Home Indústria Aeroespacial Evento na Suíça vai lançar o programa de compensações do Gripen

Evento na Suíça vai lançar o programa de compensações do Gripen

194
2

Segundo nota divulgada no site do Ministério da Defesa da Suíça, de 26 a 29 de junho está acontecendo em Berna o evento internacional B2B (Business-to-Business – negócio a negócio) entre a empresa sueca Saab, cerca de 30 parceiros industriais internacionais (“equipe Gripen offset”) e a indústria suíça. O objetivo da reunião é a concretização da participação da indústria helvética no programa de compensações do Gripen.

Os preparativos para o lançamento do programa de participação industrial “Gripen” estão em andamento desde o início de 2012. A fim de avaliar o potencial industrial e as necessidades da indústria, foram realizadas sondagens na indústria suíça. Cerca de 130 empresas helvéticas se apresentaram para desenvolver oportunidades de negócios com a equipe de offset Gripen.

A reunião é organizada em estreita colaboração entre a armasuisse (organização suíça para aquisição de armamento) e duas associações industriais, a Swissmem (para a Suíça de língua alemã) e o Groupe Romand pour le Matérial de Défense et de Sécurité  (para a Suíça de língua francesa).

Por um lado, o encontro possibilitará intensificar e concretizar as relações comerciais existentes e, por outro lado, estenderá as oportunidades de negócios com a Saab e seus parceiros para um número possivelmente elevado de outras empresas suíças. Essas operações pressupõem que a indústria suíça apresente ofertas competitivas. Após o evento poderá ser continuada, sistematicamente, a consolidação de conhecimentos e contatos, a fim de concluir negócios concretos de offset.

Isso ocorrerá antes da assinatura, prevista para 2013/2014, do acordo de compensação (offset) que poderá beneficiar a indústria suíça.

As operações de compensação podem assumir várias formas: participação direta no projeto Gripen ou negócios sem relação direta com este projeto. Para encaminhamento da participação direta, este é o momento ideal para envolver precocemente as empresas suíças no processo de desenvolvimento e fabricação. Tal integração precoce pode ajudar a garantir que a indústria suíça possa participar da produção para eventuais clientes (terceiros) da Saab.

A Câmara Federal vai decidir em 2013 o mérito da compra de novos caças Gripen. Com a assinatura do contrato de aquisição (após aprovação do Programa de Armamento e um eventual referendo), a Saab vai se comprometer a compensar a indústria suíça.

A experiência indica que as operações de compensação envolvem várias centenas de empresas, incluindo muitas de porte pequeno e médio. As operações de compensação também servem para melhorar a competitividade a longo prazo mediante a aquisição de tecnologia.

FONTE: Ministério da Defesa da Suíça (tradução, adaptação e edição: Poder Aéreo)

IMAGENS: Saab

Subscribe
Notify of
guest
2 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
DrCockroach
DrCockroach
8 anos atrás

Cerca de 130 empresas helvéticas se apresentaram para desenvolver oportunidades de negócios com a equipe de offset Gripen

Helooo… Dilma… toc,toc, toc (batenda na cuca dela, mas fazendo som de oco), o crescimento do PIB do Brasil estah vergonhoso, a FAB precisa dos jets, o Brasil tem reservas, e eh melhor do que ficar distribuindo favores especificos p/ os amigos da gan…, digo corte de Brasilia, eh concluir os offsets e ter parcerias de negocios como a da materia acima. Helloooo…, estah demorando por uma decisao por que? Basta juntar os pontos…

[]s!
P.S.: Boeing ok tb!

asbueno
asbueno
8 anos atrás

Como a decisão pode ser re (re-re-re-re) tardada e aeronaves serão “baixadas”, é razoável supor que iremos precisar de mais rolhas (um tampão). A Suiça teria cerco de uma dúzia ou quinze F5 para nos vender. Se sim, imagino que as condições deles seja infinitamente superior aos recebidos da Jordânia, o que, teoricamente, permitiria que fosse modificados em menos tempo. Seria correto dizer isso?

Uma unidade de F-16 teria m ais poder, mas como já estamos amalgamados ao F-5, creio que mais desses traria menos traumas (ou nenhum) na sua incorporação.