domingo, março 7, 2021

Gripen para o Brasil

Suécia quer substituir ou modernizar seus C-130 até o final da década

Destaques

Defesa aérea da Sérvia atingiu outro F-117 durante a Operation Allied Force

A história de como um jato de ataque stealth F-117 Nighthawk da Força Aérea dos Estados Unidos foi abatido...

HENSOLDT: Sistemas antidrone e de proteção de áreas críticas e estratégicas

Nos últimos anos, a venda de drones cresceu muito no mundo. Esses objetos voadores, cada vez mais comuns em...

FAB coordena Operação Escudo Antiaéreo

Operação aconteceu de forma conjunta entre a Marinha do Brasil, o Exército Brasileiro e a Força Aérea Brasileira No período...
Guilherme Poggiohttp://www.aereo.jor.br
Membro do corpo editorial da revista Forças de Defesa e sites Poder Aéreo, Poder Naval e Forças Terrestres

Programa do C-130, de novo sistema de treinamento e do desenvolvimento da frota de caças Gripen são as três prioridades da Força Aérea Sueca – porém, eles poderão competir entre si por verbas

Tim Ripley

A Suécia está procurando por um substituto ou uma modernização dos seus oito Lockheed Martin C-130H Hercules, aviões de transporte tático e reabastecimento aéreo, até o final da década.

Segundo o tenente-brigadeiro Micael Bydén, chefe do Estado-Maior da Força Aérea Sueca, o futuro da frota dos C-130 é uma das prioridades para os próximos dez anos, juntamente com o desenvolvimento do Saab JAS 39 Gripen e a substituição do sistema de treinamento de voo da Força Aérea.

Na abertura da Farnborough este ano, ele disse em um evento dedicado à Força Aérea Sueca que estes três projetos “estão competindo por recursos” até 2017-18. O desenvolvimento do Gripen depende de conversas com os suíços sobre a variante E/F, disse Bydén.

As opções consideradas para a frota de  C-130, da qual fazem parte três aviões adquiridos na década de 1960, incluem uma grande modernização que prolongaria a vida destas aeronaves por mais 10-15 anos, a compra de uma nova aeronave ou a retirada da aeronave e de suas funções da Força Aérea Sueca. Bydén disse que a frota de Hercules está se aproximando de uma encruzilhada, mas a exclusão da capacidade de transporte tático não foi discutida até o momento.

No meio tempo, pequenas mudanças serão necessárias para manter a frota em atividade, disse ele.

Os C-130 suecos foram extensivamente utilizados nos últimos dez anos, incluindo missões regulares para Mazar-e-Shariff no Afeganistão para apoiar a ISAF (International Security Assistance Force)  e missões de reabastecimento  durante as operações sobre a Líbia em 2011.

Bydén também disse que a Força Aérea Sueca está ansiosa para levar a diante a substituição do atual sistema de treinamento de pilotos e do jato Saab 105, mas enfatizou que pretende manter um elevado controle nacional sobre qualquer decisão: “Na minha visão, nós precisamos manter o treinamento de pilotos para controlar a qualidade do que estamos fazendo.Talvez nós façamos isso junto com mais alguém ou nós vamos para outro país como fazemos com os helicópteros. Isso precisa estar sob o nosso controle.”

FONTE/FOTO: Jane’s/Forças Armadas da Suécia

TRADUÇÃO E ADAPTAÇÃO: Poder Aéreo

- Advertisement -

7 Comments

Subscribe
Notify of
guest
7 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Mauricio R.

Á partir de 2022 a RAF, de acordo c/ a estapafúrdia SDSR 2010, iniciará a desativação de seus C-130J, como medida de economia.

Marcelo

a Suécia poderia propor adquirir KC-390s como offset da proposta do Gripen NG…

Ivan

Poggio, A grande diferença é que a Flygvapnet precisa de uma aeronave como o Embraer KC-390, tendo em vista que seus mais antigos Hercules C-130 tem realizado missões mais adequadas à um carqueiro com turbofans. Observe que missões REVO para os Gripen C em missões de “paz”, bem como o apoio logístico para tropas a serviço da ONU (longa distância) são mais adequadas à uma aeronave como o KC-390. O Armée de L’Air opera hoje C-160 Transall no transporte tático e KC-135R em missões REVO mas em breve estaram voando os novos Aibus A-400M e A-330 MRTT (há uma perspectiva… Read more »

Ivan

Maurício,

Se o Reino Unido efetivar a SDSR 2010 (pode ser reavaliada a qualquer tempo), uma compra de oportunidade de Hercules semi-novos não pode ser descartada. Mesmo que exista outra aeronave mais adequada às missões de longo curso da Flygvapnet.

Sds,
Ivan.

Mauricio R.

Ivan,

Interessante vc propor que os suecos necessitem de um cargueiro/reabastecedor a reação, qndo nem as demais forças aéreas européias estarão operando desses entre 2017/18 e o fim da década, o prazo que os próprios suecos se deram; p/ decidir entre reformar ou trocar seus atuais Hércules.
São praticamente as mesmas forças aéreas, cujo protagonismo tanto no Afeganistão como na Líbia, é e foi mais extenso que o dos suecos.
E com o fim das operações militares no Afeganistão, a necessidade por essas missões de longo curso, devem diminuir bastante.

Ivan

Maurício, Evidentemente é apenas minha opnião, mas lá vai: Acredito que para REVO de caças a reação uma aeronave tanqueira também a reação teria um melhor desempenho, particularmente nas missões de translado, onde reabastecedor e reabastecido fariam o deslocamente em formação. Não creio que a Flygvapnet tenha demana para um Boeing KC-135, KC-767 ou KC-46, muito menos para um Airbus A-330 MRTT. Nesta linha, o Embraer KC-390 se encaixa perfeitamente, podendo voar em formação com os Gripens entre 800 e 850 km/h; contra 600 km/h de um Hercules KC-130J. Quanto a missão de transporte aéreo, penso que a aeronave da… Read more »

Combates Aéreos

Rafale é o melhor em ‘dogfight’, dizem pilotos franceses na Aero India

Se há algo que os Rafales franceses podem fazer melhor, é o combate aproximado (dogfight). Pequeno e ameaçador, o...
- Advertisement -
- Advertisement -