Home Noticiário Internacional Estaria o F-35 por trás do corte de 1/3 no caça de...

Estaria o F-35 por trás do corte de 1/3 no caça de 5ª geração russo-indiano?

252
30

Corte de 214 para 144 caças FGFA, versão indiana do russo PAK FA, estaria ligada a uma piora nas relações entre Índia e Rússia – redução poderia acomodar possível interesse no caça F-35 norte-americano

O jornalista indiano Rajeev Sharma, que há mais de 20 anos escreve sobre relações internacionais, questões estratégicas e defesa, escreveu artigo para o site “The Diplomat” argumentando que o corte em um terço das encomendas do FGFA (versão indiana do caça de quinta geração russo PAK FA da Sukhoi) e o aumento das tensões nos laços bilaterais indo-russos seriam questões relacionadas entre si.

Um dos motivos para a redução poderia ser, conforme apurou Sharma, a necessidade de acomodar um interesse potencial no caça de quinta geração F-35A, fabricado pela norte-americana Lockheed Martin, que anteriormente foi rejeitado tanto pela Força Aérea quanto pelo Ministério da Defesa da Índia. Porém, ambas as instituições negaram esses rumores sobre o F-35.

Significativamente, segundo o jornalista, todos os 144 FGFA que a Índia pretende comprar agora serão monopostos. Antes, a Força Aérea Indiana planejava comprar 214 unidades, 166 monopostas e 48 bipostas. De acordo com fontes, a decisão indiana de reduzir a aquisição deve-se a dois fatores concomitantes: atrasos na produção e elevação de custos, o que tem afetado os laços entre Rússia e Índia. O primeiro protótipo só deverá ser entregue aos indianos em 2014, seguido por outros dois em 2017 e 2019, sendo que a Índia pretendia, anteriormente, introduzir os caças em serviço entre 2017 e 2018. As entregas de produção só vão começar em 2020.

A redução da encomenda indiana teria irritado os russos. Uma visita do presidente Vladimir Putin à Índia prevista para o final deste mês foi adiada e só irá ocorrer em 24 de dezembro.

FONTE: The Diplomat (tradução e edição do Poder Aéreo a partir de original em inglês)

FOTOS: Sukhoi e Lockheed Martin

COLABOROU: Max

VEJA TAMBÉM:

30
Deixe um comentário

avatar
30 Comment threads
0 Thread replies
0 Followers
 
Most reacted comment
Hottest comment thread
16 Comment authors
Fernando "Nunão" De MartiniIvanedcreekHMS TIRELESSGilberto Rezende Recent comment authors
  Subscribe  
newest oldest most voted
Notify of
Latino dark
Visitante
Member
Latino dark

Acredito que seja perfeitamente real essa intensão da India ,de compra f-35 motivos não faltam ,atrasos na produção e elevação de custos,do PAK-FA devem estar tirando o sono dos indianos …

sds

Baschera
Visitante
Member
Baschera

Agora se entende melhor porque a Índia tem aquele sistema ridículo de castas sociais…… dinheiro para os do topo não falta e poder também não….. fico impressionado com o que estes caras gastam coim defesa…. enquanto as tais castas de “inferiores”… não tem um penico para urinar !!

Gastar com defesa é importante e necessário…. mas tudo tem um limite.

Sds.

Baschera
Visitante
Member
Baschera

Também acho que este articulista indiano bebeu muito leite de cabra…. russos e indianos estão montando inúmeros negócios de cooperação militar, em que pese alguns problemas….. como compra e reforma de porta-aviões, desenvolvimento conjunto de avião médio de carga, o PAK/FA , etc. Ontem mesmo, a Rússia e a Índia encontraram solução para uma série de problemas existentes na área de cooperação técnico-militar. O anúncio foi feito pelo ministro da Defesa, Anatoli Serdiukov, após uma reunião com o seu homólogo indiano, Arakkaparambil Kurian Anthony. O ministro russo salientou que a Índia continua sendo um parceiro estratégico da Rússia, ocupando o… Read more »

Baschera
Visitante
Member
Baschera

Ainda como fruto da cooperação russo/indiana:

Ainda no quadro das conversações russo-indianas foi examinada a marcha para construção de fragatas, a produção na Índia de aviões Su-30MKI e de carros blindados T-90C, bem como o fornecimento de helicópteros russos Mi-17B-5. Abordando o tema de produção de mísseis de cruzeiro BrahMos, Serdiukov acentuou que este programa pode servir de exemplo para uma realização eficaz de relevantes projetos nessa área. Segundo avaliações de peritos, o míssil BrahMos não tem análogos no mundo.

Sds.

champs
Visitante
champs

Notícia meio estranha essa, segundo a reportagem entre os motivos estão: atrasos na produção e elevação de custos.

Qual a intenção dos indianos, o F-35 não sofre do mesmo mal?

A redução de encomendas é perfeitamente normal, ela é proporcional ao aumento de custos que acontece em todos os projetos, aconteceu com os eurocanards, a Holanda já planeja reduzir seus F-35, até os americanos com seus F-22.

A não ser que estejam pensando num Hi-lo de 5ª geração e aumentando mais ainda sua salada de frutas (PAK-FA, F-35, Rafale, Su-30, Mirage 2000, Mig-29, Jaguar, Tejas).

Gilberto Rezende
Visitante
Member
Gilberto Rezende

A diminuição e atraso dos FGFA tem explicação não só no F-35 como também no F-22… O TERMINO da produção do F-22 limitou o número de Raptors a 187 aeronaves (que ainda não está operacional em muitas das suas funções) e o aumento de custos, atrasos e pressões de reduções de encomendas da Itália, UK, Holanda e Espanha apontam que o programa Hindu-russo estava superdimensionado e há mais espaço para seu desenvolvimento, concedido pelos atrasos americanos. Além disso boa parte do corte da encomenda Hindu deve-se a possível desistência do modelo de dois assentos que não interessava aos russos. PORTANTO… Read more »

Rogério
Visitante
Member
Rogério

Deixa eu vi se eu entendi o seu raciocínio, os indianos diminuíram e atrasaram as encomendas de FGFA em 1/3 devido a redução das encomendas europeias de F-35……!

BRILHANTE, nossa, que explicação genial. E eu que achava que a Índia estava preocupada com a China rsss, e era com a Europa esse tempo todo , cada uma viu!!!!

Ano que vem serão entregues 30 F-35, quantos FGFA e Pak fa mesmo?

Optimus
Visitante
Optimus

Rogério

Não fique surpreso.. os vermelhinhos da AL acham que o todo o mundo está tão preocupado com o “perigo saqueador da Otan” quanto eles…

A India tá tão preocupada com a “ameaça imperialista do Ocidente” que esta adquirindo Rafales, C-17, Poseidons, Apaches, etc.

😉

Giordani
Visitante
Member

Baschera,

Se as castas de cima não gastarem com defesa, as castas de baixo, a que realmente paga a conta, vai fazer referência a outros “donos”…naquela região, quem baixar a guarda, já era!

Mauricio R.
Visitante
Mauricio R.

Um ponto de vista local, via Twitter: “The ‘modified’ IAF variant of the FGFA will be identical to the Russian one, but with IAF specified avionics. A Su-50 MKI, if you will.” “The IAF doesn’t believe HAL can produce a twin-seat FGFA on time/cost. That’s why it has scaled back its requirement with only single-seats.” Qnto a outros negócios, c/ os russos: “Indian govt clears IAF purchase of 200 BrahMos air-launcher cruise missiles. (Missile hasn’t been tested yet, delayed >3 years)” E na Web: (http://livefist.blogspot.com.br/2012/10/iaf-scales-down-fgfa-numbers-by-third.html) O tamanho do corte, de 214 p/ 144 unidades, teria paralelo somente naqueles cortes efetuados… Read more »

Vader
Visitante
Active Member

Rogério disse:
27 de outubro de 2012 às 13:17

É que você não entende nada de geografia meu caro Rogério: a Europa fica MUUUUITO mais perto da Índia do que a China, rsrs…

Nada me espanta nos comentários do Sr. “Giltiger”. Ainda bem que ele comenta aqui.

Para nossa alegria… 🙂

Gilberto Rezende
Visitante
Member
Gilberto Rezende

Vader a influência dos atrasos americanos no FGFA se dá pelo lado russo e não pelo indiano… LEMBRE-SE é um programa BI-nacional e a liderança tecnológica é russa. Mauricio R. voltamos ao ponto de SEMPRE, a maioria das características do F-35 como AERONAVE são normais (algumas até inferiores aos 4.5) e tudo se resume as características super-trunfo de sua eletrônica INSUPERÁVEL que foi objeto da ultima revisão do programa JSF onde o supervisor indica que não há modo ou previsão no programa atual de quando e como a LM testará as alegadas capacidades superiores da aeronave…. E ele não recomenda… Read more »

Gilberto Rezende
Visitante
Member
Gilberto Rezende

Por último, que RAIOS a India iria querer o F-35 ???

Uma aeronave de engenharia fechada que terá que fazer vários ciclos de manutenção FORA da Índia do outro lado do mundo…

A Índia tem inimigos regionais nas suas fronteiras (Paquistão e China) não há característica super-trunfo que supere a necessidade de pronto uso das suas aeronaves e exigência de auto-manutenção e de FABRICAR suas aeronaves.

juarezmartinez
Visitante
Member
juarezmartinez

Pelo simples motivo que levou ela , a India a adquiir C 130J, C 17, P 8 I, AH64, e agora recentemente CH 47, voar, treinar, operar, combater e ter logisitica adequada, preço tratado, combinado e cumprido. Os Indianos estão _______________ para tuas interprpetações fisiologicas politicas ________________, já viram, que o Grande Satã cumpre aquilo que está no papel, entrega no prazo e no preço combinado e principalmente FUNCIONA CONFORME ESTÁ ANUNCIADO NO PROSPECTO TÉCNICO, e se por acaso tu tiveres dúvida, tira ______________ da tua cadeirinbha de funcionário público e vai até o comando da força de submarinos da… Read more »

Justin Case
Visitante
Member
Justin Case

Amigos,

Por falar em logística, alguém pode dizer como está a disponibilidade dos nossos meios aéreos militares de origem americana, como os UH1-H, H-60, F-5M, C-130, AH-60 e também os AF-1 da Marinha?
É muito diferente daquelas de origem brasileira/italiana/francesa/espanhola/russa…?
Abraços,

Justin

Rogério
Visitante
Member
Rogério

Gilberto Rezende disse:
28 de outubro de 2012 às 13:17

A redução de 70 aeronaves, foi apenas da versão hindu, portanto a sua tese não se sustenta, conta outra.

O atraso é apenas uma readequação no cronograma, de quem ainda não sabe o que é fazer uma aeronave stealth, nada mais natural.

HRotor
Visitante
Member
HRotor

Justin, Não é assim tão simples… Você citou meios aéreos distintos quanto ao tipo e complexidade, adquiridos em épocas e em condições diferentes entre eles. Há diferenças quando a manutenção é toda prestada pelas organizações logísticas da própria Força ou quando ela é contratada com o fabricante (mais comum recentemente). Também quando há acordo de assistência militar, como é o caso do FMS – Foreign Military Sales, com os americanos. Se foram comprados novos, com garantia, ou usados. Etc, etc, etc. É inegável, contudo, que as “diferenças culturais” entre países acabam refletindo no relacionamento fabricante-operador ou vendedor-comprador. Não vou aqui… Read more »

juarezmartinez
Visitante
Member
juarezmartinez

Só para complementar o H rotor e as” diferenças culturais” até hoje a FAB recebe realtórios, atualizações de TOs, conclusões de acidentes de varios fabricantes Americanos, caiu u m F 5 na Cochichina, em seguida está o realtório do corrido. Alguém achou uma alternativa para reparar transmisões de UH a Bell bota no papel e repassa aos operadores, já outro fabricante conhecido nosso nem implorando vem, mas como disse o colega, são “diferenças culturais”…..

Grande abraço

Justin Case
Visitante
Member
Justin Case

Amigos, Essas atividades atualização de documentação técnica e operacional são CONTRATADAS e cumpridas, não importando a origem do equipamento. Reuniões e apresentação de relatórios sobre análise de acidentes são também praxe em qualquer tipo de atividade. Por exemplo, em 5 de dezembro de 2011, foi feita uma reunião em Anápolis onde as empresas fabricantes apresentaram relatório sobre todas as investigações de acidentes com Mirage 2000 ocorridas no período anterior. Não tem mistério nenhum. Em qualquer projeto minimamente organizado acontece assim. Pode ser com AMX, Super Tucano, F-5… Todos os países com quem tratamos em termos de aviação são suficientemente desenvolvidos… Read more »

HMS TIRELESS
Visitante
Member
HMS TIRELESS

Giba: Como de costume você vem com sua visão um tanto peculiar dos fatos, especialmente no tocante à geopolítica. Entretanto, a verdade dos acontecimentos é diversa e teimosa em provar o contrário senão vejamos: O corte de encomendas indiano em nada tem a ver com o término da produção do F-22 ou atrasos no F-35 pois os EUA não são inimigos dos EUA. E basta recordar as recentes e robustas vendas de equipamentos norteamericanos aos indianos, adicionada recentemente da encomenda de 15 CH-47 Chinooks. Da mesma forma, nenhum dos futuros usuários do F-35 representa uma ameaça à Índia. Em verdade… Read more »

HRotor
Visitante
Member
HRotor

“…É muito diferente daquelas de origem brasileira/italiana/francesa/espanhola/russa…?”

“Essas atividades atualização de documentação técnica e operacional são CONTRATADAS e cumpridas, não importando a origem do equipamento…”
“Todos os países com quem tratamos em termos de aviação….”

Se o caçador já sabe as respostas, por que a pergunta…?

(Conhecer e ter uma visão crítica diante dos FATOS não é “menosprezar a capacidade”…)

Ivan
Visitante
Member
Ivan

Causa & Efeito. O jornalista Rajeev Sharma tenta criar uma relação entre a diminuição da compra indiana de FGFA / PAK-FA (o efeito) com uma provável compra de F-35 Lightning II (a causa). Acredito que ‘forçou a barra’ e se deixou levar pelas especulações dele mesmo ou de outros, que por ventura gostaria de ver uma maior aproximação entre a Índia e os EUA. O efeito já é conhecido, uma redução em 1/3 nas compras do futuro, novo e ainda não testato (motor e aviônica) caça de 5ª geração russo. Mas a causa pode ser muito mais simples que sofisticadas… Read more »

Gilberto Rezende
Visitante
Member
Gilberto Rezende

C 130J, C 17, P 8 I, AH64, CH 47 destes só o apache COMBATE.

Juarez quando se fala de caça combatente supersônico o discurso MUDA…

Os indianos não querem caças americanos e PONTO.

Incansável os F-35s europeus podem operar o que quiserem (fora do sistema principal do software americano), isso é tecnologia fechada…

HMS TIRELESS
Visitante
Member
HMS TIRELESS

Giba:

O P-8I também é uma aeronave de combate. E pode ficar sossegado que ainda vai chegar a hora dos hindus comprarem caças dos EUA. É apenas uma questão de tempo. A geopolítica explica. E quanto ao F-35, desculpe mas você não disse nada. Os Europeus irão operar armas e sensores específicos em seus aparelhos ou seja, a su argumentação de sistema fechado cai por terra, especialmente se colocarmos o exemplo de Israel, que sempre incorpora modificações bem expressivas aos seus vetores.

Ivan
Visitante
Member
Ivan

Gilberto,

O Boeing P-8 I Poseidon é uma aeronave de combate e vigilância muito sofisticada e com equipamento eletrônico de última geração, inclusive com algumas capacidade secretas não divulgadas.

Com capacidade ASW, ASuW e vigilância eletrônica, estas aeronaves foram vendidas apenas para a US Navy e para a Índia até o momento.

Acredito que estão provocando um impacto enorme no teatro de operações do Oceâno Índico.

Sds,
Ivan.

edcreek
Visitante
Member
edcreek

OLá,

KKKK, insider notice, quem vai pilotar os F-35 Indiano são os Elefantes, kkkkk, sem essa pessoal…

Abraços,

Ivan
Visitante
Member
Ivan

Ed,

Pô! Pensei que seriam os Lightning (20º Esquadrão) ou os Rhinos (30º Esquadrão), ambos da 2ª Ala Aérea. Rs rs rs…

Na verdade esta ala está equipada com Su-30MKI.

Acredito que não há causa e efeito como sugeriu o jornalista hindu, mas também não podemos descartar uma aeronave de caça norte americana na Índia no médio prazo. Afinal já compraram as turbinas do HAL Tejas na General Eletric.

Por aquelas bandas tudo pode acontecer.

Sds,
Ivan.

HMS TIRELESS
Visitante
Member
HMS TIRELESS

Ivan:

Não adianta! O Giba acredita apenas no que ele quer e nas orientações do Foro de SP….rs!

juarezmartinez
Visitante
Member
juarezmartinez

Gilberto Rezende disse: 29 de outubro de 2012 às 11:29 C 130J, C 17, P 8 I, AH64, CH 47 destes só o apache COMBATE. Juarez quando se fala de caça combatente supersônico o discurso MUDA… Os indianos não querem caças americanos e PONTO. Incansável os F-35s europeus podem operar o que quiserem (fora do sistema principal do software americano), isso é tecnologia fechada… Leia mais (Read More): Estaria o F-35 por trás do corte de 1/3 no caça de 5ª geração russo-indiano? | Poder Aéreo – Informação e Discussão sobre Aviação Militar e Civil Sim, o P8 I é… Read more »