terça-feira, setembro 21, 2021

Gripen para o Brasil

Para falar de Rafale com franceses, MD indiano teria adiado viagem à Austrália

Destaques

Fernando "Nunão" De Martini
Pesquisador de História da Ciência, Técnica e Tecnologia, membro do corpo editorial da revista Forças de Defesa e sites Poder Aéreo, Poder Naval e Forças Terrestres

Rafale  - foto Armée de lair

Viagem do ministro da Defesa da Índia à Austrália, em fevereiro, coincidiria com a visita à Índia do presidente francês – especula-se que motivo do adiamento seria a discussão do contrato do Rafale

Segundo reportagem desta terça-feira (29/1) da NDTV indiana, o ministro da Defesa da Índia adiou uma visita que faria à Austrália, com início programado para 12 de fevereiro. Apesar de nenhuma razão oficial ser dada para isso, especula-se que o adiamento levou em conta uma visita à Índia do presidente francês François Hollande, programada para o mesmo período.  Autoridades do ministério apenas disseram que novas datas para a visita do ministro AK Antony à Austrália serão acertadas, conforme a conveniência para ambos os países.

Espera-se que na agenda da visita de Hollande à Índia a defesa esteja bem alto na prioridade das discussões, dentre os demais aspectos da relação franco-indiana. Nesse sentido, especula-se que as questões relacionadas ao contrato multibilionário do caça Rafale sejam tratadas. O jato, fabricado pela companhia francesa Dassault Aviation, foi selecionado pelos indianos entre diversos competidores.

Também deverão ser discutidas formas de desenvolver outros aspectos da relação entre os países, incluindo os nucleares. A França poderá promover os planos de suas empresas em outra disputa multibilionária, voltada a seis novos submarinos convencionais.

FONTE: NDTV (tradução e edição do Poder Aéreo a partir de original em inglês)

FOTO: Força Aérea Francesa

VEJA TAMBÉM:

- Advertisement -

14 Comments

Subscribe
Notify of
guest
14 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Clésio Luiz

Aquilo é um casulo de reconhecimento no pilone central?

Rogério

Parece ser o pod AREOS Reco NG:

http://www.defpro.com/daily/details/750

Mauricio R.

Antes foi a tentativa de sacanear a HAL, depois o alarde qnto ao suposto aumento na encomenda, sem sequer o contrato original estar assinado.
É, faz bem o MD indiano adiar essa visita a Australia, e discutir seriamente c/ esses franceses por demais faladores a relação.

thomas_dw

Nao e´ alarde, a encomenda do Rafale deve ser muito maior do que foi inicialmente proposto, inclusive da versao naval – alias, os Franceses sao parceiros da India desde a sua independencia.

Vader

Casou com francês morre com ele…

Nick

Os franceses tem de priorizar o FECHAMENTO desse contrato, primeiro com os 126 e lógico se puder ser mais 86 melhor ainda. E com um contrato desse montante, deveriam transferir a fabricação para a HAL até dos Rafale para a AdlA 🙂 .

[]’s

thomas_dw

a India vai fabricar parte do Rafale – e importar o resto da Franca, assim como faz com o Flanker de quem tem licensa da Russia.

Alias – e’ assim que funciona no mundo todo, a Turquia comprou o F-16 e junto veio uma Fabrica para montar e fabricar pecas.

Assim faz a Embraer nos EUA

A Franca esta vendendo um produto – a India quer comprar o produto, que vem com as restricoes de uso que sao habituais em qualquer venda.

Alem do que, a Franca vai comprar algo como 300 e a India deve comprar algo como 200-240.

Ivan

Thomas,

Por enquanto vendas certas, contratadas, são os 180 para o Armée de L’Air e Marine Nationale. Estes devem comprar mais uma centena ao longo da próxima década.

Outra venda “apalavrada” mas ainda não contratada é esta tratado no post.
Acredito que é certa, faltando apenas ajustar detalhes, mas estam tratando de 126 unidades. Pode aumentar? Sim, é possível, mas vai depender muito do andamento do HAL Tejas Mk2.

Assim sendo, considerando a contratação de tudo que está encaminhado, as quantidades seriam cerca de 280 para a França e 126 para Índia.

Abç,
Ivan.

Mauricio R.

“…que vem com as restricoes de uso que sao habituais em qualquer venda.”

Ocorre que os franceses, ao responderem a solicitação de proposta p/ o fornecimento do MMRCA, concordaram c/ os condicionantes do MD hindú; p/ a realização do negócio.
E esses condicionantes não são os mesmos, que regem a relação c/ os russos e a fabricação sob licença do Su-30MKI.

Justin Case

Amigos, boa tarde. http://noticias.r7.com/economia/noticias/ministro-da-defesa-diz-que-licitacao-para-comprar-cacas-segue-de-pe-20130201.html Ministro da Defesa diz que licitação para comprar caças segue de pé EFE Rio de Janeiro, 1 fev (EFE).- O ministro brasileiro da Defesa, Celso Amorim, disse em entrevista publicada nesta sexta-feira que a licitação para comprar 36 aviões caças-bombardeiros segue de pé porque eles são “necessários” para as Forças Armadas. “Os caças são necessários e deverão ser comprados”, afirmou o ministro em entrevista à revista Aerovisão, órgão oficial da Força Aérea. Amorim contou que a data para retomar a licitação, suspensa devido aos cortes no orçamento decididos nos últimos anos pelo governo em função da… Read more »

Justin Case

Nunão,

Só pelo fato de confirmar que o projeto ainda está “vivo” esta já é uma excelente notícia.
Também não houve qualquer alusão a medidas “alternativas” ou “tampão”.
Ainda dá para sonhar em ter um caça de primeira linha na FAB.
TAMPAX NUNCA MAIS!

Abraço,

Justin

Últimas Notícias

Pintura comemorativa nas aeronaves da RSAF no 91º Dia Nacional da Arábia Saudita

O 91º Dia Nacional da Arábia Saudita contou com a apresentou das aeromaves Eurofighter Typhoon, Tornado, F-15C Eagle e...
- Advertisement -
- Advertisement -