Segundo o Engineering News Online da África do Sul, é cedo ainda para dizer se a Denel Saab Aeroestructures (DSA), empresa sul-africana, será envolvida na fabricação de componentes para os 22 caças Saab Gripen que a Suíça divulgou ter intenção de adquirir. A DSA é parte do grupo estatal de defesa Denel e, apesar do nome, não tem mais a sua propriedade compartilhada com o grupo aeroespacial e de defesa sueco.

Segundo um representante da Saab, que falou nesta sexta-feira ao Engineering News Online sob a condição de anonimato, “a Saab ainda deverá consultar a Denel, mas fará isso quando o contrato de aquisição dos suíços tiver sido negociado. No estágio atual, a Suíça apenas anunciou a seleção do Gripen”.

A DSA produz o trem de pouso principal e a parte inferior da fuselagem posterior, além dos pilones para cargas externas das versões  JAS 39C (monopostos) e JAS 39D (bipostos) do Gripen. Porém, a Suíça selecionou uma versão de nova geração do caça, que agora vem sendo referida mais formalmente como JAS 39E e JAS 39F (variantes monoposta e biposta, respectivamente). Os JAS 39E/F terão um motor mais potente, o General Electric F414 e serão equipados com um radar de última tecnologia (de varredura eletrônica ativa – AESA).

A Suíça anunciou a escolha do Gripen na quinta-feira. O Gripen derrotou o Dassault Rafale e o Eurofighter Typhoon, ambos bimotores e, consequentemente, maiores e mais pesados que o caça monomotor sueco. As autoridades suíças informaram que a aquisição custará até 3.1 bilhões de francos suíços (aproximadamente 3,5 bilhões de dólares). Destacaram também que o Gripen teria custos de operação menores que seus competidores, toranando-o acessível no médio e longo prazos.

A Suíça e a Saab agora vão negociar o contrato, que incluirá um programa de compensações de 100% para a indústria suíça. Levando em conta as necessárias aprovações do parlamento, é pouco provável que o contrato final seja assinado antes de 2013.

A Suíça se tornará o quinto cliente de exportação do Gripen, após a África do Sul (o primeiro país além da Suécia a selecionar o caça, mas não o primeiro a recebê-lo), a República Tcheca, a Hungria e a Tailândia. O Gripen também ~e usado pela mundialmente renomada “Empire Test Pilots’ School”, a escola de pilotos de teste do Reino Unido.

FONTE: Engineering News (tradução, adaptação e edição: Poder Aéreo)

FOTO: Saab/Gripen International

Tags: , , , ,

About Fernando "Nunão" De Martini

View all posts by Fernando "Nunão" De Martini
Pesquisador de História da Ciência, Técnica e Tecnologia, membro do corpo editorial da revista Forças de Defesa e sites Poder Aéreo, Poder Naval e Forças Terrestres

No comments yet.

Leave a Reply

You must be logged in to post a comment.

F-16 portugueses interceptam aeronaves russas (e não foi no Báltico)

Defesa de Espaço aéreo de responsabilidade nacional: duas aeronaves da Força Aérea Portuguesa (FA) realizaram uma missão de defesa aérea […]

Gripen para a FAB: Câmara questiona preço dos caças

Deputados convocam ministro da Defesa para explicar aumento de US$ 900 milhões no valor do contrato para compra de 36 […]

Índia quer novas negociações para quebrar impasse do Rafale, enquanto Eurofighter espreita

Impasse é devido a garantias sobre as 108 aeronaves que serão fabricadas na Índia, no programa MMRCA de 126 caças Rafale. […]

Para jornal indiano, contrato do Gripen no Brasil abre portas para versão naval na Índia

Segundo reportagem publicada pelo jornal indiano Business Standard na quinta-feira, 30 de outubro, a decisão brasileira de comprar o caça […]

Embraer certifica empresa colombiana para modernizar Tucanos

A Embraer certificou a Corporação da Indústria Aeronáutica Colombiana (CIAC) como centro de serviço mundial para modernizar os aviões Tucano T-27, informou […]

Compre agora sua revista Forças de Defesa número 11

Outra revista igual a essa, só daqui a 100 anos! A Revista Forças de Defesa 11ª edição de 140 páginas na versão impressa […]