Home Noticiário Internacional Caça de 5ª geração russo-indiano: contrato de P&D nos próximos meses

Caça de 5ª geração russo-indiano: contrato de P&D nos próximos meses

307
8

O programa da versão indiana do PAK-FA, o FGFA, deverá contemplar 200 caças, a um custo de 35 bilhões de dólares em 20 anos – é provável que a Índia abra mão de uma versão biposto, pois esta seria menos furtiva e com menor capacidade de combustível do que a monoposto

 

Segundo o jornal “The Times of India”, o maior contrato de defesa indiano até hoje, no valor de 35 bilhões de dólares, será assinado em alguns meses pela Índia e pela Rússia. Trata-se do programa do caça de quinta geração, futurístico e furtivo, cujo valor do contrato deverá ser gasto ao longo de 20 anos.

O contrato da fase final de projeto ou de pesquisa e desenvolvimento (P&D) para o caça de quinta geração, segundo fontes do jornal, será assinado entre o final deste ano e o começo de 2013, e representará uma aquisição de aproximadamente 200 caças russo-indianos a partir de 2022 (lembrando que, na Rússia, o programa se chama PAK-FA e, na Índia, FGFA). Isso significa a firme rejeição, por parte da Índia, da oferta dos Estados Unidos de seu caça F-35.

Antes mesmo do contrato de pesquisa e desenvolvimento, representantes da Hindustan Aeronautics (HAL) e da Força Aérea Indiana deverão visitar a Rússia para garantir que a documentação completa e outros trabalhos do contrato anterior de projeto preliminar (PDC – preliminary design contract) foram completados. Essa visita deverá ser realizada já na próxima quinzena. O PDC, assinado em dezembro de 2010, teve um custo de 295 milhões de dólares. Já o contrato de P&D está cotado em 11 bilhões, a serem divididos igualmente entre Índia e Rússia (5,5 bilhões para cada).

Em visita a Moscou na semana passada, o comandante da Força Aérea Indiana (IAF), marechal do ar N. A. K. Browne, analisou o desenpenho do caça russo de quinta geração, o PAK-FA, também denominado Sukhoi T-50. A versão indiana será baseada nessa aeronave, porém com modificações para os requerimentos da IAF.

Provavelmente, a Índia vai adquirir apenas aeronaves monoposto, abandonando a ideia inicial de operar caças de quinta geração bipostos

Segundo uma fonte, “até o momento os três protótipos russos do T-50 já voaram perto de 180 surtidas. As instalações de Ozar da HAL, em Nashik, receberão três protótipos em 2014, 2017 e 2019, a serem voados por pilotos indianos.”

Um dado interessante é que, após inicialmente especificar um requerimento para pelo menos 166 caças monopostos e 48 bipostos desse caça de quinta geração, a Índia está considerando a possibilidade de somente adquirir monopostos.  Segundo a mesma fonte, “tanto o F-35 quanto o T-50 são monopostos. Um segundo posto vai comprometer as capacidades furtivas em pelo menos 15%, além de aumentar o peso e reduzir a capacidade de combustível. Além disso, os custos de P&D poderão sofrer um acréscimo de 2 bilhões de dólares para o biposto.”

A fonte acrescentou que “a Rússia já nos deu o rascunho do contrato de P&D. Ele vai incluir o custo do projeto, a construção da infraestrutura em Ozar, desenvolvimento de protótipo e testes de voo. Assim, a Índia terá cientistas e pilotos de testes baseados tanto na Rússia quanto em Ozar durante a fase de P&D, até 2019. Na sequência, a HAL vai iniciar a produção dos caças.”

Até a chegada do FGFA, a Força Aérea Indiana quer reequipar vários de seus esquadrões com o Rafale, em contrato a ser assinado até o final do ano

A IAF está confiante que esse caça “swing-role” vai atender às suas futuras necessidades operacionais. Mas, enquanto isso, como uma medida interina para também resolver o problema do número decrescente de esquadrões de caça (devido à baixa de aeronaves antigas), a IAF pretende assinar até o final do ano o contrato do MMRCA (avião de combate multitarefa de porte médio). O contrato, de aproximadamente 20 bilhões de dólares, visa dotar a IAF de 126 caças Rafale, da fabricante francesa Dassault.

FONTE: The Times of India (tradução, adaptação e edição: Poder Aéreo)

FOTOS: Sukhoi e Dassault

VEJA TAMBÉM:

8
Deixe um comentário

avatar
8 Comment threads
0 Thread replies
0 Followers
 
Most reacted comment
Hottest comment thread
5 Comment authors
HamadjrJustin Casealphasr71aFernando "Nunão" De MartiniNick Recent comment authors
  Subscribe  
newest oldest most voted
Notify of
Nick
Visitante
Member
Nick

Será que só eu achei meio caro pagar US$11bilhões apenas para desenvolver uma variante indiana do PAKFA? Oo Fazendo as contas: US$35bilhões-> custo total do programa, dividido por 214 caças até 2030: Cada caça custará aproximadamente US$163 milhões para os cofres indianos. O custo de produção unitário sairá por US$112 milhões. Na boa, os russos estão metendo a “faca” nos indianos, já que boa parte do desenvolvimento já foi feito pelos russos. É bom os indianos terem ToT irrestrita de todo o caça, do radar, sistemas de guerra eletrônica, estrutura e design geral do caça, até a produção integral dos… Read more »

Nick
Visitante
Member
Nick

Caro Nunão, Nesse caso, “my bad” 🙂 Mas o custo do programa continua igual: US$35 bilhões para 214 caças (US$163 milhões por caça). O que vai aumentar é o custo unitário de produção sem considerar o P&D: vai de US$112milhões e passa para US$136 milhões para cada caça produzido. Já foge bastante da previsão de US$100milhões que os russos tinham para o PAKFA. Ou então o FGFA tem alguns opcionais que o PAKFA não tem, ou então os Russos estão metendo a faca mesmo no orçamento apresentado para os Indianos. Mas cabe ressalvar que: US$163 milhões por cada caça FGFA… Read more »

Nick
Visitante
Member
Nick

Caro Nunão,

Sobre o efeito de atrasar demais a decisão, acredito que o Brasil nem corre esse risco, infelizmente.

O GF não está nem ae. Se aumentarem o preço, diminui os requsitos ou a quantidade. Ou simplesmente nem compra, que é o que está sendo feito.

[]’s

alphasr71a
Visitante
alphasr71a

A cadeira de 2 Bilhões de dólares.

Justin Case
Visitante
Member
Justin Case

Amigos, bom dia.

Interessante notícia da Índia, publicada na Aviation Week:

http://www.aviationweek.com/Article.aspx?id=/article-xml/AW_08_20_2012_p24-486241.xml&p=2#

Abraços,

Justin

Hamadjr
Visitante
Hamadjr

Quem leu sobre a LDO para 2013 onde há previsão da despesa esta estimada em apenas R$ 2,257,00 Trilhões de reais e para pagamento da dívida pública de R$ 959,00 e para investimento apenas R$ 106,8 bilhões, vai comprar o que?