domingo, julho 3, 2022

Gripen para o Brasil

Bolívia recebe primeiro EC-145

Destaques

Guilherme Poggiohttp://www.aereo.jor.br
Membro do corpo editorial da revista Forças de Defesa e sites Poder Aéreo, Poder Naval e Forças Terrestres

Em uma cerimônia para comemorar o 28º aniversário do”Grupo Aéreo de Búsqueda y Salvamento 51″ (GA 51), baseado na cidade de Cochabamba, o presidente da Bolívia, Evo Morales, entregou no último dia 3 de agosto para a ‘Fuerza Aérea Boliviana’ (FAB), um helicóptero Eurocopter EC-145.

Morales também informou que uma segunda unidade do mesmo tipo será entregue no final do ano. Ele destacou que o reequipamento das Forças Armadas é uma obrigação do governo para atender às necessidades da população.

Outra informação dada pelo presidente é que um dos objetivos do governo é construir um centro de treinamento de manutenção e pilotagem em Chimoré, que poderia receber estrangeiros para especializações.

O comandante da FAB, general Liborio Flores, lembrou que durante a gestão de Morales foram recebidas 16 aeronaves, sendo 10 para a FAB e seis para o “Ejército Boliviano”, número que supera as aquisições feitas pelos governos que passaram pela Bolívia nos últimos 30 anos.

FONTE/FOTO: maquinadecombate

TRADUÇÃO E ADAPTAÇÃO: Poder Aéreo

- Advertisement -

20 Comments

Subscribe
Notify of
guest
20 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Roberto F Santana

Já pensou, se o correio confunde as FABs e entrega a caixa com o kit do helicóptero aqui no Brasil?

Fernando "Nunão" De Martini

Enquanto isso, será que já entregaram à Bolívia os Sapões ex-Força Aérea Brasileira que levou tanto tempo para autorizar a doação? Se não, a lista de aeronaves recebidas pela Bolívia de que fala a reportagem vai aumentar (a não ser que fale só de aviões novos ou adquiridos, não recebidos em doação).

Demorou tanto a doação dos Sapões que deu tempo de comprarem helicópteros novos. E bem mais caros e modernos, diga-se de passagem.

Marcos

Nossa!!!

Com uma quantidade dessas, até parece que é o próprio Brasil.

Bulívia putenphia, Braphil putenphia, ninguém segura essa cumpanherada!!!!

Groo

Jeitão de transporte VIP.

luizblower

Índio quer andar de helicóptero!

Tadeu Mendes

Enquanto isso na Colombia, o Presidente Santos anunciou a compra de mais helicopteros Blackhawk para sua Divisao de Assalto Aereo.

A Colombia e sete vezes menor que o Brasil, mas possui a maior frota de helicopteros militares da AS.

O Chile possui a mais bem equipada Forca Aerea da AS.

O Chavez possui os mais modernos jatos de combate russos da AS.

O Brasil e maior pais da AS, o mais rico da AS, o mais populoso da AS.
e possui a maior Forca Aerea Sucateada nao so da AS. mas do mundo inteiro. Que orgulho. Rsrssrsrsrs….

ci_pin_ha

Aproveitando o tópico sobre o Ec-145, gostaria de saber dos mais intendidos quanto à “concorrência” da MB para substituir o Esquilo, dizem que o Ec-145 e o AW-109 deverão fazer parte. Agora por que não padronizar os helicópteros e trazer o Panther para ser esse substituto?

P.S: Só não vale dizer que é por causa do tamanho, já que dos helicópteros citados acima, o Panther tem uma diferença de centímetros.

Mauricio R.

Outro helicóptero da concorrência UHP da MB será o Bell 429.
O Panther, no Brasil operado pelo EB, é um tanto mais pesado do que os 3 possíveis candidatos a concorrência da MB.
E no momento encontram-se passando por um longo update, 9 anos p/ 34 células.
Não sendo selecionada nenhuma tranqueira francesa, o que somente perpetuaria a exportação de empregos p/ a França e a montagem de kits industrializados lá, em detrimento a capacidade industrial local; os outros 2 candidatos são boas escolhas.

ci_pin_ha

Mauricio R.
A diferença de peso entre do Ec145 e o Panther é de 650 kg, levando-se em conta que o Panther tem mais velocidade e maior alcance. Acho que a diferença em Kg não justifica ter mais um modelo de helicóptero nas Forças Armadas, claro que deve ser bem avaliado para que se pretende esses helicópteros.

Fernando "Nunão" De Martini

Ci_pin_ha, Na verdade, o que está se buscando na MB é um helicóptero utilitário leve que substitua, com vantagens, o Esquilo. Gradativamente, este último deverá sair do inventário da MB. Creio que o Pantera é significativamente mais pesado (não só em peso leve, mas principalmente carregado) para operação em todas as situações que a MB preconiza, nos navios, emprego nos Distritos Navais, e também quanto ao custo de hora de voo (fator importantíssimo nessa categoria) que se deseja para um utilitário leve “faz tudo”. Pequenas diferenças de tamanho também são importantes para operação em navios e hangaragem. Por exemplo, o… Read more »

ci_pin_ha

Segundo o site da Eurocopter o Panther tem:
Comprimento: 12.11m
Diâmetro do rotor: 11.94m
Altura: 4.06m
Peso bruto máximo: 4300 kg

Já o Ec-145 tem:
Comprimento: 13.63m
Diâmetro do rotor: 11.0m
Altura: 4.0m
Peso bruto máximo: 3650 kg

Baschera

Comprando o As.365 com o Esquilo realmente a diferença de peso e potência é grande. Para esta aquisição visando instrução utilitário leve os As.365 (Pantera do EB) não são os ideais. Embora haje versão naval dos mesmos. O Harbin Z-9,produzido sob licença da China, já está presente na Bolívia (adquiriu 6 unid. na versão H-425). Noticiou-se esta semana passada que agora a Marinha da Venezuela decidiu adquirir o modelo chinês na versão Z-9 ASW naval (provavelmente a versão Z-9 C/D) armada de torpedos anti navio, para serem usados embarcados nos navios recém encomendados a Navantia (Espanha) da classe Avanti 2400… Read more »

Mauricio R.

Ci_pin_ha,

O Panther é usado somente pelo EB e pessoalmente não hesitaria em ejeta-los do inventário em favor do BH.
Pode até ser um helicóptero de outra categoria, mais pesada, mas suas imensas capacidades são inegáveis.

Nunão,

A diferença de altura entre o EC-145 (3,96m na cabeça do rotor) e o AW-109 (3,5m no topo da empenagem), é em favor do helicóptero italiano.

Fernando "Nunão" De Martini

Maurício, Não conferi as medidas. A comparação e os prós e contras estão num artigo de um oficial do HU-1 publicado numa Revista Marítima Brasileira do ano passado. Entre as desvantagens do AW-109, o autor cita o comprimento “mais de 1 metro superior ao do Esquilo, além de ser mais alto. Tais dimensões não são favoráveis para o emprego a bordo de navios-escolta, devido à elevada altura de seu estabilizador vertical”. Entre as vantagens, ele coloca a velocidade de cruzeiro elevada, bom alcance e autonomia e trem de pouso com rodas. Há desenhos comparativos de dimensões no artigo, mas infelizmente… Read more »

Fernando "Nunão" De Martini

Ci_pin_ha,

Acho estranho o Panther ter comprimento menor que o do EC-145/645.

Acho que cvocê pegou o comprimento do EC-145/645 com o rotor principal girando.

O que vale é o da fuselagem, que no Panther é um metro maior, na verdade. O que dá mais de dois metros a mais que o do Esquilo, que é o parâmetro.

ci_pin_ha

Outra opção seria o Kazan Ansat ou mesmo Ka-226.

ci_pin_ha

Nunão
O que você disse sobre o comprimento está certo, eu peguei o EC-145 com o rotor girando, mas a fuselagem é:
Panther: 12.11m
EC-145: 11.69m

Isso é a diferença entre um e outro é de 0,42m. Eu acredito que não justifica termos outro helicóptero nas nossas Forças Armadas, se poderia ter uma padronização.

Fernando "Nunão" De Martini

Ci_pin_ ha,

Se com 12,11m couber nos hangares dos navios sem ter que dobrar a cauda, tá valendo… Ainda assim o estabilizador vertical com mais de quatro metros pode ser um problema, talvez.

Mas talvez o que se queira é algo menor e mais leve. Daí as duas escolhas principais.

Já sobre o comprimento, não sei se esse de 11,69 é de versão com fenestron. Acho que a versão desejada é sem fenestron (igual à civil), o que faz cair para 10,2m

http://www.eurocopter.com/site/en/ref/Characteristics_93.html

Mauricio R.

Nunão,

Me desculpe, fiz uma pequena confusão, usei a altura do A-109 Power, o A-109LUH é ainda mais baixo (3,42m).
E pelo que esse oficial do HU-1 escreveu, nem o Super Lynx (3,67m) serviria então.
Não parece pois o Super Lynx não fica nivelado, mas jogado mais p/ trás, sobre o trem de pouso principal.
Os suecos voam o A-109LUH que é um pouco mais curto, do que o Power mas não dobra a cauda, a partir das corvetas classe “Visby”.

Fernando "Nunão" De Martini

Maurício,

Acho que o autor do texto errou alguma coisa nessa questão da altura da cauda, então melhor não focar nisso.

Últimas Notícias

Marinha e Força Aérea dos EUA testam novo míssil de microondas de alta potência

ALBUQUERQUE, N.M. - Os laboratórios de pesquisa da Marinha e da Força Aérea dos EUA estão encerrando um esforço...
- Advertisement -
- Advertisement -