F-35: encomenda italiana cai de 131 para 90 unidades

A Itália vai reduzir a sua encomenda de caças F-35 como parte do controle de gastos públicos, informou o ministro da Defesa italiano, Giampaolo Di Paola.

Dos 131 caças originalmente planejados, a Itália vai comprar 90, informou Di Paola em um depoimento perante a comissão de defesa conjunta das duas casas do Parlamento hoje. A nação precisa reduzir o tamanho do contingente militar em cerca de 30.000 soldados e 10.000 civis, disse também.

Di Paola disse que a Itália “já investiu 2,5 mil milhões de euros” (US $ 3,3 bilhões) no F-35 e a Finmeccanica SpA é a maior contratante italiana. “Tínhamos o compromisso de comprar 131, agora a revisão do programa nos leva a crer que a meta de 90 aeronaves pode ser atingida, representando um terço a menos”, disse ele.

O anúncio é mais um duro golpe no programa Joint Strike Fighter, o programa militar mais caro dos EUA. O Departamento de Defesa dos EUA vai cortar US $ 1,6 bilhão do programa F-35 como parte dos US $ 18 bilhões dos cortes em programas militares proposto no orçamento que o presidente Barack Obama enviou ao Congresso em 13 de fevereiro.

FONTE: Businessweek

Subscribe
Notify of
guest

26 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Roberto F Santana

Bela foto de um avião feio.
E se me permite, para mim oportuna, pois reforça minha argumentação num post passado.

Marcos

Que corte!

Se o Brasil tivesse encomenda de 90 F-35, nós estariamos dando risada.

Daglian

Previsível.

Mas interessante notar que, mesmo em grave situação econômica, a Itália procurou manter a compra dos vetores.

Marcos

Guilherme Poggio

Mas não podemos esquecer das encomendas do Brasil.

Quais são mesmo?

Aaaaa… ainda não definiram nem o que vão comprar e se vão comprar.

Mauricio R.

Estaríamos dando risada, mesmo que houvessemos encomendados somente 41 F-35.

Vader

Vamos deixar uma coisa clara:

A Itália está à beira da bancarrota! Salários foram cortados, funcionários públicos foram demitidos. Conheço até italianos que estão pensando seriamente em imigrar para o Brasil!

E ainda assim irão comprar 90, repito, NOVENTA F-35!

E o detalhe: alguns desses são necessariamente do modelo “B”, mais caro, porque a Itália não tem alternativa para colocar em seu único e novo Porta-Aviões

A determinação italiana em adquirir o F-35 mostra bem a excelência desse projeto. Isso porque, como lembrado, eles já tem os Typhoon, os Tornado e os F-16.

edcreek

OLá,

Interessante então eles vão manter os Eurofighters e cortar o ultramegablaster F-35, mesmo o F-35 sendo mais “barato” segundo alguns?

É simples o F-35 é mais caro que o Eurofighter, mais uma vez outra teoria de que o caça europeu é mais caro que o F-35 cai por terra….

A verdade vai apareçendo, tarda mas não falha….

Abraços,

Ivan

Monsieur Edcreek,

Menos, por favor.

A participação da Itália no Eurofighter Typhoon é maior que no JSF, além de estar mais adiantado, com maiores custos de desistência.

Os pedidos para os F-35 Lightning ainda não foram colocados na totalidade, mesmo que seja reduzido no início pode ser acrescido no final.

Entretanto acredito que 90 (noventa) é um número suficiente para a Itália na atual conjuntura.

Sds,
Ivan.

Marcelo

vader e demais colegas,
se a Itália receber mais que 45 nessa encomenda inicial, eu mudo o meu nome!
a encomenda inicial deles de AMX era maior que 250, e ficaram com 180, a encomenda inicial de TYphoon foi drasticamente reduzida. Acho que o unico que não reduziram logo de cara foi o Tornado. A Italia é uma espécie de Brasil na Europa, uma bagunça só. E os políticos são iguais aos daqui também.

Almeida

Manda esses 41 F-35 que a Itália cortou pra cá ao invés do FX-2. Garanto que os governos italiano e norte americano iriam dar uma forcinha para que a Lockheed e a Finmecanica não perdessem essas vendas e mais postos de trabalho.

Além do mais, se a Itália que está na bancarrota pode bancar uma força aérea padrão OTAN com várias dezenas de AMX, Tornados, Typhoons e F-35, nós brasileiros que temos dinheiro sobrando em caixa pra emprestar poderíamos facilmente absorver um terço da encomenda italiana, não?

Marcelo

Almeida,
poderíamos, mas o F-35 não está disponível para o Brasil. Titio Sam não deixa a gente comprar este brinquedinho. Quem sabe daqui a uns 15 anos…

Giordani RS

O problema da Itália é um problema de investidor…ela já botou dinheiro nesse projeto…sair dele é burrice, pois aí sim, ela jamais retomará o que investiu…e quando as vendas deslancharem(para aqueles que não são parceiros originais) ela vai ter o seu quinhão…dessas 90 aeronaves, metade pode até virar rainha de hangar…
Se não me engano o principado de Luxemburgo tem investimentos no A400, no valor correspondente a uma aeronave, na qual eles não vão receber por motivos óbvios…querem só os dividendos…se houverem…

juarezmartinez

Almeida,
poderíamos, mas o F-35 não está disponível para o Brasil. Titio Sam não deixa a gente comprar este brinquedinho. Quem sabe daqui a uns 15 anos…

Leia mais (Read More): F-35: encomenda italiana cai de 131 para 90 unidades | Poder Aéreo – Informação e Discussão sobre Aviação Militar e Civil
arcelo! tu poderias compartilhar concosco aqui do PA, a fonte de sua informação?

Grande abraço

Daglian

Marcelo,

Sua informação realmente procede? A história que ouvi foi que os EUA ofereceram sim o F-35 para nós mas o Jobim disse que não precisávamos disso, o que eu não concordo, claro.

joseboscojr

Não ficou claro na época se os EUA ofereceram oficialmente o F-35 a nós, brasileiros.
Ficou claro sim que numa visita aos EUA (não me lembro se a uma base aérea ou à fábrica) o Saito fez referência que o dito caça era um fator dissuasório respeitável e o Jobim achou que não preenchia os interesses do país, tanto em relação à TT quanto a ser muito areia pro nosso caminhãozinho tendo em vista nosso teatro de operações.

Clésio Luiz

@Marcelo

A Itália queria comprar 187 AMX, mas como o fim da Guerra Fria coincidiu com o início da produção deste, eles cortaram para 136 unidades, sem contar os protótipos.

Marcelo

houveram notícias de que a FAB solicitou informações sobre o F-35, antes do início do FX-2, e foram informados que só poderiam receber informações sobre o F-18E/F e o F-16. Talvez aqui mesmo no poder aéreo tenha algo, ou talvez foi na revista Força Aérea. Se foi na revista, vai ser difícil encontrar, não dá para fazer busca eletrônica…

Marcelo

obrigado pela correção Clésio. Mas a lógica que eu quis colocar continua a mesma. E os políticos da Itália também!

Marcelo

oi gente, deu trabalho, mas achei, é aqui do PA mesmo:
http://www.aereo.jor.br/2008/08/27/lockheed-oferece-f-16br-no-lugar-do-f-35/
agora se essa situação mudou naquela visita do Jobim e do Saito, não sei. COncordo com o Bosco que aquela situação ficou meio nebulosa.

Almeida

Pois é Marcelo, mas o RFP para o FX-2 foi feito em 2008, antes da crise financeira mundial em que vivemos. Antes dos cortes no orçamento norte americano e da falência da Itália. Dado aquela visita do Jobim e Saito, onde a participação do Brasil no F-35 foi sim cogitada (senão não haveria motivos para apresentá-lo à nossa delegação) e a condição atual, não duvido que tenhamos esta opção se realmente quisermos.

De prateleira, claro, nem Israel e Japão porão as mãos nesta tecnologia, mas de qualquer maneira ToT é falácia mesmo.

Optimus

Poh, de novo essa lenda de internet dos sites de defesa pseudo-ufanista antiamericanos ainda… É claro que o F-35 ia ser oferecido no F-X2, mas como o Jobim falou: é demais para nós… caro demais… é obvio que a LM pensou.. bem então eles querem algo menos sofisticado, algo com mais custo-benefício, então eles substituíram o mesmo pelo F-16 – que seria equivalente ao Super Viper oferecido no MMRCA… Que nem insistem nessa estória do SU-35 ter sido descartado por pressão americana… nem mesmo a FAB e o próprio Jobim dizendo que os russos nem quiseram discutir ToT … só… Read more »

Marcelo

Optimus, a recusa do F-35 para o Brasil aconteceu antes da visita do Jobim e do Saito aos EUA, ninguém precisou falar nada para que isso acontecesse. É só verificar as datas dos 2 eventos. Abraços.

RA5_Vigilante

Custos F-35

F-35A (FY2013)

Unit Recurring Flyaway: $118,143,842
Flyaway Unit Cost: $159,891,789
Gross Weapons Systems Cost: $181,462,052

F-35B (FY2013)

Unit Recurring Flyaway: $156,799,000
Flyaway Unit Cost: $196,509,834
Gross Weapons Systems Cost: $253,661,000

F-35C (FY2013)

Unit Recurring Flyaway: $142,637,250
Flyaway Unit Cost: $199,408,000
Gross Weapons Systems Cost: $279,174,500

http://www.f-16.net/f-16_forum_viewtopic-t-18110.html

juarezmartinez

Marcelo disse: 17 de fevereiro de 2012 às 21:20 Optimus, a recusa do F-35 para o Brasil aconteceu antes da visita do Jobim e do Saito aos EUA, ninguém precisou falar nada para que isso acontecesse. É só verificar as datas dos 2 eventos. Abraços. Leia mais (Read More): F-35: encomenda italiana cai de 131 para 90 unidades | Poder Aéreo – Informação e Discussão sobre Aviação Militar e Civil Marcelo!Pra acabar com esta patyuléia e este pensamento genocida que “uisamericanu” não nos oferecem vetores de ponta: O F 35 fooi sim oferecio a FAB, fomos convidados s sermos parceiros… Read more »

Tadeu Mendes

Marcos,

Se o Brasil comprasse pelo menos um esquadrao de F-35, eu estaria dando risadas…de felicidade.

Como alguem pode explicar isso para mim????

Um pais como a Italia…com uma economia inferior a do Brasil; com uma populacao de 60 milhoes de habitantes, e com um territorio que deve ser do tamanho de Minas Gerais talvez….e como uma encomenda de 131 aeronaves, e agora cai para 90 aereonaves.

E o Brasil???? 200 milhoes de habitantes, o quinto maior pais do planeta, 7 economia mundial…e vamos de Gripinho.