quinta-feira, setembro 23, 2021

Gripen para o Brasil

Novas instalações para os ‘Sabres’ do Poti

Destaques

Guilherme Poggiohttp://www.aereo.jor.br
Membro do corpo editorial da revista Forças de Defesa e sites Poder Aéreo, Poder Naval e Forças Terrestres

O Comandante da Aeronáutica, Tenente-Brigadeiro Juniti Saito, inaugurou nesta sexta-feira (27), na Base Aérea de Porto Velho, em Rondônia, a segunda parte das instalações do Segundo Esquadrão do Oitavo Grupo de Aviação (2º/8º), que completa, neste mês de julho, 39 anos. Depois da cerimônia militar que marcou o aniversário do Esquadrão, foram entregues seis hangaretes, um hagar central com dois anexos, além do prédio do simulador, pátio e estacionamento. “É mais um passo para o processo de implantação do AH-2 Sabre na Amazônia Ocidental” disse o Comandante do esquadrão Cláudio Wilson Saturnino Alves.

Em 2009, o Esquadrão iniciou o processo de mudança da sede de Recife para Porto Velho e também o treinamento para receber os primeiros helicópteros de ataque da Força Aérea Brasileira. O Sabre é o helicóptero com a maior capacidade de armamento utilizado hoje pela FAB. O modelo inclui um canhão em torreta na proa da aeronave com capacidade de tiro em diferentes direções. Conta ainda com a possibilidade de emprego de foguetes e mísseis.

O 2º/8º GAV tem como foco as missões voltadas para o emprego no combate, além de ser um elo da Defesa Aeroespacial Brasileira. É um meio de pronta-resposta da FAB nas fronteiras amazônicas. Em junho, o Sabre também participou da operação de segurança na Conferência Rio+20.

Presente ao evento, o Comandante do Comando-Geral de Operações Aéreas (COMGAR), Tenente-Brigadeiro Nivaldo Luiz Rossato, confirmou que, no primeiro semestre do ano que vem, chegam os três últimos modelos de um total de 12 helicópteros adquiridos, além de um simulador.

As instalações do Esquadrão Poti foram projetadas, licitadas e fiscalizadas pela Comissão de Aeroportos da Região Amazônica (COMARA), organização da FAB responsável por construir e equipar aeródromos, prioritariamente na região amazônica.

A placa de inauguração foi decerrada pelo Comandante da Aeronáutica, acompanhado pelos Comandantes do I COMAR e Presidente da COMARA, Major-Brigadeiro do Ar Carlos Eurico Peclat dos Santos, da Segunda Força Aérea, Brigadeiro do Ar José Alberto de Mattos, da Base Aérea de Porto Velho (BAPV), Coronel-Aviador Augusto Cesar Abreu dos Santos , e do 2°/8° GAV, Tenente-Coronel-Aviador Cláudio Wilson Saturnino Alves.

Homenagem

Na cerimônia militar foram homenageados o piloto mais eficiente do esquadrão, o Capitão-Aviador Andre Luis Vidal Agostini, o Graduado Padrão, Suboficial Luis Antonio Martins, e a Praça Padrão, Soldado de 1ª Classe Rodrigo Rodrigues Cavalcante. Foram entregues ainda os Prêmios de Segurança de Voo ao Tenente-Aviador Carlos Siqueira Besch e o 2° Sargento QSS BMA Laercio Antonio Farias Souza.

Base Aérea de Porto Velho

Na imagem acima (clique para ampliar), extraída do Google Earth, está representada parte da Base Aérea de Porto Velho (BAPV), localizada na cabeceira Norte do aeroporto internacional de Porto Velho. É possível observar as novas instalações do Esquadrão Poti na parte direita da foto. O pavimento novo do pátio se destaca pela sua cor clara. Também é possível distinguir os seis hangaretes refletindo um tom fortemente claro e o hangar central com teto cor verde-piscina. Na parte esquerda da imagem estão as instalações do 2º Esquadrão do 3º Grupo de Aviação (2º/3ºGAV).

FONTE: 2º/8º GAV/Cecomsaer

NOTA DO EDITOR:
observar a variedade de armamentos do Sabre na foto superior. Não há nenhum outro helicóptero no inventário das Forças Armadas brasileiras com capacidade e variedade semelhantes.

- Advertisement -

14 Comments

Subscribe
Notify of
guest
14 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Clésio Luiz

Então, acabam-se as teorias de conspiração. Toda a encomenda original será recebida e a aeronave foi comprada com os mísseis anti-tanque.

champs

“no primeiro semestre do ano que vem, chegam os três últimos modelos de um total de 12 helicópteros adquiridos, além de um simulador.”

O terceiro lote já foi entregue?

Mauricio R.

Mas e os prosaicos problemas do fantástico “plug and play” russo??? Foram resolvidos???
Na região aonde se encontra este esquadrão, o terreno é propício ao emprego de blindados pesados???
Ou a maior utilização desses meios, se dará complementando as ações dos Terceiros, no combate aos ilícitos de fronteira???

Baschera

Não…. há uma equipe de recebimento da FAB por lá…. a entrega do terceiro lote será feita no último trimestre deste ano. O quarto lote será entregue no primeiro trimestre de 2013.

Sds.

uitinaxavier

Clésio Luiz disse:
28 de julho de 2012 às 11:06

Exatamente isso Clésio agora se acabam de vez as teorias conspiratórias e o achismo de muita gente por aí na net, que as aeronaves seriam devolvidas e vieram peladas, que foram trocadas por carne e outras coisas.

ernaniborges

Mais um mito cai por terra !

Dizem também que os caças russos tem um ciclo de vida mais curto que os caças ocidentais, por serem fabricados pensando-se em tempos de guerra, onde se precisa da construção em massa, mais baratos, não tendo a mesma preocupação com a durabilidade desejada em tempos de paz.

Será isso mais um mito ou verdade ?

Baschera

“Dizem também que os caças russos tem um ciclo de vida mais curto que os caças ocidentais, por serem fabricados pensando-se em tempos de guerra, onde se precisa da construção em massa, mais baratos….” Não dizem ….. é verdade, mas o item que descreve o dito acima são os motores russos….. projetados para serem trocados rapidamente, com baixo número de horas de vôo, etc…. mas é mais uma questão de doutrina, pois os russos achavam que fazer a manutenção completa de 2.000 horas de võo (por exemplo) levaria tempo demais e custaria muito… sua doutrina de emprego prefere trocar o… Read more »

Baschera

Para os que esqueceram as implicações havidas no processo de compra deste aparelho, em particular as intervenções do brigadeiro da reserva Wilson José Romão, sugiro reler a matéria do link abaixo publicada também aqui no Poder Aéreo.

http://www.aereo.jor.br/2010/04/26/o-senhor-das-armas/

SDs.

cristiano.gr

Esse negócio foi o primeiro de muitos que o Brasil fará com a Rússia. A Rússia havia, durante o FX, começado alguns negócios ensaiando a importação de carne de boi e logo parou, pois começou a fazer lobbie para o Brasil escolher o avião russo. Com a eliminação do Su-35 do FX2 os russos não voltarão a comprar carne de boi do Brasil alegando “n” motivos e mais recentemente parou com a importação da carne de porco e de frango, desestabilizando toda a cadeia produtiva destes produtos. Agora falam pretendem vir ao RS inspecionar os frigoríficos e criadouros para, possivelmente,… Read more »

Tadeu Mendes

Esses lixos da era sovietica ainda vao dar muito problema para a FAB.

champs

Na minha opinião o MI-35 como misto de ataque-transporte é muito útil para a FAB, muito melhor que Esquilo fazendo função de ataque, o ideal seria ter um esquadrão nas 3 bases em que operam os A-29 (Porto Velho, Boa Vista e Campo Grande).

Vader

Baita demora pra entregar 12 míseras aeronaves…

Giordani RS

“champs disse:
30 de julho de 2012 às 13:07
Na minha opinião o MI-35 como misto de ataque-transporte é muito útil para a FAB, muito melhor que Esquilo fazendo função de ataque…”

Pô Champs! Não dá nem para comparar. O primeiro é um helicóptero de combate de verdade. O segundo é um “avião de rosca”! 😉

Só espero que o primeiro não seja operado como o segundo…

Mauricio R.

O “Battlehawk”, versão artilhada do BH e o “Arpia” desenvolvido a partir do BH p/ as ffaa da Colômbia, executam a mesma função.
Não necessitamos de um helicóptero dedicado de ataque, ainda mais um que é do tamanho do alvo!!!
Se não for maior.

Últimas Notícias

IMAGENS: T-27M Tucano da FAB com nova pintura

A Força Aérea Brasileira divulgou imagens do T-27M Tucano modernizado com sua nova pintura. A escolha da identidade visual contou...
- Advertisement -
- Advertisement -