Home Aviação de Transporte ‘Habemus’ KC-X2: FAB seleciona proposta da IAI para novo avião-tanque

‘Habemus’ KC-X2: FAB seleciona proposta da IAI para novo avião-tanque

916
113

767 MMTT - imagem IAI

Nota oficial da FAB informa o final do processo de seleção de aeronaves reabastecedoras – KC-X2 – proposta escolhida foi da Israel Aerospace Industries, de conversão de dois jatos Boeing 767-300ER

O Centro de Comunicação Social da Aeronáutica informou, em nota oficial divulgada às 11h56 desta quinta-feira, 14 de março de 2013, que o Comando da Aeronáutica encerrou o processo de seleção das duas aeronaves de grande porte que substituirão os KC-137 operados pelo 2° Esquadrão do 2º Grupo de Transporte (2°/2°GT).

A proposta escolhida foi a da empresa Israel Aerospace Industries – IAI, que converterá aeronaves comerciais Boeing 767-300ER em plataformas capazes de realizar reabastecimento em voo, transporte estratégico de carga e tropa e evacuação aeromédica, de acordo com os requisitos formulados pela Força Aérea Brasileira.

O Projeto KC-X2, como foi chamado o processo de substituição dos aviões, foi instituído pelo Estado-Maior da Aeronáutica (EMAER) em 2008 e conduzido pela Comissão Coordenadora do Programa Aeronave de Combate (COPAC), que buscou as melhores soluções existentes no mercado, considerando requisitos técnico-operacionais, logísticos, industriais e de compensação comercial e tecnológica para o estado brasileiro.

Os antigos KC-137 foram fabricados na década de 1960 e incorporados à FAB em 1986, tendo sido empregados, desde então, em diversas missões operacionais e humanitárias de grande relevância para a Força Aérea Brasileira e para o Brasil.

767 MMTT - concepções 2 IAI

767 MMTT - concepções IAI

FONTE: FAB (Centro de Comunicação Social da Aeronáutica – clique no link para o texto original da nota oficial, assinada pelo brigadeiro do ar Marcelo Kanitz Damasceno)

IMAGENS: IAI (as ilustrações são concepções veiculadas no site da Israel Aereospace Industries, e não necessariamente correspondem à configuração selecionada pela FAB)

NOTA DO EDITOR: um dia após a rápida escolha de um novo papa, foi apresentado o vencedor do programa KC-X2, que visa a aquisição de um novo avião reabastecedor para a FAB. Este programa, pelo fato de ter um “X2” ao final, faz lembrar de outro, o F-X2 (dos novos caças da Força Aérea). Porém, diferentemente do F-X2, que teve um predecessor “F-X” que foi cancelado, o KC-X2 teve um predecessor “KC-X” que deu origem ao desenvolvimento do KC-390, aeronave programada para fazer seu primeiro voo no ano que vem.

Segundo a nota da FAB, o KC-X2 foi “instituído pelo Estado-Maior da Aeronáutica (EMAER) em 2008”, coincidentemente o mesmo ano em que o programa F-X2 teve seu desenvolvimento mais rápido: instituição da Comissão Gerencial do Projeto, encaminhamento de RFI (pedido de informações) a seis concorrentes e divulgação da  “short list” com os três caças finalistas, tudo num mesmo ano. Infelizmente, depois disso as coisas andaram mais devagar fora do âmbito da FAB e o Governo ainda não se decidiu por um vencedor desses três finalistas do F-X2, para que se saiba quais os novos caças que serão reabastecidos pelo novo avião-tanque. Seria ótimo se essa decisão dos caças não se arraste ainda mais, e que a “fumaça branca” da escolha do F-X2 possa ser vista em breve sobre Brasília…

VEJA TAMBÉM:

Subscribe
Notify of
guest
113 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Roberto F Santana
Roberto F Santana
7 anos atrás

Enfim, uma escolha acertada.

Roberto F Santana
Roberto F Santana
7 anos atrás

Apesar da FAB ter tido KC-137 na época do Mirage III, a Força Aérea Brasileira mesmo testando a sonda no Mirage III, não quis adotá-la.
Creio eu, opinião minha, que os Mirages III/V não eram capazes de operar com segurança em operações de reabastecimento no KC-130 Hercules, nunca vi uma foto do Mirage III sendo reabastecido por um Hercules.

Baschera
Baschera
7 anos atrás

Como já havíamos previsto…deu a lógica do mais BARATO !

Tomara já tenham encontrado as aeronaves ….. até pouco tempo atras ainda estavam a procura das células usadas.

Sds.

Vader
7 anos atrás

Boa notícia.

Almeida
Almeida
7 anos atrás

767 né? Da Boeing, né? Adaptado pela IAI, né?

Os cães ladram, mas a FAB é quem conhece realmente suas necessidades e, como sempre, escolheu manter sua ótima parceria com os gringos imperialistas e seus comparsas sionistas.

Que venham os vespões agora!

Guilherme Poggio
Editor
7 anos atrás

Só falta definir “o que” vai abastecer

juarezmartinez
juarezmartinez
7 anos atrás

Vai abastecer A 1. F 5 M, KC 390 e ………..em breve antecipado neste blog …….

grande abraço

jcsleao
jcsleao
7 anos atrás

Boas novas. Há previsão de mais células? Dois é um número tão pequenos. Basta um entrar em manutenção e teremos apenas um.
Há tempos se comenta que a Dilma está atrás de um novo vassourão, ehr, quer dizer, avião. Talvez fosse uma boa idéia adquirir mais umas 3 células, sendo uma convertida para VIP e as outras duas transporte/revo. Ao menos teríamos padronização e mais aeronaves para a missão.

Almeida
Almeida
7 anos atrás

Também acho que deveríamos devolver o Aerolula pra Airbus, ou vende-lo, e pegar mais um desses KC-X2.

Um pintado com as cores da Presidência da República e configurado pra transporte VIP e comum, outro pintado nas cores da FAB como MRTT e outro nas cores da FAB como REVO. Revezando as missões entre si, já que podem ser reconfigurados.

jcsleao
jcsleao
7 anos atrás

Uma dúvida: as ilustrações da IAI parecem indicar que essas aeronaves não dispõem de lança para elas mesmas serem reabastecidas.
Alguém sabe dizer se o projeto da IAI contempla esta possibilidade? Isto faria parte dos requisitos da FAB?
Entendo que enquanto aeronaves de transporte/Revo esses B767 seriam responsáveis pelas missões estratégicas, ou se o termo for muito exagerado, às missões transcontinentais, especialmente no apoio a ações supervisionadas pela ONU das quais vimos participando com frequência nos últimos anos.
Já os KC-390, que dispõem de lanças para reabastecimento, deverão desempenhar missões táticas. É isso?

Marcos
Marcos
7 anos atrás

As aeronaves serão novas ou usadas?

jcsleao
jcsleao
7 anos atrás

Fernando “Nunão” De Martini disse:
14 de março de 2013 às 13:12

Pois é Nunão. Três sería o minímo mesmo. Tenho certeza que a FAB pensa assim também. Porém como você bem ressaltou, “mas…”.
Minha colocação foi mais no sentido de questionar se a FAB tem planos para aumentar a frota no futuro assim que as condições melhorem um pouco. Abraço.

Marcos
Marcos
7 anos atrás

No caso da aquisição dos F-18, a Boeing não tinha oferecido um B-747 de grátix? Não poderia esse B-747 ser trocado por dois B-767, também de grátix?

Marcos
Marcos
7 anos atrás

A concepção artística mostra um Mirage, um F-16 e um F-5.
O F-16, aliás, tem a bandeira da Argentina, salvo engano.

Nick
Nick
7 anos atrás

Enfim uma decisão, infelizmente, ainda não a tão aguardada decisão do FX-2.

Mas se seguir a linha do KC-X2, podemos especular por algo barato ou custo-benefício.

[]’s

Leonardo Crestani
Leonardo Crestani
7 anos atrás

Como disse o Almeida, a FAB sabe o que é melhor pra ela e acredito que o vencedor do F-X2 será o SH!

Sds…

Baschera
Baschera
7 anos atrás

Há ou havia…. dezenove células a venda deste modelo no mundo.

A mais antiga de 1986 e a mais nova do ano 2000, com diversos tipos de motorização.

Sds.

jcsleao
jcsleao
7 anos atrás

Fernando “Nunão” De Martini disse:
14 de março de 2013 às 13:20

Bem lembrado Nunão. O B767 é bem grandinho. O que veio na minha cabeça quando postei o comentário foram os Handley Page Victor K.2 da RAF que apoiaram aquele Vulcan na missão de bombardeio à pista de Port Stanley em 1982. Eles dispunham de lança para reabastecimento e, de fato, à caminho das Falkland eles foram sendo reabastecidos e reabastecendo o Vulkan.
Mas o Victor transportava a metade do combustível transferível que o B767. Deveria estar mais para o KC-390…

Baschera
Baschera
7 anos atrás

Marcos disse:
14 de março de 2013 às 13:25

Pois é….. também seria legal ter um leão aqui em casa… mas o problema é dar de comer para o bicho….. um B-747-800 só para passear custa muito caro !

Sds.

Giordani
Giordani
7 anos atrás

Aqui o avião que a FAB irá efetuar REVO…

comment image.html

Marcelo
Marcelo
7 anos atrás

Fernando “Nunão” De Martini disse:
14 de março de 2013 às 13:20
“Além disso, não me lembro de ver casos em que a própria aeronave reabastecedora, desse porte, recebesse sistema do tipo lança para ser reabastecida por outra aeronave, ao menos nos projetos mais conhecidos como o MRTT da EADS.”

O KC-10 Extender possui essa capacidade (ver foto 8 do link):
http://www.amc.af.mil/news/story.asp?id=123238768

O Boeing KC-46 também terá essa capacidade. E o A-300 MRTT também pode receber combustível via “boom”, ver foto:

http://www.airlinereporter.com/2011/02/airbus-eads-responds-to-the-air-forces-decision-on-selecting-the-boeing-767-kc-46a/

Abraços.

HMS TIRELESS
HMS TIRELESS
7 anos atrás

A aquisição do 737-300ER adaptado pela IAI mata vários coelhos com uma cajadada só visto que o aparelho pode ser utilizado como aeronave presidencial de longo curso. Se fosse uma aquisição norteada pelo complexo de “Brasil – PuTênfia” o escolhido seria o A-330 MRTT. Ocorre que a FAB sabe onde o sapato aperta ou seja, essa aquisição é um claro indicativo de que direção o FX-2 vai tomar ou seja, fora viradas de mesa e tapetão o Rafale não será o escolhido….

Soyuz
Soyuz
7 anos atrás

Uma escolha bastante coerente.

Os 767 possivelmente são das plataformas para este tipo de missão, mais baratas de se adquirir e de se manter.

A noticia só não é melhor porque são dois aviões e não quatro.

Claro que existe a possibilidade de células adicionais no futuro, mas na lógica burra dos gastos públicos brasileiros o provisório vira definitivo e o futuro a Deus pertence.

Ivan
Ivan
7 anos atrás

Alguns dados do Boeing 767-300 ER. Comprimento: 54,9 m (180 pés 3″) Envergadura: 47,6 m (156 pés 1″) Área alar: 283,3 m (3,050 pés) Peso vazio: 70.980 kg (198.440 lb) MTOW: 186.880 kg (412.000 lb) Combustível: 91.000 litros – que equivalem aproximadamente a 72.800 kg (160.000 lb) – Velocidade de cruzeiro: Mach 0,80 (470 nós ou 851km/h) Vel. Máxima de cruzeiro: Mach 0,86 (493 nós ou 913km/h) ‘Range’ intercontinental: 14.305 km (9,105 milhas náuticas) Motorização usada pelos 767-300 ER da TAM: 2 x GE CF6-8 C2B6F com 61,000 a 62,100 lbf cada. Existe alternativas como o RR RB211-524H e P&W… Read more »

Almeida
Almeida
7 anos atrás

The 767-300ER, the extended-range version of the 767-300, entered service with American Airlines in 1988. The type’s increased range is made possible by greater fuel tankage and a higher MTOW of 407,000 pounds (185,000 kg). Design improvements allowed the available MTOW to increase to 412,000 pounds (187,000 kg) by 1993. Power is provided by Pratt & Whitney PW4000, General Electric CF6, or Rolls-Royce RB211 engines. Typical routes for the type include Los Angeles to Frankfurt. The combination of increased capacity and range offered by the 767-300ER has been particularly attractive to both new and existing 767 operators, allowing it to… Read more »

Almeida
Almeida
7 anos atrás

Nunão e Incansável, sei que nos requisitos da FAB não existe o transporte presidencial e acho que por isso eles conseguem substituir 4 células de KC-137 por apenas duas de KC-X2, já que são mais novos, mais capazes e terão menos uma missão nas costas.

Mas já que o Aerolula não presta pra missão à qual se destina e jé existe interesse da Presidência da República em complementá-lo, por questões de logística, seria interessante pedir mais um com capacidade de transporte VIP e de tropas, mesmo sem REVO, não?

Ivan
Ivan
7 anos atrás

Almeida,

O KC-767 (japonês e italiano) possuem a mesma capacidade de combustível do 767-300ER, do qual deriva diretametne, ou seja,
72.800 kg (160,000 lb).

O novo tanker da USAF, o Boeing KC-46, possue uma capacidade maior em missões REVO, em torno de 91.600 kg (202,000 lb), pois é uma avião construído para a missão, possivelmente com tanques extras no porão.

Algo semelhante que ocorre entre o 707 e o KC-135.

Abç.,
Ivan.

Marcos
Marcos
7 anos atrás

As aeronaves serão usadas. OK!
Madame vai trocar avião novo por avião usado?

Marcelo
Marcelo
7 anos atrás

Nunão,
em reabastecedores desse porte, o reabastecedor da RAF VIckers VC.10 possui o sistema de “probe” para ser reabastecido no ar pelo “drogue”:
comment image

Os Victors da RAF também tinham o probe:
comment image

mas realmente não são atuais e muito menos participaram do KC-X2.

Abraços.

Marcos
Marcos
7 anos atrás

Nunão:

Uma opção para Madame , nas rotas ultra-longas, seria alugar uma aeronave de uma companhia aérea. Ou seja, 9 em 10, iria de AF51 e 1 em 10, iria de Vassourão alugado.

Darkman
Darkman
7 anos atrás

Caro Nunão,
Os aviões serão usados e vindos da TAM !!!

Agora uma pergunta pq não comprar um avião já tanque de origem e novos ???
Pq tem que ser usado e convertido ???

Fala sério uma bagunça do cacete, será que a compra de 02 tanque mas 01 Vip novo seria tanto dinheiro que não poderia ser comprado ???

FAB mostra por si só as dificuldades para o anúncio do FX2

Guilherme Poggio
Reply to  Darkman
7 anos atrás

Darkman disse:

Agora uma pergunta pq não comprar um avião já tanque de origem e novos ???
Pq tem que ser usado e convertido ???

Caro Darkman, a resposta é simples. Se fosse para o GTE seriam novos, mas como é para o 2º/2º GT…

Darkman
Darkman
7 anos atrás

Caro Tireless rs..rs…
Rafale não ser´ao escolhido, mas não vamos nos livars dos Gauleses, vamos de usados M2000-9 ou então nada, ficaremos com os Forevis !!!!

HMS TIRELESS
HMS TIRELESS
7 anos atrás

Provalvelmente serão unidades usadas. Existem algumas estocadas nos desertos dos EUA.

jcsleao
jcsleao
7 anos atrás

Olá Darkman,
Pensava que os B767 da TAM eram alugados à Alitália. No início do ano viagei num deles de MIA para GIG. A configuração dele era diferente de tudo que eu já tinha visto. Com uma cabine bem ao centro, à frente do galley com camas para a tripulação descançar.
Comentei sobre isso com um dos comissários e ele disse que o avião estava para ser devolvido à Alitália e que eles, comissários, sentiam muito pois o conforto para eles era enorme.

jcsleao
jcsleao
7 anos atrás

É isso mesmo Nunão. Aviões mais antigos até que os 767 da American Airlines que fazem a rota GIG X MIA!
Se forem eles os selecionados pela FAB vamos repetir a história dos KC-137, que foram adquiridos já bem antiguinhos da finada “estrela brasileira no céu azul, iluminando de norte a sul…”

Corsario137
Corsario137
7 anos atrás

Já era tempo!!!

Excelente aquisição da FAB ainda que 2 unidades seja muito pouco. 3 seria o mínimo ou ideal até a chegada do 390, com quem poderá compartilhar grande parte do seu trabalho.

Será o descanso do nosso guerreiro KC-137, o melhor avião que a FAB já teve 😉

Roberto Bozzo
Roberto Bozzo
7 anos atrás

Srs, estes aviões da TAM não seriam os adquiridos pela Varig e recebidos a partir de 1990, em vez dos da ALITALIA ?

Almeida
Almeida
7 anos atrás

The following is a list of past and current commercial operators of the Boeing 767 at January 2012:

http://en.wikipedia.org/wiki/List_of_Boeing_767_operators

Penguin
Penguin
7 anos atrás

Defesanet: Nota DefesaNet Programa KC-X2: No ano passado foi divulgado pela FAB o programa KC-X2 com a intenção de comprar 4 novos aviões para substituir os já antigos e obsoletos KC-137E (Versão de reabastecimento do civil Boeing 707-320C) pertecentes ao Esquadrão Corsário sediado na Base Aérea do Galeão no Rio de Janeiro – RJ. Os Sucatões como são conhecidos os KC-137 completaram esse ano 44 anos de vida, sendo um dos vetores mais antigos de toda a força. Além da necessidade da troca dos reabastecedores estratégicos também veio a necessidade da Força Aérea adquirir um avião presidencial maior e com… Read more »

Guilherme Poggio
Reply to  Penguin
7 anos atrás

Penguin disse:

Os Sucatões como são conhecidos os KC-137 completaram esse ano 44 anos de vida, sendo um dos vetores mais antigos de toda a força.

Só perdem para o P-3A