Saab mira na venda para FAB

    154
    6

    A menos de dois meses do fim do ano, a direção da sueca Saab no Brasil ainda alimenta esperança de que o governo Dilma Rousseff destrave a compra de 36 caças para a Força Aérea Brasileira (FAB). A aquisição, dentro do programa do FX2, é esperada desde 2010. A encomenda, que tem ainda as concorrentes Boeing (americana) e Dassault Aviation (francesa), deve envolver cifra entre US$ 5 bilhões e US$ 7 bilhões. Ao participar do Encontro Nacional do Setor da Construção Pesada (Ensecope), realizado na terça-feira (6) na Fiergs, o diretor da Saab Brasil, Bengt Janér assegurou que o caça da fabricante terá menor custo e boa parte montada no Brasil.

    FONTE:
    Jornal do Comércio, via Notimp

    FOTO: J Kouba, Forças Armadas da República Tcheca

    Subscribe
    Notify of
    guest
    6 Comentários
    oldest
    newest most voted
    Inline Feedbacks
    View all comments
    Marcos
    Marcos
    7 anos atrás

    É que todos querem vender e todos tem medo. Mas tem hora que você tem de ir para o tudo ou nada: informem que a validade expira do final deste ano.

    DrCockroach
    DrCockroach
    7 anos atrás

    There ain’t no grave
    Can hold my body down
    There ain’t no grave
    Can hold my body down

    When I hear that trumpet sound
    I’m gonna rise right out of the ground
    Ain’t no grave
    Can hold my body down

    http://www.youtube.com/watch?v=66QcIlblI1U

    []s!

    Gilberto Rezende
    Gilberto Rezende
    7 anos atrás

    É, ela quer vencer em dezembro de 2012 mas só pode ENTREGAR a primeira aeronave só depois de 2020…

    E tem gente que AINDA acha que ela é favoritíssima a ganhar o FX-2…

    Nick
    Nick
    7 anos atrás

    Caro Gilberto,

    Atualmente considero a proposta da SAAB a mais neutra possível. Se a Dilma não quiser desagradar Obama e o Holanda 🙂 , manda ver no Gripen E/F.

    []’s

    Luis
    Luis
    7 anos atrás

    Aproveita e traga já todos os Gripens C/D dos estoques suecos!

    ricardo_recife
    ricardo_recife
    7 anos atrás

    NIck,

    Eu não diria mais transparente, mas sim mais clara e eficiente. É de longe a que melhor equaliza custos, logística, tecnologia e capacidade operacional.

    Abs,

    Ricardo.