sábado, setembro 25, 2021

Gripen para o Brasil

Dilma usará visita à Índia para negociar compra do Rafale

Destaques

Fernando "Nunão" De Martini
Pesquisador de História da Ciência, Técnica e Tecnologia, membro do corpo editorial da revista Forças de Defesa e sites Poder Aéreo, Poder Naval e Forças Terrestres

 –

Presidente estuda possível parceria com os indianos para diminuir custos da aquisição do caça francês

 

Igor Gielow

A presidente Dilma Rousseff vai aproveitar sua viagem à Índia para estudar a possibilidade de comprar o caça francês Dassault Rafale numa negociação que envolva os dois países. Os indianos escolheram o modelo em uma concorrência para a compra de 126 aviões no começo deste ano. O Rafale também é oferecido ao Brasil, que pretende adquirir 36 unidades -um negócio que se arrasta desde 2001.

Dilma, que está na Índia para encontro dos Brics, vai questionar o governo indiano sobre detalhes da compra, que ainda está em fase inicial e pode ser revertida. Segundo a Folha apurou, Dilma quer saber se é possível e vantajoso ao Brasil virar parceiro de Nova Déli caso também escolha o Rafale.

O ministro Celso Amorim (Defesa)*, que esteve na Índia no mês passado, disse ao Planalto que as condições de venda do Rafale são melhores na Índia, o que é natural dada a escala do negócio: aqui, são 36 unidades, contra os 126 lá. No Brasil, a compra tem valor estimado em no mínimo R$ 10 bilhões. Na Índia, é especulado o dobro ou mais. Mas não é correto distribuir preço por unidade, porque a encomenda maior barateia custos.

Os indianos têm requisitos de transferência tecnológica que implicam a construção do avião no país, como eles já fazem com o caça pesado russo Sukhoi-30. A concorrência F-X2, do Brasil, tem a mesma pretensão. A Dassault anunciou que, vencedora, poderia montar 30 dos 36 aviões no Brasil. Só que depois da escolha indiana, analistas questionam se o fabricante francês teria como fazer duas operações industriais desse porte no exterior. Uma linha única, transformando o Rafale num caça franco-indo-brasileiro, é especulada.

Por outro lado, o F-X2 é um programa de capacitação da indústria. Tão importante quanto ter um caça novo é absorver tecnologias sensíveis como materiais compostos e sistemas aviônicos sofisticados. Tanto a Dassault como suas concorrentes, a Boeing americana com o F-18 e a Saab sueca com o Gripen, assinaram acordos com fornecedores nacionais para formar uma cadeia produtiva gravitando em torno da associação entre a empresa estrangeira e a Embraer.

A Boeing ainda aposta numa campanha de marketing que culminará na visita de Dilma aos EUA em abril. Já a Saab, preferida técnica da FAB, corre por fora.

FONTE: Folha de São Paulo, via Notimp

NOTA DO EDITOR: vale lembrar que Celso Amorim, hoje ministro da Defesa, foi anteriormente ministro das Relações Exteriores, e a declaração de uma outra autoridade do  ministério já chefiado por Amorim está sendo citada em matérias da mídia internacional, que repercutem notas da AFP (via Yahoo) e da MercoPress (clique nos links para acessar). Trata-se de declaração de Maria Edileuza Fonteneles Reis, citada como autoridade sênior do ministério das Relações Exteriores: “A troca de ideias, impressões” sobre o Rafale “é certamente benéfica para nós”. No site do Itamaraty, a embaixadora é identificada como Subsecretária-Geral Política II. No caso da nota da AFP também é informado que, segundo autoridades, a discussão sobre o Rafale é um item “no topo da agenda” da visita presidencial à Índia.

- Advertisement -

33 Comments

Subscribe
Notify of
guest
33 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Edgar

É bom que Mr. Obama e a Boeing elaborem um contra-ataque efetivo para o dia 09/04, senão a politicada indo-francesa vai afetar mais a já contraditória e enrolada posição do governo brasileiro.

LuppusFurius

” no topo da agenda”….?!?!?!?!?!
Putz….” exxzzaagerô…”.. de novo, no vinho, Pierr…

Vader

Já falei: Boeing e SAAB deveriam retirar suas propostas do FX2, e deixar a PeTralhada se explodir abraçada com sua Jaca. Ambas tem muito mais o que fazer do que ficar perdendo tempo com essa fraude chamada FX2. A verdade é que CA e Dilma estão apenas procurando uma desculpa pra poder enfiar o tubo na FAB e no orçamento sem que a coisa pareça tão feia aos olhos da opinião pública. Porque ambos sabem que: 1. A coisa já está de decidida; 2. A bucha virá de um jeito ou de outro. Vai Amorim, escolhe o Rafale, Amorim! 🙂… Read more »

Daglian

É, pelo visto vai dar Rafale mesmo. A FAB finalmente será entubada… é triste. Mas o povo não tá nem aí…

LuppusFurius

Vader
Imagino o papô dos operadores do Echelon e da NSA….
– Ei Bill, escutô ísto…!!!
– Bob , quí país é este ???? Uzs kará tão forçando !!! É muita corruPTção!!!

Giordani RS

Eu sou Espírita, mas na boa, toda vez que Eu ouço alguém falar que “escolhemos o local aonde queremos nascer” dá vontade de encher de sopapos quem proferiu isso… Ao contrário do Lord das Trevas e seus stormtroopers, a FAB não será entubada, ela será mais uma vez enrolada, por que não era, não é e não será objetivo “defte guvernu” a finalização do finado FX…vejam o absurdo de caminho que a coisa tomou: agora o braZil depende da índia para reequipar sua força aérea? Esgotaram as desculpas e agora colocaram na mão do Rajah o FX!!!! Mas faz o… Read more »

DrCockroach

No Financial Times hoje: “Another day, another Indian corruption scandal” http://blogs.ft.com/beyond-brics/2012/03/27/another-39bn-indian-corruption-scandal-this-time-its-land/#axzz1qK7loJ1D Hoje mesmo dois escandalos, alem do Chefe das Forcas Armadas dizendo que fazem dois anos foi oferecido propina p/ ele, mas o MinDef da Defesa nao fez nada mesmo comunicado. Agora mais esta de que terras foram transferidas de forma ilegal por politicos do governo, algo de 39 bi! A turma brasileira deve estar se sentindo bem a vontade lah… o pessoal da cueca e da quebra de sigilos tb estao participando? Isto eh o que se pode chamar de encontro de alto nivel? A Proposito dos BRICS, a… Read more »

Marcos

Nenhuma Novidade

Só é mais uma forma, de dizer que vamos de Rafail, e só.
Agora se não der dessa (India), arrumam outra depois.
Não preocupem, a FAB já foi entubada, só falta o informe oficial, quem sabe agora.

Almeida

NÃO! NÃO! NÃOOOOOOOO! DEUS NÃO! NÃO!

Mas quer saber? É o que merecemos! Nos aliar com corruptores e corruptos, nossos colegas, tudo farinha do mesmo saco. Pagar caro por tudo, para que a classe política continue roubando e se perpetuando no poder!

BRASIL, PAÍS DE TOLOS!

Almeida

Já era ruim nos metermos com os franceses nesse projeto. Com os indianos então, nem pensar! Dassault mais Embraer pelo menos farão bons aviões, dentro dos custos previstos, com altíssimo padrão de qualidade. Dassault mais Embraer (pequena participação) mais HAI é querer ter aviões no chão!

Ivan

Almeida,

“…Dassault mais Embraer…”

Tenho sérias dúvidas que esta equação venha prosperar.

Lembre que a Embraer entrou com firmeza no mercado de jatos executivos, inicialmente com modelos mais simples, depois com os interessantes VLJet’s Phenom 100 e Phenom 300, mas agora com maiores e mais poderosos Legacy 650 e Legacy 500.

Sds,

Ivan

Por falar de Índia e Embraer, há novidades no mercado de jatos executivos: “Jato Legacy 650 da Embraer é certificado na Índia.” http://veja.abril.com.br/noticia/economia/jato-legacy-650-da-embraer-e-certificado-na-india “O jato executivo Legacy 650 da Embraer, da categoria Large (grande), recebeu o certificado de tipo da Directorate General of Civil Aviation (DGCA) na Índia, o que permite que os clientes do Legacy 650 naquele país registrem e operem a aeronave. “Se trata do sexto jato executivo da Embraer a ser certificado na Índia”, disse por meio de nota José Eduardo Costas, Diretor de Marketing e Vendas da Embraer, Ásia Pacífico – Aviação Executiva. Lançado em 2009,… Read more »

Magal

Se o Typhoon fosse o vencedor, ‘denuncias’ apareceriam, se o S Hornet fosse o vencedor, idem, se o Gripen fosse o vencedor, idem… São bilhões e bilhões e bilhões de dólares e mais de 30 anos de compromisso com um contrato desses e alguém acha que o pessoal que perde vai deixar barato? Por muito menos (muito menos mesmo) a Beech deu um faniquito e o S Tucano tomou um pé no traseiro, que pode até infelizmente ter complicado a situação no S Hornet no Brasil (nego na Boeing deve estar muito P… da vida!!!) … e isso por um… Read more »

wallace

Vader disse: 27 de março de 2012 às 13:19 “…PeTralhada…” LuppusFurius disse: 27 de março de 2012 às 13:32 “…corruPTção…” Senhores, gosto muito de ler os comentários deste site, pois normalmente são muito instrutivos, em alto nível, e acabo aprendendo muito sobre esse tema do qual tenho pouco conhecimento mas pelo qual me interesso bastante. Entretanto, gostaria de solicitar aos colegas o obséquio de tentarem se ater a uma discussão mais objetiva e menos enviezada politicamente, sem declarações de amor ou ódio a esse ou aquele partido. Concordo que há muitos problemas envolvendo os “PeTralhas”, mas temos que recorrer à… Read more »

LuppusFurius

Dr. Blattodea

Se tá Lokô?? Semetê com os corruPTos e incomPTentes, que não sabem nada de dinheiro esses Suiços ….e os mau educados e ignorantes Suécos??!!!
Vâmo com os nossos Cumpanhero Indianô , Russo, e Liberais Chinas esses sim SABEM dos DIM-DIM$$$$$!!!!!!!

Darkman

Bom não gosto muito de entrar no assunto politico, até pq o post é sobre uma visita que supostamente poderá ser colocado em pauta o Rafale. Pra inicio de conversa a parceria com a França deu inicio no Governo dos Tucanos e se deu consequente no Governo do PT. Enfim o que interessa mesmo é que se compre logo os caças , até pq fazer essa tempestade só para comprar 36 caças é ridículo.Espero que seja anunciado logo um pacote de 120 caças e pronto sairia mas barato seja qual for o escolhido. Agora quero ver a Dassault conseguir ter… Read more »

Hamadjr

Wallace não se preocupe o governo não vem aqui no sitio para saber o que esta escrito para se referenciar em seus critérios de compra de aeronave. Arrisco um palpite, a Dilma já decidiu pelo F-18, não porque seja o melhor mas por que é um jogo de interesse econômico.

Nick

Não consigo entender o MRE tratando de algo que é da competência do MD/FAB/ e claro, da Presidência. Vão discutir preços? MD. Vão discutir as ToTs? MD. Vão discutir os aspectos técnicos? FAB. Mal comparando, é como mandar a Diretoria de Marketing, negociar a compra de insumos para a operação da Planta. E o que pode ser feito com a Índia? Unificar o contrato de compra deles, adicionando mais 36 caças para a FAB? Acertar o preço de compra dos Rafale BR pelo preço dos Rafale IN? India fornecer componentes da célula para os Rafales BR e vice-versa? Só espero… Read more »

aldoghisolfi

MAS é de se questionar porque vamos tentar comprar o Rafalle com a Índia. É muita falta de Ética, profissionalismo, condições financeiras e cacife político; a nossa imagem fica assim como, além de enrolões, picaretas?!

Magal

Eu acho que esse é mais um dos boatos que aparecem porque estamos a mais de 10 anos sem tomar decisão nenhuma.

Se a Dilma não toma decisão no Brasil… ela vai tomar decisão na Índia 😀 ?

Acho que não!

jura_gol

Cada um no seu quadrado, somos simpatizantes por este ou aquele motivo, por esta ou aquela maquina, Não importa qual será nosso proximo vetor aereo, seja lá qual for que venha logo, pois nosso tempo esta esgotando-se, estive no Maranhão recentemente, e juro por deus , nunca vi tanto Americano fora do eixo Rio-São Paulo, em um só lugar. Tem indio que não sabe falar o português correto, mas fala igual a Europeu, sabe falar Alemão, Francês e principalmente o Inglês, o entra e sai de indigenas em hoteis chega a assustar, nas praças de alimentação não é raro agente… Read more »

Daglian

jura_gol, Onde já se viu, comprar caças por causa da língua que índios supostamente estão falando?! As pessoas esquecem-se, mas caças são para COMBATER e VOAR. Devemos comprar o vetor mais adequado para a FAB, por preço e qualidade, e não comprar um vetor qualquer para a FAB pois indígenas estão falando, por exemplo, chinês. wallace, É simples entender o “ódio” pelo Rafale e “amor” pelo SH. Simples, o Rafale é CARO DEMAIS para o que oferece. É um bom vetor? É. Mas como já disse, bom por bom os países só teriam F-22/F-35 e PAFKA. O fator PREÇO é… Read more »

LuppusFurius

Jura_Gol

Ótimo vamos de Gripen, não tem índio parlando suéco…!!

Daglian

Obrigado. Economizou meu comentário.
Sds

Vader

wallace disse: 27 de março de 2012 às 15:49 Prezado, pedir você até pode. Se eu vou atender ou não, são outros quinhentos. E não vou mudar meu jeito de escrever para fazer média com esse ou aquele. Quanto aos PSDBosos, quando eles forem governo, e fizerem porcaria, vou descer o pau do mesmo jeitinho que desço hoje na canalha vermelhuxa ok? Pode ficar tranquilo quanto a isso, pois são todos iguais. Mas eu posso dizer que servi no auge do governo FHC, e nunca fui mandado embora mais cedo do quartel por falta de rancho. E minha turma foi… Read more »

jura_gol

É senhores , pelo jeito as lições aprendidas pela Argentina não foram suficientes para vc entender meu ponto de vista, na hora que o bicho pegar, quero ver quem é que vai facilitar as coisas para o aliado mais importante, as Malvinas ainda esta servido de parametro na hora de escolher um parceiro na hora de comprar armas, tenho um filho no fronte
em uma certa embarcação, em um certo país,lutando para evitar uma guerra que não é nossa, e sei pelas palavras do mesmo, o tamanho da prepotencia de soldados (aliados) que estão lá com ele.Abraços meu amigo Daglian.

Daglian

Prezado jura_gol, Entendo seu ponto de vista, mas, como expliquei, na situação atual da FAB, o que ela precisa é de um vetor que supra suas necessidades. Veja, ela é uma Força Aérea e tem a missão de zelar pelo espaço aéreo brasileiro, prestar assitência em situações de calamidades, etc, e não de solucionar problemas deste naipe. Sobre os indígenas estarem vendendo terras à estrangeiros (como já noticiado aqui)… bem, isto não é assunto para as forças armadas e sim para os políticos! E é por isso que divide-se o governo em ministérios, para que teoricamente cada um cuide somente… Read more »

Magal

Mas se a FAB precisa de “Caças” de verdade, dinheiro não deveria ser problema então! Com o atual orçamento da FAB a expressão “caças de verdade” simplesmente não existe, ainda mais com essas 3 escolhas do F-X. O Rafale pode até de alguma maneira acabar sendo o mais caro em termos de custo, mas caças de 4 Geração com AESA e todas aquelas qualidades que fazem deles “caças de verdade” precisam de investimento constante e saem caros para chuchu. É só olhar quanto $$$ a Austrália vem gastando ‘após’ o contrato para ver que a coisa não sai barata. Sou… Read more »

Magal

Só para complementar (esse negócio de não poder editar o post as vezes não ajuda hehehehe 🙂 ).

No Ocidente a coisa mais próxima de caça de verdade x preço “em conta” é o F-16 igual ou superior ao do Chile (não o B60 que aquilo é carissimo). O resto por um motivo ou outro vai sair caro…

Baschera

Senhores,

Quando vamos aprender que não adianta um ficar batendo no outro…. por causa de mais uma (das centenas…) de matérias feitas dentro de um programa de marketing, ora de um, ora de outro concorrente do insepulto ??

A PresidentA ainda não se decidiu… mas não podemos impedir que esta se informe mais, ora acerca de um, ora acerca de outro dos competidores….

Eu já cansei deste pingue-pongue de notícias…. e vou guardar munição para quando se definir esta novela de mau gosto.

Mas, há um forte boato de que de maio não passa….

Sds.

Penguin

Da “Agence France-Presse” hoje: 26 MARCH 2012 – 23H08 Brazil’s Rousseff to weigh French jet buy in India AFP – President Dilma Rousseff plans to use her New Delhi visit later this week to sound out Indian leaders on the French Rafale fighter jet, which she is considering buying to beef up Brazil’s air force. On Wednesday Rousseff is to attend the New Delhi summit of the BRICS (Brazil, China, India, Russia and South Africa) nations aiming to discuss increased cooperation among the five emerging powers, including the establishment of their own development bank. The next day Rousseff will begin… Read more »

Penguin

De ontem, na realidade.

Observador

Senhores, Deixem-me ver se entendi. Devido a encomenda da Índia, nos arriscamos a não ter linha de montagem aqui; Daí, como não podem ter 2 linhas simultâneas, corremos o risco de empurrarem a montagem dos rafales brasileiros para os indianos. Como é que fica então a tal cantada trânsferência de tecnologia? Como ficam os eventuais fornecedores brasileiros em face dos fornecedores indianos? Não serão preteridos nas encomendas e na transferência de tecnologia? Ou alguém vai tentar me convencer que montar os aviões no outro lado do mundo vai gerar benefícios como geraria aqui? Já que vamos auxiliar os indianos a… Read more »

Mauricio R.

E ainda temos os malditos “Scórpenes”, em comum c/ os indianos.

Últimas Notícias

USAF seleciona o turbofan F130 da Rolls-Royce para o programa de remotorização do bombardeiro B-52

A Força Aérea dos EUA anunciou em 24 de setembro que deu à Rolls-Royce um contrato de US$ 500...
- Advertisement -
- Advertisement -