Home Indústria Aeroespacial Sul-africana Denel ainda pode se beneficiar da produção do Gripen C/D

Sul-africana Denel ainda pode se beneficiar da produção do Gripen C/D

326
15

Segundo o site Engineering News, o surgimento de uma nova geração do Gripen não significa o final do trabalho da África do Sul no atual modelo. Assim, a empresa aeroespacial estatal sul-africana Denel Aerostructures (DAe), ainda poderia se beneficiar de sua relação com a sueca Saab.

Enquanto a Saab está ocupada com o desenvolvimento do JAS39E/F, também conhecido como Gripen NG, o grupo sueco continua oferecendo o modelo JAS39C/D para países que não necessitam ou não podem pagar pelas capacidades superiores da nova versão.

Na terça-feira, o chefe de negócios da exportação da Saab, Eddy de la Mote, disse ao site que o Gripen C/D (C designando o avião monoposto e D o biposto) está sendo oferecido à Tailância, Malásia, Croácia, Eslováquia e Equador. A Tailândia, por exemplo, já opera 12 aeronaves C/D, e a Saab espera que o país encomende mais caças nos próximos anos para substituir caças leves de origem norte-americana. Um dado curioso é que o Equador, citado pelo executivo da Saab, opera atualmente um esquadrão de caças Denel Cheetah C de segunda mão, comprados à África do Sul. Justamente caças que foram substituídos na Força Aérea Sul-Africana pelo Gripen.

Ainda segundo o Engineering News, a DAe fabrica atualmente a unidade do trem de pouso principal (main landing gear unit – MLGU), a fuselagem traseira e os pilones para armamentos compatíveis com a OTAN (Organização do Tratado do Atlântico Norte). Vale acrescentar que o MLGU é a parte da fuselagem central onde o trem de pouso é conectado, e não o próprio trem de pouso. No caso de qualquer venda bem-sucedida de novos Gripen C/D, a DAe vai produzir esses componentes para as aeronaves.

Eddy de la Mote disse que, até o momento, “a DAe enviou à Saab mais de 100 MLGUs, mais de 100 fuselagens traseiras e mais de 70 conjuntos de cinco pilones”. Essas partes começaram a ser fabricadas pela DAe como parte dos offsets (compensações) da participação da indústria de defesa da África do Sul, quando este país adquiriu 26 caças Gripen.

Porém, o contrato da Saab com a DAe refere-se apenas à versão C/D. Ou seja, o novo modelo NG ou E/F (E para monoposto e F para biposto) não é coberto pelo atual contrato (nota do editor: vale lembrar que justamente a fuselagem traseira e o arranjo do trem de pouso são diferentes entre as versões C/D e E/F). Mas isso não significaria, segundo De la Motte, que a DAe estaria automaticamente fora da corrida para fornecer partes à nova versão: “Estamos sempre procurando por bons parceiros. Não estamos excluindo ninguém”, disse o executivo da Saab.

Mas, na opinião do Engineering News, há incertezas nesse sentido porque qualquer novo cliente para o JAS39E/F deverá demandar seus próprios trabalhos ligados às compensações pelas suas compras. Ainda assim, De la Motte disse que “offsets podem ser uma parte importante dos acordos, mas ainda é muito cedo para excluir qualquer um.”

Sobre os possíveis clientes para o Gripen E/F, a Saab está oferecendo a aeronave ao Brasil, Dinamarca, Holanda, Suíça e, evidentemente, para a Suécia.

FONTE: Engineering News (tradução, adaptação e edição: Poder Aéreo)

FOTOS: Saab e DSA (Denel Saab Aerostructures)

VEJA TAMBÉM:

15
Deixe um comentário

avatar
15 Comment threads
0 Thread replies
0 Followers
 
Most reacted comment
Hottest comment thread
8 Comment authors
DrCockroachivanildotavaresIvanricardo_recifewallace Recent comment authors
  Subscribe  
newest oldest most voted
Notify of
Hamadjr
Visitante
Member
Hamadjr

_____ o Equador com Gripem, eu não sei se fico com dúvida ou se acredito.
Se isto ocorrer antes do governo Brasileiro aparelhar a FAB é porque a situação esta descontrolada, e ela ainda tem 70% de aprovação, eh _______.

COMENTÁRIO EDITADO

Marcos
Visitante
Member
Marcos

A África do Sul, 26ª economia do Mundo, adquiriu 36 caças Gripen na mesma época que o Brasil deveria ter comprado os seus. Mas a nossa opção em ainda não ter decidido nada tem sua origem não na falta de dinheiro, mas da necessidade de uma aeronave que atenda todas as necessidades de nosso país: independência dusamericanumalvadu, aquisição dos francêsbonzinho, transferêcnia de “tecnologia”, muita, mas muita mesmo, transferência de “tecnologia”, de uma aeronave que seja superior aos F-22/F-35 e T-50, tenha preço de F-5 usado, tenha procedência francesa (de novo), afinal somos a 5ª economia do Mundo.

DrCockroach
Visitante
DrCockroach

Oi Nunao,

Um “Desafio do Poder Aereo” seria incluir na foto abaixo as bandeiras da Suica, just for fun:

comment image

🙂

[]s!

Marcos
Visitante
Member
Marcos

DrCockroach

A imagem impressiona.
Mas nossos gestores estão interessados em outras coisas.

Mauricio R.
Visitante
Mauricio R.

Na imagem linkada pelo Dr. Cockroach, tem mta “bandeirinha brasileira”, que na verdade deveria ser “israelense”.
Afinal a AEL está mto longe de fabricar, algum equipamento do portifólio da Elbit.

Hamadjr
Visitante
Member
Hamadjr

Marcos, permite um aparte em seu comentário, tem dinheiro mas não é para comprar caça ou melhorar alguma coisa, do Orçamento Geral da União de 2011, executado até 31/12/2011 – Total: R$ 1,571 Trilhão, deste orçamento 45,05% foram para pagar juros da dívida publica, o que da aproximadamente só R$ 708 milhões de reais. Defesa nacional 1,77%, Ciência e Tecnologia 0,32%, então posso concluir que vai ser muito quase talvez improvável que se compre 36 caças seja de que modelo for.

wallace
Visitante
wallace

Caro Hamadjr, é exatamente por isso que o governo tem feito tanta pressão para diminuir a Selic e para desatrelar a dívida da Selic, pois a Selic é o custo em termos de juros de se manter essa dívida, e é altíssima… Quando tivermos uma taxa de juros básica não-irracional, próxima à de todos os outros países do mundo, ai sim vai começar a sobrar dinheiro pra outras coisas…

ricardo_recife
Visitante
Member
ricardo_recife

Se o Brasil ficar com o Gripen E/F podemos reforçar a aliança com a África do Sul, e quem sabe, exportar para o país africano mais algumas unidades. Dr. Barata a imagem é interessante, muito interessante. A Suíça no bojo torna o caça mais multinacional. Brasil, Suécia, África do Sul e Suíça tem condições de desenvolver equipamentos conjuntos para tornar o Gripen um caça mais eficiente. Alguém conhece uma imagem destas do Rafale ou do F-18 ontem tem o Brasil? Eu não conheço nenhuma! Juros altos (Selic) não é apenas causa, mas também consequência. Se o governo baixar demais a… Read more »

Ivan
Visitante
Member
Ivan

Caro conterrâneo Ricardo, “Primeiro ter que reduzir o gasto…” Totalmente off-topic no Aereo. Totalmente ON-topic para o Brasil. E não é apenas o gasto com juros da dívida, um cancer sem dúvida, mas certamente metastase de outro… Uma das questões mais graves do nosso país é o imenso custo operacional de uma máquina pública imensa, com algumas dezenas de milhares de cargos de ‘confiança’, com milhares de benefícios (alguns vitalícios) a representates dos três poderes e a uma enorme quantidade de serviços terceirizados pouco explicados. Certamente em Brasília-DF tem mais segurança terceirizado pago pelo tesouro nacional que todos os soldados,… Read more »

ricardo_recife
Visitante
Member
ricardo_recife

O Dr. Barata vai ter que ir de Skype, a não ser que mude-se logo para a terrinha ou mais próximo. Pode pegar meu email com o pessoal do blog. Poggio, Galante, você podes mandar meu email para o Ivan. OFF TOPIC Ivan, vou te dar uma informação legal. Quantos cargos de confiança mudam na Inglaterra quanto trocam os governos? Basicamente os ministros e alguns cargos chaves, não trocam nem os porteiros. Ao total não da nem 50. Somente no nosso estado o Dudu tem 3 mil cargos de confiança (com Jarbas eram dois mil). Em Brasília a coisa tomar… Read more »

DrCockroach
Visitante
DrCockroach

Prezados Ricardo e Ivan,

Nada a acrescentar aos excelentes comentarios. Na verdade, nao totalmente off-topic pois sabemos que o orcamento e as despesas de custeio sofrerao de forma assimetrica dependendo do vencedor do FX-2, ou seja mais problemas. Se o tremendo mico financeiro (nos sabemos qual) vencer, e existe uma real possibilidade, entao teremos que adicionar mais um caixote na figura abaixo com o nome do referido:

comment image

[]s!

ivanildotavares
Visitante
Member
ivanildotavares

Um Off-Topic porém em consonância com alguns comentários acima e se considerarmos que a questão orçamentária é sempre importante para qualquer grande contrato, militar ou não, vai uma pergunta de leigo em economia: Por que o governo brasileiro não salda a dívida externa de uma vez, já que tem reservas suficiente para isso, livrando-se de uma vez da obrigação de fazer “saldo primário” ? Este papo de que a dívida está tecnicamente paga mais que, na verdade, continuamos pagando bilhões de juros da dívida externa eu não entendo. Só sei que o montante que precisamos para ter o FX-2 e… Read more »

ivanildotavares
Visitante
Member
ivanildotavares

Ignorância e não ignorãncia.

DrCockroach
Visitante
DrCockroach

Prezado Ivanildotavares,

Seus comentarios fazem total sentido. Segundo os criterios mais amplamente aceitos, o Brasil eh um credor externo liquido; realmente faz pouco sentido captar recursos externos a taxas de 6% aa e emprega-los a taxa de 1% aa.

Para vc ter um exemplo de como sua intuicao estah correta, apenas recentemente o gov. decidiu antecipar o pgto de algumas dividas (na medida do possivel):

http://economia.estadao.com.br/noticias/economia,governo-antecipa-pagamento-de-divida-para-frear-queda-do-dolar,106579,0.htm

E como nao eh novidade quando se trata do governo, esta acao foi tomada com atraso de alguns anos.

No mais, em economia o que nao sabemos supera muito o que sabemos.

[]s!

ivanildotavares
Visitante
Member
ivanildotavares

Muito obrigado DrCockroach pela sua atenção. Não havia tomado conhecimento do conteúdo do link.

Forte Abraço