing está vivendo com o 787, ou dos problemas do A380 e do A400??? Agora num tópico que fala dos futuros lançamentos comerciais da empresa, vem falar de novo concorrente do Phenom???? e daí?? concorrentes todos tem. E da ìndia que quer, a décadas lançar uma aeronave… assim como a China tb quer e está se dando mal, a Rùssia quer e a ainda não… Read more »

Marcos
Marcos
7 anos atrás

Antes de falar mal da Embraer deveria ler o último artigo do Cel. Franco Ferreira na Revista Forças de Defesa.

Mauricio R.
Mauricio R.
7 anos atrás

“Porque não fala do vexame que a Boeing está vivendo com o 787…” Como se algum produto Embraer sequer se assemelhasse ao 787, em complexidade e inovação. A FAA deverá liberar o 787 p/ serviço, em uma semana: (http://www.flightglobal.com/news/articles/FAAclears-787s-to-re-enter-service-within-a-week-384930/) FAA aprova a troca das baterias dos 787: (http://www.flightglobal.com/news/articles/FAA-approves-787-battery-changes-384924/) Mas poderíamos tb discutir o problema do fly-by-wire, que atrasou o lançamento do Legacy 500 em 1 ano. Ou os problemas de flaps e acúmulo de gelo nas asas dos Phenoms. Ou a quase eterna falta de vendas efetivas do KC-390. Afinal assim como concorrentes, problemas tdos tem. “…ou dos problemas do… Read more »

Soyuz
Soyuz
7 anos atrás

Problemas em aviões sempre vão existir. • O Havilland Comet e a sua desintegração do ar, a historia vocês todos já conhecem. (2 acidentes fatais). • O DC-10 e seus defeitos nas portas de portas de carga (dois acidentes, sendo um fatal). • 0 747 e seus defeitos também nas portas de cargas (um acidente fatal). • O 737 e seus defeitos nos atuadores dos lemes (dois acidentes fatais). • O ATR e seus problemas com sistemas de degelo (dois acidentes fatais). • O A-320 e seus problemas com o FBW e filosofia de projeto (pelo menos 3 acidentes com… Read more »

Carcará 01
Carcará 01
7 anos atrás

Mauricio R., com todo respeito, já chegou ao nivel patológico o seu caso de ódio a Embraer…

Vc reportar defeitos nos produtos, ver problemas nas negociações, enxergar vicissitudes das atitudes negociais… ok, não discuto com vc…

Mas abertamente, como vc faz, se alegrar com noticias negativas e só propagar os males da empresa… cara, reveja os seus conceitos…

Luiz Fernando
Luiz Fernando
7 anos atrás

O 787 da Boeing é uma tragédia grega em termos de programa de estratégia e de produto em si, até o momento. Vejam bem, não estou dizendo que o produto é ruim, mas colocaram novas tecnologias demias num mesmo produto e isso aumenta muito o risco… não mediram isso direito e se ferraram. O produto será ruim ou o programa será um fracasso… acho que não, mas estão pagando um preço muito alto pelo excesso de ousadia. Quanto a birra do cara com a Embraer, deixa prá lá… é patológico e sem cura. É só pintar uma notícia boa que… Read more »

Marcos
Marcos
7 anos atrás

Como podem dizer que o KC-390 é um fracasso de vendas se a empresa somente agora vai iniciar a campanha de vendas, já que antes não tinham definido o projeto como um todo e, portanto, não tinham um preço.

Mauricio R.
Mauricio R.
7 anos atrás

“Quanto a birra do cara com a Embraer, deixa prá lá… é patológico e sem cura.”

É reconheço, é difícil ter opinião própria, mais fácil mesmo; é babar ovo.

“Como podem dizer que o KC-390 é um fracasso de vendas se…”

Não sabe como o mercado funciona.
O A-350 nem voou ainda e tem mais de 500 unidades vendidas.
Sem demanda de mercado, e isto vale p/ aeronaves civís e militares, não tem como; não vende.

Vader
7 anos atrás

Luiz Fernando disse: 21 de abril de 2013 às 12:49 Amigo, dá licença, mas tragédia grega é avião cair. Tragédia grega é piloto não querendo voar a acft. Tragédia grega é ter mortos no portifólio. O 787 não tem NADA de tragédia. É uma aeronave absolutamente revolucionária, que paga o preço de ser pioneira. Como pagaram a seu tempo as grandes inovações da aviação, desde os irmãos Wright. O 787 está groundeado porque as autoridades de hoje se preocupam muito mais com a segurança do que há tempos atrás. Fosse há 20 anos e ele jamais seria groundeado. Menos tá?… Read more »