sexta-feira, janeiro 28, 2022

Gripen para o Brasil

Componentes Hispano-Suiza, do Grupo Safran, a bordo do Embraer KC-390

Destaques

Fernando "Nunão" De Martini
Pesquisador de História da Ciência, Técnica e Tecnologia, membro do corpo editorial da revista Forças de Defesa e sites Poder Aéreo, Poder Naval e Forças Terrestres

Grupo destaca os sistemas de distribuição de eletricidade e de geração de emergência, de contrato recebido em novembro do ano passado

Na sexta-feira, 26 de outubro, o Grupo Safran divulgou nota a respeito de componentes da sua subsidiária Hispano-Suiza que fazem parte do jato de transporte militar KC-390 da Embraer. O grupo destacou a seleção pela Embraer para o fornecimento do sistema de distribuição de energia elétrica e dos sistemas de geração de emergência (back-up power generation systems) da aeronave – trata-se de mais um passo rumo a aviões “mais elétricos”.

Segundo o Grupo, o fato da subsidiária Hispano-Suiza estar trabalhando no KC-390 deve-se a dois fatores: um é o interesse da Embraer em trabalhar com novos fornecedores em geração e distribuição de energia e outro é a inovação por trás da resposta da Hispano-Suiza aos requisitos da empresa brasileira.

A Hispano-Suiza está trabalhando com a Safran Electronics e a Labinal (também do Grupo) em dois sistemas, o PEPDS (primary electrical power distribution system), que é o coração do sistema elétrico de uma aeronave (PEPDS) e o SPDS (secondary power distribution system), que provê energia elétrica para equipamentos que podem ser ligados e desligados de acordo com a fase do voo). Há também o RAT (sistema localizado no nariz da aeronave e acionado no caso de falha elétrica, operando como uma turbina eólica) que, apesar de estar no catálogo da Safran, é oferecido como um produto “de prateleira” da empresa Aerosource, que também foi adquirida, o que permitiu oferecer uma solução adaptada e mais competitiva à Embraer.

Outro destaque da nota foi o cronograma apertado com o qual se está lidando. Assim, o projeto vai sendo adaptado conforme o programa avança, utilizando-se de uma bancada de testes integrada, capaz de simular todas as operações do equipamento. A ferramenta será usada para os testes de certificação que normalmente são feitos pelo fabricante da aeronave e atender ao exigente cronograma: a revisão do projeto preliminar já foi feita em junho e, no ano que vem, será a vez da revisão detalhada, para que o primeiro protótipo esteja pronto no final de 2013.

Outras empresas do Grupo Safran que trabalham com o KC-390 são a Messier-Bugatti-Dowty, selecionada para os freios e trem de pouso, e a Sagem, escolhida para o sistema de controle de compensação (trim) do estabilizador horizontal. O andamento dos trabalhos das empresas do Grupo são discutidos em conjunto mensalmente, segundo o informe, apesar da distância geográfica em relação à empresa brasileira.

FONTE: Grupo Safran (tradução e edição do Poder Aéreo a partir de original em inglês)

IMAGENS via FAB

VEJA TAMBÉM:

- Advertisement -

1 Comment

Subscribe
Notify of
guest
1 Comentário
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Marcos

Japão pretender utilizar estudos do Mitsubishi ATD-X para, a partir de 2017, iniciar o desenvolvimento de uma aeronave pós F-22/F-35.
(Aviation Week)

Últimas Notícias

AFA realiza primeiro voo de instrução com Cadetes no T-27M

O primeiro voo de instrução da Turma Anúbis, do 4º Esquadrão do Corpo de Cadetes da Aeronáutica (CCAer), aconteceu...
- Advertisement -
- Advertisement -