quarta-feira, outubro 27, 2021

Gripen para o Brasil

O que vai acabar primeiro, as desculpas ou o F-X2?

Destaques

Fernando "Nunão" De Martini
Pesquisador de História da Ciência, Técnica e Tecnologia, membro do corpo editorial da revista Forças de Defesa e sites Poder Aéreo, Poder Naval e Forças Terrestres

A urgência da renovação dos caças da FAB não pode mais admitir as desculpas de sempre para adiar a decisão política

As desculpas para não decidir a compra de caças da FAB têm se sucedido há quase uma década. Em 2002, a desculpa para adiar a decisão do então “F-X” era a proximidade das eleições presidenciais. Já no ano seguinte, a desculpa foi o programa “Fome Zero”. Anos depois, veio uma desculpa “técnica” para justificar a falta de uma decisão política: os concorrentes estariam ultrapassados, então valia a pena começar tudo de novo.

Veio o F-X2, com a perspectiva de ser um processo mais rápido. E, de fato, quase foi decidido “rápido demais”: em setembro de 2009 ele parecia finalizado com o anúncio do início de negociações com um dos concorrentes, apesar da talvez indesculpável decisão de se indicar um vencedor antes do relatório final da FAB ficar pronto. Desculpável ou não a decisão, o fato é que acabou não se concretizando e mais desculpas se seguiram, entre as mais importantes as duas eleições presidenciais, a brasileira de 2010 e a francesa de 2012 (entremeadas por outras ligadas à crise econômica mundial).

Mas a mais recente das desculpas já foi superada, com o desfecho das eleições francesas.

E agora? Será que teremos mais uma desculpa política pela frente (por exemplo, as eleições nos Estados Unidos? Ou alguma eleição na Suécia, se é que alguém se importa com uma desculpa dessas?) ou finalmente as desculpas vão acabar, juntamente com o programa F-X2? Mas será que vai acabar com uma decisão ou demorará tanto que a desculpa pelo fim do antecessor “F-X” poderá se repetir?

Na revista Forças de Defesa número 4, trazemos mais de 80 “programas F-X” que foram realizados no mundo ao longo deste século XXI, praticamente na mesma época em que os nossos “F-X” e “F-X2” se arrastaram com compras unicamente de “tampões” usados: os Mirage 2000 comprados da França e os F-5 da Jordânia. Tudo indica que nos próximos anos os primeiros deixarão de voar. Já os atuais F-5M da FAB, como os da foto acima, continuarão a postos para cumprir seu papel reforçados pelos “jordanianos” modernizados, mas também não vão aguentar mais adiamentos. A matéria da revista traz exemplos de vários países que tomaram decisões importantes nesses últimos doze anos, aprimorando tanto suas capacidades de defesa, quanto sua indústria e tecnologia do setor aeroespacial. E de outras nações que compraram caças usados ou adiaram decisões de novas aquisições. O Brasil mantém-se há mais de uma década nesse segundo time. Indesculpável.

O que vai acabar primeiro, as desculpas ou o F-X2? Dê a sua opinião a respeito, mas não demore muito para comentar. Afinal, alguma nova desculpa pode surgir a qualquer momento. A desculpa do fim do mundo, por exemplo.

VEJA TAMBÉM

- Advertisement -

19 Comments

Subscribe
Notify of
guest
19 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Giordani RS

Não É, Não Era e Não Será prioridade deste governo o “Forevis Xis”.

2012 – Eleições francesas, americanas, zamundenses…
2013 – Pré ano eleitoral
2014 – Ano eleitoral e copa do mundo
2015 – volta do “rei-sol”

Marcelo

e se fizéssemos um abaixo assinado? Alguém topa?

Edgar

Marcelo, é capaz que se fizermos um abaixo assinado, venha outro propondo o fim da aviação de caça no Brasil e esse sim seja assinado pela maioria da sociedade.

Respondendo ao tópico, acho que o que acabou há muito tempo foram nossas esperanças. Mas como somos cidadãos otimistas, não é à toa que o Super Hornet será o único dos concorrentes na comemoração dos 60 anos da Fumaça.

Só falta o anúncio oficial da Boeing como vencedora (isso se não vierem desculpas antes ¬¬ ).

Nick

Já que a última desculpa estava ligado diretamente ao Rafale, as chances deste estão em um anúncio em Jun/2012. Caso haja uma nova previsão (começo de 2013) , as chances vão para o Super Hornet e Gripen E/F.

Aguardemos 🙂

[]’s

Yluss

Nunão, sugiro que o título da matéria seja: O que vai acabar primeiro, as desculpas, o FX-2 ou nossa aviação de caça? 😀

No mais, quem precisava comentar posts assim não frequenta a Trilogia. A gente comentar é igual a eu pedindo pros filhos comerem sentados direitinho na cadeira…

Sds \o/

Latino dark

Realmente já passou da HORA de esse fx- sair do papel seja lá qual for o vetor escolhido .

Só pra efeito de comparação o reajustes para juízes e servidores, que esta pra sair do papel resultariam em um impacto estimado em R$ 7,7 bilhões anuais na economia .Um fx-2 por ano e olha que o Brasil tem 8 juizes por 100 mil habitantes

então meu filho dinheiro tem só falta vontade politica .

mauro

Todos concordamos que ninguém aguenta mais desculpas para o FX-2…

E também concordo que um anúncio do SH como Winer da licitação em Pirassununga ia ser a única coisa que falta para meu Domingo ser perfeito, depois de ver 2 apresentações de 60 anos doEDA.

Hamadjr

Nunão, não precisa ser “expert” neste tema, não se define em razão do orçamento, basta consultar no sitio do próprio governo MOG, no Orçamento da União vai ver que é curto desde 2000. Os tais compromissos com o pagamento da dívida impede não só a modernização da Forças Armadas como também afeta outra áreas da estrutura do Estado.
No entando se algo for decidido tomara que não se descubra depois que hove corrupção para tal escolha.

nadimchaachaa

A perdedora da concorrência LAS nos EUA entra
na justiça para recorrer da decisão. A USAF, para driblar o processo que poderia durar um longo tempo, anula a decisão inicial para modificar procedimentos considerados imperfeitos na documentação.
Se a FAB tivesse feito o mesmo, exigindo que a aeronave tivesse, por exemplo, empuxo vetorado, desde o início o vencedor do processo teria sido a aeronave que ficou em primeiro lugar na análise final, o Gripen, já que é o único possível de ser equipado com o motor EJ 200, cujo fabricante oferece o empuxo vetorado como opção.

Marcos

“A matéria da revista traz exemplos de vários países que tomaram decisões importantes nesses últimos doze anos, aprimorando tanto suas capacidades de defesa, quanto sua indústria e tecnologia do setor aeroespacial.”

Complementaria: …fizeram tudo isso sem terem de pagar os valores que pagamos.

Marcos

SuperJet 100 da Sukhoi desaparecido em vôo de demonstração na Indonésia.

Depois falam mal da Embraer, colocando todo tipo de adjetivos na empresa, do tipo: fabricante de lego, incapaz, incompetente, que não atende os interesses do governo, blá, blá, bla.

DrCockroach

Eu sou um eterno otimista, mas acredito (palpite) que o Gripen serah anunciado como vencedor em breve.

[]s!

Marcos

nadimchaachaa Não podemos falar mal dos americanos quanto as modificações feitas no processo para atender os quesitos políticos, pois por aqui fizemos o mesmo em relação ao programa FX-2. A aeronave que havia ficado em primeiro lugar foi o Gripen da Saab, segundo estudos da FAB, mas ai apareceu um tal de Jobin/Lula que, no meio do processo, resolveu alterar os quesitos, transformando o Rafale na aeronave que “mais atendia os interesses da país”. Quanto ao sistema vetorado, se incluso no processo, quem levaria seriam os russos, que são os únicos que possuem tal sistema operacional, tanto no Mig29 com… Read more »

nadimchaachaa

Prezado Marcos,

Lamento se passei a idéia de estar falando mal dos americanos. Em nem um momento foi minha intenção. Apenas usei o exemplo para Tentar mostrar que a FAB poderia ter tido outras saídas a não ser ficar nas mãos dos políticos.
Quanto ao empuxo vetorado no motor EJ 200 e sua instalação no Gripen, foi informação dada pelo próprio fabricante em notícia colocada nesse site. É uma questão de achar a notícia…

Cordialmente,

Nadim.

nadimchaachaa

Prezado Marcos,

Só para concluir: No final das contas, se o empuxo vetorado seria ou não realmente adquirido e instalado, não importa. Aí, os aviões já teriam sido comprados, não haveria nada a se fazer e pelo menos essa questão já teria sido resolvida.
Afinal, os políticos podem enrolar a FAB mas a FAB não pode enrolar os políticos…É assim? Tem que juntar técnica, que a FAB tem de sobra, com mais jogo de sintura, para poder competir com Brasília…

Cordialmente,

Nadim.

nadimchaachaa
Optimus

Desculpas?! Essas são as únicas que NUNCA vão acabar – culpa sempre é a mídia, é o PIG, é “azeliti”, uzamericanu, us tucanu, etc.

Mauricio R.

Aviões sofrem acidentes por serem máquinas passíveis de falhas, que podem ser intrínsecas ao seu funcionamento ou impostas pelos elementos.
E não pq são deste ou daquele fabricante.

Mauricio R.

Se bobear dna Dilma, nem aviões disponíveis p/ o tampax haverá:

“The Boeing Company and the U.S. Air Force completed the first manned flight of the QF-16 Full Scale Aerial Target (FSAT) on May 4 at Cecil Field in Jacksonville. The QF-16 took off at 3:05 p.m. Eastern time and climbed to an altitude of 41,000 feet during its 66-minute flight.”

“The Air Force awarded a multi-year contract to Boeing in March 2010 that represented Phase I of the initial engineering, manufacturing and development of the QF-16, with options to buy up to 126 FSATs.”

(http://www.defense-aerospace.com/articles-view/release/3/135131/new-qf_16-aerial-target-makes-first-flight.html)

Últimas Notícias

Saab iniciará a fase de entrega do Gripen E

Em novembro, a Saab dará início a fase de entrega de aeronaves operacionais, com quatro aeronaves Gripen E para...
- Advertisement -
- Advertisement -