segunda-feira, outubro 18, 2021

Gripen para o Brasil

Array

Testes do F-35 com cargas externas

Destaques

Alexandre Galante
Jornalista, designer, fotógrafo e piloto virtual - alexgalante@fordefesa.com.br

O F-35A completou o primeiro voo de teste com cargas externas equipado com mísseis AIM-9X e cabides vazios. A USAF estima que a furtividade só seria necessária em cerca de 5% das missões. São as primeiras missões de um conflito para conquistar a superioridade aérea. Depois do sistema de comando, caças, defesas aéreas e bases aéreas do inimigo forem colocadas fora de operação a furtividade não passa a ter tanta importância. Mesmo se atacado a aeronave ainda pode alijar as cargas e voltar a configuração furtiva.

- Advertisement -

56 Comments

Subscribe
Notify of
guest
56 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
joseboscojr

De qualquer modo, mesmo alijando a carga, ficariam os cabides e eles comprometeriam a furtividade de qualquer jeito.

Franco Ferreira

José Bosco – Há um “Salvo Button” (normalmente botão de pressão, aberto, protegido por uma capa circular vermelha) que, em emergência, alija tudo – cabides e munições instaladas. A permanência do cabide externo a bordo das aeronaves significa que a munição não foi “alijada travada”, em realidade foi disparada. Em alijamento de carga externa, o avião fica “limpo”.

Marcos

O Brasil ficaria bem assim:

12 F-35
36 F-18
60 Gripen
36 Rafale
36 Typhoon

Desse modo todos os fornecedores ficariam felizes e nós não ficariamos só com um fornecedor.

alphasr71a

E ficariam todos parados nos hangares…

Rogério

Iria fazer a festa dos portões abertos, rsss

joseboscojr

Valeu Franco.
Essa eu não sabia.

G-LOC

Olá Eduardo, se vc considerar que sobre a Líbia o Rafale levava 4 mísseis ar-ar, quatro AASM ou LGB em cabides duplos, um casulo de designação de alvos e dois tanques extras (o Eurofighter uma carga semelhante) então são nove cabides. O F-35 tem um total de dez cabides (seis externos e quatro internos) e o designador está embutido na aeronave. É uma carga típica. Por outro lado o Eurofighter e Rafale nunca terão configuração furtiva do “primeiro dia”.

Blind Man's Bluff

Mas o Brasil tbm não necessitaria já que não é um pais que costuma começar guerras como os EUA e Israel. Esse avião continua cheio de polemicas. Um preço abusivo que era justificado contra a concorrencia por sua furtividade principalmente no combate ar-ar, mas que só usufrui disso em 5% das missões das quais foi designado. E quando em “modo furtivo”, possui apenas 4 cabides de armas e que a pouco tempo nem cabiam AMRAAMs. De suas três versões só restará uma e ninguem sabe quando começarão a receber suas encomendas; se é que vão receber algum dia!!! Não justificaria… Read more »

Renato Oliveira

Prezado Bluff, Concordo parcialmente com suas afirmações. O Brasil não começa guerras e o F-35 é um programa polêmico. Quanto a Israel começar guerras, não tem outro jeito. Israel pode vencer mil guerras, mas com certeza se perder só vai ser uma vez, pois os inimigos dele não aceitam nada menos que varrê-lo do mapa. E falam isso abertamente o tempo todo, pra todo mundo ver e ouvir. Quanto aos 5%, são os 5% que vão influenciar os outros 95%. É importante ter essa capacidade. O F-117 foi a 1a geração, só servia para carregar 2 bombas e mais.nada. O… Read more »

edcreek

Ola,

So complementando que o Rafale possui 14 pontos de armamentos na versao normal e o Rafale M possui 13, logo conforme a necessidade ele pode aumentar a carga, e nos combates sobre a Libia isso nao foi necessario.
A tendencia e que os canards bi-tirbinados levem mais carga que F-35…

Acabam de lancar o F-16 de 200 milhoes a unidade, o F-35 com cabides….

Abracos,

Nick

Essa afirmação da USAF justifica os caças de 5ª geração, mas não desqualifica os caças de design mais antigos. Uma Força Aérea racional e capaz não precisa ser 100% 5G (principalmente devido as custos de manutenção), e por outro lado não pode abrir mão de alguns esquadrões furtivos, para garantir a supremacia aérea.

[]’s

Clésio Luiz

Eu acho que uma vez homologado, o F-35 levará mais carga que o Rafale simplesmente porque o caça francês está sempre carregando tanques externos, coisa que o F-35 raramente precisará fazer e se precisar, ainda tem a vantagem de poder levar 4 bombas de 907 kg e 2 tanques, coisa que nem o Rafale nem o Super Hornet podem fazer. A capacidade interna de combustível do F-35 é de 8 toneladas, contra 4.500 do Rafale. O raio de ação do F-35 com combustível interno está na faixa de 1.000 km, distância que o Rafale precisa de tanques externos para percorrer.… Read more »

alphasr71a

Renato, tinha um programa para fazer um F-22 para operação em porta-aviões, o NATF, mas foi cancelado em 93 porque teriam que fazer modificações substanciais no avião por causa da velocidade de aproximação do Raptor. É possivel, mas iria custar mais dinheiro, muito dinheiro.

Clésio Luiz

O F-22 naval foi cancelado por causa dos orgulhosos narizes da USN. Iria custar dinheiro desenvolver um F-22 naval? Mas será que custaria mais do que construir um caça quase do zero, como fizeram com o Super Hornet? A rivalidade em as forças armadas americanas é grande. A USAF teve que comprar muitas aeronaves navais, coisa que a USN só precisou fazer uma vez, com a versão naval do F-86. Um F-22 naval só precisaria de algumas modificações nas asas, como fizeram os russos com o Su-27K e o MiG-29K. A adoção de asas de geometria variável ou de canards… Read more »

Clésio Luiz

O F-22 naval foi cancelado por causa dos orgulhosos narizes da USN. Iria custar dinheiro desenvolver um F-22 naval? Mas será que custaria mais do que construir um caça quase do zero, como fizeram com o Super Hornet? A rivalidade em as forças armadas americanas é grande. A USAF teve que comprar muitas aeronaves navais, coisa que a USN só precisou fazer uma vez, com a versão naval do F-86. Um F-22 naval só precisaria de algumas modificações nas asas, como fizeram os russos com o Su-27K e o MiG-29K. A adoção de asas de geometria variável ou de canards… Read more »

Clésio Luiz

Poderia-se dizer que o F/A-18 é um caça terrestre convertido, se bem que sobrou pouca coisa do YF-17 nele.

Rogério

João Gabriel Porto Bernardes,

O F-35 possui porões como o F-22:

comment image

[]s

Ivan

Clésio, Vc tocou no ponto crítico da questão. O Rafale usa tanques externos supersônicos de 1.250 litros, que equivalem a algo em torno de 1.000 kg. de combustível cada. O Typhoon, pelo que andei lendo, usa tanques externos supersônicos de 1.000 e 1.500 litros (estes só nas asas), que equivalem a algo em torno de de 800 e 1.200 kg. respectivamente. (Lembrando que nessa situação só ‘vale’ drop tank supersônico) Para chegar perto dos 8.300 kg. de combustível interno do F-35 A Lightning II, os 2 (dois) eurocanards bimotores teriam que leva no mínimo 3 (três) drop tanks. O Rafale… Read more »

Marcos

O F-35, UAVs e UCAVs são o poderio militar visivel dos EUA.

E o que é o poderio militar invisível dessa mesma potência? Pergunto porque o passado nos dá várias referências: o “Blackbird”, o F-117, entre outros.

Na operação que culminou com a morte de Bin Laden, especulou-se muito de que tipo de helicópetro os EUA teriam utilizado. Aliás, ao que parece a midia esqueceu dessa aeronave e nada mais se comentou.

A pergunta é relevante já que a crise Irã-Israel parece se intensificar e a guerra parece próxima.

joseboscojr

Júnior,
O F-22 tem a mesma capacidade de levar cargas externas e já as utiliza para levar tanques externos em translados.

Blind Man's Bluff

Quanto maior a capacidade interna de combustivel, menor capacidade de carga interna em modo stealth.

Blind Man's Bluff

No fim da Guerra Fria, os EUA deram um blefe do tipo All-in contra os Sovietos, e estes enguliram o programa Guerra nas Estrelas. Eu não me espantaria se o PAK-FA e o caça stealth chino fossem blefes tbm, já que tão tendo um otimo efeito em fazer os EUA engolirem esse tremendo gasto de reservas num periodo de crises.

joseboscojr

Blind, Parece que você realmente tomou birra pelo F-35. rsrs Nunca houve nada parecido com ele não ser compatível com o Amraam e nem que haverá apenas 1 versão. Todas as 3 seguem firmes. Também não procede sua afirmação que “quanto maior a capacidade interna de combustivel, menor capacidade de carga interna”. Mesmo estando com sua capacidade máxima de combustível interno e a máxima de carga interna, ele ainda está longe de seu peso máximo de decolagem. Essa “folga” seria preenchida por carga externa, ou na forma de mais combustível ou de mais armas ou ambos. Peso vazio: 13.300 kg… Read more »

joseboscojr

Quanto a ter 4 estações de armas internamente é fato, mas também é visto como muito provável ser possível que duas dessas estações levem 2 Amraams, o que elevaria a quantidade de AAMs internos para 6.

joseboscojr

E o total de estações de armas do F-35 é variável, sendo de 10 para a versão A, mas é de 11 para as versões B e C, já que o canhão é instalado externamente (opcionalmente) numa estação central, entre os compartimentos de armas internas.

Rogério

Junior Hübner

Junior, ele tem essa capacidade sim, repare no inicio do vídeo ele lançando os tanques junto com os cabides de carga.

http://www.youtube.com/watch?v=Wbvltr6UfnQ

Rogério

e essa fota tb:

comment image

Observador

Senhores:

Já que falaram em tecnologias secretas, projetos embusteiros para enganar os soviéticos e o tema é furtividade, um grande programa de desinformação americano também foi o F-19, o caça stealth que nunca existiu.

Revelando linhas suaves e arredondadas, virou até kit revell, e foi comprado pelos soviéticos para tentar imitar a tecnologia.

Enquanto isto, o verdadeiro avião era exatamente o contrário: o F-117 foi o avião mais cheio de ângulos e arestas já fabricado.

E já que falamos em tecnologias secretas, se houver um ataque americano ao Irã, que armas secretas se tornarão conhecidas?

O SR-72 talvez ?

joseboscojr

Eu ainda acho, rsssrs, que ainda será anunciada a capacidade supercruise do F-35. Claro, tendo em vista que sua velocidade máxima é de Mach 1.8, caso minhas previsões se confirmem, rsrsr, não deverá passar de Mach 1.2 ou 1.3. Ainda não vi nada que me convença que implementar essa capacidade ao F-35 não seja possível. Desejável todo mundo sabe que é e até já era dada como certa há 4 ou 5 anos atrás. Observador, Arma secreta não dá pra adivinhar,rsrsrsr, mas algumas armas novas que nunca foram usada devem fazer sua estreia no caso de um ataque ao Irã.… Read more »

G-LOC

Os 5% se referem as missões de ataque. Com uma frota seria necessário vários dias, ou dezenas, para atingir os alvos chaves. Com uma frota toda furtiva estes alvos seriam atingidos já no primeiro ou primeiros dias de um conflito. Depois a guerra ficaria bem mais fácil. A força de F-117 era pequena e agora foi substituida pelo F-22 e B-2 até a entrada em serviço do F-35. O F-22 adicionou a capacidade de atacar durante o dia que o F-117 não tinha. O F-35 também levará a SDB internamente então uma força com 100 F-35 pode atacar 800 alvos… Read more »

G-LOC

O pessoal gosta de brincar de supertrunfo, mas na maioria das vezes usam dados fora da realidade: – exite peso máximo de decolagem e peso normal de decolagem. O peso normal é cerca de 80% do peso máximo. O peso máximo é usado em uma minoria das missões, mas é o que o pessoal usa para comparação. – gostam de citar a velocidade máxima, mas na prática raramente passam de Mach 1 e carregados de bombas fica impossível. Fazer um F-35 voar acima de Mach 2 é fácil, mas só aumentaria os custos e riscos para criar uma estrutura mais… Read more »

Ivan

Bosco, Respeitosamente discordo. Penso que SE o F-35 A ou B (a versão C é quase impossível) conseguir voar em supercruise será em torno de mach 1,1 e com muito sacrifício aerodinâmico e prejuízo do consumo eficiente de combustível. Só para registro lembro a origem dos dois projetos: – Raptor é originalmente um caça de superioridade aérea que poderá realizar missões de ataque; – Lightning II é originalmente um caça tático de ataque, que incorporou qualidades multirole, inclusive capacidade ar-ar. Porém observando apenas as aeronaves podemos ver que o eflexamento das asas F-35 (35º) é menor que o das asas… Read more »

joseboscojr

G-LOC, Nâo é que o “pessoal gosta”, é que se não forem usados dados de supertrunfo não há como estabelecer um diálogo. Todo mundo tá cansado de saber que um caça raramente decola com o peso máximo de decolagem, que não chega a velocidade máxima numa configuração de carga externa, que raramente implementa velocidade supersônica, que não vai direto ao alvo, portanto, o alcance real é menor que o alcance nominal, que avião de caça não é avião de acrobacia e portanto não fica fazendo piruetas até estourar as veias do pescoço, mas para que a discussão se torne dinâmica,… Read more »

Observador

joseboscojr disse: 21 de fevereiro de 2012 às 14:52 Obrigado pelas informações. Sua contribuição é sempre relevante. É não dá para adivinhar, mas que o pessoal do Blog (e eu incluído) tenta, isto tenta (rsrs). Não sei se estas novas bombas perfurantes já estão disponíveis, mas sei que Israel tem até julho para realizar um ataque contra as instalações nucleares do Irã. Depois, os iranianos estarão instalados em Qom, em instalações subterrâneas sob noventa metros de rocha, a salvo de qualquer ataque israelense. Os israelenses dizem que, passada esta janela de oportunidade, só os EUA teriam capacidade para atacar as… Read more »

Groo

Pensava que o cabide do Sidewinder seria como os do F-5.

Estranho colocarem Sidewinders externamente prejudicando a furtividade que é a única vantagem que esse caça tem nos combates ar-ar.

joseboscojr

Observador, Explosões nucleares a grandes altitudes ou no espaço geram PEM que podem atingir grandes extensões, não raro, um continente inteiro. Mas estão sendo desenvolvidas dispositivos que geram esses pulsos sem o concurso de armas nucleares, que ao invés de terem efeito a milhares de quilômetros, têm a centenas de metros. Tudo indica que seriam armas na faixa da bomba Mk-84, de 2000 lb, guiadas por GPS. Também cogita-se de ser possível sua instalação nos mísseis CALCM. Quanto a armas que penetram 90 metros em rocha, acho difícil que venham a existir. Como você disse, só com armas nucleares para… Read more »

G-LOC

Bosco, o pessoal pode gostar dessas comparações extremas, mas me passam a impressão que é a pura realidade. Raramente vejo um discurso realista e passa a impressão errada para os novatos.

Observador

joseboscojr disse: 21 de fevereiro de 2012 às 16:25 Armas PEM são mesmo um assunto muito interessante. Pelo que sei, as armas PEM convencionais criam um forte campo eletromagnético através de uma bobina elétrica, dentro da qual está uma bomba convencional. Quando esta explode, comprime fortemente o campo magnético criado pela bobina. As armas PEM convencionais, como eu insinuei antes e você completou, tem problemas: um alcance muito limitado e devem (devem, porque até onde eu sei, nunca se viu uma) ser bastante pesadas, devido ao equipamento elétrico necessário (bobina e baterias). Tais características devem limitar muito o seu uso.… Read more »

Daglian

Aliás, Israel não pretende adquirir o F-35? Se realmente não pretender, poderiam, por favor, me dizer o porquê disso?

joseboscojr

“Foto” interessante que mostra o que o fotoshop pode fazer:
comment image

joseboscojr

Ivan,
Muito interessante suas considerações e os sites indicados. Vou dar uma destrinchada neles.
Um abraço.

joseboscojr

Ivan,
Minha observação que não vejo motivo para que o F-35 não tenha supercruise vem da minha percepção (provavelmente errada) que qualquer aeronave supersônica, na altitude certa, numa configuração aerodinâmica limpa, pode fazê-lo, desde que tenha um motor apropriado.
Ou seja, na minha concepção, o motor é o grande responsável pelo supercruise e não a aerodinâmica.
Como o F-35 é supersônico, é capaz de voar numa configuração limpa, e tem um motor semelhante ao do F-22, daí minha percepção “errada”.
Mas confesso que não domino esta questão à fundo.
Um abraço.

joseboscojr

concepção = percepção

Clésio Luiz

Sobre o supercruise do F-35, o que Ivan falou faz sentido, mas eu vou mais além: o F-35 não tem supercruise porque a fuselagem dele gera muito arrasto. Ela é muito larga e essa largura não é compensada no comprimento. Uma comparação com o F-16 é ilustrativa: O F-35 tem cerca de 50cm a mais no comprimento e na envergadura, mas sua área frontal é quase o dobro do F-16. Ele é assim por causa da necessidade de transportar uma quantidade enorme de combustível (mais do que um F-15!) internamente, mais duas volumosas bombas Mk.84 e 2 AIM-120. Eles podiam… Read more »

Ivan

Clésio,

Foi o que tentei dizer, sem sucesso.
A referência ao Tornado IDS vs Tornado ADF é um exemplo recente.

A fuselagem praticamente da mesma largura do Raptor (corte transversal), com comprimento menor (atarrancado) e asas com menor enflechamento (35º contra 42,5º) são fatores limitantes ao supercruise.

Uma motorizaçaõ mais poderosa pode até mesmo conseguir mach 1,1 ou pouco mais, entretanto o esforço deverá ser improdutivo.

Mas é apenas a opnião de um entusiasta.

Sds,
Ivan.

Ivan

Bosco,

Provavelmente estamos todos errados…
…mas o que importa? 🙂

Estamos aqui só para conversar mesmo.

Abç,
Ivan.

Blind Man's Bluff

É verdade, eu peguei birra desse aviao desde o comecinho quando ele ainda estava em licitação. O outro pelo que me lembro era Boeing. Foi tudo muito rapido, muito as pressas para um avião que viria a ser o workhorse de quantas, 10 nações? Naquele periodo ainda viviamos o boom imobiliário, bolha especulativa….Hoje essas nacões estão pagando por essa década perdida e mal planejada! Entre Clintons e Bushs hoje quem paga a conta é o proletariado espanhol, grego, italiano, ingles… É muito tarde para cancelar o projeto e muito cedo para saber o que vai acontecer. Ele é um otimo… Read more »

Vader

Alguns excelentes comentários na matéria. Pontuo especificamente o Coronel Franco, Bosco (como sempre), Ivan e Clésio. Admite-se até discutir a superioridade (que a mim me parece evidente) do F-35 sobre os eurocanards na arena de superioridade aérea, num teórico embate em igualdade de condições. Mas nas arenas de patrulha & reconhecimento, CAS e, principalmente, ground attack, a superioridade do F-35 é absolutamente incontestável. Nesta última então ele voa tão longe quanto um caça pesado como o F-15 Strike Eagle, em configuração totalmente furtiva, com uma carga paga pra lá de razoável. Se então se adicionar dois tanques externos (integralmente alijáveis,… Read more »

Vader

Ah sim, esqueci de dizer: EUA, GB, Itália, Espanha, Canadá, Austrália, Turquia, Noruega, Holanda, Dinamarca, Israel e Japão – como visto, só paiseco, e só gente que quase não entende nada de guerra – acham que o F-35 vale a pena.

Em todas as suas versões.

Ivan

Welcome back,
MiLord Vader,

Passou o carnaval em Tatooine?
Falam por aí que o Baile de Carnaval do Jabba’s Palace é algo do outro mundo… e o Mos Eisley Spaceport fica quase intransitável. 🙂

Sds,
Ivan.

Últimas Notícias

China testa nova capacidade espacial com míssil hipersônico

O lançamento em agosto de um foguete com capacidade nuclear que circulou o globo pegou a inteligência dos EUA...
- Advertisement -
- Advertisement -