quinta-feira, janeiro 27, 2022

Gripen para o Brasil

Nota oficial da Saab sobre versão do Gripen para a Suíça

Destaques

Alexandre Galante
Jornalista, designer, fotógrafo e piloto virtual - alexgalante@fordefesa.com.br

Ontem, autoridades suíças declararam a seleção da aeronave Gripen E/F. A versão oferecida inclui radar AESA e motor mais potente, o General Electric (GE) F414. A aeronave possui também resistência e carga útil maiores do que a versão avaliada pela Suíça em 2008.

A capacidade do Gripen é constantemente atualizada para que permaneça sempre na vanguarda da tecnologia e para que cumpra todas as exigências, tanto as atuais quanto as que possam ser previstas para o futuro. A Saab, a Suécia e nossos parceiros estão comprometidos com o desenvolvimento em andamento do Gripen e vemos isto como um processo natural e contínuo. O protótipo do Gripen NG é a plataforma utilizada para testar e desenvolver tecnologias e características que serão incorporadas no Gripen E/F.

A seleção da aeronave ocorreu por meio de uma avaliação minuciosa de autoridades suíças. A Saab e a Suécia iniciarão, agora, negociações com a Suíça para otimização do pacote completo.

SAIBA MAIS SOBRE O GRIPEN E SUA HISTÓRIA:

- Advertisement -

24 Comments

Subscribe
Notify of
guest
24 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Nick

Muitos questionam que o Gripen NG não é o Gripen E/F…. Mas a realidade é que o Gripen NG É o Gripen E/F. Todas as modificações estruturais como inlet do motor maior, redesenho do sistema de trem de pouso, maior capacidade de combustível interno, sistemas como radar AESA e computadores de missão, que são do Gripen NG será o padrão do E/F. Alguns confundem o fato que a Suécia pode fazer o upgrade de alguns sistemas dos Gripens atuais para o padrão E/F, mas este não será um E/F e sim um C/D com sistemas do E/F. Faltaria as modificações… Read more »

Renato Oliveira

Prezado Nick, O NG não é o E/F, mas sim um demonstrador das capacidades que se tornarão operacionais no E/F. Transformar os C/D em E/F iria requerer modificações estruturais na aeronave, o que tornaria os custos proibitivos. Mas com certeza é possível instalar os aviônicos e outros sistemas, tornando o C/D em C/D ++. Parabéns à Saab e à Suíça. Não é porque tem dinheiro de sobra que vai gastar mais para fazer igual. O Brasil, que quer ser um país sério, deveria aprender. O F-X e o F-X2 começaram muito antes do programa suíço, e eis que eles terminaram… Read more »

Fernando "Nunão" De Martini

Nick e Renato, só pra esclarecer esses detalhes que vocês estão discutindo (embora isso me faça lembrar daquelas discussões intermináveis e “semânticas” com alguns antigos leitores sobre o que é um protótipo, o que é um demo etc – não é o caso de vocês): NG não é um demonstrador. NG é um programa de desenvolvimento de sistemas e mudanças para uma nova geração do Gripen, daí a sigla NG. O demonstrador (NG DEMO) é uma aeronave modificada para testar diversas dessas mudanças que podem ser testadas antes de se partir para um protótipo (ou até eliminando a necessidade dele… Read more »

asbueno

E agora Celso?

A Suiça comprou,
O Gripen venceu,
O FX-2 esfriou…

E agora Dilma?

Sem avião
A FAB no chão
FX-2 vem não…

Fernando "Nunão" De Martini

Esse trecho da nota deixa claro, conforme o exposto no meu comentário acima, que a versão E/F (conforme a nota descreve a oferta feita à Suíça e selecionada, e que deverá ser definida em detalhes na negociação do pacote completo) terá novas asas: “A aeronave possui também resistência e carga útil maiores do que a versão avaliada pela Suíça em 2008.” Resistência é um dos termos empregados como sinônimo de autonomia – ou seja, tanques maiores externos e internos. Carga útil maior implica em nova estrutura da asa, para aguentar as cargas maiores. O Demo as testa na asa antiga… Read more »

asbueno

Nunão, o correto não seria persistência ao invés de resistência?

Fernando "Nunão" De Martini

Já vi das duas formas. Persistência também tem a ver com a quantidade de armamento, por exemplo, carga de mísseis, para uma maior persistência em combate. Quanto mais mísseis ou bombas carrega, mais tempo poderá teoricamente permanecer sobre a área de operações ou em combate contra outros caças (argumento normalmente empregado para a família Flanker, por exemplo). Já resistência costuma ser empregada para autonomia, capacidade autônoma (sem auxílio externo / reabastecimento) de se manter em voo, normalmente dado em horas. É claro, também se usa resistência para falar da robustez de uma aeronave, mas isso é raro e creio que… Read more »

Ivan

O futuro Gripen E/F da Suiça pode decolar de um pequeno aeroporto civil no meio dos Alpes (basta uma pista de 800metros), com 4.200 litros de combustível interno, mais dois tanques externos de 1.250 litros, perfazendo um total de 6.700 litros de combustível, armado com 4 ou 6 mísseis BVR AIM-120 C-7 AMRAAM ou Meteor e mais 2 mísseis Iris-T e fazer um belo estrago em qualquer formação que passe pelo espaço aéreo helvético.

Não sei se é resistência ou persistência, mas acredito que é um adversário a ser respeitado…

Sds,
Ivan.

Fernando "Nunão" De Martini

Ivan, só faltou você assinar:

“Ivan,
o persistente”

Nick

Caro Renato, Nunão, Então resumindo: NG: Todo o processo que foi iniciado quando os Suecos terminaram o desenvolvimento do Gripen C e iniciaram a produção seriada do mesmo. Eles se perguntaram: qual seria a PG(Próxima Geração/Next Generation) do mesmo. Todo o desenvolvimento da próxima geração é o NG. Demo: plataforma para testar todas as modificações e novas tecnologias que seriam introduzidas na próxima geração(NG) do Gripen. E/F : Nova geração do Gripen, com TODAS as modificações e NOVAS tecnologias introduzidas no programa NG, que foram sendo testadas no Gripen D modificado (DEMO). No final das contas, o NG é o… Read more »

asbueno

Persistentes e resistentes somos nós, que cremos em uma boa solução para a aviação de caça brasileira.

É óbvio que a escolha por parte da Suiça não irá definir nosso FX-2, mas poderia ser ela um encorajamento? Um reforço no argumento daqueles que defendem o Super JAS-39 E/F?

O ano de 2012 se avizinha, a crise mundial se desenvolve e não nos contaminamos, segundo o honorável FMI. Considerando isso e muito do que foi dito por aqui, seria possível aguardar uma decisão para o primeiro semestre do próximo ano?

Fernando "Nunão" De Martini

Quanto à dúvida do Pedro Bogaz do Facebook, lá em cima: “Até porque se o caça for o NG ( o que não ficou bem claro para mim ), que será desenvolvido, os críticos…” A resposta está no próprio texto do release, (resguardado o fato de usarem o termo protótipo ao invés de demonstrador, e não querendo voltar a toda a discussão que já houve a respeito) e creio que tira qualquer dúvida em relação a NG e E/F: “O protótipo do Gripen NG é a plataforma utilizada para testar e desenvolver tecnologias e características que serão incorporadas no Gripen… Read more »

Clésio Luiz

Então, quando chegam os nossos 🙂

Seria interessante especular o que aconteceria no mercado se o Rafale viesse a ganhar na Índia. Será que isso iria atrair outros compradores? Será que facilitaria sua compra pelo Brasil, ou pelos EAU?

Corsario137

Caro Clésio,

Os nossos Gripen ou os F-5?

Abraço.

Guilherme Poggio

Nick disse:

Mas a realidade é que o Gripen NG É o Gripen E/F.

Nick

É por essas e outras que nós criamos uma série de post sobre esse assunto. Exatamente para colocar os pingos nos “is”. Segue um deles

http://www.aereo.jor.br/2010/07/28/perguntas-e-respostas-sobre-o-programa-gripen-ng/

Nick

Caro Poggio,

Realmente. Talvez a confusão toda venha do fato de tanto aqui como na India, a SAAB oferecer o caça com denominação “NG”, ao invés de por exemplo, “E/F”.
Poderia ser E-BR (versão Brasil) ou E-IN(versão Indiana).

[]’s

Fernando "Nunão" De Martini

Nick,

Acredito que para lançar um produto a sigla “NG” tenha um apelo de marketing muito maior que as versões operacionais, e os suecos não foram necessariamente os pioneiros nisso:

http://www.aereo.jor.br/2010/05/12/o-ng-da-dassault/

Marcos

Caros cumpanheros, seguinte:

Não sei se é NG, se é E/F/G, se ++, se +/-, sei que a Suiça, com crise e tudo escolheu a Saab para fornecer seu novo caça e que nós, a maior potência das galácticas siderais, vamos continuar voando F-5+/- e Mirage -/-.

Fernando "Nunão" De Martini

Mas Marcos, o nosso F-5 é E/F ou é NG?
🙂

Augusto

O nosso F-5, parece, não é NG. É E/F (eternal/forever)!

Luis

http://www.youtube.com/watch?v=joMfVFAK5Qc
Suécia & Suíça: Happy Nations!

Grifo

Senhores, se não quisermos se prender a siglas, o ponto principal é que o Gripen escolhido pela Suíça (E/F/NG/…) é basicamente o mesmo Gripen oferecido ao Brasil.

É interessante ver que diziam que o caça não teria escala para justificar a sua produção, que não ficaria pronto em 2015, que os custos de operação seriam altos, que era o novo F-20, etc. Pelo jeito a Suíça e a Suécia (e a FAB) pensam diferente.

edcreek

OLá,

Então teremos uma nova versão do Gripado E/F, baseado no NG. Bom agora a coisa começa a ficar interessante, a SAAB terá realmente que desenvolver o caça, e no final veremos se realmente ele terá todos os requisitos projetados.

Veremos o custo real do desenvolvimento e se ele terá todos os sistemas idealizados.

Vou acompanhar com muito interesse a evolução do mesmo.

Mas estou cada vez mais preocupado com os F-5 da Suiça………..

Abraços,

Almeida

Não esquecendo que quem está projetando boa parte dos desenhos dessa versão a ser adquirida pela Suíça é uma empresa brasileira de São José dos Campos chamada Akaer.

http://www.aereo.jor.br/2009/07/02/saab-assina-memorando-de-entendimento-com-akaer/

Quanto a nomenclatura, prefiro chamar os futuros Gripen C/D modernizados para o padrão E/F de Gripen C/D MLU. Gripen E/F é esse que a Suíça e, se Deus que é brasileiro permitir, o Brasil usarão.

Últimas Notícias

Quanto custa a conversão de jatos A330-200 em A330 MRTT?

Com o anúncio da abertura de licitação da Força Aérea Brasileira para a aquisição de dois jatos A330-200 e...
- Advertisement -
- Advertisement -