Home Indústria Aeronáutica Turquia propõe se envolver mais na fabricação do F-35 para baixar custos

Turquia propõe se envolver mais na fabricação do F-35 para baixar custos

343
12

Segundo notícia publicada pelo jornal turco Hürriyet Daily News nesta terça-feira, 17 de abril, a Tuquia está proponto aos Estados Unidos um maior envolvimento das indústrias locais na fabricação do F-35. Com os custos do caça crescendo continuamente, a proposta visa reduzir os custos do programa em aproximadamente 3,5 bilhões de dólares, por meio de um maior envolvimento do país na produção de partes da aeronave. A proposta foi encaminhada ao secretário assistente de comércio dos EUA, Michael Camunez, pelo subsecretário para Indústrias de Defesa da Turquia, Murad Bayar, num encontro em Ankara em 5 de abril.

Bayar disse que a TAI (Turkish Aerospace Industries) poderia assumir um papel maior no programa de forma a ajudar a diminuir seu custo. Uma fonte do jornal, que pediu anonimato, disse: “Como um parceiro do programa, a TAI vai completar 400 fuselagens centrais da aeronave, a estrutura principal a partir da qual o F-35 é construído. A TAI receberá 4 bilhões de dólares pelo trabalho. O investimento já foi feito. A TAI poderia completar as fuselagens centrais de 634 aeronaves sem nenhum custo extra de investimento. Isso significa que o processo das demais fuselagens centrais das aeronaves vai custar 2 bilhões de dólares. Fazer esse trabalho na Turquia poderia economizar 3,5 bilhões de dólares, já que os preços são mais altos nos EUA e mais baixos na Turquia.”

Já outras fontes da indústria disseram que há um plano de negócios para a produção, e sua revisão não é fácil. A empresa norte-americana Northrop Grumman está atualmente responsável pelo projeto e a produção das fuselagens centrais de todas as três versões do F-35: CTOL, de decolagem e pouso convencionais, STOVL, de decolagem curta e pouso vertical e a versão para operação em porta-aviões com catapulta e aparelho de parada.

O custo total do programa ainda não é conhecido e autoridades, até o momento, se abstiveram de dar uma resposta definitiva. O vice presidente senior da Lockheed Martin para estratégia corporativa e desenvolvimento de negócios, Patrick Dewar, já indicou que cada F-35 custará, em média, não mais do que cada F-16 que a Turquia compra – aproximadamente 50 milhões de dólares. A Turquia já encomendou dois F-35, a serem entregues em 2016. Espera-se que o país encomende um total de 98 aeronaves F-35 no total.

FONTE: Hürriyet Daily News (tradução, adaptação e edição: Poder Aéreo)

FOTOS: jsf.mil e Northrop Grumman

VEJA TAMBÉM:

12
Deixe um comentário

avatar
12 Comment threads
0 Thread replies
0 Followers
 
Most reacted comment
Hottest comment thread
8 Comment authors
Mauricio R.MarceloFernando "Nunão" De MartiniGiordani RSasbueno Recent comment authors
  Subscribe  
newest oldest most voted
Notify of
thomas_dw
Visitante
thomas_dw

noticia gozaderima ! adorei – a Turquia propõe ficar com o file-mignon do projeto deixando a Northrop Grumman como montadora de pecas … hahaha – falando serio, as chances disso acontecer são zero, inclusive, considerando o mal-estar entre os EUA e a Turquia, eles vão ter sorte se conseguirem alguma participação, vão receber od F-35 montados na linha de montagem na Italia com algumas pecas que eles vão montar. Eles só receberam os códigos fonte do F-16C vinte anos apos a compra para ter uma idea do nível de confiança que eles tem dos EUA. E depois de quase terem… Read more »

Vader
Visitante
Member

Off-topic: Tia Hillary sinalizou pela primeira vez algum apoio à entrada do Brasil em uma eventual reforma do CS da ONU. E sinalizou pela primeira vez com um futuro acordo de livre-comércio com os EUA.

Encontra-se às dez com Dilmão.

Cartas na manga? 😉

Hamadjr
Visitante
Member
Hamadjr

Thomas
Jogo duplo ali naquela região é o que não falta.

asbueno
Visitante
Member
asbueno

Vader, se o gigante do norte quiser se mexer, sai de lado.
O jogo é de estabelecer confiança mútua. A bola e as ações estão com ambos. Se cada um fizer a jogada certa a aproximação será inevitável. Mas não devemos colocar todos os ovos na mesma cesta, certo, a despeito de alianças estratégicas.

Vader
Visitante
Member

asbueno disse:
17 de abril de 2012 às 9:39

De fato Bueno, concordo plenamente: não podemos nos aliar apenas a um país em nada.

Mas os EUA estão oferecendo a mão amiga como nunca nos últimos 50 anos. E isso passa pelo nosso mofino FX2.

Cabe ao Brasil fazer as escolhas certas, com altivez, mas com sobriedade e pragmatismo, sem ideologismos tôscos.

Sds.

asbueno
Visitante
Member
asbueno

Amém!

Giordani RS
Visitante

“Vader disse:
17 de abril de 2012 às 9:59

“…Cabe ao Brasil fazer as escolhas certas, com altivez, mas com sobriedade e pragmatismo, sem ideologismos tôscos.”

Para tal, precisariamos de uma nova classe política, de pessoas com capacidade de Pensar o Futuro, com pessoas capazes de respeitar até a mais ínfima Lei “defte paíf”…e como a possibilidade da volta do rei-sol é cada vez mais concreta…

Quanto a matéria uma coisa é certa. Os custos da aeronave só vão cair quando forem montados em outra parte do mundo, lá no Cantão ou na china mesmo…

Marcelo
Visitante
Member
Marcelo

para o programa F-35, qualquer ajuda para baixar custos deve ser bemvinda pelo DoD. Mas quero ver o que a LM pensa disso, uma vez que empregos de americanos obesos irão parar na Turquia.

thomas_dw
Visitante
thomas_dw

O que os Turcos querem e’ fazer fuselagens completas e não pecas da fuselagem, o único caso em que os EUA compram uma fuselagem, e’ o da Coreia, que fornece a fuselagem completa do AH-64D para a Boeing.

O custo do F-35 não advém da fuselagem mas do recheio, para a Lockoheed não interessa fornecer a tecnologia e o know how para a TAI, uma empresa que foi montada por eles para montar os F-16 deles.

O problema esta na arrogância dos Turcos de oferecerem montar o que eles nem sabem fazer sozinhos.

Mauricio R.
Visitante
Member
Mauricio R.

Noruega se decide qnto a aquisição do F-35:

“The Government’s ambition for the defence sector remains steadfast. A total acquisition of 52 F-35s fulfills this ambition. A final decision on the last six jets will be made after the first 46 jets have been procured.”

(http://www.defense-aerospace.com/article-view/release/134508/norway-to-buy-46-f_35s%2C-puts-off-decision-on-6-more.html)