Home Noticiário Nacional Enquanto isso, F-5 na FAB até 2030?

Enquanto isso, F-5 na FAB até 2030?

349
42

Uma curta nota do jornal “Estadão” de 29 de outubro, com o título “Caça foi modernizado”, traz o seguinte texto:

“Desde 2000, os 46 caças F-5 da FAB estão sendo convertidos na configuração M (modernizado) pela Embraer, com um custo estimado em US$ 420 milhões. A parceria da empresa nacional, com sede em São José dos Campos, é com a israelense Elbit. O F-5M tem um painel com telas digitais coloridas e superou expectativas. Vai voar até 2030, cinco anos além da meta inicial.

A nota provavelmente complementava matéria do mesmo jornal publicada minutos antes sobre interceptação e acompanhamento de um voo da TAM por um caça F-5M da FAB (notícia que também foi veiculada aqui a partir de reportagem do G1).

FONTE: Estadão

VEJA TAMBÉM:

42 COMMENTS

  1. Cinco anos além da meta inicial? Ahahaha, esse caça já era para estar aposentado há uns 15 anos!!!

    Inacreditável. Pior que a imprensa fala essas coisas e tem político idiota e babão que acredita. Por volta de 2025 os F-5 da FAB vão estar desmanchando!

    Por isso que eu falo: JF-17 na cabeça. E acaba de vez com essa novela.

  2. Daí o cara se atira do 8º andar e ainda é tachado de suicida…

    Pior de tudo é um meio de comunicação com o alcance do estadão, colocar uma nota dessas assim, jogada ao vento, mas também, o jornalista, o povo e o político sem instrução, não estão nem aí mesmo…

    Forevis-5: O último caça da FAB… 🙁

  3. Infelizmente quando aos F-5 comçarem a cair dos céus,levando consigo nossos aviadores , os politicos e a impressa irão ver a necessidade de um novo vetor para a FAB( Desabafo de um entusiasta da aviação de caça.)

  4. E ninguém pensa nos museus!

    A aviação de caça da FAB é similar ao “Asas de um Sonho”, os aviões são peça de museu porém ainda voam.

    maxi47: nem mesmo a queda constante (toc toc toc) de F5 irá sensibilizar políticos para a compra de novos aviões.

  5. Senhores,

    Lá pelos idos de 2030, os bolivarianos ao Norte já devem estar com os seus PAK-FA, bem como o Peru, este último para contrapor-se ao Chile, que certamente terá o F-35.

    Até os hermanos já devem estar voando de F-16 (usados, claro).

    Mas a FAB ainda terá poder dissuasório contra o Paraguai, a Bolívia, o Uruguai, o Suriname, as Guianas…

    E quanto a nós, periga estarmos no FX-4. Ou FX-5. E batendo o pezinho pela ToT irrestrita.

    É a FAB sendo conduzida pela mão do GF rumo a irrelevância…

  6. Em 2030, a maioria das nações estará operando caças de 4++ e 5ª geração. Algumas poderão até já estar operando 5++, enquanto a PuTênfia estará operando vetores com quase 70 anos. Seria algo como se hoje (2012) alguma nação ainda estivesse operando P-51 Mustangs “modenizados” (caças com quase 70 anos) como importante vetor.
    No íntimo, creio que essa extensão absurda e inacreditável da vida útil dos F-5 tem apenas por objetivo a realização de sucessivas e carí$$imas modernizaçõe$.

  7. asbueno,

    GRACAS A DEUS O QUE EU DISSE EH BRINCADEIRA…
    era soh o que nos faltava, ressucitar avioes bizonhos para a FAB…
    Compremos logo os Gripen NG… mais baratos, tecnologicamente no estado da arte, hora voo muito barato (em relacao aos concorrente)…
    podemos comprar uns 48 Gripen NG e ainda sobrar um troco pros armamentos, manutencao e gasolina…
    falando em gasolina, alguem poderia me sclarecer se a Petrobras “cede” combustivel a FAB ??

  8. Pessoal será que nao existe uma forma de fazermos um destes abaixo assinados eletronicos pressionando o governo a resolver e dar fim no prog fx2 seja escolhendo o jf17 ou o que for, dando uma explicaçao simplificadissema para os internautas de plantao e colhendo esta assinaturas de modo que isto nos levasse a aparecer na midia nacional,quissar ,internacional???

  9. eduardo pereira disse:
    1 de novembro de 2012 às 14:37

    Esquece brow…nefte paíf para mobilizar a população para protestar contra o absurdo e extorsivo valor dos combustíveis, tu não consegue nem uma dúzia de gatos pingados! Mas para um carnavalzinho, o país para!!!

  10. off topic

    Embraer Legacy 500 pronto para voar. E com a pintura totalmente pronta. Aliás, que pintura!!!!
    (fonte: BlueSky Business Aviation)

  11. Fabio ASC disse:
    1 de novembro de 2012 às 14:22

    Sim, temos que levar em conta que há “Guianas” e “Guianas”.

    Mas como ambas são de paz, para estas o “bicudo” serve.

    A Guiana é um estado soberano, embora faça parte da Commonwealth. Só seria defendida pela Grã-Bretanha se fosse covardemente atacada.

    Já a Guiana Francesa é um estado ultramarino da França (não é colônia).

    Nenhuma delas herdou o sangue quente espanhol dos nossos outros vizinhos.

    Este simples fato aponta em ambas um risco próximo de zero para qualquer aventura militar movida a patriotadas, tão típicas da América Espanhola.

  12. F5M merece uma medalha de Honra por estar suportando tanto tempo assim.
    Mas do jeito que a China anda, seus caças podem ser bem vindos aqui.
    Caso o Fx2 não seja anunciado em Dezembro/2012 ou Janeiro de 2013 a coisa vai ficar estranha, MIrage2000 param de voar e os Forevis da Jordânia modernizados entram em operação já que estão com menas hoas voo do que os nossos.

    É o fim chegar nesta situação absurda !!!!
    Estamos no osso sem necessidade disso, tempo pra ter a definição já teve.

    Abs.

    • A nota é aquele tipo de informação que não dá pra levar a ferro e foto. É só um complemento de notícia.

      Mas não seria muito estranho nem uma grande surpresa, ao menos na minha opinião, ter F-5M saindo de serviço só em 2030.

      O que seria surpreendente é ter uma grande quantidade deles ainda voando por essa época, ou formando parte significativa da aviação de caça. Isso sim seria absurdo. O mais provável é que alguns já saiam do serviço antes desta década agora (já se falou em 2017 para as células mais desgastadas).

      O que eu acho possível é que um último esquadrão, dentre os que hoje voam o F-5M, possa estar terminando o ciclo com a aeronave em 2030.

      Vejamos:

      Os onze F-5 “ex-Jordânia” tiveram sua modernização contratada e quase metade deles (3 bipostos e 2 monopostos) já está pra ir para a Embraer.

      Se o programa não atrasar, daqui a uns dois anos e pouco os onze (praticamente a dotação de um esquadrão “magrinho”) estarão modernizados. Ou seja, por volta de 2015.

      Se operarem por uns 15 anos… 2030!

      Enfim, não é impossível. Se por essa época o último esquadrão esteja dando adeus à última dúzia de F-5 na FAB, aguardando a chegada de um último lote de F-X2, ou o primeiro lote de um F-X3 ou coisa que o valha, depois dos outros esquadrões já terem recebido caças novos, não é nada desesperador (apenas chatearia parte de uma geração de pilotos de caça que ainda estariam voando o modelo em plena terceira década do século XXI).

  13. Caro Nunão,

    O problema não é o fato do F-5M ainda estar voando em 2030.

    O problema é que pelo andar da carroça, ele ainda será o PRINCIPAL vetor de caça do país, porque a prioridade do GF em comprar novos caças é zero.

  14. Srs.

    Conformem-se: isso irá ocorrer, sem sombra de dúvidas… Por causa de nossos governantes ____________ (auto-editado) e por culpa da própria FAB – que não tem mais visão de Força de COMBATE, e por isso se conformou em ser FA de Transporte, o que ficou bem claro aqui:

    http://www.aereo.jor.br/2012/10/30/entrevista-com-o-ex-ministro-da-aeronautica-tenente-brigadeiro-mauro-jose-miranda-gandra/#comments

    Tivesse o Comando real interesse simplesmente NÃO aceitaria essa situação e sequer faria a modernização nos F-5 e A-1 – simplesmente deixaria tudo no chão e deixa a tal imprensa “PIG dazeliti” fazer a festa (inclusive no exterior) – e mostrar que o BR não tem caças nem pra proteger os estádios da Copa do Mundo e Olímpiadas – vcs realmente duvidam que ia surgir algum avião QUALQUER que seja (M-2000/F-1/MIG/SU/F-4/F-15/16/18 by AMARG, etc.) do dia pra noite?! Mas como os soldos continuarão a cair todo final de mês da mesma forma, conformem-se amigos: a FAB como força aérea de combate já tem data para seu fim…

    Off-Topic: Nick, outra pra vc, meu caro (pq sei que vc é fã da aeronave) – sabia que a única chance que o Brasil teve de efetivamente ter o SU-35 como seu caça de superioridade aérea morreu junto com o último nacionalista de verdade que nós tivemos: Sim, o Dr. Enéas Carneiro defendeu o SU-35 como a melhor opção do F-X2 em um de seus primeiros discursos como deputado federal – aquele mesmo que os esquerdistas (e agora) viúvas russófilas acusavam de fascista, extrema-direita, reacionário, etc. Pra ver como pensam – pode ser nacionalista e efetivamente preocupado com os rumos do Brasil – mas se não reza pela “cartilha da causa”, não presta!!!

    Sds.

  15. Essa informação não tem pé nem cabeça, essas caças já estarão no limite de suas vidas estruturais já por volta de 2015/2016, mesmo as células modernizadas, e mais se hoje já existe a dificuldade em encontrar peças, imaginem em 2030? Só se adquirirem mais algumas aeronaves para canibalizar!!!!

    Outro dia um F-5 perdeu o canopy em vôo, segundo ouvi dizer embora não possa confirmar a veracidade da informação, é de que a FAB recomenda aos pilotos a evitar um simples tuneaux’s, e algumas outras manobras mais radicais.

    Mas como aqui é o país do jeitinho…..

  16. “Observador disse:
    1 de novembro de 2012 às 20:08”

    Observador, continuar como principal caça em 2030 eu acho extremamente difícil ou até impossível, pois parte das células já precisa ser aposentada bem antes disso.

    O que eu acho possível (repito, possível – não estou de modo algum defendendo isso como aceitável) é que uma parcela da frota ainda esteja voando em 2030, num derradeiro esquadrão equipado provavelmente com os ex-jordanianos que nem iniciaram ainda a modernização (só iniciou-se a revisão estrutural etc), como escrevi.

    A não ser, é claro, que esse “derradeiro esquadrão” não seja somente o último equipado com F-5, e sim o último da FAB equipado com qualquer tipo de caça supersônico…

    “Leonardo disse:
    2 de novembro de 2012 às 10:37”

    Leonardo, parte das células estará sim no limite daqui a alguns anos, mas não “esses caças (…) mesmo as células modernizadas”, como você escreveu, como um todo. Isso porque ainda tem onze células ex-Jordânia que ainda vão iniciar a modernização (cinco já estão praticamente prontas para começarem o processo, após terem as células revisadas, e outras seis estão em revisão), provavelmente entrando em serviço após serem modernizadas por volta de 2015. Como dariam baixa no ano seguinte?

    Deve-se ter em conta que a desincorporação dos F-5 provavelmente se dará em etapas.

    A não ser que uma surpresa desagradável (e a ejeção de canopis em voo foi uma delas, mas não tem a ver com manobras até onde sei, e sim com falha do próprio mecanismo de ejeção do canopi) atinja toda a frota independentemente desse desgaste gradual.

    Dito tudo isso, minha opinião: o F-X2 precisa ser decidido já para que a aposentadoria do F-5 seja feita de forma digna, sem precisar de tampões para eles, e se possível sem termos exemplares de F-5M ainda voando em 2030. Porque o tempo para fazer isso com os Mirage III passou quando o F-X original gorou, assim como a aposentadoria digna dos F-2000, tampões, também não foi possível pelo fato do F-X2 demorar tanto, e ser necessário pensar em mais um “tampão” (que pode ser até o próprio F-5M, ironia do destino…).

    Em suma: ou se decide o quanto antes o F-X2, sabendo que depois da decisão ainda tem perto de um ano de negociação de contrato (seguindo outros exemplos internacionais) etc, prevendo-se alguma primeira entrega (conforme o grau negociado de participação brasileira em alguma coisa) só uns quatro anos depois. Ou seja, por volta de 2017, quando os F-5M mais desgastados provavelmente terão que dar baixa (se não houver mais surpresas ainda mais desagradáveis) – vide primeiro link da lista ao final da matéria.

    A solução para o F-2000 precisará ser encontrada nesse meio tempo, se possível com um tampão ligado ao eventual vencedor do F-X2, mas a solução para o F-5M não pode ser adiada mais.

  17. Hoje é dia de finados….. vou colocar uma flor no túmulo do FX-2…. e neste mesmo dia, em futuro próximo, no túmulo da aviação de caça da FAB…..

    Optimus,

    Bem lembrado o discurso do já falecido Dr. Enéas Carneiro, eminente médico cardiologista, que enquanto candidato a presidência, sempre foi merecedor de meu voto, com muito orgulho !!

    Sds.

  18. O substituto do F-5 esta bem aí no FX-2, chama-se Gripen E/F, sua entrada em operação coincide inclusive com as primeiras baixas do F-5 (2017/2020).

    Para a substituir o Mirage 2000 hoje bastaria seguir a idéia do Dr. Enéas Carneiro, os nossos pilotos e exportadores de carne iriam adorar…

    Agora tampão de novo não por favor.

  19. Nunão entendo que dei uma extrapolada, em relação as manobras também a achei um pouco de exagero de quem comentou isso comigo, mas é tanta coisa que escutamos quando conversamos com alguns militares, e mesmo que estes não estejam envolvidos diretamente em operações com aeronaves, nos deixam com algumas caraminholas na cabeça, mas uma coisa devemos levar em conta, os sobressalentes, qual garantia teremos? Será que haverá peças disponíveis no mercado até 2030? A qual custo? Creio que a FAB tenha avaliado isso, mas levando em conta que a aeronave não seria mais a 1° linha de defesa do país após certo período deste prazo, no entanto, pelo visto ainda será por um bom tempo.

  20. Leonardo,

    Não vi como extrapolação, pois razões não faltam para carminholas.

    São caças já muito usados (ainda que modernizados) e, embora ainda haja uma grande quantidade de F-5 em serviço no mundo (e, somando a “família” F-5 como um todo, no que se inclui até o T-38, o número é ainda maior), é fato que ao longo dos anos esse quantitativo vai diminuir e novas dificuldades poderão surgir.

    O que compensa é o domínio que a FAB tem sobre boa parte da manutenção, assim como diversas empresas privadas aqui e lá fora. Mas manutenção é manutenção, e milagre é milagre…

    Eu apenas escrevi que não acho impossível os últimos a dar baixa operarem até 2030. Mas, sinceramente, espero que os últimos F-5 da FAB dêm baixa antes disso, enquanto a situação de sobressalentes etc não esteja tão crítica. Mais 10 anos de uso pela frente é algo ainda viável, eu creio, pensando na frota mundial e nas peças que os nosso, mesmo modernizados, ainda compartilham com essa frota espalhada por aí. Mas ir além disso até 2030 será forçar a barra, pois provavelmente restarão poucos em serviço no mundo.

    A operação até 2025, 20 anos após o recebimento do primeiro exemplar modernizado e 10 anos após (suposição) receberem o último (dos ex-Jordânia) já estaria de bom tamanho para que a aposentadoria do F-5 na FAB não sofra indignidades. Não precisamos bater recordes nesse sentido…

  21. Lendo todos estes comentarios da uma vontade de que as coisas fossem diferentes, mas não sei se sabem se o Brasil comprassem estes avioes eles poderiam ficar no solo, mas não pq eles tem uma hora de voo mto cara para a nossa FAB, mas pelo simples fato de falta de combustivel, nosso Brasil nem consegue dar vazão para os combustiveis importados como diesel e gasolina, por falta de logistica, falta de disponibilidade dos portos, quando vejo que tamos engatinhando nestas areas da ate um aperto no coração, em relação ao projeto chines tb mto comentado em outro post tb me leva a lembrar tudo isso, nem se o Brasil investisse mto dinheiro pra copiar um caça ja existente nao teriamos mao de obra especializada para tal, não é atoa que Embraer investe tubos de dinheiro RE-formar engenheiros, este vindo das melhores faculdades do nosso pais no programa PEE, e ai vai…!

  22. “continuar como principal caça em 2030 eu acho extremamente difícil ou até impossível, pois parte das células já precisa ser aposentada bem antes disso”

    Caro Nunão, se estivéssemos falando de um país sério, eu concordaria com você, mas em sendo o Brasil…

    Quanto a estarmos no FX-n, disso infelizmente não tenho dúvidas.

    E queremos lugar no CS da ONU…

  23. Nunão, porque essa falta de esperança? os novos teco-tecos f-18 vão estar aqui em 2013, para fazer o markting com o 13 do Partido Traíra, isto se o mundo não acabar em 2012.

    • Hamadjr, não gostaria de tratar desse tipo de discussão política.

      Mas ainda assim acho que há algumas oportunidades nesse sentido:

      Esqueça qualquer apoio do PT, que é 13, pois não existe nenhum “F-13” para combinar com o ano de 2013.

      E desconheço qualquer partido com número 18 para apoiar o F-18.

      Mas olha aí a esperança dentro da aliança do governo: o PMDB, que é 15, pode ser a saída para quem quiser o F-15 em 2015. Mas será que o F-15 não é caro demais?

      Uma solução de ótimo custo-benefício, com um monomotor comprovado é o F-16, que o PSTU número 16 poderia apoiar para recebimento 2016. Hum… Mas é americano, acho que o PSTU não vai gostar.

      Já o magnífico, icônico e “Top-gânico” F-14 poderia vir antes, em 2014, com apoio do PTB. Mas infelizmente não é mais fabricado há muito tempo, os estocados no deserto estão no bagaço e o único usuário atual é o Irã, que até lá pode já ter sido bombardeado.

      Se formos esperar por um apoio do PSDB por novos caças, este seria pelo avançadíssimo F-45, ainda a ser projetado. Perfeito, pois sua produção aqui seria inaugurada junto com mais 45 km de metrô. Tudo em 2045, é claro.

      Mas nossas necessidades são mais urgentes. Pensemos na década de 20, o mais tardar. O PSC pode querer ressucitar o projeto do F-20 em 2020. Mas precisa comprar a licença de produção e é muito parecido com o F-5: como não há mais cristão que aguente F-5 se perpetuando na FAB, então melhor deixar pra lá.

      E o pobre F-5 não tem apoio de partido 5 algum. Quem não gosta do bicudo na FAB pode ficar tranquilo.

      O PR pode tentar trazer F-22 usado em 2022, se os americanos liberarem uns usados, mas acho difícil.

      O mais factível: a Revolução Comunista finalmente vingar no Brasil e o PCB articular MiG-21 usados em 2021. Tudo a ver!

      A solução é MiG-21, camarada!!!

      E chega de off-topic político…

  24. Coluna do Cel. Gelio Fregapani:Rússia

    Rússia
    O governo russo estaria disposto a reabrir seu mercado para as carnes brasileiras em troca da exportação ou da produção conjunta de armamentos. Para voltar a participar do Programa de aquisição de aeronaves para a FAB, os russos aceitariam compartil har a tecnologia dos aviões Sukhoi 35, venderiam a Brasília seus mísseis anti-aéreos Tor, e renovariam o convite para que o Brasil participe do acordo do PAK-FA T-50, como sócio pleno do caça-bombardeio de quinta geração que estão desenvolvendo junto com a Índia, para entrar em operação por volta de 2018.

    Esse assunto poderá ser abordado na visita que a Presidente Dilma fará a Moscou, em dezembro.

    Sds.

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here