quinta-feira, outubro 21, 2021

Gripen para o Brasil

Array

Saab recebe encomenda de mísseis

Destaques

Guilherme Poggiohttp://www.aereo.jor.br
Membro do corpo editorial da revista Forças de Defesa e sites Poder Aéreo, Poder Naval e Forças Terrestres

rbs70_11

A Saab recebeu uma encomenda de componentes de mísseis que está avaliada em 175 milhões de coroas (algo próximo de US$ 26 milhões). As entregas ocorrerão entre 2013 a 2019.

A Saab possui um portifólio de produtos que inclui o RBS 70, RBS 70 NG, NLAW e o RBS 15. Além disso, a Saab também está participando de desenvolvimentos de mísseis com outros países.

“Esta encomenda é uma demonstração da nossa competência na área de mísseis e nós continuaremos com o desenvolvimento de produtos e sistemas nesta área”, disse Görgen Johansson, chefe do setor de negócios.

A natureza deste tipo de indústria é tal que dependendo das circunstâncias em relação ao produto e ao cliente, informações detalhadas não serão anunciadas.

FONTE: Saab (tradução e edição, Poder Aéreo a partir do original em inglês)

- Advertisement -

39 Comments

Subscribe
Notify of
guest
39 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Diegolatm

Será que essa encomenda é do Exercito Brasileiro? Vi em um post não aqui, mas em outro blog que o exercito estava interessado em adquirir misseis RBS-70 suecos…alguem mais por dentro da noticia poderia informar…

Sds

wwolf22

tb li essa noticia, mas eu li que o RBS 70 que o EB pretende adquirir eh Suico… ou sera que li errado ?!?!
esse RBS 70 nao eh equivalente ao Igla S ultima versao ??

Ivan

WWolf 22,

RBS-70 e Igla S são mísseis de defesa de ponto, mas acaba aí a semelhança, pois o sueco não é exatamente um manpad em face do tamanho de seu lançador (e munição) e guiado a laser (Beam Rider), enquanto o Igla S (SA-24) é um manpad legítimo e guiado por IR.

Para conhecer melhor o RBS-70 da SAAB Bofors há um interessante artigo, já um pouco antigo, no SISTEMASDEARMAS:
http://sistemasdearmas.com.br/mis/rbs70.html

Para o Igla S há muita info na net, via buscador, mas segue uma sugestão:
http://www.armyrecognition.com/russia_russian_army_light_heavy_weapons_uk/sa-24_grinch_9k338_igla-s_portable_air_defense_missile_system_technical_data_sheet_specifications_uk.html

Abç.,
Ivan.

Mauricio R.

Há uma notícia, no Defesanet:

http://www.defesanet.com.br/terrestre/noticia/10149/AAAe—-Reuniao-de-Comando-da-1%C2%AA-Brigada-de-Artilharia-Antiaerea

O RBS-70 é mais pesado tem alcance maior e guiagem diferente.

Diegolatm

Uma coisa me veio a cabeça depois dessa noticia, será que o E.B está querendo incorporar o RBS 70 junto ao projeto do Gepard? Rapaz, seria uma boa pedida para o cojunto adquirido pelo E.B. O lançados do RBS 70 é muito pesado para ser levado por uma pessoa, diferentemente do caso do IGLA dessa forma poderia colocá-lo embarcado junto a torre do Gepard.

SDS

Diegolatm

Correção básica: “Lançadores” e “Poderiam”

Roberto Bozzo

No Sistemas de Armas há fotos do RBS-70 montados sobre os M-113, com 4 lançadores…
Pelo jeito o EB esta montando uma defesa AA com boa manobrabilidade com pantsir, gepard e, talvez, rbs-70.

Diegolatm

Ivan e Roberto,

Foi justamente depois de ler o Artigo que vocês mencionaram e ver aquela foto do M113 que a ficha caiu sobre os Gepards…

joseboscojr

Mísseis como o RBS-70 e Mistral, que obrigam o lançamento a partir de um “pedestal”, são mais apropriadamente denominados de “crewpads”. Geralmente todo manpads é guiado por IR (há exceções, como o antigo Blowpipe o o Starbust), mas nem todo crewpads é guiado por laser, podendo também ser guiado por IR, como atesta o Mistral. É interessante que tenhamos dois mísseis com tipos diferentes de orientação para a defesa de curto alcance (V-SHORAD e SHORAD). Um míssil guiado por IR e um por laser irá complicar as contramedidas de um hipotético atacante. Essa tendência de combinar dois sistemas de orientação… Read more »

Mauricio R.

A munição do RBS-70 pode ser pesada p/ ser carregada pela infantaria, mas aonde é que tem espaço p/ isso no Gepard???
A KMW deve estar adorando, além de arrumarem aonde desovar essas sucatas, ainda correm o sério risco de faturarem mais algum $$$, c/ a possível integração do míssil sueco no seu blindado.

joseboscojr

Eu sempre defendi a ideia que canhões antiaéreos auto-rebocados estão em franca obsolência (salvo na função C-RAM), e o substituto ideal para eles no EB, ao meu ver, disparado, é o “crewpads” RBS-70.

eduardo pereira

Concordo com o Roberto Bozzo pois o EB esta sim montando uma boa defesa AA,dentro de seu orçamentinho e pros pessimistas de plantao;
É melhor estas aquisiçoes do que nada!

eduardo pereira

Bosco, vc sabe quantos Pantsir virao no total??

joseboscojr

Ninguém vai reinventar a roda. Se os Gepards integrarem algum míssil, será o Igla.

joseboscojr

Eduardo,
Pelo que se divulgou serão 3 baterias, que normalmente são compostas cada uma com 6 veículos de combate antiaéreo, o que corresponde a 18 veículos de combate.
Mas sinceramente com essa história de RBS 70 fico em dúvida se virão mesmo os Pantsir.
Vamos ver o que tem por traz de todas essas informações, algumas completamente dissociadas.

Ivan

Poggio,

Principalmente no cenário da América Latina, com menores exigências tecnológica e menor intensidade.

joseboscojr

Poggio, Por isso que eu disse “se”. Mas fato é que foi feito na Alemanha com o Stinger. Em que pese ser bem flexível a combinação de sistemas isolados de canhões e mísseis como o próprio Gepard associado ao Roland ou o Chaparral ao Vulcan, acho que sempre cabe ao veículo com canhão AA ter um míssil de menor alcance e complexidade e ao veículo de míssil AA ter pelo menos uma metralhadora “ponto 50”. Quanto ao Igla, ele se beneficiaria sim com os sistemas mais complexos do Gepard na medida em que poderia ser usado a noite e apoiaria… Read more »

Ivan

Gosto muito do RBS-70, tanto os antigos do século passado como os mas novos, com o novo míssil Bolide, ou a montagem RBS-90. São armas que podem engajar os alvos de frente, sem denunciar que estão travados, relativamente leves quando comparados aos canhões anti-aéreos de alcance semelhante. Seu desdobramento no terreno é rápido e tem grande capacidade de integração a vários sistemas de detecção, inclusive aos Giraffe. Em termos de alcance e peso estão entre o Igla S e o Pantsir. O uso dos russos não invalida o sueco e vici-versa. Sua versão montada sobre veículos blindados, como o ASRAD-R… Read more »

joseboscojr

Só de curiosidade pra quem ainda não conhece o Gepard associado ao Stinger:comment image

joseboscojr

O Tunguska e o Pantsir são casos raros em que houve a combinação em um veículo único de um sistema de canhões AA de alta capacidade com mísseis também de alta capacidade.
Em geral esses sistemas convivem isoladamente.
No máximo o que se vê são canhões combinados com mísseis manpads/crewpads ou mísseis manpads/crewpads combinados com metralhadoras.

Blind Man's Bluff

Alguem sabe qual será o ASM dos A-1M?

joseboscojr

Ivan,
“…relativamente leves quando comparados aos canhões anti-aéreos de alcance semelhante.”
Se me permite, sua comparação foi bem modesta.
Na verdade o RBS-70 é bem mais leve que os canhões anti-aéreos rebocados e tem no mínimo o dobro do alcance.
O canhão só se mostra superior no caso de, se associado a um radar de controle de tiro, tempo adverso, mas nesse caso é melhor que uma hipotética IADS conte com um sistema HIMAD efetiva, capaz de coibir ataques inclusive na piores condições de tempo.

juarezmartinez

Alguem sabe qual será o ASM dos A-1M?

Leia mais (Read More): Saab recebe encomenda de mísseis | Poder Aéreo – Informação e Discussão sobre Aviação Militar e Civil
O candidato mais forte despontando hoje chama-se Popeye Lite.

Grande abraço

Vader

Se vier o RBS-70 NG será uma boa.

Mas tô achando estranho o fato de virem Pantsir, Gepard e agora esse, adicionados ao Igla.

Uma sopa de letras: dois sistemas russos, um sueco e um alemão.

Baita zona.

Baschera

Senhores,

Fui eu quem escreveu sobre a provável aquisição do RBS-70…inclusive está em post recente lá no Forte….

A escolha do RBS-70 pelo EB parece residir no fato de que ele não sofre interferências ou jammeamento durante o voo… já que é guiado for facho de laser.

Sds.

Baschera

Duas coisas merecem destaque:

– O ideal seria se ter uma defesa AA em camadas, para baixa, média e grande altura. Grande altura é responsabilidade da FAB, não do EB.

– Dentro do que se pode adquirir ($$$$$) teremos uma defesa AA composta por canhões AA, Igla, RBS-70 NG e Pantsir S1.

Antes que perguntem, não teremos nada de S-300 ou S-400…. cada bateria destes sistemas russos custa algo como Us$ 200 milhões para mais……

Sds.

eduardo pereira

Bschera vc acredita que o EB pode encomendar mais do que as ja citadas e poucas 3 baterias de Pantsir?

Almeida

“O evento conta com a presença do Comandante da 1ª Brigada de Artilharia Antiaérea, General-de-Brigada Márcio ROLAND Heise”

General Roland comandando a 1a BAAe.

Entre os candidatos para sua sucessão estão o Tenente-General Gepard, o General-de-Brigada Igla e o General-de-Divisão Pantsir.

#piadapronta

Soyuz

O país não fez nada em quase 20 anos no tocante a defesa AA. As ultimas ações concretas foram em 1994 a 1996 a compra de 115 Iglas pelo EB seguido de outras compras de substituição e outros 24 Iglas para a FAB e a incorporação do Mistral pelo CFN. A titulo de comparação o Equador comprou 250 Iglas no final dos anos de 1990. A Argentina e Peru operavam MANPAD a mais de 30 anos (Blowpipe e SA-07), a Venezuela também passou a operar este tipo de armamento quase uma década antes do Brasil. Porem, antes tarde do que… Read more »

Almeida

Soyuz, esses Gepard que virão para o EB passaram recentemente por um modernização completa, eletrônicos incluídos.

Soyuz

Ola Almeida;

Você ou algum outro colega teria um link sobre esta modernização? Queria ver a extensão da mesma. Se houve troca do radar. Se houve apenas revitalização o problema continua.

O Chile recusou o Gepard a uns 4 anos atrás por causa da dificuldade de manutenção dos seus sistemas eletrônicos.

joseboscojr

Sem dúvida os mísseis guiados por feixe laser são mais resistentes às contra-medidas que os guiados por IR, mas estão longe de serem imunes.
Hoje existem sistemas anti-guiamento laser que usam um laser apontado contra o lançador capaz de cegar a unidade de rastreamento.

joseboscojr

Blind e Juarez,
O Popeye Lite é lite só no nome. Pesa mais de 1 tonelada, estando muito além da capacidade do A-1 e de suas funções.
Eu acho que ele vai ficar só nas bombas israelenses guiadas por laser e se tivermos sorte vai integrar o MAR-1 e as bombas guiadas da Britanite.
Se ele for usado na função antinavio provavelmente irá adotar o MAN-1 ou coisa que o valha.
Vale lembrar que mísseis como o Popeye (pode-se dizer, estratégicos), dotados de motor foguete, estão em franca decadência frente aos mísseis propulsados por turbo.

Soyuz

“Hoje existem sistemas anti-guiamento laser que usam um laser apontado contra o lançador capaz de cegar a unidade de rastreamento”.

Bosco, você se refere a sistemas como o Shtora?

joseboscojr

Soyuz,
Não é igual ao Shtora não.
Como você sabe o Shtora é usado para defender veículos de combate de mísseis guiados por CLOS e laser, mas usa para isso sistemas de alerta avançados e lançadores de granadas fumígenas de alta tecnologia e interferidores infravermelho pulsáteis.
Esses sistemas não são eficazes para proteger uma aeronave.
Vou procurar o sistema que me referi no Google e volto a postar.
Aguarde um pouco.
Um abraço.

joseboscojr

A defesa de veículos de terra contra mísseis guiados a laser se dá utilizando a velha cortina de fumaça, que cria um obstáculo entre o lançador e o alvo. Essa técnica não funciona obviamente para a defesa de aeronaves, com exceção de helicópteros em voo pairado a baixa altitude. Alguns contam até com lançadores de granadas fumígenas. Para defender uma aeronave contra um míssil guiado por feixe de laser a aeronave tem que contra com um eficaz sistema de alerta de ameaça laser e com um sistema de alerta de lançamento de mísseis. Isso tudo é necessário para que o… Read more »

joseboscojr

Soyuz,
Depois de quase desistir encontrei o site:
http://www.spec.com/content/view/39/56/
Um abraço.

Soyuz

Valeu pelo esforço de procurar o link Bosco. Eu já tinha lido sobre a possibilidade teórica de um flash jammer sobre o operador de modo a desorienta-lo por alguns momentos a fim de perder a mira do alvo, mas não sabia que isto já estava em produção.

Últimas Notícias

Acompanhe a estreia do 1º episódio da websérie Colaboração Real 4 no YouTube

Em 21 de outubro, às 11h, estreia o primeiro episódio da quarta temporada da websérie Colaboração Real no canal...
- Advertisement -
- Advertisement -