Saab inicia nova ofensiva para oferecer o caça Gripen

Saab Gripen NG Demo - foto Saab

VANNILDO MENDES – Agência Estado

vinheta-clipping-aereoBRASÍLIA – Dois meses depois de a indústria americana de aviação Boeing lançar nova ofensiva para fechar a venda de caças à Força Aérea Brasileira (FAB), em um negócio de mais de US$ 4 bilhões, a cúpula da sueca Saab desembarcou no Brasil esta semana para uma série de contatos com autoridades, com o objetivo de mostrar as vantagens comparativas do seu modelo Gripen. Está também no páreo a francesa Dassault Aviation, fabricante do modelo Rafale, que deve agendar uma visita ao País nas próximas semanas.

Diretor-geral das campanhas Gripen, o executivo Eddy de La Motte disse que veio informar às autoridades o novo cenário criado com as megacompras fechadas em fevereiro pelos governos da Suécia e da Suíça, no montante de US$ 7,5 bilhões, para fornecimento do mesmo modelo que está sendo negociado com o Brasil. Para ele, o perfil técnico da presidente Dilma Rousseff e as vantagens comparativas da Saab melhoraram as chances do Gripen, mas o futuro é uma incógnita. “Sabemos que o processo é longo e complexo, mas estamos pontos para a maratona”, observou.

Ele disse não ter certeza de como a presidente Dilma vai decidir, mas alegou ter os argumentos muito fortes. “A relação preço do produto, custo operacional e cooperação para uma parceria duradoura e vantajosa para os dois lados tornam nossa proposta muito competitiva”, observou. “O que estamos propondo é o menor custo de aquisição,o menor custo de operação e a melhor cooperação industrial, ou seja, uma parceria perfeita neste momento”, enfatizou.

Concorrência

O governo brasileiro abriu em 2009 concorrência internacional para compra de 36 caças, com o objetivo de modernizar a obsoleta Força Aérea Nacional. O País praticamente fechou negócio naquele ano, quando o presidente Luiz Inácio Lula da Silva chegou a anunciar a opção pelo Rafale, após ter se encontrado com o então presidente Nicolas Sarkozy. Mas um relatório do comando da Aeronáutica pôs o negócio por terra ao atestar que os modelo Gripen e Boeing, nessa ordem, tinham melhores vantagens comparativas.

A crise mundial e a chegada de Dilma ao governo em 2011 embolaram de vez a escolha e os três concorrentes passaram a disputar o negócio a ferro e fogo. Lanterna na disputa, a Saab viu suas chances melhorarem desde então. O Gripen é disparado o modelo mais barato – estimadamente metade do preço cobrado pelo Rafale francês, o mais caro dos três. Tem também o custo de manutenção e de operação mais baixo – US$ 4,7 mil a hora de voo, contra US$ 16 mil do Rafale e US$ 11 mil da Boeing. Mas carrega a desvantagem de ter apenas um motor e pouco tempo de teste efetivo no mercado aeroespacial militar em comparação com as concorrentes.

FONTE: Estadão

Subscribe
Notify of
guest

30 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Giordani

“Perdeu mano, perdeu!”
( Um corintiano usando a camisa da boeing… 😉 )

Edcarlos Prudente

Não sei se seria a melhor escolha para substituir os F-5M e A-1M. No entanto seria a escolha mais lógica a fazer!

Agora, para substituir os Mirage 2000 o Gripen não me agrada, algo como um silent eagle ou silent hornet seria o melhor para a primeira linha de defesa aérea!

Sonhar não custa nada!

Nick

No momento também acho que a proposta da SAAB perdeu suas vantagens, exatamente pelo fato da Suiça ter entrado como parceira lançadora do caça (apesar que ainda não está certo isso).

Acredito que os Suecos deveriam mirar um pós-FX2, oferecer aquele projeto chamado FS-2020/25, para ser desenvolvido em conjunto. Ou mesmo, tentar triangular a participação da Embraer, junto com a SAAB no desenvolvimento do KF-X.

[]’s

Corsario137

Vamos ver…

cristiano.gr

Vai dar em nada esse FX-2.

O governo já comprou os Mi-35 e P-3 para a FAB e está em pleno andamento a modernização de cacas A-1 e F-5. Também tem os submarinos para a Marinha e os 3000 blindados do exército. Além dos 50 EC-725. Ano que vem é a Copa e uma grande desculpa para não comprar os caças. Depois é fim de governo e proximidade da eleição presidencial, ficando para o próximo presidente a escolha e aí começa um novo ciclo de desculpas esfarrapadas e pretenções mirabolantes de ter assento fixo no Conselho de Segurança.

Corsario137

Pois eu discordo Cristiano. Apesar de todos os passos atrás que o governo já deu, o FX2 sai esse ano. Existe uma assimetria muito grande entre o que está rolando nos bastidores e a hipótese de não acontecer nada. O que vai sair? Ninguém sabe, ou se sabe, preferiu ainda não anunciar.

Almeida

Sei não Corsario137, o “ano eleitoral” começou bem cedo desta vez! Obras do PAC e afins já viraram palanque de novo e com o PIBinho do jeito que está, duvido que a gerenta enfrente o desgaste político de gastar bilhões em caças.

Giordani

Esqueçam. Se um dia o Fantasia-X for finalizado, será com a Boeing.

Mas eu acredito cegamente…que não sai nada esse ano nem no ano que vem! Copa do mundo + reeleição. FX? Nem pensar!

Roberto Bozzo

A proposta da SAAB seria ótima antes, agora não temos mais como participar do desenvolvimento do Gripen então, a meu ver, o F18 nos é a melhor opção.

Roberto Bozzo

Moderadores, por gentileza, poderiam retirar o comentário duplicado ? Grato.

NOTA DOS EDITORES: RETIRADO.

Gilberto Rezende

HA HA HA !!! QUE PIADA… MEGACOMPRAS da Suíça e da SUÉCIA !!! Esse pessoal do marketing da SAAB são uns pândegos !!! Desde quando um mero projeto de modernização de 60 Gripens C/D para o padrão E/F pode ser qualificado como MEGACOMPRA ??? Este viking está achando que só tem índio burro no Brasil para sair com uma afirmação ESTAPAFÚRDIA como essa… O Gripen está morto e sepultado no Brasil , se o ministério da Defesa optar pelo Super Hornet ficarei decepcionado pela inevitável perda futura de se não se obter um processo de transferência de tecnologia não controlável… Read more »

HMS TIRELESS

Giba: Tudo é uma questão de ponto de vista senbão vejamos: TRANSFERÊNCIA IRRESTRITA DE TECNOLOGIA! Essa turma da Dassault são mesmo uns fanfarrões!! Como falar em “transferência irrestrita de Tecnologia” se os indianos, que estão comprando 126 unidades e não três dúzias, estão tendo sérios problemas para obeter do fabricante francês apenas aqueilo que está previsto no edital. Como desde a época do descobrimento, os franceses SABEM que aqui em banânia existe um monte de índio deslumbrado. Se encantavam com espelhinhos, agora se encantam com o conto do vigário da “transferênfia di tequinúlugia” Se o Brasil fosse um país sério… Read more »

Gilberto Rezende

Incansável já lhe expus meu pensamento e já sei o seu. Você não acredita (com razão) que exista transferência irrestrita de tecnologia e ainda mais dos franceses, e PORTANTO, você se FOCA no preço mais baixo do Super Hornet pois viver debaixo do sapato yankee do controle tecnológico político-militar não atinge sua alma. Eu por outro lado, sei que num processo de tecnologia mesmo formalmente “irrestrita” ela pode ter limitações tanto por quem a fornece como por nossa própria incapacidade técnica atual de absorver o que nos é disponibilizado. Isso pode se dar mesmo posteriormente ao processo, no futuro, pela… Read more »

Almeida

Camarada Gilberto, não existe independência tecnológica no Mundo de hoje. Nenhum país no Mundo é auto suficiente em tudo, nem mesmo os EUA.

Ou você quer fabricar microprocessadores de computadores e celulares, turbinas de caças a jato, etc tudo aqui dentro e fechar as portas pro resto do Mundo? Fala sério.

Faz assim, compra uma impressora 3D e imprime seu carro, sua casa e esse seu computador aí hehehe…

Almeida

Quanto ao Gripen E/F, aproveitar partes das células C/D como carlinga, assentos, manche, canards e afins NÃO significa que é uma modernização. Os suecos, eficientes que são, só não vão comprar tudo de novo.

Mas tenha certeza que os Gripens E/F suecos e suíços terão sim airframe novo com trem de pouso novo, maior alcance, motores novos, etc como oferecido.

HMS TIRELESS

Giba: Você realmente sabe meu ponto de vista mas chega a conclusões absolutamente equivocadas a respeito das mesmas. Não se trata de querer viver sob o sapato mas sim de saber que a tal independência e soberania tecnológica que você tanto se refere apenas poderá ser alcançada por nossos próprios esforços. Ou seja: ao mesmo tempo em que reafirmo que transferência irrestrita de tecnologia é ilusão ( o que já desqualifica por completo a proposta francesa), afirmo também que toda e qualquer tecnologia que eventualmente os gauleses transfiram vai sim ser objeto de controle além fronteira. Basta a nossa diplomacia… Read more »

Lyw

Quais as diferenças entre o Gripen NG proposto no FX-2 e o Gripen NG (E/F) proposto à Suécia?

Lyw

Suíça*

Baschera

Duas semanas atrás a Boeing estava em evidência….. agora é a vez da Saab….. semana que veem será a Dassault….

E depois ?

Bem…. depois começa tudo de novo !

E assim vamos indo…. e vindo….indo…. e vindo….indo e vindo…

O Lula entrou…reelegeu-se e saíu… um cidadão de cor assumiu a Casa Branca…. reelegeu-se…. uma mulher assume a Presidência…. um Papa morreu…outro assumiu…renunciou… estão escolhendo outro… o Chavez morreu……os F-5 cansaram… foram reformados…. em breve vão virar panela….

E o FX….. está onde sempre esteve…. em cima de uma mesa pegando pó.

Tem hora que cansa….

Sds.

Vader

Gilberto Rezende disse: 7 de março de 2013 às 17:24 Parceiro, esse nhém nhém nhém eterno seu é chato. Cansa sabe? 😉 Você chama o Tireless de incansável, mas o incansável aqui é você! Quem quer tecnologia a DESENVOLVE. Tecnologia não se COMPRA. Não é o americano: o francês, o russo, o chinês, o ugandês, o somali, o marciano, NINGUÉM vai dar de graça tecnologia de ponta para nós. NINGUÉM vai nos dar o meio de derrotá-lo, seja militarmente, seja industrialmente. A tal “dominação” americana a que você se refere só existe porque eles são os que desenvolvem a maior… Read more »

champs

Vader,

Sua analogia até foi boa mas o Super Hornet de Celtinha não casou não, ele esta mais para um Voyage, o Celtinha aí é o Gripen.

E a vontade para desenvolvê-lo existe sim afinal isso esta lá na END elaborado pelo próprio governo atual, o que não existe é a coragem, a coragem para decidir, a coragem para desenvolver, a coragem para enfrentar a opinião pública ou melhor para convencer a opinião pública.

Vader

champs disse:
8 de março de 2013 às 8:48

Caro Champs, fiz uma analogia tôsca pra ver se entra na cabeça de gente tôsca.

Se fôssemos falar de carro, o Super Hornet estaria mais pra um baita de um Chevrolet Camaro, último tipo.

Sds.

Vader

Ahahaha, falando de FX2, olhem esse absurdo:

http://gazetarussa.com.br/ciencia/2013/03/02/avioes_de_6_geracao_nao_serao_tripulados_17899.html

Esses russos são uns pândegos mesmo. kkkkkkkk… 🙂

Gilberto Rezende

Quem quer tecnologia DESENVOLVE, quem tem PRESSA e quer ganhar TEMPO acha alguém disposto a vender PARTE de sua tecnologia e QUEIMA ETAPAS. Este argumento que tecnologia própria SÓ PODE ser desenvolvida autonomamente é mais que FRACO. A MB concentrou-se na obtenção da tecnologia de propulsão nuclear e conseguiu adquirir junto a França tecnologias de sistemas de submarinos convencionais que serão adaptadas ao nosso projeto de submarino nuclear. NINGUÉM tem mais DINHEIRO E RECURSOS HUMANOS que os chineses e eles para acelerar seu processo de desenvolvimento tecnológico militar compram TUDO que os russos se dispõe a oferecer de tecnologia e… Read more »

Corsario137

To “fuera” dessa discussão. Boriiiiiinnnnnggggg ZzzZZzzzZZzzzzz….

Justin Case

Amigos, boa tarde. http://br.reuters.com/article/topNews/idBRSPE92704520130308 Brasil não deve ter caças para a Copa do Mundo sexta-feira, 8 de março de 2013 12:43 Por Brian Winter e Anthony Boadle SÃO PAULO/BRASÍLIA, 8 Mar (Reuters) – A presidente Dilma Rousseff adiou novamente a escolha de um fornecedor para 36 caças novos para a Força Aérea Brasileira (FAB), o que significa que o país provavelmente não terá aviões de combate de próxima geração disponíveis para segurança quando hospedar a Copa do Mundo no próximo ano. A FAB enviou nesta semana uma comunicação para as três empresas que são finalistas da concorrência de mais de… Read more »

Fernando "Nunão" De Martini

Obrigado pelo link, Justin.

Já estou colocando no ar!

Giordani

Justin Case disse:
8 de março de 2013 às 13:54

E agora Bascha? O anúncio na LAAD? Virou pó?

Fernando "Nunão" De Martini

Giordani, a nova matéria do link do Justin Case já está no ar, sugiro que o debate a respeito seja continuado lá.