‘Fumaça’ deverá receber seus dois primeiros Super Tucanos neste domingo

‘Fumaça’ deverá receber seus dois primeiros Super Tucanos neste domingo

96
8
SHARE
Embraer KC-390

A informação foi dada ao público que compareceu neste sábado, 29 de setembro, no evento de “Portões Abertos” da Base Aérea de São Paulo – BASP. O Poder Aéreo compareceu no período da manhã à base e ouviu a informação sendo anunciada no sistema de som do evento (amanhã, traremos as fotos do “Portões Abertos” da BASP).

Conforme o anúncio, a entrega oficial dos dois primeiros turboélices A-29 Super Tucano ao EDA (Esquadrão de Demonstração Aérea) será realizada neste domingo, 30 de setembro, na Academia da Força Aérea (AFA), em Pirassununga.

Vale lembrar, porém, que neste domingo o EDA tem apresentação marcada no “Domingo Aéreo” 2012 do PAMA-LS (Parque de Material Aeronáutico de Lagoa Santa), em Minas Gerais.

VEJA TAMBÉM:

8 COMMENTS

  1. Estou bastante interessado em saber como será a pintura, se será outra, se será a atual… penso que nada mudará, exceto os aviões, é claro.

  2. Daglian

    Espero que mudem a pintura. A atual é feia que dói.

    Mas eu estou mais interessado em saber que mudanças foram feitas nas aeronaves, se é que foram feitas. Retirada do armamento, obviamente, deve ter sido feita. Não sei se a blindagem nos E-314 são padrão, se forem, penso que devem ter retirado também.

  3. Marcos,

    Eu já não acho a atual tão feia assim… gostos e gostos!

    De fato, são outros pontos interessantes a sabermos. A retirada dos armamentos é certa, claro, mas creio que não haverá mudanças além desta.

  4. O projeto original do SIVAM previa um número maior de Super Tucanos e agora mais de 10% das aeronaves vão para o EDA.

    Vamos ver no que isso vai dar.

  5. Eles tem a opção de dispensar alguns aviônicos, já que as aeronaves não são destinadas a combate. Isso, claro, se os módulos responsáveis por coisas como modos CCIP forem separadas, por exemplo, dos equipamentos de navegação, rádios, FADEC, etc. Pode economizar alguns quilos. Mas como os computadores são tão compactos hoje em dia, que provavelmente nem compense o trabalho.

    O que deve mesmo ser feito é O reservatório de óleo para gerar fumaça, equipamento para comandar isso da cabine (que tal no HOTAS?) e retirada das metralhadoras e magazines de munição, coisa que nem todo A-29 da Força tem atualmente.

    A remoção da blindagem, (que eu vi uma revista afirmar que os exemplares da FAB não tem) me parece ser possível de executar, e talvez traga o peso vazio da aeronave para algo abaixo de 3.000 quilos.

  6. Mudar a aeronave e não mudar o padrão de pintura seria a coisa mais idiota a ser feita, a mudança é GRANDE e deve ser marcada claramente…

    SE a entrega das duas primeiras unidades se dará dia 30 de setembro, e lembrando que o aviso de inexigibilidade do serviço foi publicado dia 21 de AGOSTO, o trabalho demandou pouco mais de um mês…

    Ou o plano já estava definido antes ou realmente ele não é de monta tão significativa assim…

    Quanto a retirada de aviônicos e equipamentos vamos com calma que o EDA translada um bocado….

    OUTRA COISA que mudará muito com o Super Tucano na Fumaça é que com a esperada redução de peso, uma velocidade de cruzeiro significativamente superior ao Tucaninho e um possível aumento de alcance do ST padrão tanto pelo menor peso ou como por uma possível ampliação de capacidade interna de combustível…

    O alcance do EDA vai se ampliar consideravelmente….

    Será que poderiam colocar novos tanques nas asas nos espaços liberados dos armamentos???

    Nesta adaptação de um mês apenas acho pouco provável…

  7. Groo,

    Os A-29 que operam no 2º/5º GAV em Natal, onde é realizada a especialização em caça, não têm necessidade alguma de ficar carregando à toa o peso de metralhadoras (e muito menos de blindagem) durante a maior parte do curso em que basicamente se aprende a ser ala de caça. Metralhadoras só são realmente necessárias, nesse esquadrão, nas instruções de tiro ar-ar e ar-terra.

    Já para os A-29 que operam nas fronteiras (os três esquadrões do 3º GAV), realizando o curso de líder de caça e missões reais de defesa aérea etc, a situação é diferente.

Deixe uma resposta